Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt EUROPA/POLÔNIA - No Santuário de Jasna Gora, encontro de formação missionária e vigília de oraçãohttp://www.fides.org/pt/news/61325-EUROPA_POLONIA_No_Santuario_de_Jasna_Gora_encontro_de_formacao_missionaria_e_vigilia_de_oracaohttp://www.fides.org/pt/news/61325-EUROPA_POLONIA_No_Santuario_de_Jasna_Gora_encontro_de_formacao_missionaria_e_vigilia_de_oracaoCzestochowa – Mais de 400 pessoas se reuniram nos dias 3 e 4 de dezembro, festa de São Francisco Xavier, no Santuário de Jasna Gora para o encontro de aprofundamento missionário e a vigília de oração promovidos como de costume pela Pontifícia União Missionária da Polônia, segundo as informações enviadas à Agência Fides por Mons. Tomasz Atlas, diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias. O encontro deste ano celebrou, de modo especial, o centenário da PUM.<br />Dom Stanislaw Gadecki, Presidente da Conferência Episcopal Polonesa, presidiu a missa de abertura na tarde de sábado, 3 de dezembro. Evocando a obra missionária do Padroeiro das missões, destacou o valor da PUM para a difusão do espírito missionário da Igreja universal. <br />Na sessão missiológica, os participantes ouviram a palestra de Dom Henryk Hoser, Bispo de Warszawa-Praga, que foi missionário em Ruanda e apresentou os desafios atuais para a PUM. Já o pe. Marek Tatar, docente da Universidade Card. Wyszyński, ilustrou o tema “Do batismo à missão”, e o pe. Stanislaw Urbański falou sobre o ministério missionário da Santa Madre Teresa de Calcutá. Esta sessão foi enriquecida com o testemunho de Juan Carlos Araya, IMC, missionário na Argentina.<br />Concluída esta primeira parte formativa, os presentes participaram do “Apelo de Jasna Gora” presidido por mons. Tomasz Atlas, diretor nacional das POM, que agradeceu à Virgem pelos 100 anos de atividade da PUM e invocou fé viva e zelo missionário para todos os fiéis no novo ano pastoral. Em seguida, teve início a vigília de oração animada pelos estudantes do Centro de formação missionário, que se preparam para partir para as missões. A missa de meia-noite foi presidida pelo Núncio apostólico, o Arcebispo Salvatore Pennacchio. A oração prosseguiu até o amanhecer, com a leitura dos textos do Beato Paulo Manna, fundador da PUM, e os testemunhos de missionários provenientes de vários continentes. Wed, 07 Dec 2016 23:33:28 +0100ÁSIA/TURQUIA - Membros da Comissão de inquérito sobre o golpe fracassado querem indagar sobre os contatos entre Gulen e o Vaticanohttp://www.fides.org/pt/news/61330-ASIA_TURQUIA_Membros_da_Comissao_de_inquerito_sobre_o_golpe_fracassado_querem_indagar_sobre_os_contatos_entre_Gulen_e_o_Vaticanohttp://www.fides.org/pt/news/61330-ASIA_TURQUIA_Membros_da_Comissao_de_inquerito_sobre_o_golpe_fracassado_querem_indagar_sobre_os_contatos_entre_Gulen_e_o_VaticanoAnkara – Membros renomados da Comissão de inquérito turca encarregada de indagar sobre o fracassado golpe de Estado de 15 de julho manifestaram a intenção de investigar os contatos ocorridos no passado entre Fethullah Gulen – o pregador islâmico turco expatriado nos EUA em 1999, acusado por Ancara de ser o mentor do fracassado golpe – e a Santa Sé. Nos últimos dias, jornais considerados alinhados com o governo turco como Aksam e Yeni Safak referiram as declarações do Vice-Presidente da Comissão de inquérito, Selçuk Ozdag, que é um deputado pertencente ao AKP, Partido do Presidente Recep Tayyp Erdogan: "Antes de deixar a Turquia” teria declarado Ozdag, “Fethullah Gülen encontrou o Papa no Vaticano. Quem os colocou em contato? É preciso informar-se junto ao Ministro das Relações Exteriores no Vaticano”. <br />Declarações análogas sobre a possibilidade de envolver a Santa Sé nos trabalhos da Comissão de inquérito foram expressas também por Aykut Erdogdu, deputado do Partido Popular Republicano , formação política de oposição, de tradição leiga kemalista. <br />Fethullah Gulen encontrou no Vaticano o Papa João Paulo II em fevereiro de 1998. Já desde agosto , nas campanhas promovidas na mídia turca contra o pregador expatriado e seu movimento Hizmet, alguns jornalistas haviam dirigido fortes acusações contra seus alvos políticos, envolvendo também a Santa Sé. O jornalista Mine Kirikkanat, em artigo publicado no cotidiano Cumhuriyet de domingo, 7 de agosto, chegou ao ponto de insinuar que Fethullah Gulen poderia ser o cardeal criado “in pectore” pelo próprio Pontífice polonês morto em 2 de abril de 2005, cujo nome jamais foi divulgado. .<br />Wed, 07 Dec 2016 16:47:37 +0100ÁSIA/CHINA - A paróquia de São Francisco Xavier celebrou a festa do padroeiro no nome da caridadehttp://www.fides.org/pt/news/61322-ASIA_CHINA_A_paroquia_de_Sao_Francisco_Xavier_celebrou_a_festa_do_padroeiro_no_nome_da_caridadehttp://www.fides.org/pt/news/61322-ASIA_CHINA_A_paroquia_de_Sao_Francisco_Xavier_celebrou_a_festa_do_padroeiro_no_nome_da_caridadeXian Xian – “Curar a saúde física e espiritual dos idosos” com as obras de misericórdia: como já é costume, a paróquia de Wu Qiao dedicada a São Francisco Xavier, que se encontra na diocese de Cang Zhou da província de He Bei na China continental, festejou desta forma o seu Santo Padroeiro no dia 3 de dezembro. <br />Segundo informações recebidas pela Agência Fides, a paróquia forneceu consultas médicas gratuitas para cerca de 50 idosos, católicos e não católicos, em colaboração com a fundação diocesana do serviço social “Coração a coração”. Com os médicos, 3 jovens sacerdotes, 5 irmãs e os voluntários leigos escutaram e assistiram os idosos. Depois do almoço, celebraram a missa para os idosos católicos, durante a qual lhes foi conferido o sacramento da unção dos enfermos.