Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt AMERICA - Caso Odebrecht, tanti coinvolti ma un unico protagonista: la corruzionehttp://www.fides.org/pt/news/61759-AMERICA_Caso_Odebrecht_tanti_coinvolti_ma_un_unico_protagonista_la_corruzionehttp://www.fides.org/pt/news/61759-AMERICA_Caso_Odebrecht_tanti_coinvolti_ma_un_unico_protagonista_la_corruzioneBrasilia – Si può definire un evento storico, senza precedenti nella storia d'America Latina, quello che è accaduto il 16 febbraio 2017: l'incontro tra i Ministri della Giustizia di 11 paesi latinoamericani con lo scopo precipuo di trovare soluzioni comuni per gestire un unico caso internazionale: il caso Odebrecht.<br /><br />Odebrecht è il colosso brasiliano delle costruzioni coinvolto direttamente nello scandalo sui fondi neri “Petrobras”, le cui diramazioni hanno già superato i confini del Brasile, estendendosi ultimamente anche ad altri paesi.<br /><br />La conclusione dell'incontro, che sarà nota d'ora in poi come "Dichiarazione di Brasilia sulla cooperazione giuridica internazionale contro la corruzione", contiene 8 accordi firmati dai delegati di: Argentina, Brasile, Cile, Colombia, Ecuador, Messico, Panamá, Perú, Portogallo, Repubblica Dominicana e Venezuela. Il primo punto dell’accordo prevede che tutti i paesi firmanti si impegnano a una efficace e veloce reciproca cooperazione giuridica sul caso Odebrecht.<br /><br />La vicenda Odebrecht continua ad allargarsi e a coinvolgere nel giro della corruzione politici e funzionari in ogni paese citato. In diversi paesi la Chiesa ha alzato la voce, citando il caso nella lotta necessaria alla corruzione. In Perù la Conferenza episcopale ha chiesto un chiarimento, nel senso della trasparenza e della fermezza , mentre la giustizia peruviana ha informato delle misure previste per trovare i responsabili dei 29 milioni di dollari spesi illegalmente nel paese dal 2005 al 2014 come tangenti o mazzette ai politici e intermediari coinvolti. A livello internazionale i giudici non hanno ancora precisato la quantità di denaro versata a politici e funzionari pubblici nei paesi ma, secondo le prime stime, si parla di una cifra complessiva che tocca gli 800 milioni di dollari <br /><br />Sat, 18 Feb 2017 18:36:23 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - “Ânsia e medo nas crianças”. Aumenta a tensão entre os migrantes. O testemunho de Dom Gomezhttp://www.fides.org/pt/news/61760-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Ansia_e_medo_nas_criancas_Aumenta_a_tensao_entre_os_migrantes_O_testemunho_de_Dom_Gomezhttp://www.fides.org/pt/news/61760-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Ansia_e_medo_nas_criancas_Aumenta_a_tensao_entre_os_migrantes_O_testemunho_de_Dom_GomezModesto – “Para compreender o impacto das ‘blitz’ realizadas pela polícia de fronteira dos Estados Unidos em mais de 60 comunidades em todo o país somente neste início de fevereiro, é suficiente ouvir as crianças. Não querem mais ir à escola, pensando que seus pais podem ser levados embora durante a sua ausência”, afirma o Arcebispo José Gomez da Arquidiocese de Los Angeles, vice presidente da Conferência estadunidense dos Bispos Católicos no U.S. Regional World Meeting of Popular Movements na Central Catholic High School de Modesto Norte Califórnia.<br />"Temos crianças na Dolores Mission", conta Ellie Hidalgo, responsável pela pastoral social da paróquia, “se seus pais chegam em casa atrasados do trabalho, ficam logo ansiosos. A situação está ficando muito tensa e confusa, segundo continua a relatar Hidalgo na nota recebida pela Fides: "E se os pais não voltarem para casa, para onde irão estas crianças? Nas paróquias e clínicas em todo o país neste momento, estamos oferecendo de informação para ajudar as pessoas sem documentos, para que conheçam seus direitos e como proceder se os oficiais do Immigration and Customs se apresentarem em suas casas. Por exemplo, os agentes não podem entrar se a porta não for aberta, o programa para os menores, e quem deve tomar conta da criança no caso alguma coisa aconteça”, explica a Sra. Hidalgo, “é preciso assinalar suas alergias, os números de telefone dos médicos e da assistência de saúde”.<br />“Além disso, é sempre necessário um documento assinado, uma procuração, para conceder o poder a alguém, e é oportuno tê-la à mão”, diz a Sra. Hidalgo, "Pode não ser necessário, mas no clima atual, é melhor prevenir. Um dos nossos maiores medos, explica, é quando não existe a procuração, porque a criança pode acabar indo para o sistema de adoção. Esta é uma real possibilidade”. <br />O encontro dos Movimentos Populares promovido pelo Vaticano foi programado antes da vitória de Trump e uma das principais preocupações é a situação de muitos migrantes sem documentos. <br /> <br />Sat, 18 Feb 2017 18:34:11 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO - Censo nacional: uma oportunidade para o futuro das minorias religiosashttp://www.fides.org/pt/news/61761-ASIA_PAQUISTAO_Censo_nacional_uma_oportunidade_para_o_futuro_das_minorias_religiosashttp://www.fides.org/pt/news/61761-ASIA_PAQUISTAO_Censo_nacional_uma_oportunidade_para_o_futuro_das_minorias_religiosasKarachi – Os agentes pastorais das Igrejas cristãs serão cruciais para promover a conscientização sobre a importância do censo que será realizado no Paquistão no próximo mês de março. “É necessário fazer um passo avante para unir toda a população dos batizados, sem qualquer distinção de confissão, envolvendo cada agente pastoral, a partir dos bispos até párocos e catequistas, para obter os números corretos sobre nossas comunidades cristãs”, disse à Agência Fides o Arcebispo Joseph Coutts, que guia a Arquidiocese católica de Karachi.