Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt AMÉRICA/MÉXICO - Povos indígenas, atores da Nova Evangelizaçãohttp://www.fides.org/pt/news/60640-AMERICA_MEXICO_Povos_indigenas_atores_da_Nova_Evangelizacaohttp://www.fides.org/pt/news/60640-AMERICA_MEXICO_Povos_indigenas_atores_da_Nova_EvangelizacaoCidade do México – Abrir um espaço de reflexão e de diálogo que permita unir os esforços que têm sido feitos a serviço dos povos indígenas, para que se tornem “atores da Nova Evangelização”: este é o fulcro do segundo Encontro dos Responsáveis diocesanos da pastoral Indígena, previsto de 19 a 22 de setembro no Centro nacional para missões indígenas . <br />“Os desafios e compromissos que se apresentam à pastoral indígena hoje são muitos e de diferentes naturezas, e por isso, é importante construir uma rede de trabalho com todos aqueles a quem foi confiado pelas dioceses o serviço de acompanhar os processos de pastoral indígena em andamento e que vivem com estes povos a realidade, dia a dia”, escreve na convocação do encontro – enviada à Fides – Dom José de Jesus Gonzalez Hernandez, Bispo prelado de Jesus Maria de El Nayar, Responsável da dimensão da Pastoral indígena da Comissão Episcopal da Pastoral Social. <br /><br />Tue, 30 Aug 2016 19:49:41 +0200ASIA/TURCHIA - Libertado antes do prazo o jovem preso pelo homicídio de pe. Santorohttp://www.fides.org/pt/news/60637-ASIA_TURCHIA_Libertado_antes_do_prazo_o_jovem_preso_pelo_homicidio_de_pe_Santorohttp://www.fides.org/pt/news/60637-ASIA_TURCHIA_Libertado_antes_do_prazo_o_jovem_preso_pelo_homicidio_de_pe_SantoroTrabzon – O turco Oguzhan Ayudin, 26, condenado em 2006 a 18 anos e 10 meses de detenção por ser o autor, e ter confessado, do assassinato do sacerdote italiano Andrea Santoro, foi libertado nos últimos dias, mais de 10 anos antes do cumprimento da pena. Segundo informações publicadas pela imprensa turca, Aydin é um dentre as dezenas de milhares de detentos libertados antes do tempo para dar espaço às milhares de pessoas presas depois do fracassado golpe de Estado de 15 de julho passado.<br />O homicídio de pe. Andrea Santoro ocorreu em 5 de fevereiro de 2006, enquanto o sacerdote italiano rezava na igreja de Trabzon, aonde realizava sua obra pastoral. O assassino, antes de disparar dois tiros contra o padre, gritou “Allahu Akbar” . Quatro dias depois, Aydin, que era menor de idade, foi preso e confessou a autoria do crime, justificando-o com o “desequilíbrio” que sofrera pelo episódio das vinhetas satíricas sobre Maomé publicadas meses antes por um jornal dinamarquês. Desde o início, muitos observadores expressaram dúvidas e perplexidades sobre a rapidez do inquérito que ‘resolveu o caso’ com a prisão de um menino de 15 anos, que caso julgado culpado, em função da idade, seria condenado com uma sentença mais leve do que a prevista para pessoas adultas. .<br />Tue, 30 Aug 2016 19:48:05 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Comissão da ONU: ab-rogar a lei sobre a blasfêmiahttp://www.fides.org/pt/news/60636-ASIA_PAQUISTAO_Comissao_da_ONU_ab_rogar_a_lei_sobre_a_blasfemiahttp://www.fides.org/pt/news/60636-ASIA_PAQUISTAO_Comissao_da_ONU_ab_rogar_a_lei_sobre_a_blasfemiaGenebra – A Comissão da ONU para a eliminação da discriminação racial pediu ao Paquistão que ab-rogue a lei sobre a blasfêmia. No relatório periódico sobre o país, publicado em 26 de agosto e enviado à Fides, a Comissão sediada em Genebra “foi informada dos esforços do Estado para prevenir o abuso da lei sobre a blasfêmia”, e expressa preocupação “pela definição ampla e vaga de reatos contra a religião previstos nos artigos de tal lei”, que consiste em alguns artigos do Código Penal do Paquistão, e nota “o uso desproporcional daquelas leis contra indivíduos pertencentes a minorias étnicas e religiosas”. <br />A Comissão deplora “o elevado número de casos de blasfêmia baseados em acusações falsas e sem inquéritos e ações penais”, enquanto “os juízes que julgam casos de blasfêmia sofrem intimidações, ameaças de morte e homicídios”. <br />A Comissão recomenda ao Paquistão “que leve em consideração a ab-rogação da lei sobre a blasfêmia, que é contrária à liberdade de expressão e de religião estabelecida na Constituição” e pede que “sejam tomadas todas as medidas necessárias para perseguir e punir aqueles que cometem falsas acusações” e “para proteger os juízes”. <br />Dentre as recomendações para deter a discriminação e tutelar as minorias étnicas e religiosas, é pedido que se reforcem a independência e a eficácia da Comissão de direitos humanos no Paquistão, instituída no Estado em 2015, dedicando recursos suficientes e ampliando competências e poderes, como indagar sobre todos os casos de violação de direitos humanos. <br />Tue, 30 Aug 2016 19:47:15 +0200AMÉRICA/BRASIL - Scalabrinianas: respostas mais eficazes às migrações mundiais de massahttp://www.fides.org/pt/news/60635-AMERICA_BRASIL_Scalabrinianas_respostas_mais_eficazes_as_migracoes_mundiais_de_massahttp://www.fides.org/pt/news/60635-AMERICA_BRASIL_Scalabrinianas_respostas_mais_eficazes_as_migracoes_mundiais_de_massaJundiaí – Desde ontem, até sábado, 3 de setembro, cerca de quarenta Missionárias Scalabrinianas engajadas no acolhimento de migrantes e refugiados no Brasil, estão reunidas em Jundiaí para analisar sua atuação no mundo das migrações, em vista de dar respostas mais eficazes aos desafios que mobilidade humana. Segundo informações recebidas pela Agência Fides, durante o encontro são abordados temas como “Migrações internacionais e refugiados: desafios recentes”, “Integração dos migrantes nas comunidades de acolhida”, “Incidência e trabalho em rede na defesa dos direitos humanos”, e “Migrante, lugar teológico da missão scalabriniana”.