<br />Nestes anos, a paróquia sempre comemorou seu Padroeiro, o grande missionário São Francisco Xavier, em nome do testemunho e da evangelização, dirigindo uma atenção especial aos idosos. No ano passado, foram oferecidas gratuitamente consultas com oculistas e dentistas e a cada ano é proposto um âmbito de saúde específico, como um curso de prevenção do Mal de Alzheimer.<br />A diocese de Xian Xian era o antigo Vicariato Apostólico de Tcheli-Sudest. Hoje conta cerca 75.000 fiéis, 206 igrejas e capelas e quase 100 sacerdotes. A cada ano, registram-se mais de cem batizados. A paróquia de Wu Qiao é uma comunidade viva e engajada em que os leigos são muito presentes e ativos. <br /> <br /><br />Wed, 07 Dec 2016 16:46:53 +0100AMÉRICA/VENEZUELA - “Justiça e paz” denuncia a grave situação: 12 jovens desaparecidos e encontrados mortoshttp://www.fides.org/pt/news/61326-AMERICA_VENEZUELA_Justica_e_paz_denuncia_a_grave_situacao_12_jovens_desaparecidos_e_encontrados_mortoshttp://www.fides.org/pt/news/61326-AMERICA_VENEZUELA_Justica_e_paz_denuncia_a_grave_situacao_12_jovens_desaparecidos_e_encontrados_mortosCoro – A Comissão “Justiça e Paz” da Conferência Episcopal da Venezuela expressa profundo pesar pelos eventos ocorridos na região de Barlovento, estado de Miranda, onde os corpos de 12 jovens, que haviam sido presos por soldados em 15 de outubro, foram encontrados em 28 de novembro em uma vala comum. O episódio ocorreu após as chamadas Operações pela Libertação e a Proteção do Povo , perpetrados pelas forças de segurança do Estado. <br />“Denunciamos – consta no documento recebido pela Fides – o modo em que são realizadas as Operações de Libertação do Povo neste país, onde as autoridades estatais não cumpriram seus deveres para prevenir as violações de direitos humanos, garantir a liberdade pessoal, o justo processo e a inviolabilidade de domicílio. Denunciamos também o comportamento orgulhoso e surdo do Estado, que rejeitou e continua a rejeitar o direito internacional; a ineficiência do Estado em seu inegável dever de conter a violência social”. <br />O documento pede às autoridades estatais competentes “a garantia dos direitos fundamentais para todos os cidadãos de nosso país” e se conclui expressando solidariedade às famílias dos 12 jovens mortos. O texto é assinado por Dom Roberto Luckert León, Arcebispo emérito de Coro e Presidente da Comissão. <br /> <br />Wed, 07 Dec 2016 16:46:04 +0100AMÉRICA/VENEZUELA - “O diálogo deve ser um instrumento para resolver os problemas”, afirma o Card. Urosahttp://www.fides.org/pt/news/61327-AMERICA_VENEZUELA_O_dialogo_deve_ser_um_instrumento_para_resolver_os_problemas_afirma_o_Card_Urosahttp://www.fides.org/pt/news/61327-AMERICA_VENEZUELA_O_dialogo_deve_ser_um_instrumento_para_resolver_os_problemas_afirma_o_Card_UrosaCaracas – “Os prisioneiros políticos, que são muitos, devem ser colocados em liberdade”. É necessário que o governo atue neste sentido, porque estas pessoas estão detidas injustamente. A Igreja não vai renunciar ao diálogo e é em seu espírito continuar por este caminho, mas devem ser cumpridos os acordos assinados em novembro. É o que pede o Card. Pietro Parolin na carta enviada ao governo" afirma o Card. Jorge Urosa Savino, Arcebispo de Caracas.<br />“A Conferência Episcopal e os Bispos venezuelanos estão em sintonia com o Papa Francisco, e todos queremos apoiar os esforços para buscar soluções constitucionais à crise”, disse em breve encontro com a imprensa, comentando as palavras do deputado Diosdado Cabello contra a carta do Card. Pietro Parolin, Secretário de Estado Vaticano.<br />"O Card. Parolin, respeitosamente, indicou as condições para um verdadeiro diálogo: a libertação dos prisioneiros políticos, o calendário eleitoral e o respeito pela Assembleia nacional, entre outras coisas. O diálogo deveria ser um instrumento para resolver os problemas e aqui nossos problemas são muito graves”, concluiu o Card. Urosa.