Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt ÁFRICA/NIGÉRIA - “Um ataque inaceitável contra pessoas vulneráveis”, afirma MSF depois do bombardeio do campo de refugiados de Rannhttp://www.fides.org/pt/news/61544-AFRICA_NIGERIA_Um_ataque_inaceitavel_contra_pessoas_vulneraveis_afirma_MSF_depois_do_bombardeio_do_campo_de_refugiados_de_Rannhttp://www.fides.org/pt/news/61544-AFRICA_NIGERIA_Um_ataque_inaceitavel_contra_pessoas_vulneraveis_afirma_MSF_depois_do_bombardeio_do_campo_de_refugiados_de_RannAbuja – Pelo menos 120 pessoas ficaram feridas e 52 foram assassinadas no bombardeio realizado em 17 de janeiro pela aviação nigeriana sobre o campo de refugiados de Rann, no Estado de Borno, no norte da Nigéria, segundo um comunicado enviado à Agência Fides por Médicos Sem Fronteiras . “Este ataque de vastas proporções contra pessoas vulneráveis – que já fugiram de uma violência extrema – é assustador e inaceitável”, declara o Dr. Jean-Clément Cabrol, diretor das operações de MSF, “a segurança dos civis deve ser respeitada. Pedimos urgentemente a todas as partes envolvidas que facilitem a evacuação médica via aérea e via terra dos sobreviventes que necessitam urgentemente de assistência médica de emergência”.<br />As equipes médicas de MSF estão fornecendo primeiros-socorros aos 120 feridos na estrutura de Rann. Outras equipes médicas e cirúrgicas da organização na região estão se preparando para tratar os pacientes evacuados. <br />Wed, 18 Jan 2017 15:54:39 +0100ÁFRICA/GÂMBIA - O Presidente Jammeh não cede o poder e se prepara para o confrontohttp://www.fides.org/pt/news/61542-AFRICA_GAMBIA_O_Presidente_Jammeh_nao_cede_o_poder_e_se_prepara_para_o_confrontohttp://www.fides.org/pt/news/61542-AFRICA_GAMBIA_O_Presidente_Jammeh_nao_cede_o_poder_e_se_prepara_para_o_confrontoBanjul - O Parlamento da Gâmbia aprovou neste dia 18 de janeiro a prorrogação por mais três meses do mandato do atual Presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, faltando dois dias para entrega do poder a Adama Barrow, o Presidente eleito em 1° de dezembro . Ontem, Jammeh declarou o estado de emergência por três meses.<br />Jammeh decidiu não abandonar o poder e está disposto a resistir à ameaça de intervenção militar dos Estados vizinhos . Na Nigéria, se realizou o encontro dos líderes militares da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental , em vista de uma eventual operação para que Barrow assuma o poder. <br /><br />Wed, 18 Jan 2017 15:54:09 +0100AMÉRICA/REPÚBLICA DOMINICANA - Carta pastoral: chega de violências contra as mulheres. Respeitar a sua dignidade!http://www.fides.org/pt/news/61541-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Carta_pastoral_chega_de_violencias_contra_as_mulheres_Respeitar_a_sua_dignidadehttp://www.fides.org/pt/news/61541-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Carta_pastoral_chega_de_violencias_contra_as_mulheres_Respeitar_a_sua_dignidadeSanto Domingo – Para a grande festa patronal de Nossa Senhora de la Altagracia, que se celebra em 21 de janeiro na República Dominicana, a Conferência Episcopal preparou uma Carta pastoral intitulada “A mulher na sociedade dominicana”. Sem a pretensão de analisar o tema em todos os âmbitos sociais, a carta apresenta os aspectos mais importantes e os desafios mais urgentes relativos à mulher e à sua dignidade. <br />“As mulheres dominicanas são quase metade da população nacional: 50,2% são homens e 49,8% mulheres. A fragmentação da família aumentou a liderança exclusivamente feminina dentro das casas. As mulheres cuidam do orçamento e da gestão doméstica em tempo integral e ainda se preocupam com a própria formação profissional: 62.8% das mulheres chega a se formar, contra 37.2% dos homens”.