Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt ÁSIA/SÍRIA - Em Aleppo, a oração das crianças para implorar o fim das tragédias infantishttp://www.fides.org/pt/news/60830-ASIA_SIRIA_Em_Aleppo_a_oracao_das_criancas_para_implorar_o_fim_das_tragedias_infantishttp://www.fides.org/pt/news/60830-ASIA_SIRIA_Em_Aleppo_a_oracao_das_criancas_para_implorar_o_fim_das_tragedias_infantisAleppo - “Centenas de meninos e meninas de Aleppo, cristãos e muçulmanos, se encontrarão, em 6 de outubro, para pedir com as suas orações para que na cidade martirizada em que vivem, e em toda a Síria, tenha fim a espiral de morte que se desencadeou nos últimos dias com muita crueldade contra as crianças indefesas.” Foi o que disse à Agência Fides o Arcebispo Boutros Marayati, responsável pela arquieparquia armênio-católica de Aleppo. A iniciativa, promovida pelos Padres Franciscanos, envolverá em primeiro lugar os alunos das escolas. Eles colocarão as suas assinaturas e a palma das mãos num apelo para pedir aos poderosos do mundo para por fim às tragédias que são mais cruéis contra as crianças, que em todas as guerras são as mais vulneráveis. “Mas sobretudo rezarão. Rezarão por todos os seus coetâneos. Confiamos no fato de que a oração das crianças seja mais potente do que a nossa”, disse o Arcebispo Marayati.<br />Os bombardeios e a violência contra civis causaram em Aleppo de maneira devastadora o naufrágio da trégua frágil e parcial proclamada menos de uma semana atrás. A esse respeito, o Arcebispo Marayati foi capaz de fornecer notícias atuais sobre o que está acontecendo e poderá acontecer em na metrópole síria: <br />“Na última quarta-feira – refere o Arcebispo armênio católico –, os representantes do governo e do exército sírios convocaram uma reunião para explicar que em pouco tempo divulgariam um apelo à população civil nos bairros sob controle dos rebeldes. O apelo, divulgado na televisão e nas redes sociais, advertia que passagens seriam deixados abertas para permitir que a população deixasse os bairros e se dirigisse às áreas indicadas como seguras, sem medo de sofrer represálias. Com efeito, muitas famílias de civis deixaram esses bairros e foram acolhidas na região controlada pelo exército governamental, confirmando que o apelo de algum maneira chegou ao destino. Para os grupos que chegavam, foram disponibilizadas inclusive estruturas habitacionais para o acolhimento. Mas não foi uma evacuação de massa. Muitos talvez não podem sair. E o apelo continha também uma data de vencimento, e o ultimato expira nos próximos dias. Há portanto o perigo de que se desencadeie em breve um novo ciclone de bombas e de sangue se as potências que estão atrás das duas partes em guerra não decidirem acabar realmente com esta guerra suja”. Sat, 24 Sep 2016 23:13:39 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - O Arcebispo Castro: “A Colômbia está diante de um encontro com a História”http://www.fides.org/pt/news/60828-AMERICA_COLOMBIA_O_Arcebispo_Castro_A_Colombia_esta_diante_de_um_encontro_com_a_Historiahttp://www.fides.org/pt/news/60828-AMERICA_COLOMBIA_O_Arcebispo_Castro_A_Colombia_esta_diante_de_um_encontro_com_a_HistoriaBogotá – Segunda-feira, 26 de setembro, em Cartagena , diante de chefes de Estado e de autoridades de todo o mundo, se realizará o ato solene de assinatura do tratado de paz entre o governo colombiano e os guerrilheiros das Farc. Trata-se de um ato oficial, como estabelecido pelos acordos alcançados depois dos diálogos de Paz em Havana.<br />O Arcebispo Luis Augusto Castro Quiroga, Presidente da Conferência Episcopal Colombiana, comentou com a imprensa local este evento importante: “Estamos muito próximos da paz”, disse o Arcebispo de Tunja. “Ou melhor, estamos muito próximos de acabar com a guerra. Este momento constitui uma alegria e uma grande graça. Para alcançar a meta, falta somente um passo: o referendo de 2 de outubro. A Colômbia está diante de um encontro com a História, um divisor de águas. O país pode começar a mudar, a resolver os seus problemas”.<br />O documento, intitulado "Acuerdo Final para la Terminación del Conflicto y la Construcción de una Paz Estable y Duradera", será assinado diante de um grande grupo de delegações diplomáticas. Estará presente também o Cardeal-Secretário de Estado, Pietro Parolin, representando o Santo Padre. <br /><br /> <br />Sat, 24 Sep 2016 23:13:00 +0200ÁSIA/JORDÂNIA - Arcebispo Lahham: ‘reprovados’ os cristãos candidatos nas listas islâmicas para as eleiçõeshttp://www.fides.org/pt/news/60829-ASIA_JORDANIA_Arcebispo_Lahham_reprovados_os_cristaos_candidatos_nas_listas_islamicas_para_as_eleicoeshttp://www.fides.org/pt/news/60829-ASIA_JORDANIA_Arcebispo_Lahham_reprovados_os_cristaos_candidatos_nas_listas_islamicas_para_as_eleicoesAmã – Dentre os 130 membros do novo Parlamento jordaniano promovidos para as eleições políticas de 20 de setembro, os legisladores cristãos serão 9, ou seja, o número mínimo ‘garantido’ à minoria cristã pelo sistema de cotas eleitorais. “Mas dentre eles” – informa à Agência Fides o Arcebispo Maroun Lahham, Vigário patriarcal, não consta nenhum dos candidatos cristãos que se apresentaram nas listas de grupos islâmicos, mesmo tendo obtido um bom resultado eleitoral”.