<br />Irmã Janete Ferreira, uma das coordenadoras do encontro, responsável pela animação missionária na província de São Paulo, destaca que “a Congregação das Missionárias Scalabrinianas tem como missão principal defender a causa dos migrantes e dos refugiados, especialmente os mais pobres e em situação de vulnerabilidade”. A evolução do fenômeno migratório levou as Scalabrinianas a analisar e repensar, há cerca de 3 anos, a suas atividades no mundo, para uma reorganização geral que respondesse melhor às questões de hoje. <br />O Brasil, segundo informações das missionárias, foi ponto de chegada de milhares de haitianos que deixaram seu país sobretudo depois do terremoto de 2010 e também de sírios fugidos da guerra; de africanos e asiáticos que escapam de conflitos políticos e civis. O Comitê Nacional para os Refugiados estima que no Brasil, em abril de 2016, encontravam-se 8.863 refugiados registrados, de 79 nações. Nos primeiros lugares, estão a Síria , Angola , Colômbia , República Democrática do Congo e Palestina .<br />Dentre as realidades ligadas ao fenômeno migratório em que atuam as Scalabrinianas, estão os conflitos gerados pela xenofobia, as condições de vida precárias, o desemprego e o tráfico de seres humanos. <br /><br />Tue, 30 Aug 2016 19:46:31 +0200AMÉRICA/BOLÍVIA - Bispos: “Não podemos ceder irresponsavelmente à lógica perversa da violência”http://www.fides.org/pt/news/60631-AMERICA_BOLIVIA_Bispos_Nao_podemos_ceder_irresponsavelmente_a_logica_perversa_da_violenciahttp://www.fides.org/pt/news/60631-AMERICA_BOLIVIA_Bispos_Nao_podemos_ceder_irresponsavelmente_a_logica_perversa_da_violenciaCochabamba – “Nós, Bispos da Bolívia, erguemos a nossa voz de dor, de indignação e de denúncia pela série de violências que se abate sobre nosso país neste período e que já causou a morte de pelo menos três irmãos bolivianos e vários feridos, inclusive policiais e trabalhadores de cooperativas minerárias. Em nome de Deus, chega! Não podemos ceder irresponsavelmente à lógica perversa da violência”. É um trecho da mensagem da Conferência Episcopal Boliviana, intitulada “Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos quem nos tem ofendido” , que mais uma vez, condena a violência dos confrontos entre mineiros que contestam a reforma das organizações sindicais e as forças do governo. <br />“A morte de cada ser humano é um grito que se eleva ao céu. E mais ainda quando a morte não é inevitável, mas causada por confrontos e violências entre seres humanos” escrevem os Bispos na mensagem recebida pela Fides. Renovando o convite ao diálogo, o texto ressalta a grande responsabilidade da administração judiciária, que deve esclarecer, com transparência e objetividade, as mortes e agressões, identificando os autores para que assumam as consequências de seus gestos e não se escondam no anonimato. <br />“Elevamos nossas preces, mais uma vez, ao Senhor da Vida, para pedir perdão pela morte e a dor causadas – concluem – e para pedir que nos ilumine, para que sejamos capazes de nos reconciliarmos com todos, especialmente neste Ano Jubilar da Misericórdia. Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. Senhor, ajudai-nos a perdoar, neste momento difícil”. <br /> <br />Mon, 29 Aug 2016 09:15:33 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Praticar a misericórdia na mídiahttp://www.fides.org/pt/news/60634-ASIA_INDIA_Praticar_a_misericordia_na_midiahttp://www.fides.org/pt/news/60634-ASIA_INDIA_Praticar_a_misericordia_na_midiaMumbai – Praticar a misericórdia no trabalho com a comunicação: com este espírito, as Filhas de Maria Auxiliadora em Mumbai realizaram um seminário em que aprofundaram as técnicas e a utilização de alguns softwares para computadores e compartilharam competências no campo da comunicação . Elas não são distintas da abordagem fundamental da misericórdia, que emerge do Evangelho e que é o caminho para todo cristão, sublinharam os presentes. Os relatores recordaram, citando o Papa Francisco, que “a misericórdia é o único caminho para a comunicação correta”. Na mensagem para o 50º Dia mundial das comunicações sociais, celebrado em maio, o Papa Francisco fala de um “encontro fecundo” entre a comunicação e a misericórdia, observando “o poder da misericórdia de curar relacionamentos lacerados e levar a paz e a harmonia às famílias e comunidades”. <br />O seminário