<br />"Notamos, no entanto, que uma espiral de violência invade os espaços da sociedade dominicana – prosseguem. Tal violência toca muitos cenários, como os âmbitos da família, do trabalho e social”. “A elite de alguns países ricos, proprietários de grandes laboratórios e fábricas de armas letais, com o pretexto da superlotação e o apoio de organizações de prestígio internacional, inventaram a ideologia do gênero, cujo principal objetivo é destruir a família e cancelar os princípios éticos e morais”, escrevem os Bispos.<br />“Não obstante todas estas dificuldades, nossas mulheres, generosas e trabalhadoras, são muito esperançosas. O Santo Padre, que não concebe uma Igreja sem mulheres, pensa na Igreja peregrina na República Dominicana como um horizonte e um desafio. E lamenta que o ‘serviço’ seja confundido com ‘servidão’ quando se fala do papel das mulheres. Concluindo, convidamos todos a respeitar a sua dignidade e principalmente a educar as crianças e os jovens a fazer o mesmo”. <br />“Chega de violência contra as mulheres – concluem os Bispos – não se deve prejudicar uma obra tão bela do Criador! Exortamos as autoridades a permanecer atentos, a fim de que a efetiva aplicação da lei impeça aos violentos fazer ainda mais males a uma parte vital de nossa sociedade”.<br /> <br />Wed, 18 Jan 2017 14:24:50 +0100AMÉRICA/MÉXICO - Estado de emergência em Cancun, o Bispo pede segurança e oraçõeshttp://www.fides.org/pt/news/61539-AMERICA_MEXICO_Estado_de_emergencia_em_Cancun_o_Bispo_pede_seguranca_e_oracoeshttp://www.fides.org/pt/news/61539-AMERICA_MEXICO_Estado_de_emergencia_em_Cancun_o_Bispo_pede_seguranca_e_oracoesCancun – Diante da proclamação do “estado de emergência” em Cancun, Quintana Roo , depois de alguns casos de violência, Dom Pedro Pablo Elizondo Cárdenas, L.C., Bispo da prelazia territorial de Cancún-Chetumal, convidou as autoridades a “manter a paz e garantir a segurança à população, salvaguardar a vida e garantir a proteção da população e dos turistas”. <br />Em nota enviada à Fides, o Bispo convida os cidadãos a “respeitar as regras de segurança e a permanecer em casa. Escutar as autoridades competentes e prestar atenção aos comunicados das autoridades em relação à situação”. No final, convida “todos os católicos a oferecer sua oração pessoal e familiar com uma intenção especial pela paz e sobretudo durante o grande silêncio depois da comunhão, a rezar juntos pela paz e a reconciliação no México”. <br />A imprensa local informa que em Cancun uma dezena de homens armados, prováveis membros de uma gangue local, segunda-feira, 16 de janeiro, abriu fogo contra o escritório do procurador geral. A polícia, chegando ao local, respondeu ao fogo e segundo informações iniciais, um funcionário da procuradoria e três homens armados foram mortos. O prefeito de Cancun, no Twitter, disse: “O ataque contra o gabinete do procurador geral do Estado é inaceitável” e convidou os cidadãos à calma. As autoridades “estão aplicando rígidos protocolos para controlar a situação e capturar os responsáveis”. <br />Quase ao mesmo tempo, ouviram-se tiros em outras partes da cidade, mas as causas ainda não estão claras. O ataque ao gabinete do procurador aconteceu um dia depois do tiroteio em uma discoteca próximo de Playa del Carmen, que deixou cinco mortos. <br /> <br />Wed, 18 Jan 2017 14:24:03 +0100EUROPA/ALBÂNIA - Ordem de despejo para a paróquia católica e o centro juvenil de Elbasanhttp://www.fides.org/pt/news/61532-EUROPA_ALBANIA_Ordem_de_despejo_para_a_paroquia_catolica_e_o_centro_juvenil_de_Elbasanhttp://www.fides.org/pt/news/61532-EUROPA_ALBANIA_Ordem_de_despejo_para_a_paroquia_catolica_e_o_centro_juvenil_de_ElbasanElbasan – Em 20 de janeiro, a paróquia São Pio X e o Centro pastoral de Elbasan, confiados aos religiosos orioninos, serão fechados, após a sentença do Tribunal de Recursos albanês. Os sacerdotes serão despejados, privando de cuidados pastorais a minoria de fiéis católicos. Segundo as notícias recebidas pela Fides, está em andamento há anos em Elbasan uma controvérsia sobre a propriedade do terreno em que se situam a Igreja e o Centro pastoral.