<br />O sistema de cotas – explica à Fides o Arcebispo Maroun – prevê que em cada lista – incluindo as de matriz islâmica, inspiradas em grupos próximos aos Irmãos Muçulmanos – conste ao menos uma mulher, um cristão e um membro das minorias circassiana e chechena. Por isso, alguns candidatos cristãos, por exemplo em Amã e Madaba, aceitaram apresentar-se às eleições em listas islâmicas. “Depois, os eleitores de orientação islâmica concentraram seus votos em candidatos da própria corrente, excluindo do Parlamento todos os cristãos que se haviam apresentado naquelas listas”.<br />Os resultados eleitorais confirmam que a facção liderada pela Frente de Ação Islâmica, ala política dos Irmãos Muçulmanos na Jordânia, retornou ao Parlamento, obtendo 15 cadeiras das 130, depois que as forças islâmicas boicotaram as eleições legislativas de 2010 e em 2013. É a facção política mais compacta e organizada, pois os outros candidatos eleitos são, em maioria, representantes de grupos, clãs ou tribos, unidos entre si apenas pela lealdade à Monarquia Jordaniana. <br />“Em todo caso”, observa o Arcebispo Lahham, “não se sabe se os parlamentares islâmicos se colocarão na posição de oposição frontal em relação ao atual sistema político da Jordânia: os elementos mais fanáticos não foram eleitos, e os que dentre eles entraram no Parlamento representam a ala política mais competente, capaz de tratar com os outros parlamentares e com o governo, segundo as lógicas próprias da dialética política”.<br />Além da cota destinada aos cristãos, a lei jordaniana reserva 15 assentos parlamentares às mulheres e três a circassianos e chechenos. Somente 56 do Parlamento antigo foram reeleitos. Entre os parlamentares cristãos se registrou uma mudança notável: "Dos ‘batizados eleitos’, confirma a Fides o Arcebispo Lahham, “somente três faziam parte da precedente assembleia parlamentar. Os outros seis são “novatos”. Agência Fides 24//2016).<br /><br />Sat, 24 Sep 2016 20:10:54 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - No Ano da educação, as escolas estão no centro da pastoral diocesana de Faisalabadhttp://www.fides.org/pt/news/60827-ASIA_PAQUISTAO_No_Ano_da_educacao_as_escolas_estao_no_centro_da_pastoral_diocesana_de_Faisalabadhttp://www.fides.org/pt/news/60827-ASIA_PAQUISTAO_No_Ano_da_educacao_as_escolas_estao_no_centro_da_pastoral_diocesana_de_FaisalabadFaisalabad – Na diocese paquistanesa de Faisalabad, na província de Punjab, o Ano da Misericórdia coincide com o “Ano especial da educação”, convocado pelo Bispo Joseph Arshad. “É preciso incrementar a consciência de que trabalhar para a instrução é uma obra de misericórdia: o ensino é um importante instrumento que permite desenvolver todas as potencialidades dos indivíduos”, declara à Fides Dom Arshad, que está visitando as escolas católicas da diocese e uma ‘peregrinação’ que tocará todos os institutos do território, que acolhem também muitos estudantes muçulmanos. <br />O objetivo é “reforçar as instituições escolares na diocese, promover uma educação de qualidade, aumentar o interesse dos estudantes e atuar ensino e aprendizagem baseados na atividade”, explica à Fides. O bispo releva ainda a importância de “encorajar os pais e professores a tornar a educação acessível a todos, ajudando os estudantes mais aplicados a prosseguirem os estudos e aumentando o número de estudantes cristãos nas escolas, reduzindo a evasão escolar”.<br />Durante o Ano, as escolas organizam programas educativos específicos e “há um visível entusiasmo e grande participação. Trata-se de uma grande oportunidade para os estudantes desenvolverem a confiança e para os professores, explorar talentos escondidos”, releva o bispo, que visitou nos últimos dias as escolas de ensino superior St. Paul Girls High School, Sacred Hart Convent High School, St. Joseph High School e St. Anthony Girls High School em Faisalabad. O bispo encorajou professores, alunos, reitores e funcionários administrativos, e as manifestações de alegria dos estudantes eram evidentes. Dom Arshad ressalta sempre “a importância da formação” e frisa a responsabilidade e o precioso papel dos professores que “não transmitem apenas conteúdos, mas contribuem na formação humana dos alunos”.