<br />Ontem houve momentos de tensão entre as partes e seja o governo como a oposição mantiveram contatos separados com os mediadores, entre os quais Dom Claudio Maria Celli. No fim do dia, decidiu-se retomar o diálogo, todos juntos, marcando a data de 13 de janeiro. <br /> <br /><br /><br />Wed, 07 Dec 2016 16:45:23 +0100AMÉRICA/REPÚBLICA DOMINICANA - “Uma luz, um sorriso” para crianças e jovens em condição de pobrezahttp://www.fides.org/pt/news/61328-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Uma_luz_um_sorriso_para_criancas_e_jovens_em_condicao_de_pobrezahttp://www.fides.org/pt/news/61328-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Uma_luz_um_sorriso_para_criancas_e_jovens_em_condicao_de_pobrezaSanto Domingo – Com o objetivo de oferecer um serviço de água potável às 1400 crianças hóspedes do centro educativo Hogar Escuela Santo Domingo Savio, a Congregação Salesiana promoveu a iniciativa “Uma luz, um sorriso”. Trata-se de uma ceia de beneficência para arrecadar verbas. A iniciativa nasceu a partir do desejo dos colaboradores de trabalhar pelas crianças, contribuir com o seu bem-estar, sua instrução e melhorar seu estilo de vida, sobretudo neste período natalino. Hogar Escuela Santo Domingo Savio é um centro educativo que oferece formação às crianças de famílias em condição de pobreza extrema e alto risco. É dirigido pela Congregação Salesiana e pela Rede Jovens com Dom Bosco. A Casa acolhe, a Escola educa, a Igreja evangeliza e no Jardim, os adolescentes criam relações de amizade. O Centro proporciona também instrução de qualidade a meninos e meninas da comunidade do primeiro ao sexto ano do ensino fundamental. Com a construção do novo edifício da escola, o número de crianças passou para 450.<br /> <br /><br /><br />Wed, 07 Dec 2016 16:44:40 +0100ÁSIA/ÍNDIA - Não cessa a exploração de menores nas piores formas de trabalhohttp://www.fides.org/pt/news/61315-ASIA_INDIA_Nao_cessa_a_exploracao_de_menores_nas_piores_formas_de_trabalhohttp://www.fides.org/pt/news/61315-ASIA_INDIA_Nao_cessa_a_exploracao_de_menores_nas_piores_formas_de_trabalhoNova Délhi - Na Índia, mais de 200 mil crianças são exploradas em condições muito precárias no mundo do trabalho da indústria manufatureira. Obrigadas a trabalhar, privadas da instrução e suas necessidades básicas, estas crianças sofrem as consequências de uma sociedade que olha para elas com indiferença. Para dar visibilidade a todo o mundo sobre esta situação dramática foi lançada a campanha "Criança numa caixa". Trata-se de caixas que na sua parte superior tem a imagem de um menino feliz, mas, no momento em que se abrem, aparecem as condições desumanas das crianças exploradas. Segundo informações enviadas a Fides, as caixas foram colocadas à venda em diferentes partes do país, e o dinheiro arrecadado será destinado para a melhoria das condições de vida destas jovens vítimas. No Sul da Ásia se registram os piores índices de exploração do trabalho infantil, com mais de 100 milhões de crianças tratadas como animais de carga. <br /> <br /><br />Tue, 06 Dec 2016 11:04:26 +0100ÁSIA/TURQUIA - A Igreja armênia faz apelo à Corte europeia para os direitos humanos contra a Turquia pela não restituição das propriedades de Sishttp://www.fides.org/pt/news/61320-ASIA_TURQUIA_A_Igreja_armenia_faz_apelo_a_Corte_europeia_para_os_direitos_humanos_contra_a_Turquia_pela_nao_restituicao_das_propriedades_de_Sishttp://www.fides.org/pt/news/61320-ASIA_TURQUIA_A_Igreja_armenia_faz_apelo_a_Corte_europeia_para_os_direitos_humanos_contra_a_Turquia_pela_nao_restituicao_das_propriedades_de_SisAntelias - Aram I, Catholicos armênio apostólico da Grande Casa de Cilícia, com sede em Antelias no Líbano, disse que hoje, 6 de dezembro, será submetido à Corte europeia para os Direitos Humanos – com sede em Estrasburgo – o pedido de restituição das antigas residências e propriedades pertencentes ao Catholicosato e situadas em Sis, no território turco, depois de que a Corte Constitucional da Turquia acolheu o pedido de discutir e resolver o contencioso sobre as propriedades de Sis dentro do sistema jurídico turco.<br />“Esta - comentou o Catholicos Aram I na mensagem de vídeo em que anunciou a iniciativa - é a primeira ação judicial contra a Turquia após o genocídio armênio de 1915. É o resultado de longas e sérias discussões, estudos e consultas, baseados nas disposições jurídicas internacionais, incluindo as decisões do Tratado de Lausanne de 1932, em relação às minorias que vivem nos confins da República turca".<br />A causa para obter a restituição dos edifícios históricos do Catholicossato localizados na cidade de Sis, pedida pelo Catholicos Aram I, em 2015, não tinha sido tomada em consideração nem pelo Ministério da Justiça turco nem pelo Tribunal Constitucional turco. As duas instituições turcas não tinham reconhecido nenhuma base jurídica para a causa.<br />Sis, antiga capital do Reino Armênio da Cilícia, corresponde à atual cidade turca de Kozan. A intenção de fazer apelo, concretizada em abril de 2015, já tinha sido anunciada em várias ocasiões pelos Catholicos da Cilícia entre setembro e outubro de 2014. "Não podemos ficar apáticos em relação aos direitos violados de nossa nação", disse Aram em 19 de setembro de 2015, em Yerevan, na 5ª Conferência da Diáspora Armênia. Como já relatado pela Agência Fides , o próprio Catholicos tinha previsto que, em caso de não recebimento da parte das instituições turcas, o recurso seria apresentado ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. <br />Tue, 06 Dec 2016 10:53:58 +0100AMÉRICA/MÉXICO - Aumentam os migrantes, Dom Lira convida todos a trabalharem para acolhê-loshttp://www.fides.org/pt/news/61316-AMERICA_MEXICO_Aumentam_os_migrantes_Dom_Lira_convida_todos_a_trabalharem_para_acolhe_loshttp://www.fides.org/pt/news/61316-AMERICA_MEXICO_Aumentam_os_migrantes_Dom_Lira_convida_todos_a_trabalharem_para_acolhe_losMatamoros – “Sem dúvida, este fenômeno se apresenta mais na fronteira, onde vemos aumentar as expulsões ou também a emigração das pessoas que vêm da América Central, impulsionados pela insegurança ou pela pobreza que vivem nesses países”, disse Dom Eugenio Andrés Lira Rugarcía, Bispo de Matamoros, diante do aumento dos migrantes na fronteira e nas cidades próximas. “O principal desafio para as autoridades de Matamoros é ter os recursos necessários para fazer frente às possíveis expulsões de massa que poderiam surgir”, acrescentou.