Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt ÁFRICA/NIGÉRIA - “Mais de 1,3 milhões de cristãos forçados à fuga do Norte da Nigéria”, afirma um Bispohttp://www.fides.org/pt/news/60130-AFRICA_NIGERIA_Mais_de_1_3_milhoes_de_cristaos_forcados_a_fuga_do_Norte_da_Nigeria_afirma_um_Bispohttp://www.fides.org/pt/news/60130-AFRICA_NIGERIA_Mais_de_1_3_milhoes_de_cristaos_forcados_a_fuga_do_Norte_da_Nigeria_afirma_um_BispoAbuja – No norte da Nigéria, entre 2006 e 2014, cerca de 11.500 cristãos foram mortos, outros 1,3 milhões obrigados a deixar suas casas e 13 mil igrejas destruídas ou abandonadas. É o que afirma Dom Joseph Bagobiri, Bispo de Kafanchan, em sua palestra “O impacto da violência persistente na Igreja no norte da Nigéria”, ilustrada em uma conferência realizada na sede geral das Nações Unidas, em Nova York. <br />As comunidades mais afetadas pela violência da seita islâmica Boko Haram são aos dos estados setentrionais de Adamawa, Borno, Kano e Yobe. As comunidades cristãs obrigadas à fuga se transferiram a estados de maioria cristã no chamado “cinturão do meio” : Plateau, Nassarawa, Benue, Taraba e a parte meridional de Kaduna. <br />Nos últimos meses, no entanto, estas áreas foram atingidas pelas violências dos pastores Fulani . “As comunidades cristãs nos estados de maioria cristã da Middle Belt são as mais atingidas por ataques e invasões dos pastores muçulmanos Fulani. Esta é uma evidente invasão estrangeira de terras ancestrais de cristãos e de outras comunidades minoritárias”, afirmou Dom Bagobiri em sua palestra, enviada à Fides. “Nestas áreas, os pastores Fulani amedrontam incessantemente várias comunidades, cancelando algumas, e em lugares como Agatu, no estado de Benue e Gwantu e Manchok, no de Kaduna, estes ataques assumiram caráter de genocídio, com 150-300 pessoas mortas em uma noite”, sublinhou. <br />Dom Bagobiri dirigiu um apelo à comunidade internacional para que exerça pressões sobre as autoridades nigerianas a fim de que garantam liberdade de culto aos cristãos e a outras minorias no norte da Nigéria, e enfrentem a emergência humanitária das populações deslocadas. <br />Mon, 30 May 2016 17:38:51 +0200VATICANO - Card. Filoni na missa de envio dos missionários: evangelizar é crescer na féhttp://www.fides.org/pt/news/60127-VATICANO_Card_Filoni_na_missa_de_envio_dos_missionarios_evangelizar_e_crescer_na_fehttp://www.fides.org/pt/news/60127-VATICANO_Card_Filoni_na_missa_de_envio_dos_missionarios_evangelizar_e_crescer_na_feBucaramanga – “A missão de evangelizar deve ser sempre um constante encorajamento a não contentar-se da mediocridade, mas a continuar crescendo na fé”, recomendou o Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, durante a Missa de envio dos Missionários que presidiu sábado, 28 de maio, encerrando o XII Congresso Missionário Nacional da Colômbia. <br />“A autoridade não provém da ciência ou da doutrina, mas do Espírito Santo que governa a nossa história e guia nossos passos – disse o Cardeal, na homilia, comentando a liturgia do dia. Deus é a fonte de toda autoridade. Fazendo-se uma só coisa com Ele, adquire-se autoridade, porque o Senhor se comunica e vive com todo o seu ser na Igreja; confere-lhe poder, autoridade, ciência e sabedoria”. <br />Citando a Evangelii Gaudium, o Prefeito do Dicastério Missionário recordou que “evangelizamos também quando tentamos enfrentar os diversos desafios que se podem apresentar”, pois “a verdade, por vezes, é incomoda e não pode variar dependendo das circunstâncias. Os escribas e os fariseus querem acusar Jesus de abuso de autoridade e não lhe reconhecem o direito de revelar ao mundo a verdade e de proclamar a nova lei do amor”. Assim, dirigindo-se aos enviados para missões, reiterou que poderão muitas vezes se encontrar diante de fechamentos mentais, cegueiras, preconceitos “de quem não conhecem ou reconhecem Cristo, Caminho, Verdade e Vida, mas que têm a presunção também de julgar Deus” e “a consequência deste comportamento pode ser a indiferença ou a perseguição”. <br />A partir do Concílio Vaticano II, a evangelização sofreu “transformações relevantes por causa das mudanças de modelos culturais”, tanto que “às vezes, pode-se ter a impressão que o anúncio da fé não suscite entusiasmo, ainda mais se, por causa de algumas formas de diálogo que marginalizam o Evangelho e a atenção às tradições religiosas e culturais, se esquece que a Igreja, por natureza, é missionária”. As multidões reconhecem a autoridade e o poder de Jesus, e dão testemunho disso; fazem dela um alegre um anuncio, um “Evangelho”. O Prefeito do Dicastério Missionário invocou de Deus, por intercessão de Santa Laura Montoya, “o dom de viver uma fé autenticamente evangélica e a alegria de anunciar, com grande autoridade espiritual, a sua Palavra aos homens”. <br /><br /><br /><br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/es/attachments/view/file/C.Fil_Om_Invio_28052016.docx">Íntegra da homilia do Cardeal Filoni, em espanhol: </a>Mon, 30 May 2016 17:38:04 +0200ÁFRICA/QUÊNIA - Líderes religiosos: “soluções políticas urgentes para evitar que o país recaia na violência”http://www.fides.org/pt/news/60126-AFRICA_QUENIA_Lideres_religiosos_solucoes_politicas_urgentes_para_evitar_que_o_pais_recaia_na_violenciahttp://www.fides.org/pt/news/60126-AFRICA_QUENIA_Lideres_religiosos_solucoes_politicas_urgentes_para_evitar_que_o_pais_recaia_na_violenciaNairóbi - “O protagonismo das duas maiores formações políticas, especialmente a disputa sobre a Comissão Eleitoral Independente, é uma ameaça à paz, à coesão e à unidade dos quenianos”, afirmam os líderes religiosos do Quênia em declaração intitulada “Por amor de nosso país, venham e debatamos”.