<br />Uma das prioridades, observa o Bispo, “é acessar as crianças mais pobres e carentes, especialmente de famílias cristãs que ainda não têm acesso às escolas”. Por isso, é dever das escolas cristãs “financiar economicamente as crianças cristãs de famílias pobres, para que possam continuar seu percurso de estudos”. Com este fim, por exemplo, a LaSalle High School de Faisalabad oferece uma redução de 50% nas mensalidades para alunos cristãos. E os 800 estudantes cristãos da Sacred Heart Convent School recebem 40% de desconto, observa à Fides pe. Shafiqe Bashir, Secretário executivo do Conselho diocesano para a instrução católica. “Estamos confiantes – conclui pe. Bashir – que as visitas que o bispo Arshad está fazendo servirão para motivar professores e alunos e para promover a instrução”. <br />Sat, 24 Sep 2016 20:09:56 +0200EUROPA/ÁUSTRIA - Nomeação do Diretor Nacional das POM, Pe. Karl Wallnerhttp://www.fides.org/pt/news/60819-EUROPA_AUSTRIA_Nomeacao_do_Diretor_Nacional_das_POM_Pe_Karl_Wallnerhttp://www.fides.org/pt/news/60819-EUROPA_AUSTRIA_Nomeacao_do_Diretor_Nacional_das_POM_Pe_Karl_WallnerCidade do Vaticano - O Cardeal Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, em 5 de fevereiro de 2016, nomeou Diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias , na Áustria, para um quinquênio , o Rev. Pe. Karl Wallner, da Ordem Cisterciense. <br />Pe. Karl Wallner nasceu em Viena, em 1963. Em 1982, entrou na Ordem dos Cistercienses no mosteiro “Stift Heiligenkreuz” de Viena, onde fez os estudos filosóficos e teológicos. Em 1986, obteve o mestrado em Teologia na Universidade de Viena. Depois da ordenação sacerdotal, em 1988, desempenhou vários cargos no âmbito pastoral, no Mosteiro de Heiligenkreuz, e foi pároco em várias paróquias. Em 1992, obteve o doutorado na Faculdade de Teologia da Universidade de Viena. Desempenhou vários cargos como formador e no âmbito da Pastoral da Juventude em sua comunidade de Stift Heiligenkreuz. Desde 2004, é membro da Comissão Teológica da Conferência Episcopal Austríaca. Em 2007, foi nomeado reitor da nova universidade de direito pontifício “Bento XVI Heiligenkreuz”, do qual foi fundador, cargo reconfirmado em 2011. <br />Fri, 23 Sep 2016 10:11:07 +0200AMÉRICA/PARAGUAI - Bispos denunciam violência desproporcional contra os camponeseshttp://www.fides.org/pt/news/60821-AMERICA_PARAGUAI_Bispos_denunciam_violencia_desproporcional_contra_os_camponeseshttp://www.fides.org/pt/news/60821-AMERICA_PARAGUAI_Bispos_denunciam_violencia_desproporcional_contra_os_camponesesAssunção - "A Igreja condena todo tipo de ação contra a dignidade do ser humano, qualquer que seja a sua condição social, mas sobretudo quando se trata dos setores mais frágeis da sociedade, como as famílias de camponeses.” Assim, tem início o comunicado da Conferência Episcopal do Paraguai enviado a Fides. A denúncia se refere ao despejo das famílias de agricultores da colônia de Guahory, no distrito de Tembiaporá , onde residiam há muito tempo, ocorrido em 15 de setembro, e que causou grande repercussão no país pelo excessivo uso da força. <br />Os bispos prosseguem: “Lamentamos e condenamos a intervenção excessiva e desproporcional das forças de segurança para destruir as cultivações e moradias dos agricultores, numa terra cuja propriedade é disputada e cujo título ainda não foi estabelecido e comprovado suficientemente".<br />O comunicado apresenta este pedido: “Mais uma vez, se vê a necessidade de enfrentar seriamente e com urgência uma reforma agraria integral que permita às famílias de camponeses de permanecer em suas terras”. Enfim, recorda “a obrigação das autoridades de medir as ações e respeitar os direitos e a dignidade de todos, oferecendo as garantias necessárias aos mais vulneráveis”. <br />Fri, 23 Sep 2016 20:45:18 +0200ÁFRICA/EGITO - Políticos egípcios: para impulsionar o turismo, valorizamos o "Caminho da Sagrada Família"http://www.fides.org/pt/news/60825-AFRICA_EGITO_Politicos_egipcios_para_impulsionar_o_turismo_valorizamos_o_Caminho_da_Sagrada_Familiahttp://www.fides.org/pt/news/60825-AFRICA_EGITO_Politicos_egipcios_para_impulsionar_o_turismo_valorizamos_o_Caminho_da_Sagrada_FamiliaCairo - A crise econômica que está penalizando o Egito interpela todas as comunidades de emigrantes egípcios espalhadas no mundo. Dentre os recursos nos quais se concentrar, está também a promoção do turismo - que entrou em crise por causa de ataques terroristas e da violência sectária - focalizado não apenas nas pirâmides e resorts no Mar Vermelho, mas também nas peregrinações ao longo do "Caminho da Sagrada Família" a rota para os lugares que de acordo com as tradições antigas viram a passagem de José, Maria e do menino Jesus durante seu exílio na terra do Egito.<br />A ideia foi relançada na última terça-feira, 20 de setembro, nos Estados Unidos, durante a Conferência Econômica de New Jersey, organizada pela Associação Copta Americana. Da reunião, juntamente com muitos representantes da diáspora copta nos EUA, participaram também 24 membros do Parlamento egípcio, que asseguraram seu compromisso político e institucional para facilitar a aplicação concreta do "Projeto Sagrada Família" e fazer do Egito uma meta de peregrinação a ser proposta especialmente aos cristãos ao redor do mundo. Segundo os promotores da iniciativa, o desenvolvimento turístico do "Caminho da Sagrada Família" poderia aumentar a presença anual de turistas no Egito em pelo menos um milhão de pessoas, com peregrinações concentradas especialmente na época do Natal.