<br />A nota enviada a Fides destaca que a diocese de Matamoros está trabalhando duramente disponibilizando duas casas para migrantes e um centro de informação. O Bispo destacou que o desafio principal para os próximos meses é verificar recursos e espaços que devem servir para acolher a comunidade dos expulsos que poderia chegar a esta cidade de fronteira. “São necessários mais esforços, trabalhar com as autoridades, todos, a sociedade civil, as organizações religiosas e outros que querem ajudar, buscando o bem dos migrantes e de suas famílias”, conclui a nota.<br />Matamoros, no Estado de Tamaulipas, é a fronteira extrema rumo ao Oceano Atlântico. Segundo informações divulgadas pela imprensa local, também esta cidade de fronteira se prepara para gerir um fluxo considerável de pessoas que deverão voltar para o México nas próximas semanas.<br /> Tue, 06 Dec 2016 09:18:34 +0100AMÉRICA/CHILE - “As portas da Igreja estão abertas para acolher e compartilhar a riqueza das várias culturas”, afirma o Card. Ezzatihttp://www.fides.org/pt/news/61314-AMERICA_CHILE_As_portas_da_Igreja_estao_abertas_para_acolher_e_compartilhar_a_riqueza_das_varias_culturas_afirma_o_Card_Ezzatihttp://www.fides.org/pt/news/61314-AMERICA_CHILE_As_portas_da_Igreja_estao_abertas_para_acolher_e_compartilhar_a_riqueza_das_varias_culturas_afirma_o_Card_EzzatiSantiago – Domingo passado, 4 de dezembro, um grupo de cidadãos haitianos recebeu o sacramento da Crisma na paróquia de São Saturnino em Santiago do Chile, e nesta circunstância o Arcebispo de Santiago, Card. Ricardo Ezzati, que presidiu o rito, defendeu os imigrantes.<br />Segundo a nota enviada a Fides por uma fonte local, a discussão sobre a política migratória veio à tona justamente na semana passada. A este propósito, o Cardeal disse que "a Igreja de Santiago, através do Instituto Católico Chileno de Migração e de muitos sacerdotes que acompanham os numerosos irmãos estrangeiros, vive uma experiência especial, porque as portas estão abertas para acolher, integrar e compartilhar a riqueza que estas culturas têm".<br />Durante o rito, presidido pelo Card. Ezzati e pelo pároco de São Saturnino, padre Juan Carlos Cortez, 15 haitianos receberam a Crisma, oito dos quais receberam também o Batismo.<br />"O Senhor vem à nossa vida a cada momento da nossa existência, de um modo muito especial para esses irmãos e irmãs de fé, quando abrem as portas a Deus", disse o Card. Ezzati.<br />Segundo a paróquia de São Saturnino, nos últimos dois anos chegaram ao Chile mais de 45 mil cidadãos haitianos. Destes, 450 foram acolhidos na comunidade e participam de atividades de formação , catequeses, ajuda social, solidariedade e laboratórios para aprender uma profissão.<br />Uma pesquisa publicada por um jornal nacional aponta que 85% dos chilenos quer a expulsão dos imigrantes com problemas legais e 75% considera necessário impor restrições à imigração. O governo promoveu o debate político sobre o tema nos últimos dias, em vista de uma revisão da lei sobre a imigração.<br /> <br />Tue, 06 Dec 2016 09:17:56 +0100ÁFRICA/BURUNDI - “Apenas pequenos passos rumo à reconciliação”, lamentam os Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/61318-AFRICA_BURUNDI_Apenas_pequenos_passos_rumo_a_reconciliacao_lamentam_os_Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/61318-AFRICA_BURUNDI_Apenas_pequenos_passos_rumo_a_reconciliacao_lamentam_os_BisposBujumbura - “Apreciamos e agradecemos aqueles que contribuíram” afirmam os Bispos do Burundi em sua Carta pastoral publicada no encerramento do Ano Santo da Misericórdia. “Na abertura do Ano jubilar nós esperávamos que o Ano fosse para os burundineses uma oportunidade de reconciliação, para que os antagonistas se sentassem, dissessem a verdade em um diálogo franco, que permitisse resolver os problemas do país, de modo que os burundineses pudessem viver na paz e na segurança”, explica a mensagem recebida pela Agência Fides.<br />“Ainda há muitos irmãos e irmãs que estão refugiados fora do país”, recordam os Bispos. “Não obstante tenham ouvido nosso apelo, não ousam retornar porque não se sentem tranquilizados. Não se pode fazer nada para que se sintam seguros?” ressalta a mensagem. <br />Os Bispos lamentam que aqueles que permaneceram no país “desconfiam uns dos outros e parece que se espiam reciprocamente, com medo de dizer a verdade à voz alta. Não se confia mais nos vizinhos, justamente quando é a hora de dizer a verdade e acolher a verdade que salva e reconcilia”.