de três dias se encerrou com um Festival da mídia centrado no tema “Celebrar a misericórdia de Deus”, do qual participaram muitos jovens. O evento teve cantos, orações e testemunhos. Irmã Teresa Joseph, das Filhas de Maria Auxiliadora, que trabalha no escritório para o ecumenismo da Federação das Conferências Episcopais da Ásia, apresentou a figura de Madre Teresa de Calcutá, que será canonizada no próximo dia 4 de setembro, no Ano Jubilar, como exemplo de pessoa que se inspirou na misericórdia e viveu em plenitude a misericórdia, em cada gesto e palavra. <br /> <br />Mon, 29 Aug 2016 09:14:56 +0200ÁSIA/IRAQUE - Manobras políticas sobre o futuro da Planície de Nínive. Patriarca caldeu: não é prudente falar agora de autodeterminaçãohttp://www.fides.org/pt/news/60630-ASIA_IRAQUE_Manobras_politicas_sobre_o_futuro_da_Planicie_de_Ninive_Patriarca_caldeu_nao_e_prudente_falar_agora_de_autodeterminacaohttp://www.fides.org/pt/news/60630-ASIA_IRAQUE_Manobras_politicas_sobre_o_futuro_da_Planicie_de_Ninive_Patriarca_caldeu_nao_e_prudente_falar_agora_de_autodeterminacaoBagdá - A futura reorganização política e administrativa de Mosul e da Planície de Nínive, após a eventual libertação das áreas ainda sob o controle dos jihadistas do Estado Islâmico , se configura atualmente como uma questão "ainda incerta", e "não é sábio falar de autodeterminação" depois do regresso dos deslocados. Assim, pensa o Patriarca caldeu, Louis Raphael I, que expressou sua opinião durante um encontro realizado na quinta-feira, 25 de agosto, como o General estadunidense Terry Wolff, vice-enviado especial do presidente dos Estados Unidos na coalizão militar internacional anti-Daesh liderada pelos Estados Unidos. Durante o encontro, no qual participaram alguns responsáveis da Embaixada dos EUA no Iraque, o Primaz da Igreja caldeia também recordou que os EUA têm a "responsabilidade moral de ajudar o Iraque a sair da grave situação em que se encontra".<br />As palavras do Patriarca Caldeu foram proferidas depois de uma série de ações e declarações de líderes e militantes das forças políticas locais sobre o futuro político e administrativo da área atualmente controlada pelo Daesh. Nos últimos dias, também os representantes de partidos políticos guiados por ativistas cristãos como o Parlamentar nacional Imad Youkhana, pediram para que seja reconhecida a autonomia da área de Nínive garantida pela Constituição iraquiana, permitindo às componentes locais de gerir setores como o da segurança.<br />Já no final de julho, o político sunita Atheel al Nujaifi, ex-governador da província de Nínive e líder do partido político Al Hadba, havia declarado que a província de Nínive, uma vez libertada do controle dos jihadistas do Estado Islâmico , deverá ser transformada numa região autônoma, dividida em províncias - de seis a oito - dotadas de um certo grau de autonomia administrativa. Tais declarações também foram dirigidas aos cristãos que viviam nas aldeias da Planície de Nínive, que fugiram em massa diante da conquista da região pelos militantes do Daesh. Eles ainda repropuseram mais uma vez o projeto - ventilado há tempo - de uma "província autônoma de maioria cristã" a ser instituída na Planície de Nínive para reconhecer às comunidades cristãs locais um papel no funcionamento das instituições administrativas e em matéria de proteção e segurança.<br />Mas as palavras de al Nujaifi também confirmam que as "promessas" feitas aos cristãos estão se tornando um assunto de propaganda dos projetos de gestão política da área que aparecem em concorrência uns com os outros.<br />Precedentemente , o líder curdo Masud Barzani, Presidente da região autônoma do Curdistão iraquiano, em encontro com políticos cristãos, em Arbil, prefigurou a criação de uma “província cristã” na Planície de Nínive e a sucessiva convocação de um referendo para consentir aos habitantes desta entidade administrativa autônoma escolher seu enquadramento político sob o governo de um Curdistão iraquiano independente e não sob o governo federal sediado em Bagdá. Mon, 29 Aug 2016 09:14:08 +0200AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - As duas religiosas mortas eram mulheres de fé, a serviço dos pobreshttp://www.fides.org/pt/news/60628-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_As_duas_religiosas_mortas_eram_mulheres_de_fe_a_servico_dos_pobreshttp://www.fides.org/pt/news/60628-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_As_duas_religiosas_mortas_eram_mulheres_de_fe_a_servico_dos_pobresDurant – Duas religiosas, irmã Margaret Held, das Irmãs da Caridade de Nazaré , e irmã Paula Merrill, das Irmãs Escolásticas de São Francisco , foram mortas a facadas em sua casa em Durant, no Mississippi, em uma área na qual 40% da população vive abaixo da linha da pobreza. Investigações iniciais apontam que as duas foram mortas por um ladrão que teria fugido com o seu carro, abandonando-o em seguida, nas proximidades. A polícia já prendeu uma pessoa. As duas religiosas, estadunidenses de 68 anos, eram enfermeiras na Lexington