<br />O apelo para promover itinerários que sigam o caminho realizado pela Sagrada Família durante o seu exílio no Egito reaparece periodicamente nas iniciativas destinadas a ampliar o setor do turismo da economia egípcia. Já há dois anos foi identificado o caminho ideal da peregrinação nas pegadas da Sagrada Família no Egito, que deve começar a partir da cidade de Al-Arish, no norte do Sinai, dirigindo-se ao delta e Wadi Natrun, e chegar a Assiut e ao Mosteiro da Virgem Maria, conhecido como o Mosteiro de Al-Muharraq. . <br />Fri, 23 Sep 2016 20:32:51 +0200ÁFRICA/RD CONGO - Discordância entre a maioria e a oposição sobre a responsabilidade dos confrontoshttp://www.fides.org/pt/news/60824-AFRICA_RD_CONGO_Discordancia_entre_a_maioria_e_a_oposicao_sobre_a_responsabilidade_dos_confrontoshttp://www.fides.org/pt/news/60824-AFRICA_RD_CONGO_Discordancia_entre_a_maioria_e_a_oposicao_sobre_a_responsabilidade_dos_confrontosKinshasa - Depois da violência dos últimos dias, crescem as polêmicas internas e internacionais sobre as responsabilidades dos acidentes que devastaram Kinshasa, capital da República Democrática do Congo . A maioria presidencial de Joseph Kabila acusa "Le Rassemblement", o grupo de partidos de oposição que apoia o candidato Etienne Tshisekedi, que organizou os protestos, de criar "um movimento insurrecional" e de ter causado as desordens. A acusação foi rebatida.<br />O governo de Kinshasa também rejeitou as acusações do Presidente francês, François Hollande, de ser responsável pela violência, bem como a estimativa de 50 vítimas do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos. As autoridades congolesas reafirmam o balanço de 32 mortos revelado ontem , enquanto a oposição afirma que as vítimas são uma centena.<br />Se a calma parece ter voltado na capital, uma nova frente se abriu com os funerais das vítimas. O partido de Tshisekedi, a União para a Democracia e o Progresso Social , anunciou para 26 de setembro um dia de luto nacional e uma procissão fúnebre liderada por Tshisekedi, que acompanhará as vítimas ao cemitério.<br />Enquanto isso, após a condenação da violência feita pela Igreja Católica vem a das igrejas protestantes. "Os líderes de denominações religiosas condenam os atos de violência que afligem nossas famílias e destroem o tecido econômico e social do nosso país", afirma um comunicado de Dom Marini Bodo, Presidente Nacional da Igreja de Cristo no Congo, uma união à qual aderem várias confissões protestantes do país. <br />Fri, 23 Sep 2016 20:31:56 +0200ÁSIA/IRAQUE - Patriarca Sako no Sínodo caldeu: a cultura digital agrava a nossa crise espiritualhttp://www.fides.org/pt/news/60822-ASIA_IRAQUE_Patriarca_Sako_no_Sinodo_caldeu_a_cultura_digital_agrava_a_nossa_crise_espiritualhttp://www.fides.org/pt/news/60822-ASIA_IRAQUE_Patriarca_Sako_no_Sinodo_caldeu_a_cultura_digital_agrava_a_nossa_crise_espiritualArbil – A situação pastoral, administrativa e financeira da Igreja caldeia está cheia ‘de sombras’, como a concentração em seus próprios interesses, que indica que “a crise motivacional e espiritual aumentou ao máximo com a difusão da cultura digital”. A consideração e suas implicações, em todos os contextos, foi expressa pelo Patriarca caldeu Louis Raphael I Sako na palestra com a qual ontem, 22 de setembro, abriu os trabalhos do Sínodo anual dos Bispos caldeus, em andamento nestes dias em Ankawa, subúrbio de maioria cristã em Arbil, capital da região autônoma do Curdistão iraquiano. Ao invés de exaltar a rede digital, a priori, como positiva, o Patriarca observou que as redes sociais se tornaram um instrumento privilegiado para alimentar sobretudo polêmicas e acusações contra e dentro da Igreja, segundo “agendas” pilotadas por grupos de interesse. <br />Em seu pronunciamento, enviado à Agência Fides, o Patriarca delineou as muitas sombras, assim como as significativas luzes que marcam a condição da Igreja caldeia nos tempos atuais, caracterizados por violência, sectarismo e instabilidade política que penalizam há anos o povo iraquiano. Dentre os fatores de crise e dificuldades relativos à dimensão pastoral, o Primaz da Igreja caldeia acenou também ao caos provocado por padres e religiosos que deixaram nos últimos anos suas dioceses ou mosteiros sem o consenso dos superiores, emigrando ao exterior – muitas vezes levando consigo suas famílias de origem – para desfrutar de condições de vida mais confortáveis. Este fenômeno continuado – sublinhou o Patriarca – manifesta também a inadequada formação recebida por estas pessoas. <br />A este respeito, o Patriarca fez votos que se multipliquem as ocasiões para fornecer aos sacerdotes iraquianos critérios de orientação e discernimento espiritual, através inclusive de encontros e visitas a sacerdotes e formadores que atuam em outros países. Em relação ao aspecto financeiro, o Patriarca denunciou os episódios de “corrupção financeira e administrativa” que envolveram paróquias e instituições eclesiais. Sobre a ajuda aos refugiados, o Patriarca frisou a diferença entre as paróquias que “fizeram um trabalho enorme para ajudar todas as famílias desabrigadas sem alguma discriminação” e as que “não prestaram atenção” a este problema. . <br />Fri, 23 Sep 2016 20:30:46 +0200ÁFRICA/SUDÃO - Despesas escolares insustentáveis: as famílias sudanesas são obrigadas a deixar as filhas em casahttp://www.fides.org/pt/news/60820-AFRICA_SUDAO_Despesas_escolares_insustentaveis_as_familias_sudanesas_sao_obrigadas_a_deixar_as_filhas_em_casahttp://www.fides.org/pt/news/60820-AFRICA_SUDAO_Despesas_escolares_insustentaveis_as_familias_sudanesas_sao_obrigadas_a_deixar_as_filhas_em_casaEl Geneina – Estudar no Sudão parece ser inacessível para um número sempre maior de pessoas. O incremento dos preços obriga os pais a manter suas meninas em casa. As despesas com uniformes, pastas, livros, cadernos e canetas continuam a aumentar e as famílias não estão conseguindo mantê-las, principalmente aquelas que têm filhos em idade escolar. Em El Geneina, capital de West Darfur, soma-se ainda o problema das escolas destruídas nos últimos meses pelas fortes chuvas. “Com o repentino aumento dos preços dos gêneros alimentares, muitos pais não podem pagar os estudos de seus filhos. E ainda existem problemas econômicos ligados à reconstrução das próprias escolas”, consta em nota enviada à Agência Fides. <br /> <br />Fri, 23 Sep 2016 20:29:31 +0200AMÉRICA/MÉXICO - Outro sacerdote sequestrado em Michoacanhttp://www.fides.org/pt/news/60818-AMERICA_MEXICO_Outro_sacerdote_sequestrado_em_Michoacanhttp://www.fides.org/pt/news/60818-AMERICA_MEXICO_Outro_sacerdote_sequestrado_em_MichoacanMichoacan - O Arcebispo de Morelia, Cardeal Alberto Suárez Inda, denunciou o sequestro de um sacerdote da comunidade de Janamuato, no município de Puruándiro, no Estado mexicano de Michoacan. Através de um vídeo publicado ontem pela arquidiocese e enviado a Fides, o cardeal lamenta o sequestro do sacerdote José Alfredo Lopez Guillen, e recorda o assassinato recente de dois sacerdotes em Papantla .<br />"Agora, experimentamos em primeira pessoa a angústia pelo desaparecimento e sequestro de um de nossos sacerdotes, Pe. Jose Alfredo Lopez Guillen”, afirma o purpurado. “Peçamos a Deus para que respeitem a sua integridade, sua vida e que ele possa voltar logo ao exercício de seu ministério”. Depois, informa que o sacerdote foi sequestrado na segunda-feira, 19 de setembro, no mesmo dia em que foram reencontrados mortos os outros dois sacerdotes no Estado de Veracruz, e que foram roubadas muitas coisas de sua moradia. Também a Conferência Episcopal Mexicana se uniu à voz do Cardeal Suárez Inda ao denunciar o desaparecimento e pedindo orações à comunidade católica. <br /><br /><br />Fri, 23 Sep 2016 20:27:32 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Inquérito sobre os massacres anticristãos em Orissa: foi planejadohttp://www.fides.org/pt/news/60823-ASIA_INDIA_Inquerito_sobre_os_massacres_anticristaos_em_Orissa_foi_planejadohttp://www.fides.org/pt/news/60823-ASIA_INDIA_Inquerito_sobre_os_massacres_anticristaos_em_Orissa_foi_planejadoBhubaneswar – Os massacres de cristãos ocorridos em Orissa em 2008 foram o resultado de um minucioso planejamento orquestrado por grupos nacionalistas hindus da rede “Sangh Parivar” do mais alto nível. Massas analfabetas de militantes foram manipuladas pela propaganda e fomentadas para matar. Graças ao inquérito realizado pelo jornalista indiano Anto Akkara, “hoje se pode reescrever a história de Kandhamal”, o distrito de Orissa que foi palco das perseguições anticristãs em 2008. <br />E hoje, “é uma vergonha para a nação e para o sistema judiciário que sete cristãos inocentes estão morrendo na prisão por um crime que jamais cometeram”, nota Akkara numa coletiva em que foi apresentado o seu último livro-reportagem, intitulado: “Quem matou Swami Laxmanand?”. <br />O livro – publicado após outros títulos como “Kandhamal: uma mancha na laicidade indiana” e “Kandhamal clama por justiça” – esclarece o misterioso assassinato do líder hinduísta Swami Laxmanand, do qual os cristãos foram acusados e que representou o pretexto para desencadear a violência.<br />Depois do homicídio do líder de 81 anos, em 23 de agosto de 2008, no distrito de Kandhamal, no estado indiano de Orissa, as comunidades cristãs sofreram um ataque indiscriminado de massa. Cerca de 100 cristãos foram assassinados, 300 igrejas e 6.000 casas saqueadas e 56.000 foram os deslocados internos, que buscaram reparo nos bosques para fugir da feroz limpeza étnica.<br />Após o homicídio do líder, reivindicado por guerrilheiros maoístas, sete cristãos foram presos e condenados à prisão perpétua em 2013 pelo homicídio “mesmo sem qualquer prova”, nota Akkara, denunciando uma autêntica “paródia da justiça”. A Corte Suprema ainda deve fixar a data para a apelação, “mas o suposto complô cristão em detrimento dos hinduístas é completamente sem fundamento”, nota o jornalista.<br />Eis o relato de Akkara: “No cálculo político da rede extremista Sangh Parivar, depois de brutalizar os cristãos de Kandhamal, a lobby cristã internacional induziria Sonia Gandhi a demitir o governo de Orissa, no qual o partido nacionalista Baratiya Janata Party era parceiro de coalizão. Isso abriria o caminho para a vitória dos grupos nacionalistas hinduístas e do Bjp nas eleições de 2009, que, ao invés, foram vencidas pelo Partido do Congresso”.