<br />Nos dias passados, a Igreja católica reuniu os seus agentes pastorais com os da Igreja anglicana do Paquistão, guiada em Karachi pelo bispo Sadiq Daniel.<br />Todos concordaram com o fato que “o censo de 2017 é muito importante para a comunidade cristã, não apenas para o nosso desenvolvimento, mas também para nossos direitos”. Ambas as Igrejas decidiram lançar uma campanha de sensibilização que começará com as celebrações litúrgicas dominicais e se estenderá a todos os eventos eclesiais.<br />Nesta ótica, Anthony Naveed, assistente especial para a harmonia inter-religiosa do ministro da província de Sindh, ofereceu a disponibilidade de promover seminários específicos para informar e instruir todos os agentes pastorais sobre o procedimento para participar ativamente do censo de 2017. Naveed iniciou a explicar aos participantes alguns procedimentos pedindo às famílias cristãs que preparem os documentos necessários para responder ao censo. “Será um momento importante para nós, cristãos: poderemos ser reconhecidos por nossos números reais. Este censo poderá determinar o nosso futuro”, disse.<br />Alguns recordaram a questão da representação política das minorias. Zahid Farooq, assistente social cristão, disse: “Na primeira assembleia nacional, na época da fundação do Paquistão, havia 145 cadeiras, das quais 10 reservadas às minorias; agora, as cadeiras são 342, mas as cadeiras para as minorias não aumentaram, continuam 10”.<br />Em dezembro de 2016, a Corte Suprema do Paquistão ordenou ao governo de realizar o sexto censo no país em março de 2017. A operação será feita em duas fases: a primeira de 15 de março a 14 de abril; a segunda de 25 de abril a 24 de maio. <br />O quarto censo se realizou em 1998, e o sucessivo em 2008. Segundo dados de cerca de dez anos atrás – que devem ser atualizados – as minorias religiosas no Paquistão representavam 2,8% da população, incluindo hindus, cristãos, siques, parsis, judeus e outros grupos. <br /><br /><br />Sat, 18 Feb 2017 17:15:01 +0100ÁSIA/LÍBANO - Em estudo uma Assembleia sinodal extraordinária para enfrentar as “divisões internas” do Patriarcado sírio-ortodoxohttp://www.fides.org/pt/news/61758-ASIA_LIBANO_Em_estudo_uma_Assembleia_sinodal_extraordinaria_para_enfrentar_as_divisoes_internas_do_Patriarcado_sirio_ortodoxohttp://www.fides.org/pt/news/61758-ASIA_LIBANO_Em_estudo_uma_Assembleia_sinodal_extraordinaria_para_enfrentar_as_divisoes_internas_do_Patriarcado_sirio_ortodoxoBeirute – A crise interna que emergiu dentro da Igreja sírio-ortodoxa depois das acusações de “traição da fé” dirigidas por seis metropolitas ao Patriarca Mor Ignatius Aphrem II poderia ser enfrentada colegialmente, convocando ad hoc e em breve tempo uma assembleia sinodal extraordinária. Esta é a orientação que emergiu no decorrer de uma reunião consultiva, convocada pelo próprio Patriarca Mor Aphrem, na residência patriarcal de Atchaneh, no Líbano, da qual participaram 18 metropolitas e vigários patriarcais sírio-ortodoxos. É o que refere um comunicado divulgado quinta-feira, 16 de fevereiro, pela secretaria-geral do Sínodo sírio-ortodoxo, destacando que os metropolitas e os vigários patriarcais presentes no encontro julgaram insuficiente a carta de desculpas já assinada por seis metropolitas que entraram em conflito com o Patriarca. A sessão especial da Assembleia sinodal – se lê no comunicado – poderia ser convocada durante o período da Quaresma, com o intuito de estudar e discutir a crise interna em todos os seus ângulos, a fim de “tomar as medidas adequadas com base na Constituição da Igreja”.<br />Os seis metropolitas que entraram em conflito com o Patriarca divulgaram em 8 de fevereiro uma declaração em que afirmavam que o Primaz da Igreja sírio-ortodoxa não merecia mais o título de «defensor fidei», já que, segundo eles, tinha semeado dúvidas e suspeitas no coração dos fiéis com declarações e gestos “contrários aos ensinamentos de Jesus Cristo, segundo o seu Santo Evangelho”. Entre os gestos do Patriarca acusados de “traição da fé”, está também o de ter elevado o Corão, em sinal de respeito, por ocasião de encontros de caráter inter-religioso. As acusações dos seis metropolitas contra o Patriarca provocaram a resposta compacta dos outros 30 metropolitas e vigários patriarcais sírio-ortodoxos, que representam a maioria do Sínodo. Em comunicado, divulgado em 10 de fevereiro, os trinta bispos definiram como “rebelião contra a Igreja” as acusações dirigidas ao Patriarca por ter se distanciado do “dogma cristão ortodoxo”. Nos dias sucessivos, através das redes sociais, sacerdotes e comunidades sírio-ortodoxas espalhadas no mundo expressaram a própria proximidade solidária ao Patriarca. Depois chegou também a carta de desculpas da parte dos seus metropolitas que dirigiram críticas doutrinas ao Patriarca Mor Ignatius Aphrem, um gesto que – como refere o comunicado secretaria do Sínodo divulgado em 16 de fevereiro – foi julgado insuficiente para encerrar a crise. .Sat, 18 Feb 2017 17:14:24 +0100ÁFRICA/EGITO - Ainda sem solução o problema das terras do mosteiro de São Macáriohttp://www.fides.org/pt/news/61755-AFRICA_EGITO_Ainda_sem_solucao_o_problema_das_terras_do_mosteiro_de_Sao_Macariohttp://www.fides.org/pt/news/61755-AFRICA_EGITO_Ainda_sem_solucao_o_problema_das_terras_do_mosteiro_de_Sao_MacarioFayyum - Não encontra solução definitiva o problema que contrapõe o Mosteiro copta ortodoxo de São Macário, na região de