<br />O documento, enviado à Agência Fides, foi assinado ao final de uma reunião realizada no Centro de retiro das Pequenas Filhas de São José, em Karen, da qual participaram representantes da Conferência Episcopal do Quênia e de todas as principais confissões religiosas do país: National Council of Churches of Kenya , National Muslim Leaders Forum , Council of Imams and Preachers of Kenya , Organization of African Instituted Churches , Hindu Council of Kenya , Seventh Day Adventist Church ed Evangelical Alliance of Kenya .<br />Segundo os líderes religiosos, a extrema polarização da vida política nacional em vista das eleições gerais de 2017, requer “uma solução urgente para evitar uma crise iminente, que poderia complicar as eleições do próximo ano e deixar o país afundar na violência eleitoral”. <br />A mensagem apresenta condolências às famílias das vítimas dos incidentes ocorridos em 23 de maio durante as manifestações realizadas em várias partes do país pela oposição, que pediam a dissolução da comissão eleitoral, acusada de não ser imparcial, mas favorável ao Presidente atual, Uhuru Kenyatta. <br />Os líderes religiosos convidam ao diálogo a facção presidencial e a coalizão de oposição e recorda todos os atores políticos que “o povo queniano os considerará responsáveis se o país recair na anarquia por causa de interesses políticos irremovíveis”. <br />A mensagem se encerra reafirmando a disponibilidade dos líderes religiosos em contribuir com o diálogo e a pacificação nacional. <br />Mon, 30 May 2016 17:36:57 +0200ÁFRICA/ANGOLA - Seca e precariedade das estruturas higiênicas e médicas agravam a desnutrição infantilhttp://www.fides.org/pt/news/60125-AFRICA_ANGOLA_Seca_e_precariedade_das_estruturas_higienicas_e_medicas_agravam_a_desnutricao_infantilhttp://www.fides.org/pt/news/60125-AFRICA_ANGOLA_Seca_e_precariedade_das_estruturas_higienicas_e_medicas_agravam_a_desnutricao_infantilChiulo - A grave seca que atingiu no último ano o sul de Angola continua a ameaçar a saúde de mães e filhos. Em 2015, apenas no hospital de Chiulo, as crianças desnutridas representaram 19% das hospitalizações na ala de pediatria, 15% nos primeiros 4 meses deste ano. Quem lança o alarme é a ONG Médicos com a África CUAMM que, junto com o Unicef, promoveu na província de Cunene uma ação de contraste à desnutrição aguda e moderada. A iniciativa envolve os hospitais de Chiulo, Xangongo e Cahama e prevê o empenho de 1 pediatra e 1 chefe de projeto, que trabalharão nos próximos 3 meses em unidades nutricionais para assegurar que os pequenos sejam internados e recebam os cuidados adequados. <br />Agravam a situação, consta ainda no comunicado do CUAMM enviado à Fides, as mudanças climáticas, a agricultura de subsistência ainda amplamente difundida, a precariedade das condições higiênicas e das estruturas médicas, não preparadas para enfrentar casos mais graves, que fazem com que Angola continue a ser um dos países do mundo com os piores índices de desnutrição. Em relação à saúde infantil, morrem ainda hoje, no país, 161 crianças a cada mil. No total, nos municípios de Ombadja e Cahama, servidos por Chiulo e pelos dois outros hospitais envolvidos no projeto, 5,5% das 74 mil crianças menores de 5 anos sofrem de SAM – Severe Acute Malnutrition; 10% delas, 357 crianças, deveriam ser hospitalizadas para garantir a reabilitação nutritiva de que precisam. <br /><br />Mon, 30 May 2016 17:30:36 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Blasfêmia nas redes sociais: um cristão preso, outros cinco acusadoshttp://www.fides.org/pt/news/60133-ASIA_PAQUISTAO_Blasfemia_nas_redes_sociais_um_cristao_preso_outros_cinco_acusadoshttp://www.fides.org/pt/news/60133-ASIA_PAQUISTAO_Blasfemia_nas_redes_sociais_um_cristao_preso_outros_cinco_acusadosSheikhupura – O cristão Usman Masih foi preso pela polícia no vilarejo de Nabi Pura, nas proximidades de Sheikhupura, no Punjab, com a acusação de blasfêmia, depois de uma denúncia apresentada por alguns muçulmanos que o acusam de ter postado material blasfemo nas redes sociais, como Facebook. A Agência Fides recebeu a notícia de Aneeqa Maria Anthony, cristã e responsável pela Ong “The Voice”, que acompanha casos de cristãos discriminados e acusados injustamente. <br />Segundo o relato da advogada Anthony, no vilarejo de Nabi Pura se registram há cerca de uma semana tensões entre grupos cristãos e muçulmanos: estes ameaçaram incendiar casas cristãs por causa de supostos atos blasfemos. A questão nasceu nas redes sociais: grupos de jovens cristãos e muçulmanos iniciaram a fotografar jovens e postar as fotos no Facebook com comentários humilhantes ou não respeitosos. Na conta de alguns cristãos teriam aparecido também posts e comentários ofensivos contra o Profeta Maomé. Os jovens cristãos referem que esses posts pertencem a um homem de nome Hannan, que vive em Dubai: segundo o mecanismo das redes sociais, compartilhando a amizade no Faceebok com ele, os seus posts aparecem também na conta dos cristãos locais, que não têm qualquer responsabilidade. <br />O fato é que a polícia, depois da denúncia, prendeu um cristão e está investigando outros cinco. “The Voice” encontrou provas de comentários não respeitosos contra mulheres, mas não atos de blasfêmia. “Transformar o caso numa questão religiosa é completamente errado”, disse a advogada Anthony a Fides. “Esperamos que a polícia o apure e que ajude a manter a paz e a segurança no vilarejo”, conclui. <br />Mon, 30 May 2016 15:30:04 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Líder nacionalista hindu ajuda as irmãs católicashttp://www.fides.org/pt/news/60128-ASIA_INDIA_Lider_nacionalista_hindu_ajuda_as_irmas_catolicashttp://www.fides.org/pt/news/60128-ASIA_INDIA_Lider_nacionalista_hindu_ajuda_as_irmas_catolicasMumbai – Ashish Shelar, líder político indiano, presidente da seção de Mumbai do “Bharatiya Janata Party”, partido nacionalista hindu ao poder na Federação indiana, lançou um projeto que beneficia as religiosas católicas Pias Discípulas do Mestre Divino de