Medical Clinic, posto de saúde que assiste gratuitamente famílias sem condições econômicas. No dia 25 de agosto, por não as ver chegar, pontuais como sempre, os colegas advertiram a polícia, que encontrou em sua casa os corpos e marcas de arrombamento. As duas irmãs eram amadas e queridas por todos por sua cordialidade, disponibilidade e atenção especial, principalmente com os mais necessitados. <br />Irmã Susan Gatz, presidente das SCN, pediu que se “reze em sinal de gratidão pelas vidas preciosas de irmã Paula e irmã Margareth... que serviram tão bem os pobres. Já que somos mulheres do Evangelho, rezemos também pelos autores do crime”. Um comunicado conjunto das duas congregações religiosas pede “que se vá adiante juntos neste momento, de modo orante, concentrados na vida das irmãs Paula Merrill e Margaret Held, duas mulheres de compaixão e de fé. Queremos reiterar nossas convicções, como mulheres de fé. Apreciamos a vida. Durante anos, as Irmãs da Caridade de Nazaré e as Irmãs Escolásticas de São Francisco trabalharam pela abolição da pena de morte, sempre buscando a justiça e a verdade”.<br />Várias celebrações em sufrágio às duas religiosas se realizaram em diferentes localidades neste fim de semana. <br /> <br />Mon, 29 Aug 2016 09:13:00 +0200AMÉRICA/ARGENTINA - Missionárias da Caridade agredidas em casa. Profanado o tabernáculohttp://www.fides.org/pt/news/60632-AMERICA_ARGENTINA_Missionarias_da_Caridade_agredidas_em_casa_Profanado_o_tabernaculohttp://www.fides.org/pt/news/60632-AMERICA_ARGENTINA_Missionarias_da_Caridade_agredidas_em_casa_Profanado_o_tabernaculoMar del Plata – As irmãs Missionárias da Caridade residentes em Mar del Plata, foram agredidas em sua casa. Os criminosos também profanaram o tabernáculo da capela e conseguiram roubar 50 pesos, tudo o que as religiosas tinham em casa. Segundo a notícia divulgada pela diocese, o crime foi cometido na noite de 25 de agosto e as religiosas foram intimidadas e maltratadas. Os agressores saquearam os poucos bens que possuíam. As irmãs fundadas por Madre Teresa de Calcutá se encontram em Mar del Plata há cerca de 20 anos e desempenham sua atividade assistindo doentes terminais de Aids e realizando um intenso trabalho de promoção humana e assistência em todo o imenso bairro onde se situa a sua casa. <br />Mon, 29 Aug 2016 09:11:59 +0200ÁSIA/MONGÓLIA - Prefeito Apostólico: "Com o primeiro sacerdote, a Igreja na Mongólia é uma mãe que dá à luz um filho"http://www.fides.org/pt/news/60629-ASIA_MONGOLIA_Prefeito_Apostolico_Com_o_primeiro_sacerdote_a_Igreja_na_Mongolia_e_uma_mae_que_da_a_luz_um_filhohttp://www.fides.org/pt/news/60629-ASIA_MONGOLIA_Prefeito_Apostolico_Com_o_primeiro_sacerdote_a_Igreja_na_Mongolia_e_uma_mae_que_da_a_luz_um_filhoUlaanbaatar - "Agradeço ao Senhor que me chamou para servi-lo através do sacerdócio. Agradeço também a todas as pessoas que me ajudaram a responder a este chamado. Espero que em breve haja outras vocações ao sacerdócio e à vida consagrada entre os jovens da Mongólia." São as palavras do Pe. Joseph Enkh, ainda emocionado, durante a celebração de ordenação, realizada em 28 de agosto, em Ulaanbaatar . "Foi um dia inesquecível na história da Igreja Católica na Mongólia", relata Pe. Prosper Mbumba, missionário congolês que trabalha no país asiático, contando a atmosfera de grande alegria e oração intensa vivida pela comunidade local. "A ordenação do Pe. Joseph Enkh nos torna mais conscientes da graça de Deus que opera em nossa jovem Igreja na Mongólia", prosseguiu.<br />O Bispo Wenceslao Padilla, Prefeito Apostólico no país, que acompanhou com perseverança o crescimento espiritual do jovem Joseph e de toda a Igreja na Mongólia, renascida há 24 anos, disse à Fides: "Ter o primeiro jovem mongol ordenado sacerdote é para a Igreja local como um parto: ela é uma jovem mãe que dá à luz seu primeiro filho. Rezamos e confiamos que o Pe. Joseph Enkh seja fiel à sua vocação, tome a sua cruz a cada dia e siga Cristo sempre, em todas as circunstâncias de sua vida". Em sua homilia, Dom Wenceslao Padilla se deteve na passagem do Evangelho escolhido por Pe. Enkh para a ordenação: "Renegue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me" . Ele lembrou que "o Senhor tornou possível o que parecia ser impossível", convidando a assembleia "a continuar confiando em Deus".<br />Mais de 40 os sacerdotes concelebrantes e mais de 1.500 as pessoas que participaram do evento histórico, incluindo funcionários, autoridades civis e diplomáticas. Também estava presente o Abade Dambajav do monastério budista Dashi Choi Lin, que dirigiu palavras de encorajamento ao jovem sacerdote, confirmando que "os budistas têm boas relações com os católicos. Aprendemos com eles, e eles conosco. Estamos felizes que um de nós mongóis se tornou um sacerdote nesta igreja". O líder budista, em seguida, colocou uma estola de seda azul no pescoço do sacerdote ordenado, que, na tradição budista, simboliza o céu e, portanto, significa pureza, boa vontade, bom presságio e compaixão: o gesto foi aplaudido por todos os participantes.