<br />Akkara nota a reticência das instituições em enfrentar o argumento, já que “a Comissão nacional para os direitos humanos não emitiu nem mesmo um comunicado de imprensa sobre Kandhamal em oito anos” e releva que “sete cristãos inocentes na prisão são uma mancha no sistema judiciário do país”, enquanto “Kandhamal permanece uma mancha em Orissa e na laicidade indiana”. Fri, 23 Sep 2016 14:56:53 +0200ÁSIA/MALÁSIA - Misericórdia e inclusão para com os imigrantes, que “são uma bênção”http://www.fides.org/pt/news/60826-ASIA_MALASIA_Misericordia_e_inclusao_para_com_os_imigrantes_que_sao_uma_bencaohttp://www.fides.org/pt/news/60826-ASIA_MALASIA_Misericordia_e_inclusao_para_com_os_imigrantes_que_sao_uma_bencaoKuala Lumpur – Misericórdia e inclusão são as coordenadas fundamentais ensinadas pelo Evangelho a todo cristão que se relaciona com os migrantes: é o que afirma a mensagem de Dom Bernard Paul, Presidente da Comissão para a Pastoral dos Migrantes e dos Itinerantes da Conferência Episcopal da Malásia, Cingapura e Brunei, divulgada por ocasião do “”Dia dos Migrantes”, que na Igreja local se celebra em 25 de setembro.<br /> O texto, enviado à Agência Fides, observa que “a economia do país é fortemente dependente do trabalho dos migrantes”, que segundo dados oficiais são 6,7 milhões, entre os quais mais de quatro milhões de trabalhadores sem documentos regulares. “Somente poucos estão dispostos a falar das bênçãos que os trabalhadores imigrantes e os refugiados trazem à nossa vida, à nossa economia, às nossas empresas. A presença deles se sente também nos setores da construção, da produção, na agricultura, nas plantações e no setor terciário”, releva a mensagem.<br />“Podemos ignorar sua contribuição? Podemos nos virar para o outro lado, sem qualquer reconhecimento? Temos a coragem de admitir que são os nossos vizinhos? Os migrantes e os refugiados são os nossos novos amigos e novos vizinhos, num mundo marcado pela globalização e pela mobilidade”, observa o Bispo, recordando que “quando os nossos filhos emigram para terras estrangeiras, desejamos para eles inclusão, respeito e benevolência. Busquemos, portanto, fazer a mesma coisa”, nota. O Bispo faz votos que “as paróquias se tornem centros de integração” e trabalhem para construir “uma comunidade de migrantes”, partindo da pergunta evangélica: “Quem é o meu próximo?”.<br />O texto se conclui com um apelo a todos os homens de boa vontade a “deixarem-se levar pela misericórdia de Deus” e a terem “a atitude evangélica do Samaritano para com esses novos vizinhos, que estão no meio de nós, para construir o Reino de Deus”. Fri, 23 Sep 2016 14:56:13 +0200AMÉRICA/CHILE - Bispo de Aysen condena o sistema econômico do Chile: aposentadorias de fome e pescadores sem trabalhohttp://www.fides.org/pt/news/60810-AMERICA_CHILE_Bispo_de_Aysen_condena_o_sistema_economico_do_Chile_aposentadorias_de_fome_e_pescadores_sem_trabalhohttp://www.fides.org/pt/news/60810-AMERICA_CHILE_Bispo_de_Aysen_condena_o_sistema_economico_do_Chile_aposentadorias_de_fome_e_pescadores_sem_trabalhoAysen - O atual sistema econômico do Chile “produz fábricas de pobreza”, sublinhou, em 18 de setembro, Dom Luigi Infanti della Mora, O.S.M, Vigário Apostólico de Aysen, após a celebração do Te Deum pelos 206 anos de independência do Chile.<br />Na circunstância, Dom Infanti dela Mora recordou a história dolorosa e problemática da população, sempre comprometida com a realização de um país melhor, sublinhando que a situação atual não é a ideal: "Vivemos num sistema que aprova leis que favorecem 1.700 pessoas que ganham mais de um bilhão de pesos por mês, condenando muitos idosos a uma aposentadoria miserável depois de uma vida de trabalho e sacrifício, tornando a velhice sinônimo de empobrecimento".<br />"Vivemos num sistema que condena as crianças e os jovens de nossas escolas, e os doentes em nossos hospitais a comerem atum e peixe cavala em latas que vêm de rios poluídos, trazidos de milhares de quilômetros com transportes caros e poluidores, enquanto, no Chile, em particular na Patagônia, há peixe fresco saudável e abundante de várias espécies, em nossos mares e rios. Desta maneira muitos pescadores e suas famílias são privados de um trabalho digno". <br /><br />Thu, 22 Sep 2016 10:47:26 +0200ÁSIA/JORDÂNIA - Eleições legislativas, as forças islâmicas voltam ao Parlamentohttp://www.fides.org/pt/news/60812-ASIA_JORDANIA_Eleicoes_legislativas_as_forcas_islamicas_voltam_ao_Parlamentohttp://www.fides.org/pt/news/60812-ASIA_JORDANIA_Eleicoes_legislativas_as_forcas_islamicas_voltam_ao_ParlamentoAmã - A contagem dos votos das eleições parlamentares jordanianas, realizada na terça-feira, 20 de setembro, está ainda em andamento. Mas os primeiros resultados parciais, relativos a 11 dos 23 distritos, anunciam o retorno ao Parlamento das forças políticas islâmicas, que tinham boicotado as eleições em 2010 e 2013. Segundo notícias divulgadas pela imprensa, a Frente de Ação Islâmica, braço político da Irmandade Muçulmana deveria obter 15 dos 20 assentos dos 130 que formarão o novo Parlamento. A Frente criou vinte listas locais que se fundiram no bloco al Islah, que inclui também listas leigas e candidatos cristãos.