Mumbai. O projeto prevê a reforma e a pavimentação do complexo do convento das religiosas em Mumbai. Como apurado pela Fides, a obra se realiza graças a verbas da Assembleia Legislativa do estado de Maharashtra, da qual Shelar é membro. <br />Na cerimônia de inauguração realizada em 30 de maio no convento das irmãs, interveio o próprio Ashish Shelar, ao lado da superiora das religiosas, Ir. Amita Mascarenhes, e do sacerdote local pe. Michael Pinto. Na cerimônia, também foi anunciada a nova Gruta dedicada a Maria Rainha dos Apóstolos, e o líder político do BJP participou do rito com veneração e oração. No convento das irmãs, há uma conhecida “Prarthanalaya” , com uma capela aberta para a Adoração Eucarística contínua. <br />As religiosas se empenharam muito, sobretudo graças à preciosa e tenaz contribuição de uma delas, Ir. Vimla, para manter os contatos com Ashish Shelar e iniciar o projeto. As irmãs encontraram a plena disponibilidade de Shelar, homem político que mostra constantemente abertura em relação às comunidades cristãs de Maharashtra, reconhecendo sua contribuição à sociedade indiana. Shelar fala com frequência de “construção da comunidade” como modo de fazer política e apoia as iniciativas das comunidades cristãs, encontrando fundos sem qualquer discriminação ou sem cair no “populismo”, atitude às vezes presente nos líderes do seu partido. <br />Mon, 30 May 2016 15:29:32 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - Libertação de jornalistas: a Igreja é mediadora, mas a tensão permanece altahttp://www.fides.org/pt/news/60124-AMERICA_COLOMBIA_Libertacao_de_jornalistas_a_Igreja_e_mediadora_mas_a_tensao_permanece_altahttp://www.fides.org/pt/news/60124-AMERICA_COLOMBIA_Libertacao_de_jornalistas_a_Igreja_e_mediadora_mas_a_tensao_permanece_altaOcaña – Assim que a jornalista Salud Hernandez Moro foi libertada, em 27 de maio, as suas primeiras palavras foram de apreço e de agradecimento à Igreja Católica na Colômbia. Como informaram as agências de imprensa, a Igreja, com a “Defensora del Pueblo”, foram os reais mediadores para a sua libertação e também para a de outros dois jornalistas colombianos que foram sequestrados pelos guerrilheiros do ELN .<br />A Igreja, portanto, se tornou um ponto de referência nas regiões de conflito, sobretudo pela confiança de que goza junto a esse grupo de guerrilheiros. O ELN, de fato, pediu para entregar a jornalista sequestrada ao pároco de San Calixto e ao pároco da Catedral de Santa Ana, em Ocaña, que foram acompanhados pelos funcionários da entidade “Defensora del Pueblo” e pelo Bispo de Tibu, Dom Omar Sanchez.<br />A intervenção do Bispo da diocese de Ocaña, Dom Gabriel Angel Villa Vahos, que pessoalmente anunciou a libertação da jornalista, foi um fator determinante por detrás de todos os contatos com o ELN e com as forças militares para chegar à fase de libertação.<br />A situação em relação à proposta de um diálogo oficial entre o Governo Colombiano e ELN, no âmbito das negociações de paz, permanece muito complexa. Enquanto o presidente Santos destacou energicamente a condição de libertar todos os sequestrados, a carta do ELN entregue através da jornalista libertada reitera que essas ações violentas e de pressão têm a finalidade de recordar a presença guerrilheira no território de Catatumbo, portanto não há qualquer interesse em abrir um diálogo.<br /> Mon, 30 May 2016 15:28:26 +0200ÁSIA/TERRA SANTA - Representantes da União Europeia visitam o canteiro de obras do Muro de Separação no Vale de Cremisanhttp://www.fides.org/pt/news/60121-ASIA_TERRA_SANTA_Representantes_da_Uniao_Europeia_visitam_o_canteiro_de_obras_do_Muro_de_Separacao_no_Vale_de_Cremisanhttp://www.fides.org/pt/news/60121-ASIA_TERRA_SANTA_Representantes_da_Uniao_Europeia_visitam_o_canteiro_de_obras_do_Muro_de_Separacao_no_Vale_de_CremisanBeit Jala - A construção do Muro de Separação destinado a atravessar o Vale de Cremisan prossegue num ritmo acelerado e já se veem os estragos irreparáveis que esse trabalho está causando na área que representava um pulmão verde para toda a área densamente povoada, que inclui as cidades de Belém, Beit Jala e Beit Sahour. <br />Na quinta-feira, 26 de maio, a tomar nota dos efeitos dos trabalhos realizados sob a direção do Exército israelense foram os chefes das missões da União Europeia presentes em Jerusalém e Ramallah. Os representantes da União Europeia visitaram a área de Beir Onah, perto do Vale de Cremisan, recebendo informações e atualizações sobre os aspectos jurídicos, políticos e socioeconômicos da construção do Muro dos expoentes da Societé St Yves, Centro para os direitos humanos ligado ao Patriarcado Latino de Jerusalém.<br />Durante a visita - referem os meios oficiais do Patriarcado Latino - os chefes da União Europeia tiveram a oportunidade de ouvir o testemunho de Issa Al-Shatleh, um dos proprietários dos terrenos que obteve as terras confiscadas e as oliveiras desarraigadas por causa da construção do muro. Pe. Aktham Hijazin, pároco de Beit Jala, prefigurou a próxima expropriação de terras pertencentes ao município de Beit Jala da parte dos assentamentos de Gush Etzion e Har Gilo.<br />A rota do muro de separação imposta pelas autoridades israelenses está em grande parte em terras palestinas. As missões da UE – destacam as fontes do Patriarcado Latino consultadas pela Agência Fides – condenaram repetidamente a construção de assentamentos e do muro de separação para além das fronteiras de 1967, com destaque para a ilegitimidade também do ponto de vista do direito internacional. .