<br />O terreno foi vendido há 20 anos pelo Estado à Igreja católica e nele foram construídos a igreja e o centro pastoral, com o aval emitido pelas autoridades competentes locais. A inauguração aconteceu em 1997. Em 2007, o antigo proprietário reivindicou a propriedade do terreno e o Tribunal lhe deu razão. <br />A questão parecia resolvida com a mediação de uma Comissão instituída entre o Governo albanês e a Igreja católica, como previsto pela Concordata, mas a Comissão julgadora do Tribunal de Tirana se expressou de maneira definitiva rechaçando o recurso da Igreja católica da Albânia e da Advocacia do Estado sobre a questão do terreno de Elbasan. A sentença, ao se tornar operativa, obriga a liberar o terreno de tudo o que contém e a restituí-lo.<br />Nestes dias, os religiosos orioninos da Albânia transmitiram à Direção provincial da Obra Dom Orione em Roma, de quem a missão depende, sua séria preocupação. Do mesmo modo, foram informados os Bispos albaneses e a Nunciatura Apostólica. <br /><br />Tue, 17 Jan 2017 08:34:08 +0100ÁFRICA/NIGÉRIA - “Ranchos para deter as violências dos pastores nômades”, afirma o Arcebispo de Kadunahttp://www.fides.org/pt/news/61537-AFRICA_NIGERIA_Ranchos_para_deter_as_violencias_dos_pastores_nomades_afirma_o_Arcebispo_de_Kadunahttp://www.fides.org/pt/news/61537-AFRICA_NIGERIA_Ranchos_para_deter_as_violencias_dos_pastores_nomades_afirma_o_Arcebispo_de_KadunaAbuja - “Os contínuos confrontos entre agricultores e pastores são uma clara indicação de que o antigo método de criação através das chamadas ‘vias do gado’ com reservas de pastos é obsoleto e insustentável e, portanto, é urgente que os latifundiários arrendam suas terras aos pastores para as criações”, afirmou Dom Mathew Man'Oso Ndagoso, Arcebispo de Kaduna, em sua homilia para a consagração episcopal de Dom Philip Davou Dung, o segundo Bispo de Shendam.<br />A região de Kaduna está abalada há meses por ataques perpetrados pelos pastores Fulani, que procuram novos pastos e entram em atrito com as populações estáveis .<br />Dom Ndagoso identificou as raízes dos incessantes confrontos mortais entre agricultores e pastores no movimento contínuo de pastores em busca de pastos para seus animais. <br />“Exortamos todos os interessados a fazer o necessário para favorecer a criação de um ambiente favorável à instituição gradual de ranchos por parte dos governos, comunidades e indivíduos, para contribuir em conter a violência que ameaça a existência social de nosso país”, destacou. <br />Dom Ndagoso citou a declaração conjunta dos Bispos católicos da província eclesiástica de Kaduna : “Olhando avante devemos notar que o debate sobre os pastores é um debate sobre o futuro da nossa sobrevivência humana, sobre o meio ambiente e o nosso país. Devemos abandonar a antiga prática dos pastores que se movimentam em massa em todo o país, sobretudo em consideração das violências que desencadeiam nosso povo. Hoje, comunidades inteiras foram destruídas e a raiva em nossos país é palpável. Estamos convencidos de que o único caminho a seguir pelo governo é deter o movimento dos pastores e de seus animais, explorando as opções para a criação de ranchos , ao invés de reservas de pastos. Nós cremos que a criação de ranchos tenha sentido, seja humana como economicamente”. <br />Tue, 17 Jan 2017 08:33:37 +0100ÁSIA/FILIPINAS - Congresso apostólico: misericórdia e cultura da vidahttp://www.fides.org/pt/news/61536-ASIA_FILIPINAS_Congresso_apostolico_misericordia_e_cultura_da_vidahttp://www.fides.org/pt/news/61536-ASIA_FILIPINAS_Congresso_apostolico_misericordia_e_cultura_da_vidaManilha – A misericórdia não é um sentimento abstrato, mas uma