Wadi al Rayan, ao Governo egípcio, em relação ao projeto de construção de uma estrada que deveria unir a cidade de Fayyum a uma área de oásis, atravessando os territórios de propriedade do mosteiro. O advogado egípcio Ihab Ramzy, que tutela os interesses da Igreja copta ortodoxa e que, em junho de 2016, tornou público alguns detalhes do acordo alcançado entre as partes, nos dias passados referiu que a comissão instituída para avaliar os termos econômicos de ressarcimento devido ao mosteiro para a expropriação de terras, ainda não produziu propostas e sugestões úteis para concluir a tratativa. Além disso, permanece ainda no cárcere o monge preso durante a fase de contrastes, não obstante o mosteiro tenha cumprido todos os compromissos assumidos para propiciar também a solução do caso judiciário, e não obstante o pedido de graça presidencial feito pelos advogados do monge preso ao Presidente al Sisi. <br />Nos primeiros meses de 2015, durante uma iniciativa de resistência não violenta, os monges de São Macário se deitaram no percurso dos tratores que se aproximavam às terras do mosteiro para iniciar os trabalhos de construção da estrada. <br />O projeto prevê a construção de uma estrada que deveria unir a cidade de Fayyum à área de um oásis atravessando os territórios do mosteiro e ameaçando uma área arqueológica que se estende em torno de uma igreja do século IV. O projeto colocava em risco também o abastecimento de água do mosteiro e algumas áreas cultivadas. .<br /><br /> <br />Fri, 17 Feb 2017 11:54:19 +0100ÁFRICA/QUÊNIA - “Atenção aos propagadores de ódio nas redes sociais”: programa das Paulinas a favor dos jovenshttp://www.fides.org/pt/news/61751-AFRICA_QUENIA_Atencao_aos_propagadores_de_odio_nas_redes_sociais_programa_das_Paulinas_a_favor_dos_jovenshttp://www.fides.org/pt/news/61751-AFRICA_QUENIA_Atencao_aos_propagadores_de_odio_nas_redes_sociais_programa_das_Paulinas_a_favor_dos_jovensNairóbi - Ensinar aos jovens o correto uso das redes sociais e evitar a propagação de discursos que incitam ao ódio, em vista das eleições gerais de 8 de agosto. Este é o objetivo do encontro promovido na sede das Publicações Africanas das Paulinas, em Nairóbi, que contou com a participação de 200 estudantes das escolas de ensino superior. “Os jovens podem se tornar violentos tomando o exemplo daquilo que outros fazem nas redes sociais. Em várias ocasiões, os políticos usam discursos que incitam ao ódio e os jovens podem pensar que isso seja justo. Portanto, é normal comportar-se assim”, disse a Irmã Josephine Idowu, das Filhas de São Paulo, que presidiu o encontro. <br />A religiosa sublinhou que as redes sociais podem ser usadas de forma positiva em benefício da evangelização. “As redes sociais têm uma grande influência e podem informar os jovens, podem aumentar os seus conhecimentos, enriquecer suas interações, melhorar a autoestima e serem usadas para as orações”, afirma a religiosa Idowu.<br />No Quênia, as Filhas de São Paulo iniciaram um programa de três meses de educação cívica para os jovens que são o grupo mais pego de mira pelos políticos para induzi-los a cometer violência. <br />O programa prevê a publicação de livros e panfletos, a produção de material audiovisual e encontros nas escolas com profissionais da mídia e líderes religiosos. <br />Fri, 17 Feb 2017 09:52:19 +0100ÁFRICA/REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA - Mais de 20 mil deslocados em Bambari por causa de confrontos entre as facções ex Selekahttp://www.fides.org/pt/news/61754-AFRICA_REPUBLICA_CENTRO_AFRICANA_Mais_de_20_mil_deslocados_em_Bambari_por_causa_de_confrontos_entre_as_faccoes_ex_Selekahttp://www.fides.org/pt/news/61754-AFRICA_REPUBLICA_CENTRO_AFRICANA_Mais_de_20_mil_deslocados_em_Bambari_por_causa_de_confrontos_entre_as_faccoes_ex_SelekaBangui - São mais de 20 mil os habitantes de Bambari obrigados a fugir e se refugiar na floresta por causa dos combates entre as duas facções rivais da ex rebelião Seleka. Foi o que divulgaram as autoridades da República Centro-Africana e da MINUSCA . Bambari e arredores são teatro do confronto entre a Front Populaire pour la Renaissance de Centrafrique e a Unité du Peuple Centrafricain . Num bombardeio perpetrado por um helicóptero da MINUSCA morreu, em 11 de fevereiro, um dos chefes da FPRC, o “general” Joseph Zoundéko.<br />A UPC e a FPRC são somente duas das facções armadas que nasceram do desmembramento do Seleka. Estes grupos podem se aliar ou se combater, conforme as circunstâncias, para o controle das atividades econômicas, desde a exploração das minas , à extorsão ao longo das estradas, roubos de gados e contrabando. Por outro lado, os antibalaka, grupos de autodefesa criados para combater os rebeldes Seleka, entram também neste jogo de alianças e rivalidades por motivos essencialmente econômicos e criminosos. <br />Fri, 17 Feb 2017 09:39:09 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO - Semana de violência terrorista: “Somos vulneráveis”, afirma um sacerdotehttp://www.fides.org/pt/news/61756-ASIA_PAQUISTAO_Semana_de_violencia_terrorista_Somos_vulneraveis_afirma_um_sacerdotehttp://www.fides.org/pt/news/61756-ASIA_PAQUISTAO_Semana_de_violencia_terrorista_Somos_vulneraveis_afirma_um_sacerdoteLahore – “Condenamos esta violência insensata que atinge seres humanos inocentes. Para além de qualquer conotação étnica, cultural ou religiosa, as vítimas são seres humanos. Antes de tudo, as pessoas no Paquistão estão tristes e consternadas; depois estão irritadas com as instituições, que não são capazes de proteger os cidadãos. Por fim, se