<br />Sat, 28 May 2016 11:53:59 +0200ÁSIA/SÍRIA - A UE confirma as sanções. O Arcebispo Marayati: quem sofrerá é o povo, não quem comanda. E há quem não quer que a guerra acabehttp://www.fides.org/pt/news/60123-ASIA_SIRIA_A_UE_confirma_as_sancoes_O_Arcebispo_Marayati_quem_sofrera_e_o_povo_nao_quem_comanda_E_ha_quem_nao_quer_que_a_guerra_acabehttp://www.fides.org/pt/news/60123-ASIA_SIRIA_A_UE_confirma_as_sancoes_O_Arcebispo_Marayati_quem_sofrera_e_o_povo_nao_quem_comanda_E_ha_quem_nao_quer_que_a_guerra_acabeAleppo – A prorrogação de um ano das sanções contra a Síria de Assad, decidida ontem pelo Conselho da União Europeia , representa a enésima expressão “de uma política incompreensível, que nos desnorteia. Porque as sanções prejudicam o povo, os civis, as pessoas pobres. Não certamente o governo e muito menos os grupos armados que, como se vê, são bem fornecidos de todos os recursos, e usam armas sempre mais sofisticadas”. Assim, o Arcebispo Boutros Marayati, à frente da arquieparquia armênia católica de Aleppo, comenta a decisão tomada ontem pela União Europeia de prorrogar até 1o de junho de 2017 as sanções impostas a uma nação dilacerada por cinco anos de conflito. <br />Nas semanas passadas, também o Arcebispo Boutros subscreveu o apelo/petição lançado na plataforma change.org, com o qual numerosos Bispos, religiosos e consagrados católicos, pertencentes a diferentes Igrejas sui iuris, pediam à União Europeia de acabar com a “inequidade das sanções à Síria” .<br />“Sabemos que ninguém nos escuta. Assim, as pessoas continuam sofrendo. Também ontem, conta à Agência Fides Mons. Marayati, a nossa casa para idosos armênios foi bombardeada. Morreu uma funcionária que cuidava deles, e tivemos de levar embora 45 idosos, que agora vivem numa sala subterrânea da paróquia armênia ortodoxa. A situação está piorando. Dos bairros nas mãos dos rebeldes chegam tiros de artilharia lançados com armas devastadoras que fazem mais mal do que os tiros de morteiro de antes. Em Aleppo, a trégua não persiste. Multiplicam-se os ataques de uma parte e da outra e nós estamos sob o fogo dos grupos jihadistas”. <br />Vista da fronteira de Aleppo, também a decisão europeia confirma as intuições de muitos bispos e pastores da região: “Se a guerra continua, disse à Fides o Arcebispo Boutros Marayati, significa dizer que alguém não quer que a guerra termine. Na Europa, cresce a obsessão pelos refugiados e se experimentam novas políticas de repulsão, mas se esquece que ninguém iria embora da Síria, se não fosse a guerra e também as sanções que contribuem para a fome das pessoas. A Síria sempre foi um país que acolhia os refugiados. Se as armas se calassem e se as sanções fossem tiradas, ninguém pensaria em fugir para viver debaixo da neve. Mas é evidente que alguém não quer que esta guerra termine. Pedimos a oração de todos a fim de que chegue a paz, com a graça do Senhor”. .<br />Sat, 28 May 2016 23:52:32 +0200VATICANO - Em 30 de maio, tem início a Assembleia Geral das Pontifícias Obras Missionáriashttp://www.fides.org/pt/news/60119-VATICANO_Em_30_de_maio_tem_inicio_a_Assembleia_Geral_das_Pontificias_Obras_Missionariashttp://www.fides.org/pt/news/60119-VATICANO_Em_30_de_maio_tem_inicio_a_Assembleia_Geral_das_Pontificias_Obras_MissionariasCidade do Vaticano – Segunda-feira, 30 de maio, têm início os trabalhos da Assembleia Geral Anual das Pontifícias Obras Missionárias , na Casa de Exercícios dos Salesianos, em Roma. Os Diretores nacionais das POM provenientes de todos os continentes, junto ao Presidente e aos Secretários-gerais das quatro Obras, se reunirão para seu encontro anual, que prevê as “Jornadas pastorais” sobre o tema “Despertar a consciência da missão hoje. As POM a serviço das jovens Igrejas”; um dia dedicado ao 100o aniversário da Pontifícia União Missionária e a sessão ordinária da Assembleia .<br />Os trabalhos serão abertos pelo Arcebispo Dom Protase Rugambwa, Secretário-adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e Presidente das POM, com as obrigações rituais, alguns testemunhos e a introdução ao trabalho nos workshops. Na tarde de 30 de maio, haverá a conferência do Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, e a do Arcebispo Rugambwa. No dia seguinte, haverá os workshops, debates e encontros continentais.<br />Quarta-feira, 1o de junho, o dia será dedicado à celebração do centenário da Pontifícia União Missionária , com uma visita a Ducenta , onde está sepultado o Beato padre Paolo Manna, sacerdote do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras , fundador da PUM. O Card. Filone presidirá à Concelebração eucarística.<br />Quinta-feira, 2 de junho, terá início a Sessão ordinária da Assembleia, durante a qual os Secretários-gerais das quatro Pontifícias Obras Missionárias apresentarão o balanço do ano transcorrido, a previsão e os pedidos de subsídios aos projetos apresentados. Na sequência, tomarão a palavra: o Secretário-Geral da Pontifícia Obra de Propagação da Fé, Pe. Ryszard Szmydki, OMI; o Secretário-geral da Pontifícia Obra de São Pedro Apóstolo Pe. Fernando Domingues, MCCJ; a Dra. J. Baptistine Ralamboarison, Secretária-Geral da Pontifícia Obra da Infância Missionária; Pe. Fabrizio Meroni, PIME, Secretário-geral da Pontifícia União Missionária e Diretor do CIAM. Depois dos discursos, haverá os pronunciamentos dos presentes, as discussões em plenário e a aprovação dos projetos. O último pronunciamento será do Mons. Carlo Soldateschi, Encarregado da Administração. <br />O programa de sexta-feira, 3 de junho, prevê as obrigações finais da Assembleia. O pronunciamento do Presidente das POM, Dom Rugambwa, encerará os trabalhos. Sábado, 4 de junho, está prevista a audiência do Santo Padre Francisco. <br />Sat, 28 May 2016 23:51:45 +0200VATICANO - O Card. Filoni convida a “voltar ao essencial, ao alegre testemunho de fé na caridade”http://www.fides.org/pt/news/60122-VATICANO_O_Card_Filoni_convida_a_voltar_ao_essencial_ao_alegre_testemunho_de_fe_na_caridadehttp://www.fides.org/pt/news/60122-VATICANO_O_Card_Filoni_convida_a_voltar_ao_essencial_ao_alegre_testemunho_de_fe_na_caridadeBucaramanga – Na tarde de sexta-feira, 27 de