<br />As eleições foram realizadas em todo o Reino sem nenhum acontecimento grave. Participaram das eleições cerca de 1,5 milhões dos mais de 4 milhões de cidadãos jordanianos inscritos nas listas eleitorais. A grande maioria das cadeiras deveria ser atribuída a homens de negócio e candidatos das tribos leais à monarquia. . <br />Thu, 22 Sep 2016 10:12:16 +0200ÁFRICA/RD CONGO - Retorna a calma em Kinshasa; é incerto o número de vítimas dos confrontos dos últimos diashttp://www.fides.org/pt/news/60815-AFRICA_RD_CONGO_Retorna_a_calma_em_Kinshasa_e_incerto_o_numero_de_vitimas_dos_confrontos_dos_ultimos_diashttp://www.fides.org/pt/news/60815-AFRICA_RD_CONGO_Retorna_a_calma_em_Kinshasa_e_incerto_o_numero_de_vitimas_dos_confrontos_dos_ultimos_diasKinshasa - A calma retornou a Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, depois dos confrontos dos últimos dias entre a polícia e manifestantes , com um número provisório oficial de 32 mortos e uma centena de feridos. De acordo com o principal partido da oposição, a União para a Democracia e o Progresso Social , o balanço seria muito mais grave, com uma centena de mortos.<br />"A circulação voltou ao normal, enquanto lojas e escritórios foram reabertos" informam fontes locais da Fides.<br />Em 19 de setembro, "Le Rassemblement," um grupo de partidos de oposição que apoiam o candidato Etienne Tshisekedi, líder da UDPS, convidou seus apoiadores a tomar as ruas para "lembrar ao Presidente Joseph Kabila do aviso de despejo" três meses após o fim do seu segundo mandato, em 20 de dezembro. A data das eleições presidenciais ainda não foi definida, embora a Constituição preveja que o Chefe de Estado deva ser eleito no prazo de 90 dias a contar do fim do mandato.<br />O Conselho de Segurança da ONU pediu calma e sublinhou "a importância crucial" da eleição presidencial realizada "em conformidade com a Constituição". <br />Thu, 22 Sep 2016 18:53:50 +0200ÁFRICA/EGITO - Patriarca Tawadros: o convite a apoiar o presidente al Sisi não é interferência política, mas "patriotismo"http://www.fides.org/pt/news/60816-AFRICA_EGITO_Patriarca_Tawadros_o_convite_a_apoiar_o_presidente_al_Sisi_nao_e_interferencia_politica_mas_patriotismohttp://www.fides.org/pt/news/60816-AFRICA_EGITO_Patriarca_Tawadros_o_convite_a_apoiar_o_presidente_al_Sisi_nao_e_interferencia_politica_mas_patriotismoCairo – O convite a expressar publicamente apoio ao presidente Abdel Fattah al Sisi durante a sua visita a Nova York, dirigido pela Igreja Ortodoxa Copta aos próprios fiéis residentes nos EUA, não manifesta subordinação ou interferência da realidade eclesial no poder político, mas expressa apenas um "ato de patriotismo". Foi o que quis enfatizar com clareza o Patriarca Tawadros II, em entrevista ao vivo concedida ao canal ONTV. As visitas ao exterior do Presidente do Egito - insistiu o Primaz da Igreja Ortodoxa Copta - destinam-se a "apresentar o novo Egito". Na entrevista à TV, Papa Tawadros também disse que as recentes violências sectárias ocorridas na província de Minya não podem ser apresentadas como o emblema de uma situação conflituosa entre as comunidades religiosas e que os recentes casos de violência sectária perpetrados na província de Minya não podem ser vistos como um sinal de que todo o país está sendo vítima de um conflito sectário generalizado, observando que naquela província, o subdesenvolvimento e os altos índices de analfabetismo se combinam e aumentam a tensão entre os grupos sociais e clãs familiares.<br />Nos últimos dias , o próprio Patriarca Tawadros II divulgou uma mensagem para convidar os coptas egípcios a oferecer uma recepção calorosa ao Presidente egípcio durante a sua viagem a Nova York, por ocasião da 71a sessão da Assembleia geral da ONU. Após esta intervenção, 84 intelectuais e profissionais coptas, incluindo alguns ativistas de organizações envolvidas na afirmação dos direitos civis, assinaram e divulgaram uma carta criticando o envolvimento direto das Igrejas presentes no Egito em campanhas de mobilização pró-Sisi, denunciando como graves as intervenções diretas de instituições e hierarquias religiosas em questões relacionadas com o equilíbrio político do país. . <br />Thu, 22 Sep 2016 18:53:02 +0200ÁSIA/ÍNDIA - "A Igreja está comprometida com o desenvolvimento dos dalits mais do que o Governo"; e a violência aumentahttp://www.fides.org/pt/news/60811-ASIA_INDIA_A_Igreja_esta_comprometida_com_o_desenvolvimento_dos_dalits_mais_do_que_o_Governo_e_a_violencia_aumentahttp://www.fides.org/pt/news/60811-ASIA_INDIA_A_Igreja_esta_comprometida_com_o_desenvolvimento_dos_dalits_mais_do_que_o_Governo_e_a_violencia_aumentaNova Délhi - A violência contra os dalits na Índia tem aumentado nos últimos anos: é o que dizem os dados oficiais do National Crime Record Board , ilustrados nos últimos dias em um encontro público em Délhi da qual participaram mais de 7000 dalits de todo o país, promovido pela rede "Bharatiya Khet Mazdoor Union Federation que reúne diferentes organizações de dalits indianos.