sentem frágeis, vulneráveis e indefesas diante da ameaça terrorista que não poupa ninguém”: é o que afirma à Agência Fides pe. Inayat Bernard, Diretor do Seminário Santa Maria em Lahore, interpelado sobre aquela que foi definida uma “Semana de violência terrorista” que abalou o Paquistão. Depois do massacre de 13 de fevereiro em Lahore , ontem uma bomba explodiu num santuário islâmico sufi em Sehwan, nas proximidades de Karachi, matando 80 fiéis que estavam ali para rezar, entre os quais 20 crianças, enquanto outros atentados foram registrados em Quetta e Peshawar. <br />“Hoje sabemos que somos todos potenciais alvos. Também nós cristãos o somos – afirma pe. Bernard –, ninguém está excluído. As vítimas desses últimos atentados são todas muçulmanas, amanhã poderiam ser cristãs, hinduístas ou sikh. Esta violência indiscriminada atinge também os locais de culto, como a mesquita sufi em Karachi ou as igrejas no passado. As comunidades religiosas são obrigadas a adotar as próprias medidas de segurança e a não confiar somente no governo. Os controles devem ser mais rígidos, mas é muito difícil quando há um grande afluxo de fiéis”. <br />Pe. Bernard continua: “Esta violência profana o nome de Deus, profana o islamismo e usa a religião para tentar subverter o Estado. A opinião pública pede com força ao governo que aplique com urgência o plano de ação nacional contra o terrorismo, já traçado, mas se vê certa incerteza por parte do governo e isso faz nascer nas pessoas muitos interrogativos sobre possíveis conexões existentes também nos aparatos institucionais. Estamos num impasse”.<br />Os batizados no Paquistão, menos de 2% da população, “hoje podem somente rezar e demonstrar profunda empatia e solidariedade”, afirma o Diretor, e conclui: “Manifestamos o nosso pesar à polícia depois do massacre de Lahore; vamos aos hospitais oferecer assistência e solidariedade aos feridos. Além disso, estamos organizando encontros inter-religiosos em que os fiéis de todas as comunidades religiosas acenderão velas e rezarão para rejeitar, justamente em nome de Deus, os ataques terroristas que ensanguentam a nossa amada nação, e dizer sim à paz e ao respeito da vida”. Fri, 17 Feb 2017 20:28:42 +0100ÁSIA/IRAQUE - Relatório dramático de Human Rights Watch: vilarejos cristãos da Planície de Nínive saqueados e incendiados por milícias anti-jihadistashttp://www.fides.org/pt/news/61750-ASIA_IRAQUE_Relatorio_dramatico_de_Human_Rights_Watch_vilarejos_cristaos_da_Planicie_de_Ninive_saqueados_e_incendiados_por_milicias_anti_jihadistashttp://www.fides.org/pt/news/61750-ASIA_IRAQUE_Relatorio_dramatico_de_Human_Rights_Watch_vilarejos_cristaos_da_Planicie_de_Ninive_saqueados_e_incendiados_por_milicias_anti_jihadistasQaraqosh – Milícias armadas “espontaneamente” e grupos paramilitares engajados na luta contra os jihadistas do autoproclamado Estado islâmico são responsáveis por saques, devastações e incêndios de bairros inteiros em pelo menos quatro vilarejos nas áreas adjacentes a Mosul – ações perpetradas depois que as cidades foram abandonadas pelas milícias do Califado. Este é o cenário que emerge de um detalhado relatório preparado por Human Rights Watch . Comparando com as narrações de muitas testemunhas oculares e utilizando também as imagens de fotos satelitares das áreas interessadas, a organização internacional engajada na defesa dos direitos humanos pôde verificar que os saques e as devastações de inteiros bairros de cidades há pouco subtraídas ao controle do Daesh foram cometidos justamente por grupos armados e milícias de “autoproteção popular” que, agora, reivindicam o papel que tiveram na campanha de “libertação” diante da ocupação jihadista. Os saques e as devastações teriam ocorrido entre novembro de 2016 e fevereiro de 2017, sem aparente justificação do ponto de vista militar. Entre os grupos indicados como responsáveis por saques e destruições, segundo Human Rights Watch haveria também as forças de mobilização popular conhecidas como Hashd al-Sha'abi, unidades que mantêm contato direto com o Primeiro-Ministro iraquiano Haydar al-Abadi.<br />A sudoeste de Mosul, Human Rights Watch documentou saques e extensa demolição de edifícios em três vilarejos também através do uso de explosivos e bulldozer. No vilarejo de Ashwa, teria sido destruída sem motivo também a mesquita maior. Às acusações de Human Rights Watch, os representantes de Hashd al-Sha'abi responderam falando de emboscadas explosivas que os jihadistas do Daesh teriam deixado engatilhadas para provocar destruições de casas e edifícios públicos depois da própria retirada. Mas vários relatos de testemunhas oculares coletados por HRW parecem desmentir esta versão. <br />Dentre as cidades saqueadas e intimidadas depois da retirada do Daesh estão a aldeia de Qaraqosh, que antes de cair nas mãos dos jihadistas era habitada inteiramente por cristãos, e al-Khidir, de população cristã e sunita. O relatório de HRW indica também as Unidades de proteção da Planície de Nínive – formadas em parte por cristãos assírios – dentre os grupos militares de autoproteção responsáveis pelo controle destas aldeias, depois que foram abandonadas pelos jihadistas. Testemunhas ouvidas por HRW, que puderam visitar suas casas nos vilarejos abandonados pelos milicianos do Daesh em novembro, confirmaram ter reencontrado suas casas saqueadas ou destruídas em fevereiro. <br />Cerca de 60 mil cristãos locais fugiram precipitadamente de Qaraqosh e de outros vilarejos da Planície de Nínive na noite entre 6 e 7 de agosto de 2014, quando o exército curdo Peshmerga se retirou repentinamente diante do avanço das milícias do autoproclamado Estado Islâmico. .