atribuição de Deus que olha ao homem, ao valor da vida, aos direitos fundamentais da pessoa. Por isso, o quarto Congresso Apostólico Mundial da Misericórdia que se realiza na Universidade Santo Tomás em Manilha, nas Filipinas, presta grande atenção a estes temas e à realidade da nação, que atravessa uma crise dos direitos humanos, vista a “guerra à droga” lançada pelo governo que está causando milhares de vítimas. É o que afirma o Bispo Ruperto Santos de Balanga recordando, em nota enviada à Fides, que “a misericórdia é coligada com a vida, ama e defende a vida. É sempre centrada na vida”. <br />Enquanto o Congresso registra uma participação maciça de batizados, vários grupos eclesiais laicais anunciaram que descerão às ruas em Manilha para estigmatizar a série de “execuções extrajudiciais” em andamento no país: “A Marcha pela vida” está marcada para 18 de fevereiro. Os leigos devem expressar sua contrariedade à campanha que fez até agora mais de 6.200 homicídios de presumíveis criminosos e traficantes de drogas. “Nós, leigos católicos filipinos, desejamos protestar contra toda forma de ameaça à vida e à dignidade humana promovida por organizações e autoridades econômicas, sociais e políticas”, afirma um comunicado enviado à Fides. “Queremos dizer ao nosso governo que somos contrários a esta cultura de morte”. <br /> <br />Tue, 17 Jan 2017 08:33:05 +0100ÁSIA/BANGLADESH - Ser mulher e jornalista nem sempre é fácil: diferença de gênero no paíshttp://www.fides.org/pt/news/61534-ASIA_BANGLADESH_Ser_mulher_e_jornalista_nem_sempre_e_facil_diferenca_de_genero_no_paishttp://www.fides.org/pt/news/61534-ASIA_BANGLADESH_Ser_mulher_e_jornalista_nem_sempre_e_facil_diferenca_de_genero_no_paisDaca - O jornalismo em Bangladesh é uma profissão que atrai muitas pessoas de ambos os sexos, mas devido a preconceitos sociais e ambientes de trabalho hostis, o número de mulheres envolvidas na mídia permanece pequeno. Um relatório recentemente divulgado mostra que no país apenas 5% das mulheres trabalham na mídia impressa e 25% para mídia on-line.<br />Ser mulher e jornalista muitas vezes não é tão fácil. “Devemos estar prontas para qualquer tipo de obstáculo e desafio, começando pela desconfiança da família que quer as mulheres em segurança”, conta o vice-diretor de United News of Bangladesh . “Em nossa sociedade, muitas vezes as mulheres são prejudicadas. Você não pode ir tão longe porque é uma mulher. Não pode trabalhar à noite porque você é uma mulher ... e assim por diante”, afirma a nota enviada à Fides.<br />News Network, organização sem fins lucrativos que apoia os meios de comunicação, foi a primeira, na década de 90 a oferecer formação em jornalismo para as universidades por meio de programas de bolsas de estudo. A organização também já treinou quase 300 jovens e futuros jornalistas com o apoio, entre outros de Diakonia, Free Press, Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional. O programa teve sucesso com 60% dos participantes que atualmente trabalham para meios de comunicação importantes no país. <br /><br /><br />Tue, 17 Jan 2017 08:03:44 +0100ÁSIA/LÍBANO - Presidente Aoun: para os cristãos no Oriente Médio a corrida pelo dinheiro é mais perigosa do que as bombashttp://www.fides.org/pt/news/61538-ASIA_LIBANO_Presidente_Aoun_para_os_cristaos_no_Oriente_Medio_a_corrida_pelo_dinheiro_e_mais_perigosa_do_que_as_bombashttp://www.fides.org/pt/news/61538-ASIA_LIBANO_Presidente_Aoun_para_os_cristaos_no_Oriente_Medio_a_corrida_pelo_dinheiro_e_mais_perigosa_do_que_as_bombasBeirute – O número de cristãos no Oriente Médio diminui não apenas por causa dos conflitos e das violências, mas também pelo atitude das comunidades cristãs de não assumirem responsabilidades políticas na gestão das instituições públicas. E o primeiro risco para os cristãos médio-orientais não são as bombas, mas