<br />"Preocupa constatar que desde que o Partido Bharatiya Janata, do primeiro-ministro Narendra Modi, está no poder, as atrocidades do governo federal sobre os dalits têm aumentado", diz à Agência Fides o jesuíta A. Xavier John Woods, diretor do Jesuit Social Centre, com sede em Secunderabad , um dos palestrantes do evento em Délhi que teve a presença de muitos grupos cristãos. "É urgente fazer uma campanha maciça em todo o país sobre a delicada questão dos dalits", afirma pe. Bosco.<br />Questionado pela Agência Fides, Dom Theodore Mascarenhas, Secretário Geral da Conferência Episcopal Indiana, diz: "A Igreja sempre deu atenção aos dalits e tribais, e o que a Igreja tem feito pelos dalits nem o o governo o fez, nos campos da educação, assistência social, desenvolvimento e promoção. Existe uma Comissão especial de Bispos responsáveis por seu desenvolvimento social e a luta contra a discriminação. Claro, é preciso combater uma mentalidade generalizada que os discrimina. Também pedimos que os dalits cristãos, penalizados pela Portaria Presidencial de 1950, tenham os mesmos direitos dos dalits não cristãos".<br />De acordo com os dados, em 2015 os estados que apresentaram maior índice de violência, incluindo assassinato e estupro de mulheres dalits, são Gujarat , Chhattisgarh e Rajasthan que têm o maior índice de crime contra os dalits.<br />Os dalits são frequentemente vítimas de expropriação arbitrária e ilegal das terras mais férteis. De acordo com os resultados do censo socioeconômico de 2011, isto ocorreu em quase 73% das famílias dalits que vivem em áreas rurais.<br />Cerca de 45% das famílias dalits e tribais são sem-terra ou não possuem uma parte importante de sua renda para seu sustento. Estas desigualdades geram pobreza, desnutrição, problemas de saúde, analfabetismo e indicadores baixos de desenvolvimento humano.<br />Durante o evento, em Délhi, os participantes pediram ao governo para adotar medidas eficazes para limitar as atrocidades sobre os dalits na Índia. Dentre outros pedidos: banir os grupos violentos que atacam os dalits; fornecer trabalho e contratos, distribuir terra a todos os sem-terra; implementar leis contra a discriminação nas escolas. <br /> <br /><br /> <br />Thu, 22 Sep 2016 18:52:15 +0200ÁFRICA/QUÊNIA - Os Bispos escolhem uma mulher como representante no órgão de seleção da Comissão Eleitoralhttp://www.fides.org/pt/news/60817-AFRICA_QUENIA_Os_Bispos_escolhem_uma_mulher_como_representante_no_orgao_de_selecao_da_Comissao_Eleitoralhttp://www.fides.org/pt/news/60817-AFRICA_QUENIA_Os_Bispos_escolhem_uma_mulher_como_representante_no_orgao_de_selecao_da_Comissao_EleitoralNairóbi - Será uma mulher, a Sra. Bernadette Musundi, a representar a Igreja Católica em um organismo de nove membros que irão selecionar a nova Comissão Eleitoral do Quênia. Os bispos do Quênia tomaram a decisão durante uma reunião de líderes religiosos nacionais, realizada em Nairóbi, em 19 de setembro. Cada denominação religiosa nomeou o seu próprio representante, que, juntamente com os quatro nomeados pela Parliamentary Service Commission, escolherão 11 nomes a serem submetidos ao Chefe de Estado. O Presidente irá, em seguida, escolher a partir desta lista de nomes, sete pessoas, um deles como presidente e seis como comissários de pleno título da nova Comissão Eleitoral. As duas câmaras parlamentares terão sete dias para avaliar os escolhidos pelo Presidente e aprovar as nomeações. <br />Thu, 22 Sep 2016 18:51:22 +0200AMÉRICA/PERU - Bispos: "O aborto não é um mal menor, é o mal absoluto"http://www.fides.org/pt/news/60813-AMERICA_PERU_Bispos_O_aborto_nao_e_um_mal_menor_e_o_mal_absolutohttp://www.fides.org/pt/news/60813-AMERICA_PERU_Bispos_O_aborto_nao_e_um_mal_menor_e_o_mal_absolutoLima - "Família, vive a alegria do amor": este foi o tema do XXII Dia pela Vida celebrado há alguns dias, no Peru, no final da Semana Nacional da Família. "A vida humana" - escreve a Comissão Episcopal para a Vida e a Família numa mensagem postada em seu site – "é um dom sagrado, especialmente nas fases iniciais da concepção".<br />O Senhor nos amou antes mesmo de nos criar, no seu pensamento, e nos criou para nos amar e para amar”. Em seu comunicado, os bispos alertam para a recente decisão do Tribunal de Lima de começar a distribuir gratuitamente a “pílula do dia seguinte” nos centros de saúde do país. Este remédio, explicam os prelados peruanos, representa “um atentado à vida humana, sobretudo a dos mais pequeninos e indefesos, que não têm voz”. Além disso, os Bispos fazem um apelo ao Estado, para que – a partir do momento que a tutela da vida é citada no artigo segundo da Constituição nacional – se lembre que “sua função é respeitar e promover os direitos humanos de todos os peruanos, sem discriminações de qualquer gênero, muito menos de idade ou de possibilidade de agir”.<br /> Thu, 22 Sep 2016 15:17:23 +0200