<br />Fri, 17 Feb 2017 15:36:40 +0100ÁSIA/AFEGANISTÃO - Academia de ginástica exclusiva para mulheres, fundada por uma mulherhttp://www.fides.org/pt/news/61753-ASIA_AFEGANISTAO_Academia_de_ginastica_exclusiva_para_mulheres_fundada_por_uma_mulherhttp://www.fides.org/pt/news/61753-ASIA_AFEGANISTAO_Academia_de_ginastica_exclusiva_para_mulheres_fundada_por_uma_mulherCabul – No Afeganistão, uma academia de ginástica só para mulheres, fundada por uma mulher, está obtendo muito sucesso. A experiência representa não apenas uma oportunidade de lucro para a proprietária, mas também uma ocasião para as jovens neste país, tão ligado a tradições e dogmas sociais fortes. Cinco anos atrás, a empresária abriu a “Ladies World”, que além de exercício físico, também oferece às alunas um centro de estética e de fisioterapia. “Nossa iniciativa – consta em nota recebida pela Fides – pode parecer atípica, mas quem sabe de onde provenho aprecia nossos esforços e nos encoraja a abrir outros centros, por exemplo, na periferia de Cabul”. <br />A proprietária morou na Rússia e no Uzbequistão, onde desenvolveu a paixão pela ginástica e o cuidado do corpo. De volta ao Afeganistão, decidiu abrir a atividade. “No início foi muito difícil, em um ambiente repleto de preconceitos, que relegam a mulher apenas a serviços domésticos; fazer marketing significou educar as famílias e as jovens à importância do exercício físico”. Em um país onde o fundamentalismo religioso é muito forte e em que a participação das mulheres no trabalho, na vida política e no esporte, é decididamente reduzida, uma atividade aparentemente simples pode fazer a diferença. <br /> <br />Fri, 17 Feb 2017 15:36:06 +0100AMÉRICA/NICARÁGUA - Encontro dos Bispos sobre a situação do país: desrespeitados os direitos dos agricultoreshttp://www.fides.org/pt/news/61748-AMERICA_NICARAGUA_Encontro_dos_Bispos_sobre_a_situacao_do_pais_desrespeitados_os_direitos_dos_agricultoreshttp://www.fides.org/pt/news/61748-AMERICA_NICARAGUA_Encontro_dos_Bispos_sobre_a_situacao_do_pais_desrespeitados_os_direitos_dos_agricultoresManágua – A Conferência Episcopal da Nicarágua se reunirá em Assembleia segunda-feira, 20 de fevereiro, para avaliar e refletir sobre seu programa para 2017. Há cerca de um ano os Bispos da CEN prepararam uma carta pastoral sobre a situação institucional do país e sobre o processo eleitoral retomando os temas principais destacados na carta intitulada “Em busca de novos horizontes para uma Nicarágua melhor” preparada em 2014 e entregue ao presidente Ortega.<br />Os temas eram: a situação da família, as questões sociais, a situação dos direitos humanos, os problemas da costa caribenha, a evangelização, algumas políticas de governo e a crise das instituições nacionais. Segundo informações recebidas de uma fonte local da Fides, após as eleições vencidas por Ortega e depois do relatório sobre as eleições da Organização dos Estados Americanos, que desconsiderou a contribuição oferecida pela Igreja , os Bispos desejam agora propor uma reflexão à luz dos últimos eventos que continuam a abalar a opinião nacional: <br />As contínuas manifestações de agricultores para defender suas terras do projeto do canal transoceânico, o comunicado da União Europeia que precisamente ontem, 16 de fevereiro, se expressou denunciando a falta de proteção dos defensores de direitos humanos na Nicarágua e pedindo o respeito pelos compromissos internacionais sobre os direitos dos povos indígenas assinados pela Nicarágua em 2008.<br /> <br /><br />Fri, 17 Feb 2017 15:35:38 +0100AMÉRICA/REPÚBLICA DOMINICANA - Mais violência e morte: condenação do Arcebispo de Santo Domingohttp://www.fides.org/pt/news/61752-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Mais_violencia_e_morte_condenacao_do_Arcebispo_de_Santo_Domingohttp://www.fides.org/pt/news/61752-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Mais_violencia_e_morte_condenacao_do_Arcebispo_de_Santo_DomingoSanto Domingo – O Arcebispo de Santo Domingo, Dom Francisco Ozoria, denunciou que a sociedade dominicana está vivendo momentos difíceis de escuridão e violência. <br />"Este mundo caminha nas trevas cada vez que há morte, violência e criminalidade. Estas coisas nos levam a pensar" disse Ozoria em 15 de fevereiro. Há grande insegurança no país e uma prova disso foi o homicídio de dois apresentadores de rádio, Luis Manuel Medina e Leo Martinez, de uma emissora de San Pedro de Macoris, enquanto estavam trabalhando.<br />"É quase impensável que enquanto uma pessoa trabalha, tentando ganhar o sustento de sua família, chegue um grupo e a fuzile”, disse o Arcebispo durante a homilia da missa para o 69º aniversário das Forças Aéreas da República Dominicana, celebrada na Base Aérea de San Isidro. Dom Ozoria observou que os dois mortos eram homens comprometidos com o trabalho que ele conheceu bem quanto estava em San Pedro de Macoris.