a difusão, dentre eles, de uma certa ganância por dinheiro e recursos. É o que frisou o Presidente libanês Michel Aoun, cristão maronita, recebendo segunda-feira, 16 de janeiro, no Palácio presidencial, os membros do Comitê executivo do Conselho das Igrejas do Oriente Médio. Faziam parte da delegação os representantes de Igrejas e comunidades eclesiais médio-orientais, inclusive o Patriarca Mar Ignatios Aphrem II, Primaz da Igerja sírio-ortodoxa, e o Patriarca Yohanna X, líder da Igreja greco-ortodoxa de Antioquia. <br />Em seu pronunciamento – afirmam as fontes locais consultadas pela Agência Fides – o Presidente libanês se referiu à redução drástica da presença de cristãos autóctones na Palestina e no Iraque, aonde desde a primeira Guerra do Golfo até hoje os cristãos passaram de mais de um milhão para 300 mil. “E da Síria”, acrescentou o líder político libanês “não sabemos ainda o número de cristãos emigrados”. Diante destes processos – sublinhou Aoun – é preciso reconhecer que somente a participação ativa dos cristãos na vida política da nação pode, a longo prazo, preservar a continuidade de presenças das comunidades cristãs autóctones. <br />“O cristianismo”, disse o ex-general, “não chegou aqui desde o exterior, e quando os cristãos no Oriente Médio perdem seus direitos e olham ao exterior, isto se torna, para eles, mais um fator de perigo”. <br />A colocar em dúvida a permanência dos cristãos no Oriente Médio - sugeriu Aoun, expressando um pensamento original em relação a tantos estereótipos dominantes - não são tanto as bombas, as armas ou incursões aéreas, mas o risco de ser infectado por uma determinada “sede de dinheiro”. Aoun fez acenos à experiência dos mártires, salientando que no cristianismo o martírio é uma experiência de ressurreição, não de morte e fracasso. “Alguns políticos”, disse Aoun, talvez com referência ao uso da palavra “mártir” para indicar todo combatente que morre em batalha ou os responsáveis de atentados suicidas, “criticaram o conceito de martírio, mas na vida cristã o martírio é dar a vida pelos outros. Expressa a realidade da redenção”. Jesus, com o seu martírio - salientou Aoun - “fez isso por nós”.<br />Durante o encontro, o Presidente Aun também doou ao Patriarca ortodoxo Yohanna X - cujo irmão Boulos Yazigi, Metropolita greco-ortodoxo de Aleppo foi sequestrado na Síria em abril de 2013 - um Evangeliário em grego, confiscado pelo Exército libanês a um jihadista que o tinha roubado de um dos santuários cristãos de Maalula, povoado cristão onde se fala o aramaico, ocupado por duas vezes pelas milícias jihadistas de al Nusra entre 2013 e 2014. .<br />Tue, 17 Jan 2017 08:02:25 +0100AMÉRICA/EQUADOR - Violação dos direitos das comunidades indígenas denunciada pela REPAMhttp://www.fides.org/pt/news/61535-AMERICA_EQUADOR_Violacao_dos_direitos_das_comunidades_indigenas_denunciada_pela_REPAMhttp://www.fides.org/pt/news/61535-AMERICA_EQUADOR_Violacao_dos_direitos_das_comunidades_indigenas_denunciada_pela_REPAMMorona Santiago – "Expressamos a nossa profunda preocupação e denunciamos os recentes eventos que envolvem a população Shuar do Equador, na província de Morona Santiago, em especial a remoção de colonos, indígenas e camponeses da comunidade Nankints em prol dos interesses da empresa minerária chinesa Ecuacorrientes SA": essas são as palavras da nota enviada a Fides pela REPAM .<br />"Camponeses e indígenas compartilharam este espaço por um longo período de tempo. O conflito atual está claramente ligado à política de exploração dos recursos naturais que foi imposta na região amazônica com a concessão de direitos a grupos da iniciativa privada, com a grave violação dos direitos humanos e contra a proteção dos ecossistemas", continua a nota.