<br />Pe. Joseph celebrou hoje a sua primeira missa na Catedral dos Santos Pedro e Paulo, em Ulaanbaatar. <br />Mon, 29 Aug 2016 08:49:47 +0200ÁFRICA EGITO - O projeto de lei sobre a construção de igrejas avaliado pelo Conselho de Estadohttp://www.fides.org/pt/news/60633-AFRICA_EGITO_O_projeto_de_lei_sobre_a_construcao_de_igrejas_avaliado_pelo_Conselho_de_Estadohttp://www.fides.org/pt/news/60633-AFRICA_EGITO_O_projeto_de_lei_sobre_a_construcao_de_igrejas_avaliado_pelo_Conselho_de_EstadoCairo - O Departamento do Conselho de Estado Egípcio encarregado de avaliar a atividade legislativa iniciou a sua revisão do novo projeto de lei sobre a construção de igrejas, cuja última versão foi preparada pelo governo na quinta-feira, 25 de agosto. O trabalho de revisão do Conselho de Estado - referem os meios de comunicação egípcios - começou no sábado 27 de agosto. Depois de ter passado pelo crivo do Conselho de Estado, o projeto de lei será submetido à aprovação final pelo Parlamento egípcio.<br />O Sínodo da Igreja copta-ortodoxa tinha expressado o seu consentimento à proposta de lei somente na quarta-feira 24 de agosto. Uma adesão marcada por muitas dúvidas . Dentro das comunidades cristãs egípcias, muitas observações críticas são dirigidas principalmente ao artigo 5 do projeto de lei, que afirma que a construção de novas igrejas é autorizada pelo "governadores com a coordenação das autoridades competentes". Muitos temem que essa expressão indefinida permita às autoridades locais e especialmente as forças de segurança exercerem ainda vetos na construção de novos edifícios de culto cristãos, especialmente nas áreas marcadas por conflitos sectários. <br /><br /><br />Mon, 29 Aug 2016 08:27:57 +0200ÁFRICA/EGITO - O Sínodo copta-ortodoxo aprova a lei sobre a construção de igrejas. Mas permanecem dúvidas e desacordoshttp://www.fides.org/pt/news/60627-AFRICA_EGITO_O_Sinodo_copta_ortodoxo_aprova_a_lei_sobre_a_construcao_de_igrejas_Mas_permanecem_duvidas_e_desacordoshttp://www.fides.org/pt/news/60627-AFRICA_EGITO_O_Sinodo_copta_ortodoxo_aprova_a_lei_sobre_a_construcao_de_igrejas_Mas_permanecem_duvidas_e_desacordosCairo - O projeto de lei sobre a construção de igrejas no Egito, por muito tempo em estudo, obteve nos dias passados, uma adesão sofrida e cheia de perplexidade da parte do Sínodo da Igreja copta-ortodoxa. Ao mesmo tempo, dentro das comunidades cristãs egípcias continuam perguntas e ressentimentos, tanto que grupos de jovens cristãos estão se mobilizando para um abaixo-assinado para pedir que o texto do projeto de lei seja rejeitado e reformulado antes de sua aprovação pelo Parlamento, prevista para os próximos dias. O que criam problemas são as emendas adicionadas ao texto durante a longa e laboriosa fase instrutória, que acabam complicando o quadro legislativo e deixam a porta aberta para as manobras daqueles que, em situações locais, fossem eventualmente intencionados a manter o status quo e tornar de fato impossível a construção de novas igrejas. "A situação ainda é controversa", refere à Agência Fides Anba Antonios Aziz Mina, Bispo copta católico de Guizeh "e a aprovação do Parlamento não pode ser considerada como certa".<br />O projeto de lei, após mais de dez rascunhos, aparece cheio de lacunas, e entra muito em detalhes técnicos, permitindo a qualquer pessoa de usar novamente pretextos para impedir a construção de novas igrejas. Por exemplo, num artigo se diz que a largura do edifício de culto não pode ser superior a uma largura e meia a da rua adjacente maior. Esta regra pode ser boa na cidade, certamente não nas aldeias que podem ter estradas largas um metro e meio. “Também sobre os consentimentos necessários exigidos pelas forças de segurança”, ressalta Anba Antonios, “se diz que o Patriarcado Ortodoxo Copta recebeu garantias verbais de que esta disposição não será aplicada de forma rígida. Mas há quem não confia nessas garantias. Também muitos muçulmanos estão criticando a lei e propõe simplesmente que as regras para a construção de mesquitas sejam aplicadas também na construção de locais de culto cristãos".<br />A nova legislação, nas expectativas dos cristãos egípcios, deveria ter resultado na abolição total das chamadas "10 regras" acrescentadas em 1934 na legislação Otomana pelo Ministério do Interior, que proibiram entre outras coisas a construir novas igrejas perto de escolas, canais, edifícios do Governo, ferrovias e áreas residenciais. Em muitos casos, a aplicação rígida dessas regras impediu a construção de igrejas em cidades e povoados habitados por cristãos, especialmente nas áreas rurais do Alto Egito. .