<br />A crise política burundiense remonta a abril de 2015, quando o Presidente Pierre Nkurunziza decidiu se reapresentar para as eleições, concorrendo em um terceiro mandato, em violação da Constituição e dos acordos de paz de Arusha. A reeleição de Nkurunziza, em julho do mesmo ano, agravou a situação com homicídios e desaparecimentos de pessoas ligadas à oposição e ao surgimento de grupos de guerrilha anti Nkurunziza. As violências provocaram até o momento 500 mortos e levaram cerca de 300 mil pessoas a fugir para países vizinhos. <br />Tue, 06 Dec 2016 18:22:33 +0100ÁFRICA/UGANDA - Os Yira congoleses se oferecem como mediadores entre o governo ugandense e o “Reino” de Rwenzururuhttp://www.fides.org/pt/news/61321-AFRICA_UGANDA_Os_Yira_congoleses_se_oferecem_como_mediadores_entre_o_governo_ugandense_e_o_Reino_de_Rwenzururuhttp://www.fides.org/pt/news/61321-AFRICA_UGANDA_Os_Yira_congoleses_se_oferecem_como_mediadores_entre_o_governo_ugandense_e_o_Reino_de_RwenzururuKampala - Kyaghanda Yira ASBL, a estrutura organizativa da comunidade cultural Yira, oferece a sua mediação para resolver a crise entre o “Reino” de Rwenzururu e o governo de Uganda. Nos dias 26 e 27 de membro, atritos entre as forças de segurança e a ‘guarda real’ do Rei tradicional Charles Wesley Mumbere causaram a morte de mais de 100 pessoas .<br />Os Yira são o mais importante grupo étnico no Kivu do Norte, a província do leste da República Democrática do Congo que confina com a região ugandense de Rwenzururu. <br />“Existe uma unicidade cultural entre os Yira em Uganda e na RDC, apesar das fronteiras políticas que os apresentam como povos distintos. Mas são um só – afirma um comunicado da associação cultural. O comitê de liderança internacional de Kyaghanda Yira considerou indispensável adotar imediatamente um comportamento que favoreça a reconciliação entre o governo ugandense e o poder tradicional de Rwenzururu, oferecendo-se como mediador”.<br />A declaração faz um apelo aos pertencentes à comunidade Yira para que “mantenham a calma, sem ceder à agitação que pode provocar uma interpretação errônea dos fatos”. <br />Tue, 06 Dec 2016 18:21:53 +0100ÁSIA/COREIA DO SUL - Crise política: católicos também são pela renúncia da presidente Parkhttp://www.fides.org/pt/news/61317-ASIA_COREIA_DO_SUL_Crise_politica_catolicos_tambem_sao_pela_renuncia_da_presidente_Parkhttp://www.fides.org/pt/news/61317-ASIA_COREIA_DO_SUL_Crise_politica_catolicos_tambem_sao_pela_renuncia_da_presidente_ParkSeul - A tensão política na Coreia do Sul está nas estrelas por causa de uma crise que está abalando os alicerces do país. Há mais de um mês, realizam-se imponentes manifestações de rua em Seul e em outras principais cidades coreanas, pedindo a renúncia da Presidente Park Geun-hye. Eleita em 2012, ela está no centro de um escândalo e de um maciço protesto popular devido à sua controversa relação com Choi Soon-sil, filha do líder de um culto curandeiro. Segundo emerso, nos últimos anos, ritos de feiticeiros teriam orientado a política nacional e decisões importantes da nação. A Presidente foi manipulada pela adivinha Choi Soon-sil, que usou a sua influência para administrar assuntos de Estado e, ao mesmo tempo, para se enriquecer, desviando contribuições de grandes grupos industriais para fundações controladas por ela. Choi Soon-sil hoje se encontra presa por fraude e abuso de poder. Depois de mais de um mês de manifestações, o Parlamento sul-coreano se prepara para votar no próximo dia 9 de dezembro uma moção de impeachment da Presidente Park que, segundo sondagens, tem hoje um consenso popular de 4% e leva para baixo também o partido conservador Saenuri, a que pertence. Diante da moção, Park deu a disponibilidade para se demitir até abril de 2017, ano em que estão previstas as eleições presidenciais . <br />Nas grandes manifestações populares que envolveram milhões de pessoas, também os católicos participaram, em todas as dioceses. “A Presidente se demonstrou inadequada e incapaz de governar. Não soube dar uma direção ao país. Concordamos totalmente com o pedido de renúncia, para o bem da nação”, declara à Fides o Bispo Peter Kang, que conduz a diocese de Cheju. Na mesma diocese, a Comissão Justiça e Paz organizou uma manifestação criticando Park por ter falido na administração do país.<br />Nos últimos dias, durante uma missa, o Bispo auxiliar de Gwangju, Simon Ok Hyun-jin, também convidou os fiéis a participar de manifestações pacíficas, enquanto o Bispo Vincent Ri Pyung-ho em missa em sua diocese de Jeonju, invocou a “restauração de uma democracia real”, notando que “toda a população, de todas as faixas sociais, pede a renúncia”. Como apurado pela Fides, iniciativas semelhantes, com os fiéis engajados no protesto, se realizaram nas dioceses de Daejeon, Masan, Seul, Uijeongbu e Suwon. <br />Tue, 06 Dec 2016 18:21:11 +0100ÁSIA/IRAQUE - As Unidades de Proteção da Planície de Nínive promovem uma campanha de recrutamento entre os cristãoshttp://www.fides.org/pt/news/61319-ASIA_IRAQUE_As_Unidades_de_Protecao_da_Planicie_de_Ninive_promovem_uma_campanha_de_recrutamento_entre_os_cristaoshttp://www.fides.org/pt/news/61319-ASIA_IRAQUE_As_Unidades_de_Protecao_da_Planicie_de_Ninive_promovem_uma_campanha_de_recrutamento_entre_os_cristaosAlqosh – As Unidades de Proteção da Planície de Nínive , organização paramilitar que se constituiu no Iraque em 2014, composta em maioria por cristãos assírios, sírios e caldeus, anunciou a abertura de uma campanha de recrutamento com base voluntária, dirigida especialmente a jovens homens das comunidades cristãs locais da região de Mossul e da Planície de Nínive intencionados a participar de ações militares para a reconquista e a defesa dos centros habitados das terras que foram ocupadas pelos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico . <br />No texto de convocação da campanha de recrutamento, divulgado também pela mídia local, os jovens cristãos são solicitados a se recrutar voluntariamente nas Unidades de Proteção também para favorecer e garantir o retorno à segurança em suas casas e cidades de milhares de cristãos que fugiram das cidades da Planície de Nínive entre junho e agosto de 2014, ante a avançada das milícias jihadistas. O documento traz também os nomes dos responsáveis a serem contatados para comunicar a própria intenção de se arrolar, divididos por área de competência. <br />Em fins de novembro , o general Riad Jalal Tawfiq, comandante das forças de artilharia do exército iraquiano empenhadas na reconquista de Mossul, havia reconfirmado que as Unidades de Proteção Armada organizadas com base confessional, inclusive os grupos compostos por cristãos sírios e assírios, seriam envolvidos oficialmente no sistema de segurança e autodefesa das áreas da Planície de Nínive já recuperadas dos jihadistas do Estado Islâmico .<br />O general iraquiano acrescentou que as milícias locais formadas em base tribal ou étnico-confessional teriam um papel de primeiro plano também na gestão do acolhimento e do fornecimento de alimento e bens de primeira necessidade aos refugiados que retornarão às suas casas. . <br /><br />Tue, 06 Dec 2016 18:20:12 +0100VATICANO - Card. Filoni: São Francisco Xavier está na origem da missionariedade modernahttp://www.fides.org/pt/news/61305-VATICANO_Card_Filoni_Sao_Francisco_Xavier_esta_na_origem_da_missionariedade_modernahttp://www.fides.org/pt/news/61305-VATICANO_Card_Filoni_Sao_Francisco_Xavier_esta_na_origem_da_missionariedade_modernaRoma – “Francisco Xavier está na origem daquela missionariedade moderna que se abriu aos novos mundos e que foi se afirmando no decorrer dos séculos XV e XVI”, evidenciou o Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, Card. Fernando Filoni, durante a Missa que presidiu na noite de sábado, 3 de dezembro, na igreja romana “de Jesus”, na festa do Santo Padroeiro das Missões.<br />Em 1506, quando nasceu Francisco Xavier, haviam-se passado 14 anos do descobrimento da América e oito da abertura das rotas rumo às Índias Orientais. “Estava-se, portanto, no alvorecer daquele século que induziria a Sé Apostólica a se ocupar da evangelização no Ocidente, no Oriente e ao sul da Europa”, recordou o Cardeal, mesmo sendo necessário esperar até 1599, algumas décadas depois de sua morte, para ver a estrutura precursora da Congregação de Propaganda Fide. “As suas cartas, as suas relações e os seus gestos tinham tido tanto relevo na Europa a ponto de obrigar os Papas daquele tempo a manifestarem toda atenção não somente no financiamento das viagens apostólicas dos missionários, mas a assumirem a iniciativa missionária”.<br />“Francisco Xavier pode ser considerado, efetivamente, o homem que foi tomado totalmente pela graça do Espírito Santo para uma missão”, disse o Card. Filoni, mas “também hoje a tarefa de evangelizar está sempre urgente diante de nós”. Seguindo as pegadas de Paulo de Tarso e de Francisco Xavier, uma imensa multidão de missionários nesses séculos se sucederam em levar o Evangelho a todos os continentes, e ainda hoje “o desafio missionário nos impulsiona a acolher, com íntima adesão, o convite do Papa Francisco a ser uma Igreja em saída, uma comunidade missionária que sempre toma a iniciativa para alcançar todos os povos”. Desafio que pertence a todos os batizados, tarefa confiada pelo Senhor ressuscitado a toda a sua Igreja.<br />Portanto, o Prefeito do Dicastério Missionário colocou na mesma categoria Francisco Xavier, “o grande e extraordinário viajante missionário”, Teresa do Menino Jesus, “a grande mística de clausura sempre espiritualmente projetada ao anúncio do Evangelho” e Paulina Jaricot, a jovem leiga fundadora da Obra de Propagação da Fé, que, através da oração do terço e da coleta de ofertas entre as operárias da fábrica em que trabalhava, fazia daquelas jovens mulheres partícipes da obra missionária. “Três personalidades, diferentes e tão profundamente amantes da missionariedade – evidenciou -, zelosas no apoio espiritual e material, tomadas pelo desejo de que Jesus Cristo fosse levado, conhecido e amado por todos os homens e por todas as mulheres; três personalidades em que encontramos a síntese de todo o Povo de Deus que se lança no anúncio do Evangelho”.