maio, o Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, presidiu a concelebração eucarística na Catedral de Bucaramanga, dedicada à “Sagrada Família”, para sacerdotes, religiosos, religiosas, seminaristas e membros de movimentos de leigos da Arquidiocese. Concelebraram os Metropolitas e os Vigários Apostólicos. Estavam presentes também várias autoridades locais. <br />A liturgia do dia tinha como tema a fé como condição para que os dons recebidos de Deus se possam realizar e frutificar. Na homilia, o Cardeal convidou a um “exame de consciência sobre nossas obras em favor da evangelização” e destacou que o dever de “ser bons administradores da multiforme graça de Deus é fundamental, como um desafio cotidiano para todos nós: bispos, sacerdotes, diáconos permanentes e fiéis leigos”. Em nossa vida, tudo é um dom recebido gratuitamente de Deus, não por nosso mérito, mas para ser colocado à serviço da comunidade. Todos os dons são como talentos confiados a nós, para que os administremos em benefício do corpo eclesial e do mundo.<br />Na sequência, o Prefeito do Dicastério Missionário indicou como modelo para todo agente pastoral e missionário a vida das primeiras comunidades cristãs: “um convite a todos para retornarmos ao essencial, ou seja, ao alegre testemunho de fé na caridade, a sermos homens de nosso tempo, profundamente inseridos na história, mas com a consciência de ser irmãos na fé e servos de Deus”. O Cardeal reiterou que o fundamento da vida pastoral deve ser a oração, caso contrário, “toda nossa ação corre o risco de se revelar vazia e o anúncio do Evangelho, no final, parece sem alma”.<br />Santa Laura Montoya aprendeu, na escola de oração, como fazer frutificar os dons recebidos pelo Senhor no serviço caritativo e missionário para com os últimos, que na época eram índios. “A presença espiritual desta santa e sua poderosa intercessão, neste clima do Congresso Missionário Nacional – concluiu -, são certamente um encorajamento e um convite a se colocar ‘em saída’ rumo a todos os ambientes e lugares que necessitam da boa nova do Senhor ressuscitado”. <br /><br /><br /><br /><br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/es/attachments/view/file/C.Fil_Omelia_27052016_Bucaramanga.docx">Homilia do Cardeal, em espanhol: </a>Sat, 28 May 2016 15:59:07 +0200VATICANO - “Igreja da Colômbia, compartilha a tua fé, seja missionária em saída!”: Card. Filoni ao Congresso Missionáriohttp://www.fides.org/pt/news/60120-VATICANO_Igreja_da_Colombia_compartilha_a_tua_fe_seja_missionaria_em_saida_Card_Filoni_ao_Congresso_Missionariohttp://www.fides.org/pt/news/60120-VATICANO_Igreja_da_Colombia_compartilha_a_tua_fe_seja_missionaria_em_saida_Card_Filoni_ao_Congresso_MissionarioBucaramanga – “Consciência e responsabilidade missionária das Igrejas particulares”: este foi o tema da ampla palestra feita pelo Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, no dia 27 de maio, no Congresso Missionário Nacional da Colômbia, aberto na noite anterior. O evento se realiza em Bucaramanga com o tema “Somos Igreja colombiana, em saída missionária” .<br />O Prefeito do Dicastério Missionário se inspirou no trecho evangélico da primeira multiplicação dos pães , cujo pano de fundo é “o caráter missionário da comunidade apostólica”, e fez algumas reflexões: a centralidade da pessoa e da missão de Jesus: a missão dos Apóstolos é submetida ao julgamento do Senhor e ao conhecimento dos outros companheiros, para que a pregação e a ação não sejam vãs; sem uma autenticidade espiritualidade, não há uma autêntica missão, mas apenas um ativismo sem futuro; as pessoas eram atraídas pela pregação e pelo Mestre, que era diferente de todos os outros mestres: a multidão que buscava Jesus “era como um rebanho sem pastor”.<br />“Desde os primeiros momentos de seu pontificado, o Papa Francisco, primeiro Papa latino-americano, falou da missão e do testemunho, até heroico, que por vezes chega ao martírio – prosseguiu o Card. Filoni. Uma Igreja em saída missionária em que todo cristão e toda comunidade são chamados a sair de sua própria comunidade e ter a coragem de chegar até todas as periferias que precisam da luz do Evangelho”. Uma Igreja, portanto, cuja missão é anunciar a misericórdia de Deus; uma Igreja a serviço das periferias existenciais, dos pobres e da sociedade; uma Igreja que sabe ser compassiva, carinhosa, comunitária e fraterna.<br />A Igreja colombiana, principalmente nos últimos anos, sempre demonstrou um especial compromisso missionário, seja intra seja extra, destacou o Cardeal. “Este Congresso Missionário, portanto, quer seguir o caminho da visão e da missão pastoral delineada pelo Papa Francisco, que frequentemente nos encoraja à consciência e à responsabilidade missionária das Igrejas particulares”. “A missão ad gentes ad intra, na Colômbia, é sempre necessária, de modo que o povo de Deus se possa renovar incessantemente na fidelidade à fé apostólica e na abertura do Espírito. Além disso, nos responsabiliza também sobre a missão ad extra, entendida como a obrigação de todas as Igrejas particulares em relação ao anúncio do Evangelho nos lugares em que ele precisa ser re-anunciado, aonde chegou recentemente ou onde ainda não está radicado”.<br />O Prefeito do Dicastério Missionário se deteve amplamente sobre a consciência missionária das Igrejas particulares e sua responsabilidade missionária, evidenciando ainda os desafios que surgem com a transformação da sociedade e do mundo de hoje; a necessidade de adquirir uma autêntica consciência missionária que não nos encerre em nossas necessidades; a importância de adquirir os instrumentos próprios do missionário: pobreza evangélica, não-violência, disponibilidade a dar a própria vida no nome de Cristo e por amor aos homens. <br />Enfim, o Card. Filoni, após expressar seu apreço pela solicitude dos Bispos colombianos pelas Igrejas missionárias do país, questionou sobre a missão ‘especial’ da Colômbia, e concluiu: “A Igreja deste país pode dar e fazer mais, porque aqui também, aonde há muitas formas de pobreza e a esperança ainda possui um papel e uma força, ninguém é tão pobre que não pode compartir a própria fé”. Coragem, Colômbia!”