<br /><br />Sat, 27 Aug 2016 11:09:36 +0200ÁSIA/JORDÂNIA - Bispo Lahham aos cristãos jordanos: nas eleições, votem quem fala bem da Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/60626-ASIA_JORDANIA_Bispo_Lahham_aos_cristaos_jordanos_nas_eleicoes_votem_quem_fala_bem_da_Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/60626-ASIA_JORDANIA_Bispo_Lahham_aos_cristaos_jordanos_nas_eleicoes_votem_quem_fala_bem_da_IgrejaAmã – Nas próximas eleições parlamentares, programadas para o dia 20 de setembro, os cristãos do Reino jordaniano são chamados a exercer seu direito-dever de voto de modo consciente, evitando toda forma de compra e venda de consenso eleitoral e agindo com discernimento, sobretudo na escolha dos deputados para as nove cadeiras reservadas aos cristãos. Este é o fulcro da mensagem que o Bispo Maroun Lahham, Vigário patriarcal para a Jordânia do Patriarcado Latino de Jerusalém, acaba de difundir, com o objetivo de oferecer aos pastores e fiéis critérios de orientação na seleção dos candidatos para as sessenta cadeiras da próxima Assembleia parlamentar. “Em relação ao último quesito”, refere à Agência Fides o Bispo Lahham “sugeri a todos que estudem com atenção os currículos dos candidatos às nove cadeiras reservadas aos cristãos. E em especial, se estes candidatos fizeram parte também da precedente assembleia parlamentar, seria bom verificar a sua conduta política durante o mandato anterior e se falaram e agiram pelo bem da Igreja. Obviamente, quem não o fez ou falou mal da Igreja não precisa de nosso voto e não pode pedir apoio evocando temas relativos à presença cristã na Jordânia”. .<br />Sat, 27 Aug 2016 19:43:23 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Ataque violento em um bairro cristão de Faisalabadhttp://www.fides.org/pt/news/60625-ASIA_PAQUISTAO_Ataque_violento_em_um_bairro_cristao_de_Faisalabadhttp://www.fides.org/pt/news/60625-ASIA_PAQUISTAO_Ataque_violento_em_um_bairro_cristao_de_FaisalabadFaisalabad – O bairro cristão "Khushal Town" em Faisalabad foi atacado nos dias passados por uma multidão de muçulmanos que feriram alguns cristãos, inclusive mulheres, quatro jovens e uma pessoa idosa. Os cristãos se fecharam em casa, amedrontados. Três dias após o ocorrido, os cristãos apresentaram denúncia à polícia e ao município.<br />Como apurado pela Fides, o motivo do ataque foi uma controvérsia surgida depois de um banal acidente de motocicleta ocorrido entre um cristão e um muçulmano, em 19 de agosto. A partir daí, começou a briga e o anseio de vingança. Depois de alguns dias, houve uma tentativa de “punição coletiva” no bairro cristão, segundo um esquema que se repete no Paquistão e que no passado já gerou muitos danos a pessoas e propriedades. A polícia local assegurou proteção e por enquanto, ainda não houve consequências negativas em Faisalabad. <br />Sat, 27 Aug 2016 19:42:38 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Pastor protestante espancado por militantes hinduístashttp://www.fides.org/pt/news/60624-ASIA_INDIA_Pastor_protestante_espancado_por_militantes_hinduistashttp://www.fides.org/pt/news/60624-ASIA_INDIA_Pastor_protestante_espancado_por_militantes_hinduistasNova Délhi - Um homem chamado Sunny Tyagi, que se converteu ao Cristianismo e tornou-se um pastor protestante, foi espancado por uma multidão de radicais hinduístas que invadiu uma casa particular onde se realizava um encontro de oração no distrito de Gonda, no Estado indiano de Uttar Pradesh. Foi o que relatou a Fides Sajan K. George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos .<br />Em 26 de agosto de 2016, em torno de 08h, o Pastor Sunny Tyagi da Igreja da Assembleia de crentes estava dirigindo uma liturgia na casa de um fiel, quando de repente dez militantes radicais hinduístas invadiram a moradia e interromperam o encontro, ameaçando os fiéis e espancando o pastor, gritando a uma suposta obra de proselitismo.<br />“O pastor – explica Sajan K. George – não estava realizando nenhuma atividade criminosa e não fazia nada de inconstitucional: foi agredido sem algum motivo e sem ter feito nenhuma provocação. Foi um gesto de violência gratuita e uma violação da liberdade religiosa garantida pela Constituição indiana. O Conselho Global dos cristãos indianos condena firmemente o ocorrido e pede à Comissão nacional de direitos humanos que indague e faça justiça”. Sat, 27 Aug 2016 19:41:53 +0200ÁSIA/MONGÓLIA - Com o primeiro sacerdote nativo, "a Igreja Católica não é mais uma estrangeira"http://www.fides.org/pt/news/60621-ASIA_MONGOLIA_Com_o_primeiro_sacerdote_nativo_a_Igreja_Catolica_nao_e_mais_uma_estrangeirahttp://www.fides.org/pt/news/60621-ASIA_MONGOLIA_Com_o_primeiro_sacerdote_nativo_a_Igreja_Catolica_nao_e_mais_uma_estrangeiraUlaanbaatar - A Igreja católica na Mongólia está pronta para receber o seu primeiro sacerdote nativo: Joseph Enkh será ordenado sacerdote por Dom Wenceslao Padilla, CICM, Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar, na Catedral dos Santos Pedro e Paulo, em Ulaanbaatar, às 10h30 de domingo, 28 de agosto. Segundo Fides, o novo sacerdote escolheu para a sua ordenação o lema: "Negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me" . "Mais de 1.500 pessoas já confirmaram que participarão da celebração que será um momento muito especial para a Igreja Católica na Mongólia e para toda a sociedade", disse a Fides Pe. Prosper Mbumba, CICM, missionário congolês no país asiático. "A comunidade católica na Mongólia, renascida em 1992, agora tem mais de mil batizados, e com o seu primeiro sacerdote autóctone terá novo entusiasmo e desenvolverá um maior sentimento de pertença. A Igreja, de fato, foi vista por muito tempo como estrangeira, com uma fé levada pelos missionários. Agora, essa ideia poderá mudar", explica Pe. Mbumba. <br />Entre os convidados de honra estão o Núncio Apostólico na Coreia do Sul e Mongólia, Dom Osvaldo Padilla, e Dom Lázaro You, Bispo de Daejeon, Coreia do Sul, diocese onde José Enkh passou seus anos de formação e estudo no seminário.