<br />O Arcebispo ressaltou que é preciso deter a criminalidade para remover esta fragmentação da sociedade. Um caminho para a solução pode ser cultivar os valores aprendidos nas famílias, nas escolas e na herança patriótica. Recordou também que a sociedade dominicana vive um “nacionalismo hipócrita” e explicou que existe discriminação contra os haitianos: precisa-se de mão de obra, mas quando eles são assumidos, são mal pagos. <br />A comunidade nacional ainda está chocada com o crime. Segundo a polícia, não se conhece ainda a razão do gesto. Um grupo de homens armados invadiu a sede da emissora e começou a atirar em todos. A secretária está hospitalizada, ferida, mas não corre risco de morte. O trágico evento gerou solidariedade internacional na mídia. <br /> <br />Fri, 17 Feb 2017 15:35:03 +0100AMÉRICA/VENEZUELA - Crianças desnutridas monitoradas pela Caritashttp://www.fides.org/pt/news/61749-AMERICA_VENEZUELA_Criancas_desnutridas_monitoradas_pela_Caritashttp://www.fides.org/pt/news/61749-AMERICA_VENEZUELA_Criancas_desnutridas_monitoradas_pela_CaritasCaracas – A Caritas, junto às organizações Médicos Unidos e Radar de los Barrios, promoveu recentemente um dia de monitoração no bairro ocidental de Caracas, durante a qual ofereceu assistência médica a 56 crianças. Em um total de 38 crianças em idade escolar, 34% resultaram ter diferentes carências nutritivas. Deste grupo, 7% se incluía na categoria de desnutrição moderada-severa e mais predispostos a adoecer devido a um regime alimentar pobre. No caso de menores de 5 anos, das 18 crianças examinadas, a Caritas constatou que metade sofria de uma forma de desnutrição. Apenas 22% apresentaram estado nutritivo normal, correspondente à idade, peso e altura. Para tentar prevenir novas diminuições de peso das crianças desnutridas por causa da crise no país, a Caritas entregou às famílias dos menores com peso abaixo da norma vitaminas e gêneros alimentícios suplementares. Do total de crianças pesadas na monitoração, 17% apresentam atraso no crescimento. Foram verificadas também doentes causadas pela contaminação da água. Crianças resultam contagiadas também por parasitas e sarna. Entre outubro e dezembro do ano passado, a Caritas realizou a mesma monitoração em 25 paróquias, dos 818 menores de 5 anos examinados, 9% apresentavam casos de desnutrição moderada e severa.<br /> <br /><br />Fri, 17 Feb 2017 15:34:29 +0100ÁFRICA/SUDÃO - Nomeado o Bispo de El Obeidhttp://www.fides.org/pt/news/61747-AFRICA_SUDAO_Nomeado_o_Bispo_de_El_Obeidhttp://www.fides.org/pt/news/61747-AFRICA_SUDAO_Nomeado_o_Bispo_de_El_ObeidCidade do Vaticano – Em 13 de fevereiro de 2017, o Santo Padre Francisco nomeou como Bispo da Diocese de El Obeid, no Sudão, o Rev. do Yunan Tombe Trille Kuku Andali, do clero de El Obeid, Reitor do Seminário Maior de São Paulo, em Juba.<br />O Rev.do Yunan Tombe Trille Kuku Andali nasceu em 1º de janeiro de 1964 em Tojoro, na região de Nuba Mountains, Diocese de El Obeid. Completou seus estudos secundários na Comboni Junior School em El Obeid, realizando também seus estudos de Filosofia em Juba e os de Teologia em Cartum, onde obteve o Mestrado. Foi ordenado sacerdote em 7 de abril de 1991.<br />Após a ordenação sacerdotal, ocupou as seguintes funções: 1991-1995: Colaborador paroquial em El Nahud, Nayala, El Fasher e Kadaguli; 1995-2002: Reitor do Seminário Menor de El Obeid; 1997-2002: Vigário Geral da Diocese; 2002-2009: Estudos para a Licença e o Doutorado em Direito Canônico na Universidade Católica de Nairóbi, no Quênia; 2009-2012: Pároco de All Saints Parish em Saraf Jamus; desde 2012: Reitor do Seminário Interdiocesano de São Paulo em Juba.<br />A Diocese de El Obeid , é sufragânea de Cartum. Tem 888.938 km2 e 9. 006.000 habitantes, dos quais 100 mil católicos. Existem 14 paróquias, 30 sacerdotes , 19 religiosas e 15 seminaristas maiores. <br />Fri, 17 Feb 2017 15:33:56 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Aumenta a solidariedade com os povos indígenas, denúncia dos trabalhos de Keystone e Dakotahttp://www.fides.org/pt/news/61736-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Aumenta_a_solidariedade_com_os_povos_indigenas_denuncia_dos_trabalhos_de_Keystone_e_Dakotahttp://www.fides.org/pt/news/61736-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Aumenta_a_solidariedade_com_os_povos_indigenas_denuncia_dos_trabalhos_de_Keystone_e_DakotaWashington - A associação Franciscan Action Network dos Estados Unidos se compromete a ser “solidária com os irmãos e irmãs indígenas e com a terra”, diante da medida do Presidente Trump de permitir a escavação para obter petróleo da Reserva de Standing Rock Sioux, Norte de Dakota, e do oleoduto de Keystone, em Alberta, Canadá, para Steele City Nebraska.<br />A rede lançou a seguinte declaração enviada também a Fides: “Franciscan Action Network condena com veemência as ações do Presidente Trump sobre a ordem executiva de início dos trabalhos para os dois condutores Keystone e Dakota. Permitir o saque e a destruição da maravilhosa criação de Deus para apoiar a ganância de poucos é moralmente, espiritualmente e eticamente errado e vai contra os ensinamentos de todos os grupos religiosos”.<br />“Os povos indígenas da área envolvida de Dakota nos recordou” - continua o texto – “que a ‘Água é vida!’.” Como pessoas de fé que querem responder ao apelo do Papa na ‘Laudato si’ de proteger a Terra e sua população, somos solidários com os nossos irmãos indígenas em proclamar que ‘A água é vida’, e em oposição firme aos trabalhos de escavação de Keystone Pipeline e Dakota Pipeline”, disse Patrick Carolan, diretor executivo da Franciscan Action Network.<br />“Não é apenas uma questão moral, mas uma questão de liberdade religiosa. A construção de um oleoduto através da terra sagrada dos povos indígenas é uma violação de sua liberdade religiosa. É como se o Presidente Trump tivesse dado permissão para demolir a Catedral St. Patrick, em Nova York, para construir uma refinaria de petróleo no local”.