EUROPA/ESPANHA - Nem sempre o emprego comporta superar a exclusão social

Segunda, 2 Março 2015

Cadiz (Agência Fides) – Cerca 24% da população da província de Cadiz (Sul da Espanha) se encontra numa situação de exclusão social, num total de 297 mil pessoas. Esta realidade atinge mais de 100.000 núcleos familiares de Cadiz. Destes, 42.000 vivem numa situação de pobreza extrema. A porcentagem de pessoas que estão em risco de exclusão social na província é muito semelhante ao restante de Andaluzia e da Espanha. Todavia, Cadiz é caracterizada pelo fato de que a cada cinco núcleos familiares, quatro se desagregaram, a partir do momento que um ou mais membros emigraram (na própria Espanha ou no exterior) em busca de trabalho e de melhores condições de vida. No resto da Espanha, de cada três famílias, duas são desagregadas.
Esses dados, enviados a Fides pela Diocese de Cadiz e Ceuta, foram apresentados à imprensa pelo responsável pela Caritas diocesana e pelo Bispo da Diocese, Dom Rafael Zornoza Boy, fruto do trabalho de análise de dois anos levados avante com muita fadiga. Um membro da equipe da Caritas, na apresentação do estudo, disse: "O desemprego é a porta de muitas famílias para a pobreza e a exclusão social, mas o emprego nem sempre é a saída da exclusão social, porque o salário recebido não é suficiente para satisfazer as exigências mínimas de uma vida digna". (CE) (Agência Fides, 02/03/2015)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network