<br />Pe. Joseph Enkh foi ordenado diácono em 11 de dezembro de 2014, em Daejeon , onde recebeu sua formação inicial, e voltou para a Mongólia em janeiro de 2016. Desde então continua a sua experiência pastoral, servindo em diferentes paróquias da Mongólia, onde atualmente existem, no total, cerca de 20 missionários e 50 freiras de 12 congregações religiosas engajados em seis paróquias. Na noite de segunda-feira, 29 agosto, Joseph Enkh celebrará sua primeira missa na Catedral dos Santos Pedro e Paulo, em Ulaanbaatar. <br />Fri, 26 Aug 2016 12:01:38 +0200ÁFRICA/ÁFRICA DO SUL - Os Jesuítas denunciam o uso político da Polícia contra o Ministro das Finançashttp://www.fides.org/pt/news/60623-AFRICA_AFRICA_DO_SUL_Os_Jesuitas_denunciam_o_uso_politico_da_Policia_contra_o_Ministro_das_Financashttp://www.fides.org/pt/news/60623-AFRICA_AFRICA_DO_SUL_Os_Jesuitas_denunciam_o_uso_politico_da_Policia_contra_o_Ministro_das_FinancasJohanesburgo - "O Jesuit Institute South Africa está seriamente preocupado com o que parece um contínuo assédio da parte dos Hawks contra o Ministro das Finanças, Pravin Gordhan", firma um comunicado enviado à Agência Fides. Os Hawks são um departamento de investigação da Polícia sul-africana, especializada em crimes organizados e crimes financeiros.<br />Gordhan foi convocado pelos Hawks para ser interrogado no âmbito de uma investigação sobre supostos abusos de sua parte numa unidade de inteligência do Ministério das Finanças para recolher informações financeiras sobre vários políticos, incluindo o Presidente Jacob Zuma.<br />Os Jesuítas, após recordar que o anúncio da convocação do ministro causou uma queda do rating sul-africano , "com graves consequências especialmente para os mais pobres", afirmam que este último "reforçou a impressão de que os Hawks sejam usados como agentes políticos do Presidente Zuma e por pessoas associadas a ele, na luta para ter acesso ilimitado a fundos estatais, em particular em relação às centrais nucleares e a South African Airways".<br />Os Jesuítas também apontam que Zuma tinha demitido o ex-ministro das Finanças, Nhlanha Nene , "com consequências pesadas sobre a economia". "Mais uma vez, o Governo do presidente Zuma mostra uma liderança que não se importa com o bem comum. Pare agora, Sr. Presidente, pare e coloque em primeiro lugar a economia do país em dificuldade. Poderia ser a sua última chance de mostrar que o senhor está preocupado com o bem comum", conclui o comunicado. <br /><br /><br />Fri, 26 Aug 2016 12:00:38 +0200ÁFRICA/ZIMBÁBUE - A Polícia dispersou uma marcha de protesto em seguida autorizada pelo Supremo Tribunalhttp://www.fides.org/pt/news/60622-AFRICA_ZIMBABUE_A_Policia_dispersou_uma_marcha_de_protesto_em_seguida_autorizada_pelo_Supremo_Tribunalhttp://www.fides.org/pt/news/60622-AFRICA_ZIMBABUE_A_Policia_dispersou_uma_marcha_de_protesto_em_seguida_autorizada_pelo_Supremo_TribunalHarare - A polícia dispersou com o uso de gás lacrimogêneo os manifestantes que estavam se preparando para participar hoje, 26 de agosto, de uma marcha de protesto em Harare, capital do Zimbábue. A ação policial teve lugar antes da decisão do Supremo Tribunal que declarou legítima a marcha, organizada por 18 partidos políticos e organizações sociais. Dentre os líderes da oposição Morgan Tsvangirai, líder do Movement for Democratic Change . A manifestação foi convocada para protestar contra a Comissão Eleitoral Independente, acusada de ser condicionada pelo presidente Robert Mugabe, e exigir que as eleições de 2018 sejam supervisionadas por observadores internacionais.<br />O Supremo Tribunal Federal autorizou o evento que deve ser realizado de 12h a 16h, hora local. Esta é a primeira demonstração pública com a participação de todos os grupos da oposição até agora bastante divididos. Divisões que também aparecem no campo presidencial, considerando a participação na marcha do ex-vice-presidente Joice Mujuru, que lidera uma parte interna do partido de Mugabe.