<br />A notícia chegou a Fides quando o Papa Francisco encontrou, antes da Audiência Geral de ontem, os participantes do terceiro fórum dos povos indígenas convocado pelo Ifad. “Quando uma atividade econômica interfere «com as culturas indígenas e sua relação ancestral com a terra», deve prevalecer a exigência de um «consentimento prévio e informado» por parte das populações locais”, reiterou o Papa. <br />Thu, 16 Feb 2017 22:36:02 +0100ÁFRICA - 16 de fevereiro é uma data importante para os cristãos e a democracia na RDC e em Ugandahttp://www.fides.org/pt/news/61744-AFRICA_16_de_fevereiro_e_uma_data_importante_para_os_cristaos_e_a_democracia_na_RDC_e_em_Ugandahttp://www.fides.org/pt/news/61744-AFRICA_16_de_fevereiro_e_uma_data_importante_para_os_cristaos_e_a_democracia_na_RDC_e_em_UgandaRoma - 16 de fevereiro é uma data importante para os cristãos na África. No dia 16 de fevereiro de 1977, o Arcebispo anglicano Janani Luwum foi morto por militares do ditador Idi Amin, em um falso incidente rodoviário, uma tentativa de eliminar sua voz crítica em relação ao regime despótico. Em 16 de fevereiro de 1992, no então Zaire, a atual República Democrática do Congo , a Igreja católica organizou a ‘marcha pacífica dos cristãos’ para obrigar outro ditador, Mobutu Sese Seko, a reunir a Conferência Nacional Soberana que deveria organizar eleições livres e independentes. A polícia interveio e matou cerca de vinte manifestantes. Mobutu, porém, teve que ceder às pressões internas e internacionais e em 14 de agosto de 1992 o líder da oposição, Etienne Tshisekedi se tornou Primeiro-Ministro de um governo de transição que deveria conduzir o país às eleições. <br />Em Uganda, a lembrança do sacrifício do Arcebispo anglicano assumiu um significado ecumênico desde que São João Paulo II, durante sua visita ao país, em 1982, prestou uma homenagem à capela dos Mártires na Catedral anglicana de Cantuária. A capela foi criada para recordar o Arcebispo Luwum.<br />Na atual RDC, espera-se que a lembrança da mobilização popular em favor da democracia encoraje os políticos a superar o empasse para a aplicação do acordo de São Silvestre e a levar o país a novas eleições. O caminho para a democracia é difícil, mas não impossível, mesmo que manchado pelo sangue de muitos. <br />Thu, 16 Feb 2017 17:49:14 +0100ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Guerra civil: 200 mil pessoas correm risco de fome no estado de Amadihttp://www.fides.org/pt/news/61746-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Guerra_civil_200_mil_pessoas_correm_risco_de_fome_no_estado_de_Amadihttp://www.fides.org/pt/news/61746-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Guerra_civil_200_mil_pessoas_correm_risco_de_fome_no_estado_de_AmadiJuba – Mais de 200.000 civis necessitam de ajudas humanitárias urgentes no estado de Amadi, no Sudão do Sul. Foi a afirmação feita à Rádio Tamazuj pelo Governador do estado, Joseph Ngere Pachiko, que disse que as reservas alimentares escasseiam depois que as tropas da SPLA-IO, a rebelião liderada pelo ex Vice-Presidente Riek Machar, entraram na área e obrigaram a população a fugir. <br />“Examinamos a situação e constatamos que as pessoas escaparam deixando seus pertences. Os agricultores não conseguiram colher a safra porque fugiram quando Riek Machar e suas tropas chegaram na área”, disse o governador, lançando um apelo para que as organizações humanitárias intervenham para assistir a população, em estado de necessidade. <br />A guerra civil no Sudão do Sul provocou mais de 2 milhões e 200.000 desalojados internos e refugiados nos países limítrofes. <br /><br />Thu, 16 Feb 2017 17:48:22 +0100ÁSIA/INDONÉSIA - O governador cristão vence a primeira rodada das eleições em Jacartahttp://www.fides.org/pt/news/61743-ASIA_INDONESIA_O_governador_cristao_vence_a_primeira_rodada_das_eleicoes_em_Jacartahttp://www.fides.org/pt/news/61743-ASIA_INDONESIA_O_governador_cristao_vence_a_primeira_rodada_das_eleicoes_em_JacartaJacarta – Não obstante a campanha de ódio sectário contra ele e o processo por presumível ‘blasfêmia’ em que é acusado, Basuki Tjahaja Purnama, conhecido como “Ahok”, o candidato cristão protestante e de etnia chinesa, venceu a primeira rodada das eleições estaduais que decidirão o novo governador da capital, Jacarta. <br />Ahok, governador em fins de mandato, foi alvo de vários protestos e manifestações organizadas pelas ruas da capital por grupos muçulmanos, como o Islamic Defenders Front . Diversos líderes islâmicos exortaram os eleitores a não eleger um não-muçulmano como governador da cidade, neste país de maioria muçulmana. <br />Tuttavia Ahok sobreviveu aos ataques sectários contra ele. Os resultados das contagens iniciais dos votos de 15 de fevereiro demonstram que Ahok foi escolhido por um número enorme de cidadãos da capital, muitos dos quais, muçulmanos. Com base nas projeções de voto, muitas sondagens concluem que Ahok e seu vice Djarot Saiful Hidayat obtiveram cerca de 42% dos votos, enquanto Anies Baswedan está em 39%; enfim, Agus Harimurti Yudhoyono teve cerca de 17% dos votos.<br />Visto que Ahok não obterá 50% dos votos, será necessária uma segunda rodada, marcada pela Comissão eleitoral para 19 de abril. <br />Segundo pe. Benny Susetyo, sacerdote e secretário do "Setara Institute for Democracy and Peace", conceituado centro de estudos de Jacarta, “a vitória de Ahok se deve à sua imagem de honestidade e transparência. Todavia, a crescente luta ideológica, evidenciada nesta campanha eleitoral, permanece perigosa para o futuro da democracia indonésia”, releva à Fides. <br />Jimmy Leo, leigo católico, diz à Fides: “Os cidadãos de Jacarta tomaram parte com entusiasmo do voto para eleger seu governador. A maior parte das pessoas nutre a esperança de ter um governador como Ahok. Não obstante a acusação de blasfêmia, muitos muçulmanos o votaram e vão fazê-lo de novo. Ahok tem um forte apoio do povo e esperamos que vença no próximo turno”. “Os moradores da capital – acrescenta – apreciam o que Ahok fez pela cidade, enquanto alguns muçulmanos têm medo de votá-lo por causa da fátua emitida pelo Conselho dos ulemás indonésios, que proíbe votar em um não-muçulmano”.