<br />Na parte conclusiva da homilia, o Card. Filoni evidenciou ainda que “a missionariedade da Igreja traz consigo a alegria do anúncio do Evangelho, o qual não é um belo livro de filosofia ou de narrações edificantes, mas é o encontro com Cristo; a missionariedade é levar, ir ao encontro de Cristo Senhor”. <br /><br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/it/attachments/view/file/C.Fil_SFrancSav_2016.docx">O texto integral da homilia do Cardeal, em italiano</a>Mon, 05 Dec 2016 19:34:54 +0100AMÉRICA/VENEZUELA - Primeira missa do novo Cardeal Porras em Mérida: uma referência para muitoshttp://www.fides.org/pt/news/61307-AMERICA_VENEZUELA_Primeira_missa_do_novo_Cardeal_Porras_em_Merida_uma_referencia_para_muitoshttp://www.fides.org/pt/news/61307-AMERICA_VENEZUELA_Primeira_missa_do_novo_Cardeal_Porras_em_Merida_uma_referencia_para_muitosMérida – O novo cardeal venezuelano Baltazar Enrique Porras Cardozo, celebrou ontem a primeira missa como cardeal em sua arquidiocese de Mérida, com a participação de milhares de fiéis provenientes do estado de Mérida e de outras cidades do país. Segundo informações recebidas pela Fides, os concelebrantes principais foram o Núncio apostólico na Venezuela, o Arcebispo Aldo Giordano, e o Bispo auxiliar de Caracas, Dom Trino Fernández, em representação do Arcebispo de Caracas, Card. Jorge Urosa Savino, ausente por razões de saúde. Também estavam presentes Bispos, sacerdotes, seminaristas e religiosos venezuelanos.<br />Na homilia, proferida por Dom Fernandez, o Bispo falou da força e da coragem do Card. Porras em tempos difíceis, como os que vive a democracia venezuelana, e sublinhou o trabalho pastoral desempenhado durante todo o seu ministério sacerdotal e como defensor dos pobres, tornando-se uma referência para muitos na Igreja católica. <br />Dirigindo-se aos presentes, Dom Trino Fernández afirmou a necessidade de estar unidos diante dos problemas do país: “Devemos fazer juntos todas as coisas a fim de nos prepararmos para enfrentar as situações da vida. Não nos deixemos transportar por mensagens ou estórias fantasiosas. A partir do momento que temos fé, devemos recordar que fomos construídos sobre pedra e não sobre areia, a fim de servir os mais pobres”. <br />A missa foi celebrada ontem, domingo 4 de dezembro, no estádio Rincón Gutiérrez, da Universidade de los Andes. Além de encerrar o Jubileu da Misericórdia, a celebração abriu ainda o duplo Jubileu, que celebra os 50 anos de ordenação sacerdotal do novo cardeal e seus 25 anos à Igreja de Mérida .<br /> <br />Mon, 05 Dec 2016 16:00:39 +0100AMÉRICA/PARAGUAI - “Os indígenas sofrem a indiferença, a incompreensão e a falta de respeito por seus direitos”, denuncia Dom Alferthttp://www.fides.org/pt/news/61309-AMERICA_PARAGUAI_Os_indigenas_sofrem_a_indiferenca_a_incompreensao_e_a_falta_de_respeito_por_seus_direitos_denuncia_Dom_Alferthttp://www.fides.org/pt/news/61309-AMERICA_PARAGUAI_Os_indigenas_sofrem_a_indiferenca_a_incompreensao_e_a_falta_de_respeito_por_seus_direitos_denuncia_Dom_AlfertCaacupé – Na missa de ontem, domingo 4 de dezembro, na Basílica de Caacupé, o Bispo do Vicariato Apostólico de Pilcomayo, Dom Lucio Alfert, O.M.I. criticou o tratamento reservado aos indígenas do Paraguai e exortou os jovens a serem ‘esperança’ para os grupos étnicos, colocando fim na injustiça, na desigualdade e no rechaço por esta componente da população. “Deus nos criou todos de modo diverso, mas com a mesma dignidade”, destacou Dom Alfert durante a homilia, e acrescentou: “somos chamados a viver fraternamente em uma sociedade multiétnica e multicultural”.<br />Segundo informações recebidas pela Fides, participaram da celebração cerca de 2.500 indígenas provenientes de várias partes do país, em maioria de Chaco. Por este motivo, uma leitura da missa e a oração dos fiéis foram lidas em nivaclé, língua nativa do Paraguai. <br />O Bispo lamentou que “para a sociedade, ser diferente ‘é errado’. Isto gera rechaço, deboche e falta de respeito pelos direitos fundamentais das comunidades indígenas”, reiterou. <br />“O verdadeiro problema dos paraguaios é a ignorância das diferentes culturas. Entre nós, os indígenas são os que mais sofrem com a indiferença e a incompreensão; são expulsos de suas terras e seus direitos não são respeitados”, disse. O Bispo condenou duramente políticos e traficantes de drogas que utilizam as terras ancestrais para finalidades pessoais, abusando de seus habitantes. <br />"Não será fácil sonhar uma nova pátria enquanto houver pessoas com poder demais; espero apenas que eles ouçam São João Batista, que define estas pessoas como serpentes”, concluiu o Bispo. <br /> <br />Mon, 05 Dec 2016 15:59:51 +0100AMÉRICA/HONDURAS - Evitar desperdícios e viver com o necessário, principalmente no Natalhttp://www.fides.org/pt/news/61310-AMERICA_HONDURAS_Evitar_desperdicios_e_viver_com_o_necessario_principalmente_no_Natalhttp://www.fides.org/pt/news/61310-AMERICA_HONDURAS_Evitar_desperdicios_e_viver_com_o_necessario_principalmente_no_NatalTegucigalpa – “Evitar desperdícios e viver com o necessário, principalmente no período de Natal, quando tanta gente gasta dinheiro com o supérfluo”: é o apelo lançado aos hondurenhos pelo Card. Óscar Andrés Rodríguez Maradiaga, Arcebispo de Tegucigalpa. Durante a missa dominical na Catedral da cidade, o Cardeal lamentou “tanto ódio e a sensação de desafio na sociedade” e convidou todos a uma renovação espiritual. “Precisamos que nossa vida mude e se transforme, abandonando atitudes, comportamentos e modificando o nosso estilo de vida”. O Card. Rodrìguez ressaltou o fato que o mundo continue a estar “imerso em suas contradições, violando e ignorando a justiça, a paz e a fraternidade entre os seres humanos”. <br /> <br />Mon, 05 Dec 2016 15:59:10 +0100OCEANIA - Card. Ribat: “A Igreja na Oceania tem fé mas a população está em perigo”http://www.fides.org/pt/news/61308-OCEANIA_Card_Ribat_A_Igreja_na_Oceania_tem_fe_mas_a_populacao_esta_em_perigohttp://www.fides.org/pt/news/61308-OCEANIA_Card_Ribat_A_Igreja_na_Oceania_tem_fe_mas_a_populacao_esta_em_perigoColombo – “A Igreja na Oceania é vibrante na fé. Em geral, somos uma Igreja jovem com comunidades vivazes e dinâmicas em nível pastoral e social. Nosso compromisso é a formação permanente de nossos fiéis. Devemos agradecer as Igrejas da Ásia que nos enviaram missionários, mas hoje estamos preocupados com a condição social de nossas populações, atingidas pelas mudanças climáticas”: é o que diz à Fides o Card. John Ribat, primeiro cardeal da Papua Nova Guiné, Arcebispo de Port Moresby, que participou da décima-primeira assembleia plenária da Federação das Conferências Episcopais da Ásia , realizada em Negombo em Sri Lanka. O Cardeal tomou parte do encontro em qualidade de presidente da Federação das Conferências Episcopais da Oceania , que compreende Austrália, Nova Zelândia, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Fiji e 17 outras pequenas nações do Pacifico. No total, representa 84 dioceses de 21 países, com várias características culturais, econômicas e religiosas, muitos de maioria cristã. <br />“Aproveito a ocasião para agradecer os bispos asiáticos para o envio de missionários em nossa região” observa Ribat. “A maior parte de nossos missionários atualmente provém de países da Ásia, como Índia, Filipinas, Indonésia e Vietnã”. O arcebispo, 59 anos, revela à Fides que na Oceania acabam de terminar as celebrações do 50º aniversário de algumas dioceses na Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão, e “o crescimento da Igreja local foi possível graças ao apoio fraterno das Igrejas asiáticas”. O Card. Ribat é membro dos Missionários do Sagrado Coração, congregação fundada em 1854 pelo pe. Jules Chevalier em Issoudun, na França. <br />Em relação às questões atuais, o cardeal ressalta à Fides: “Hoje, uma questão importante para as populações da Oceania é a das mudanças climáticas. Embora sejamos nós os responsáveis por este problema, somos fortemente atingidos”, lamenta. Os efeitos negativos, explica, incluem o aumento do nível do mar, a acidificação dos oceanos e chuvas em períodos anormais; fenômenos que prejudicam gravemente as comunidades de pescadores e agricultores da região. <br />“Em alguns casos, regiões e nações inteiras são ameaçadas pelo indiscutível aumento do nível dos mares. Isto afeta, por exemplo, as ilhas Carteret, Fead, Kiribati, Marshall, Mortlock, Nukumanu, Tokelau e Tuvalu”, recorda.<br />A vida e a condição social das populações indígenas da Oceania geram forte preocupação no Card. John Ribat: “Atingidos por contínuas inundações e secas, as populações reduziram significativamente a capacidade produtiva das terras e os nativos estão sendo obrigados a fugir”, releva, “o que alimenta um fenômeno migratório pouco conhecido mas que afeta os habitantes do continente”. <br />Mon, 05 Dec 2016 15:58:37 +0100ÁFRICA/MADAGASCAR - Educar para a vida e o amor: um centro na diocese de Fianarantsoahttp://www.fides.org/pt/news/61306-AFRICA_MADAGASCAR_Educar_para_a_vida_e_o_amor_um_centro_na_diocese_de_Fianarantsoahttp://www.fides.org/pt/news/61306-AFRICA_MADAGASCAR_Educar_para_a_vida_e_o_amor_um_centro_na_diocese_de_FianarantsoaFianarantsoa - “Desde 2013, a Diocese de Fianarantsoa administra o Centro E.V.A. , cujo lema é “Proteger a vida - Promover o amor”. Foi o que disse a Fides Pe. Albert Rainiherinoro, M.I. “O centro - continua Pe. Albert - é um instrumento a serviço da vida e da família. Acolhimento, escuta, consultas e acompanhamento, formação, informação, materiais audiovisuais, livros e revistas: são estes os serviços oferecidos. Além disso, à disposição dos usuários estão uma dezena de voluntários leigos e um sacerdote. A equipe responde também aos pedidos externos provenientes de várias estruturas interessadas nos temas da E.V.A, como escolas, paróquias, prisões etc. Considerado o pedido crescente de formação, este ano, organizamos duas sessões de formação para os formadores. Dentre os temas abordados: O que é E.V.A., a família segundo a Doutrina Social da Igreja, fundamentos filosóficos relativos à família, a concepção malgaxe e a espiritualidade da família, sexualidade, comunicação em família e métodos naturais de regulação do nascimento. No final de seu percurso formativo, os participantes do curso reforçarão a equipe do Centro, mesmo continuando sua formação permanente atualizando-se sobre as temáticas do E.V.A.” conclui o missionário camiliano.<br /> <br />Mon, 05 Dec 2016 15:49:12 +0100