<br />O protesto político e social no Zimbábue está cada vez mais ligado ao uso das mídias sociais para organizar manifestações de rua e outras formas de revolta. O movimento de protesto "virtual" #ThisFlag do pastor protestante Evan Mawarire é o mais conhecido entre aqueles que usam a mídia social . Cerca de dois terços dos habitantes do país são jovens, nascidos depois de 1980. Os jovens estão acostumados ao uso de smartphones e não têm memória da luta de libertação conduzida pelo ZANU-PF, partido de Mugabe, 92 anos, permanecendo em grande parte indiferentes à retórica do "Pai da Nação", cuja política dos últimos 15 anos provocou um colapso econômico e social. <br /> <br />Fri, 26 Aug 2016 11:59:33 +0200OCEANIA/AUSTRÁLIA - Será fechado o campo de detenção para refugiados. Satisfação da Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/60620-OCEANIA_AUSTRALIA_Sera_fechado_o_campo_de_detencao_para_refugiados_Satisfacao_da_Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/60620-OCEANIA_AUSTRALIA_Sera_fechado_o_campo_de_detencao_para_refugiados_Satisfacao_da_IgrejaSydney – Será fechado o campo de detenção de Manus Island , estrutura administrada pelo governo australiano, motivo de forte polêmica pelo tratamento desumano que reserva aos migrantes e clandestinos que tentam alcançar o litoral australiano, provenientes de países limítrofes. A decisão, anunciada pelo Primeiro Ministro de Papua Nova Guiné, Peter O'Neill, e pelo ministro australiano para a Imigração, Peter Dutton, gerou satisfação na Igreja católica australiana e na sociedade civil, que no passado criticaram muitas vezes as condições de vida na ilha que é um imenso campo de detenção. <br />Pe. Maurizio Pettena, Diretor do Escritório para migrantes da Conferência Episcopal australiana, afirma, em nota enviada à Fides que “a Igreja recebe positivamente a decisão de fechar o centro, no qual se encontram imigrantes detentos há mais de três anos”. “Muitos grupos religiosos e comunidades católicas na Austrália estão prontos para oferecer assistência às pessoas que se encontram na condição de refugiados.<br />Exortamos o governo a fazer o possível para encontrar rapidamente uma localização para estas pessoas. Estamos preocupados porque aqueles que foram identificados como refugiados podem não encontrar um país que os acolha. A Igreja católica se opõe a um campo de detenção de permanência indeterminada e a respostas políticas que não respeitem a dignidade de pessoas necessitadas de ajuda”. “É imperativo que a dignidade da pessoa humana esteja sempre em primeiro lugar”, prossegue. “Os governos têm a responsabilidade de administrar os fluxos migratórios, mas a atual abordagem do governo australiano ao problema está se tornando moralmente repugnante e deveria mudar”. <br />“Neste Ano da Misericórdia, enquanto muitos migrantes refugiados buscam asilo na Austrália, devemos viver uma cultura do encontro, da acolhida e da aceitação, seja no campo pessoal como comunitário”, escreve o Bispo Vincent Nguyen Van Long, OFM Conv, em mensagem divulgada no Dia do Migrante e do Refugiado que se celebra em 28 de agosto. O Bispo, delegado da Conferência Episcopal para a pastoral dos migrantes e refugiados, lembrou o exemplo do Papa Francisco, que visitou a ilha grega de Lesbos em abril e “trouxe com ele 12 refugiados sírios, muçulmanos, que tiveram suas casas destruídas pela guerra”. ”Neste Dia - disse - somos convidados a abrir o coração aos sofrimentos dos outros”, com “compaixão, que literalmente significa ‘sofrer com’ e é o sinal distintivo do cristianismo”, principalmente a ser redescoberto e vivido no Ano jubilar da Misericórdia”. <br />Fri, 26 Aug 2016 19:50:22 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - Bispos: ilustrar os acordos e construir uma Colômbia reconciliada e em pazhttp://www.fides.org/pt/news/60618-AMERICA_COLOMBIA_Bispos_ilustrar_os_acordos_e_construir_uma_Colombia_reconciliada_e_em_pazhttp://www.fides.org/pt/news/60618-AMERICA_COLOMBIA_Bispos_ilustrar_os_acordos_e_construir_uma_Colombia_reconciliada_e_em_pazBogotá – “Acolhemos com esperança a oportunidade que se abre para colocar fim ao conflito armado que marcou a história do país por mais de cinquenta anos”: assim os Bispos da Colômbia se expressam em um comunicado assinado pelo Presidente da Conferência Episcopal, Dom Luis Castro Quiroga, Arcebispo de Tunja, na conclusão dos diálogos de paz ocorridos em Cuba.<br />No texto, enviado à Fides, os Bispos destacam a necessidade de ilustrar os acordos de paz, para que todos cheguem preparados para a consulta referendaria de 2 de outubro. Líderes políticos, organizações cidadãs, responsáveis da imprensa e o povo colombiano em geral, sejam convidados a promover “uma reflexão tranquila, em clima de diálogo e de respeito, animada em todo momento pelo compromisso com a construção da paz, pensando sempre no bem do país, superando interesses particulares ou setoriais”. <br />Renovando o convite já feito no final de sua 101a Assembleia geral, os Bispos exortam todos os católicos a participar do referendo expressando um voto “responsável, informado e de consciência”, e as dioceses, paróquias, congregações religiosas, seminários, grupos e pequenas comunidades eclesiais a “intensificar a oração pela paz no país e a discernir, à luz da Palavra de Deus, o caminho que nos leva a sermos agentes de paz”. Enfim, convidam “todos os irmãos e irmãs de boa vontade a superar toda forma de violência e a trabalhar unidos na construção de uma Colômbia reconciliada e em paz”. <br /> <br />Fri, 26 Aug 2016 19:48:59 +0200