<br />No campo político, agora pode ser decisivo o apoio do candidato derrotado e excluído da próxima rodada. <br />Thu, 16 Feb 2017 17:47:35 +0100ÁSIA/FILIPINAS - Congresso mariano em Cebu. “A fé deve incidir na vida”http://www.fides.org/pt/news/61741-ASIA_FILIPINAS_Congresso_mariano_em_Cebu_A_fe_deve_incidir_na_vidahttp://www.fides.org/pt/news/61741-ASIA_FILIPINAS_Congresso_mariano_em_Cebu_A_fe_deve_incidir_na_vidaCebu - O Congresso Mariano dedicado ao Jubileu da Mãe do Perpétuo Socorro, que se abriu hoje em Cebu city, no santuário dos Padres redentoristas, não será só dedicado a temas de cunho espiritual, mas abordará também temas sociais, como a campanha do governo nacional contra as drogas, que deixou mais de 7.600 vítimas em seis meses, ocupando as primeiras páginas dos jornais e dividindo, no que diz respeito à abordagem, a Igreja católica e o governo do Presidente Duterte. É o que diz à Agência Fides o redentorista pe. Cris Mostajo, ilustrando as atividades do congresso que celebra 150 anos do ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.<br />Mais de 700 pessoas estão participando do Congresso, iniciado hoje, 16 de fevereiro. Pe. Mostajo releva: “Estamos tristes pelo fato que, apesar da fé dos filipinos e da devoção à Virgem Maria, a cultura da morte e a indiferença atraiam tantas pessoas”. “Hoje, nos encontramos diante da triste realidade de nosso país, onde a sacralidade da vida humana é violada por uma espécie de ‘limpeza’ dos membros indesejados da sociedade”, explica. “É necessário que a fé incida na vida do fiel”. No Congresso será também falado sobre a presença e o papel da mulher na Igreja, a história da devoção mariana nas Filipinas. Haverá ainda testemunhos de missionários, professores e cônjuges, e celebrações litúrgicas envolvendo os fiéis. <br />Também o sacramento da reconciliação, explicam à Fides os Redentoristas, “pode ser o ponto inicial de uma redenção pessoal. Se alcoólatras e toxicômanos se aproximam do sacramento, ele pode ser o início de um percurso de cura e reeducação”. Os Redentoristas promovem encontros e percursos de acompanhamento reservados a pessoas que lutam para sair da dependência de drogas, álcool e jogo. <br /><br />Thu, 16 Feb 2017 17:46:48 +0100ÁSIA/IRAQUE - O Patriarcado caldeu desconfessa membros cristãos de grupos paramilitares que ameaçam vinganças contra os sunitashttp://www.fides.org/pt/news/61745-ASIA_IRAQUE_O_Patriarcado_caldeu_desconfessa_membros_cristaos_de_grupos_paramilitares_que_ameacam_vingancas_contra_os_sunitashttp://www.fides.org/pt/news/61745-ASIA_IRAQUE_O_Patriarcado_caldeu_desconfessa_membros_cristaos_de_grupos_paramilitares_que_ameacam_vingancas_contra_os_sunitasMosul – O Sr. Ryan Salem, que se apresentou ontem em um programa da TV iraquiana afirmando que os cristãos também estão presentes em Mossul para combater e se vingar contra os muçulmanos sunitas, “não tem nenhuma relação com a moral ensinada por Cristo, mensageiro de paz, amor e perdão” e não pode “fazer estas afirmações envolvendo cristãos”, pois “não os representa de nenhuma forma”. É uma verdadeira ameaça formal a que o Patriarcado caldeu lançou depois que uma rede de TV nacional mandou ao ar as desconsideradas afirmações de Ryan Salem, cristão caldeu de Alqosh, ligado a grupos paramilitares de autodefesa popular integrados em maioria por muçulmanos xiitas. Na aparição televisiva, a pessoa, falando em nome dos cristãos, estava ao lado de prisioneiros sunitas, provavelmente capturados como colaboradores do Estado Islâmico .<br />O comunicado patriarcal lamenta que tais declarações têm o efeito de exacerbar os conflitos sectários e expressa o desejo de que nas operações de reconquista de Mosul sejam respeitados por todos os princípios base da ética militar. Fontes próximas ao Patriarcado caldeu, contatadas pela Agência Fides, informam que o repúdio imediato das declarações do militar pretendem cortar pela raiz equívocos e instrumentalizações que poderiam levar a represálias contra as comunidades cristãs locais.<br />No passado , o Patriarcado caldeu tinha tomado distância em relação aos milicianos que atuam em grupos paramilitares que participavam de operações de guerra exibindo cruzes, efígies de Jesus e outros símbolos cristãos. “Trata-se de indivíduos que agem mal: a ostentação de símbolos cristãos é uma maldade, e fomenta conflitos relacionados com a religião, espirais vingança e mais sofrimentos”, disse a propósito à Agência Fides o Patriarca caldeu Louis Raphael I Sako.<br />Em várias ocasiões, o Patriarcado caldeu enfatizou também a sua distância de grupos armados ativos no cenário iraquiano que procuram reivindicar sua filiação às comunidades cristãs locais. O Patriarca Louis Raphael sugeriu várias vezes aos cristãos que queriam participar na libertação das cidades ocupadas pelo Estado Islâmico de se alistarem nas forças armadas nacionais ou nas milícias Peshmerga que se referem ao governo da região autônoma do Curdistão iraquiano, evitando em todos os modos de criar milícias sectárias que terminam por alimentar todas as formas de “sedição confessional”. .<br /><br /><br />Thu, 16 Feb 2017 17:46:05 +0100