. Pode-se dar e fazer mais, e por isso, peço aos discípulos missionários de Jesus, que são muitos, que se apresentem e se façam conhecer. Coragem, Igreja da Colômbia, ‘compartilhe a sua fé’ e seja uma Igreja missionária ‘em saída’”. <br /><br /><br /><br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/es/attachments/view/file/C.Fil._Rel_CMN_27052016.docx">Íntegra da palestra do Cardeal, em espanhol:</a>Sat, 28 May 2016 15:57:44 +0200ÁFRICA - Um projeto europeu/africano para recuperar 7 milhões de armas em circulação na África Ocidentalhttp://www.fides.org/pt/news/60115-AFRICA_Um_projeto_europeu_africano_para_recuperar_7_milhoes_de_armas_em_circulacao_na_Africa_Ocidentalhttp://www.fides.org/pt/news/60115-AFRICA_Um_projeto_europeu_africano_para_recuperar_7_milhoes_de_armas_em_circulacao_na_Africa_OcidentalRoma - São 7 milhões de armas leves e de pequeno porte que circulam na África Ocidental, um milhão só na Nigéria. Desse número, 77 mil delas estão nas mãos de grupos guerrilheiros que alimentam os conflitos na Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria e Senegal.<br />Para enfrentar este problema, a União Europeia, parceira comercial principal dos países da região, lançou uma iniciativa em conjunto com CEDEA/ECOWS para recuperar as armas em possessso de civis na área.<br />Ao programa se juntaram sete Estados da África Ocidental: Mali, Libéria, Guiné, Níger, Serra Leoa, Costa do Marfim e Nigéria.<br />O programa, iniciado em 2014, destinado a se concluir em 2017, se concentra na comunicação e ensinamento dos perigos do tráfico de armas leves nos povoados e cidades fronteiriças e sobre seu papel na fomentação da violência. A isso, segue o convite aos habitantes para entregar voluntariamente suas armas em troca de projetos de desenvolvimento comunitário. Os líderes dos povoados foram instados a participar da iniciativa como garantes de sua própria comunidade. <br />Fri, 27 May 2016 11:37:38 +0200ÁFRICA/EGITO - Violência contra os coptas na província de Minya, intercedem o Patriarca Tawadros e o Presidente al Sisihttp://www.fides.org/pt/news/60117-AFRICA_EGITO_Violencia_contra_os_coptas_na_provincia_de_Minya_intercedem_o_Patriarca_Tawadros_e_o_Presidente_al_Sisihttp://www.fides.org/pt/news/60117-AFRICA_EGITO_Violencia_contra_os_coptas_na_provincia_de_Minya_intercedem_o_Patriarca_Tawadros_e_o_Presidente_al_SisiMinya - Sete casas e lojas pertencentes a cristãos coptas foram incendiadas e saqueadas. Uma cristã idosa foi insultada, agredida e despojada em público por uma gangue de agressores enfurecida. Este é o balanço provisório da nova onda de violência sectária contra os coptas que explodiu em al Karm, na província de Minya, no Alto Egito. Desta vez, a desencadear a fúria de gangues invasoras foram boatos sobre uma relação sentimental entre um egípcio copta e uma mulher muçulmana.<br />A nova explosão de violência sectária, há poucos dias do encontro que teve lugar em Roma entre o Papa Francisco e o Grande Imame de al-Azhar, Ahmed al-Tayyib, chamou a atenção do debate público no Egito, sobretudo por causa da violência e humilhação perpetrada contra a senhora idosa. O Patriarca copta ortodoxo Tawadros II, atualmente na Áustria, emitiu uma declaração em que fala da possibilidade de que os fatos de al Karm possam ser usados para acionar uma nova espiral de confrontos sectários, e chama todos a tutelar juntos a coexistência pacífica entre as diversas componentes da população egípcia. Até mesmo o presidente Abdel Fattah al Sisi – refere um comunicado difundido em 26 de maio pela equipe presidencial – fez um apelo aos departamentos governamentais competentes para que os responsáveis da violência de al Karm sejam prontamente identificados e punidos. De acordo com informações da imprensa local, pelo menos cinco pessoas foram presas sob a acusação de ter participado das agressões contra a mulher idosa e as casas dos coptas. .<br /><br />Fri, 27 May 2016 11:35:31 +0200ÁFRICA/COSTA DO MARFIM - Os bispos pedem a libertação dos prisioneiros da guerra civil para uma verdadeira reconciliação nacionalhttp://www.fides.org/pt/news/60111-AFRICA_COSTA_DO_MARFIM_Os_bispos_pedem_a_libertacao_dos_prisioneiros_da_guerra_civil_para_uma_verdadeira_reconciliacao_nacionalhttp://www.fides.org/pt/news/60111-AFRICA_COSTA_DO_MARFIM_Os_bispos_pedem_a_libertacao_dos_prisioneiros_da_guerra_civil_para_uma_verdadeira_reconciliacao_nacionalAbidjan - “A reconciliação exige naturalmente a libertação dos prisioneiros do conflito ocorrido no país, sobretudo a partir do momento que, deste ponto de vista, ninguém pode se dizer inocente”, disse no domingo, 22 de maio, Dom Ignace Bessi Dogbo, Bispo de Katiola, falando em nome dos Bispos da Costa do Marfim, na Catedral de Notre-Dame de la Paix de Yamoussoukro, durante a peregrinação nacional realizada no âmbito do Jubileu da Misericórdia. "Para se reconciliar é preciso ser livre, e para ser livre é necessária a possibilidade de se mover sem ser angustiados", acrescentou o bispo.<br />A Costa do Marfim sofreu uma década de crise política militar, entre 2002 e 2011, que terminou com o confronto entre o atual Presidente Alassane Ouattara e o ex-presidente Laurent Gbagbo, que se recusou a reconhecer a vitória do primeiro nas eleições presidenciais de novembro de 2010. O confronto político se transformou em confronto militar entre os apoiantes dos dois campos, com mais de 3.000 mortes em cinco meses. Gbagbo foi finalmente preso quando as tropas da ONU e francesas invadiram o palácio presidencial onde ele tinha se entrincheirado.<br />Vários apoiantes de Gbagbo foram presos por causa da violência pós-eleitoral, enquanto nenhum apoiante do atual presidente foi levado diante da Justiça por atos violentos cometidos, uma vez que, de acordo com observadores independentes, nenhum dos dois pode se declarar inocente pelo o que ocorreu naquele período. <br /><br />Fri, 27 May 2016 11:34:29 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - A Caritas de Lahore além da emergência, ao lado das vítimas da tragédia de Páscoahttp://www.fides.org/pt/news/60118-ASIA_PAQUISTAO_A_Caritas_de_Lahore_alem_da_emergencia_ao_lado_das_vitimas_da_tragedia_de_Pascoahttp://www.fides.org/pt/news/60118-ASIA_PAQUISTAO_A_Caritas_de_Lahore_alem_da_emergencia_ao_lado_das_vitimas_da_tragedia_de_PascoaLahore – A Igreja de Lahore não esqueceu nem abandonou as vítimas da tragédia de Páscoa: o atentado que matou, em 27 de março, no Parque Gulhan Iqbal em Lahore, 81 pessoas , em maioria crianças e jovens, 27 cristãos e 54 muçulmanos. “O programa de assistência e reabilitação das vítimas, pertencentes a todas as comunidades religiosas, vai muito além da ajuda de emergência”, explica à Fides Rojar Noor Alam, Coordenador dos programas na Caritas de Lahore. “O plano de ajudas consta de várias fases: inicialmente – refere – fornecemos assistência médica aos feridos e às pessoas ainda hospitalizadas e, por outro lado, iniciamos sessões de consultoria psicológica pós-traumática para as famílias das vítimas da explosão, adultos e crianças. Estas foram as ajudas imediatas”. <br />A segunda fase “é a reabilitação das famílias abaladas econômica e socialmente pela tragédia, também para garantir que possam readquirir a capacidade de se sustentar autonomamente. Por isso, estamos acompanhando os chefes de família ou as mães para retomar as atividades econômicas ou criar novas, como pequenas empresas comerciais ou com um caminho de formação profissional que, em médio prazo, possa reinseri-las de modo profícuo no tecido social”. Além disso, “ajudamos nas despesas com a instrução das crianças destas famílias, que hoje não podem custear suas despesas escolares, para fazer com que os jovens não abandonem o percurso de ensino fundamental”, frisando que este apoio beneficia também famílias muçulmanas”.<br />Nos últimos dias, o Arcebispo Sebastian Francis Shaw, que continua a visitar regularmente as vítimas no hospital, distribuiu a 19 famílias ajudas para a assistência médica, ainda necessária para as pessoas internadas. A Caritas entregou 40.000 rúpias para cada família como contribuição para cobrir as despesas de saúde. Como informado à Fides, o Arcebispo disse: “A Igreja católica está a seu lado neste tempo difícil. Agradecemos o governo provincial, as organizações da sociedade, o Departamento de saúde e todos os que estão ajudando estas pessoas internadas”. Dom Shaw concluiu: “Todo cidadão desta esplêndida terra deve contribuir na promoção da fraternidade e da paz. A Caritas está com vocês, não os abandona e continuará a acompanha-los para melhorar suas vidas”. <br /> <br />Fri, 27 May 2016 16:36:56 +0200ÁSIA/IRAQUE - Grupos da diáspora assírio-caldeia atacam o Patriarca Louis Raphael por suas críticas às ‘milícias cristãs’http://www.fides.org/pt/news/60116-ASIA_IRAQUE_Grupos_da_diaspora_assirio_caldeia_atacam_o_Patriarca_Louis_Raphael_por_suas_criticas_as_milicias_cristashttp://www.fides.org/pt/news/60116-ASIA_IRAQUE_Grupos_da_diaspora_assirio_caldeia_atacam_o_Patriarca_Louis_Raphael_por_suas_criticas_as_milicias_cristasBagdá - A Assyrian Confederation of Europe – organização registrada em abril passado no Parlamento europeu como órgão de representação de grupos e siglas da diáspora assíria, caldeia e síria atuantes no velho Continente – criticou as recentes declarações feitas pelo Patriarca caldeu Louis Raphael I à Agência Fides, nas quais o Primaz da Igreja caldeia expressou uma opinião firme sobre as chamadas ‘milícias cristãs’ que atuam no norte do Iraque, que podem em breve receber financiamentos e fornecimentos militares, a mando do Congresso dos Estados Unidos. <br />“Em meio às organizações assírias no Iraque e na diáspora”, consta num comunicado enviado pela Assyrian Confederation of Europe à Agência Fides, “há um amplo consenso sobre a ideia de que os assírios devem participar ativamente da campanha militar para libertar a Planície de Nínive e defender a área depois de sua libertação. As Unidades de proteção da Planície de Nínive , que realizam esta tarefa, são oficialmente reconhecidas e apoiadas pelo governo iraquiano, ao contrário do que afirma o Patriarca”. <br />Segundo os responsáveis pela Assiryan Confederation of Europe, a necessidade de criar milícias ‘assírias’ se tornou evidente quando os Peshmerga curdos se retiraram e deixaram os assírios da Planície de Nínive ao genocídio por mãos do ISIS . Segundo o comunicado recebido pela Agência Fides, os grupos armados assírios ‘não são uma milícia sectária’, como afirma o Patriarca Sako, e visam combater ao lado de outras forças legítimas e contribuir para a sobrevivência de um Iraque multiétnico”. Os responsáveis pela Assyrian Confederation of Europe intimam também o Patriarca Louis Raphael a “não interferir nos assuntos políticos de seu povo” e o exortam “a não confundir o seu papel de figura religiosa com o de líder político”.<br />A possibilidade que as chamadas “milícias cristãs” sejam financiadas por ordem do Ministério da Defesa dos EUA – observou a mídia estadunidense, como Christian Today – representa um efeito potencial concreto da declaração com a qual o próprio Congresso EUA definiu como ‘Genocídio’ as violências sofridas pelos cristãos por parte dos homens do Daesh. <br />O Patriarca caldeu Louis Raphael I Sako, em declarações concedidas à Fides expressou a convicção de que “dar armas às chamadas milícias cristãs é uma péssima ideia”. A conquista de Mossul e da Planície de Nínive pelo Daesh, definida por muitos como ‘genocídio’ provocou a morte de alguns cristãos – atingidos pela artilharia – e a fuga de massa de dezenas de milhares de desabrigados cristãos sírios, assírios e caldeus para Erbil e outras áreas do Curdistão iraquiano, controladas pelas forças armadas curdas. .<br /> <br />Fri, 27 May 2016 16:36:13 +0200AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Bispos preocupados pelas anunciadas operações de expulsão de imigrantes centro-americanoshttp://www.fides.org/pt/news/60114-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Bispos_preocupados_pelas_anunciadas_operacoes_de_expulsao_de_imigrantes_centro_americanoshttp://www.fides.org/pt/news/60114-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Bispos_preocupados_pelas_anunciadas_operacoes_de_expulsao_de_imigrantes_centro_americanosWashington – O Presidente da Comissão para Migrações da Conferência Episcopal dos Estados Unidos , Dom Eusebio Elizondo, Bispo auxiliar de Seattle, está profundamente preocupado com as notícias de que o Escritório de imigrações e fronteiras dos Estados Unidos começará em breve, e o fará por um mês, uma série de operações para expulsar imigrantes clandestinos. A mesma preocupação foi expressa pelo Arcebispo de Los Angeles, Dom José H. Gomez, personalidade muito conhecida por seu comprometimento com os imigrantes.<br />A nota recebida pela Fides da USCCB assinala que as iminentes operações se referem, de modo especial, às mães centro-americanas sem documentos, e às crianças. “Tais operações geram pânico em nossas paróquias”, disse Dom Elizondo. "Nenhuma pessoa, migrante ou não, deve ter medo de deixar sua casa para ir à igreja ou à escola. Ninguém deveria temer ser levado de sua família ou viver em risco”. <br />Dom Elizondo e o Arcebispo Gomez recordam à atual Administração e à ICE que este tipo de medidas faz com que famílias vivam no medo constante, o que é contrário aos valores estadunidenses e um desafio à dignidade doada por Deus a toda pessoa. <br /> <br />Fri, 27 May 2016 16:35:18 +0200AMÉRICA/EQUADOR - Crianças constroem brinquedos para seus coetâneos atingidos pelo terremotohttp://www.fides.org/pt/news/60113-AMERICA_EQUADOR_Criancas_constroem_brinquedos_para_seus_coetaneos_atingidos_pelo_terremotohttp://www.fides.org/pt/news/60113-AMERICA_EQUADOR_Criancas_constroem_brinquedos_para_seus_coetaneos_atingidos_pelo_terremotoQuito – As consequências causadas pelo terremoto que em 16 de abril devastou o país continuam a repercutir nos menores. Mesmo não tendo sido atingidos, nas províncias de Manabí e Esmeraldas, as crianças de outras áreas do Equador, com estudantes, professores, pais de família de Brasil, Argentina, Colômbia, México, Uruguai e Costa Rica, formaram uma rede solidária para promover um projeto de ajudas que consiste em confeccionar bonecas de pano para os menores do litoral, área destruída pelo terremoto. A entrega começará em junho, por ocasião do Dia Internacional da criança. <br />Com retalhos de pano, fitas, fios, botões, foram criadas bonecas, peixes, ursos, gatinhos, mulas e estrelas. Além disso, as crianças da escola maternal e fundamental escreveram também uma mensagem às pessoas das áreas mais gravemente atingidas. Em média, 1000 bonecas foram feitas, entre as de Quito e as provenientes do exterior . A entrega será realizada gradualmente, por voluntários que promoverão atividades recreativas e artísticas para os menores. O processo de elaboração das bonecas favoreceu também a união das famílias que participaram. Os desenhos foram realizados por crianças em suas escolas e tomaram forma com a ajuda de adultos. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, em Manabí e Esmeraldas vivem 422.513 menores de idades entre zero e nove anos. Dados do Unicef apontam que cerca de 150 mil pequenos foram atingidos diretamente por esta emergência. <br /> <br />Fri, 27 May 2016 16:34:44 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - O Bispo de Tibù e a Igreja local prontos para mediar a libertação dos jornalistashttp://www.fides.org/pt/news/60112-AMERICA_COLOMBIA_O_Bispo_de_Tibu_e_a_Igreja_local_prontos_para_mediar_a_libertacao_dos_jornalistashttp://www.fides.org/pt/news/60112-AMERICA_COLOMBIA_O_Bispo_de_Tibu_e_a_Igreja_local_prontos_para_mediar_a_libertacao_dos_jornalistasTibù – Aumenta a preocupação depois do desaparecimento da jornalista do cotidiano El Tiempo, Salud Hernández-Mora, de quem ainda não sabe nada desde sábado passado, 21 de maio, quando estava se dirigindo, em moto, do município de El Tarra para a aldeia Filogringo.<br />Após as tentativas fracassadas de busca pela polícia e os militares da região, o Bispo da diocese de Tibu, Dom Omar Alberto Sánchez Cubillos, O.P., expressou sua intenção de se unir às buscas. “Conhecemos muito bem este território, lugares e trilhas, conhecemos também as pessoas que aqui moram, e já há uma rede disponível. Nós nos mobilizamos, os párocos das paróquias de Filogringo e Tarra estão disponíveis a ajudar e também nós estamos todos disponíveis” afirmou Dom Sánchez Cubillos em entrevista à Rádio Caracol. <br />Outros dois jornalistas, Diego D. Pablos e Carlos Melo, da TCN TV, foram sequestrados dias atrás. A este respeito, o Bispo disse que está sendo aguardada a sua libertação: serão entregues ao pároco de Filogringo e à Comissão regional, que estão prontos para recebê-los. <br />Ontem à tarde, o ex-presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, em uma manifestação contra os sequestros, indicou o ELN como autor destes sequestros na área. <br />O fenômeno dos sequestros de jornalistas recomeçou nas últimas semanas, especialmente nesta região da Colômbia. Assinala-se que membros da Igreja católica são intermediários nas tratativas entre autoridades e grupos guerrilheiros que dominam esta região. <br /> <br /><br />Fri, 27 May 2016 16:34:02 +0200