<br />"Pedimos que os direitos sejam respeitados , o respeito pelo diálogo razoável, o fim imediato e o não repetir-se de um estado de emergência que favorece um contexto de maior confronto e violência, dar prioridade aos interesses das comunidades que viveram nesses territórios ao invés dos interesses extrativistas externos".<br />Em 12 de janeiro, o governo do presidente Correa prorrogou por 30 dias o “estado de emergência” por causa do conflito entre a comunidade Nankints e a sociedade minerária chinesa Exsa. Segundo a imprensa equatoriana, o estado de emergência serve principalmente para militarizar a região, invadir as casas dos camponeses ou proibir encontros de todo gênero. Nos primeiros dias de janeiro, houve confrontos entre habitantes e soldados com o resultado de um militar morto e muitos residentes detidos.<br />A Confederação Nacional dos Indígenas do Equador denunciou que não existem provas contra os camponeses pelos atos de violência ocorridos em dezembro de 2016 e em janeiro de 2017. "A prorrogação do estado de emergência por 30 dias é um sinal claro de provocação e da incapacidade do governo de resolver os problemas de modo pacífico. O que o Estado fez foi eliminar os direitos da comunidade", se lê no comunicado da CONAIE.<br /> Tue, 17 Jan 2017 22:37:21 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Confirmação do Diretor nacional das POM, Pe. Andrew Small OMIhttp://www.fides.org/pt/news/61531-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Confirmacao_do_Diretor_nacional_das_POM_Pe_Andrew_Small_OMIhttp://www.fides.org/pt/news/61531-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Confirmacao_do_Diretor_nacional_das_POM_Pe_Andrew_Small_OMICidade do Vaticano – O Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, em 4 de março de 2016 confirmou no cargo de Diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias nos Estados Unidos para outro quinquênio , o pe. Andrew Small, dos Oblatos Missionários de Maria Imaculada . Tue, 17 Jan 2017 22:36:36 +0100AMÉRICA/PANAMÁ - “O país não é apenas um dom, mas uma responsabilidade”: conclusões da Assembleia dos Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/61533-AMERICA_PANAMA_O_pais_nao_e_apenas_um_dom_mas_uma_responsabilidade_conclusoes_da_Assembleia_dos_Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/61533-AMERICA_PANAMA_O_pais_nao_e_apenas_um_dom_mas_uma_responsabilidade_conclusoes_da_Assembleia_dos_BisposCidade do Panamá - Na conclusão da Assembleia da Conferência Episcopal do Panamá , os Bispos enviaram um comunicado ao povo de Deus. O primeiro ponto do documento enviado a Fides diz respeito ao compromisso da CEP na organização dos "Dias nas Dioceses" que precedem a Jornada Mundial da Juventude 2019. Os jovens que chegarão às várias dioceses do país serão acolhidos nas famílias. Uma prova geral será feita de 2 a 5 de fevereiro, com a celebração do XXXVIII Encontro Nacional de Renovação da Juventude, em Chitré. A mensagem lança um apelo à não-violência: na verdade, a violência no Panamá está se tornando, infelizmente, um estilo de vida, e os Bispos convidam a uma mudança de forma radical.<br />A segunda parte do documento analisa vários aspectos da situação nacional a ser mantida sob controle: a família, a instrução pública, a ideologia de gênero e a ajuda econômica internacional, que chega segundo condições diversas. <br />Em resposta a esta análise, os Bispos propõem combater a pobreza com o empenho de transformar o assistencialismo em promoção humana e a corrupção com uma ética social justa. "Cada um deve estar aberto às exigências da solidariedade e do bem comum. A pobreza não é somente uma questão econômica, é também uma questão moral e cultural. É esta pobreza moral e cultural que nos impediu empreender as mudanças necessárias", lê-se no texto.<br />"Devemos ter em mente que o país não é um sítio, mas uma herança que é preciso saber aceitar, proteger e engrandecer; é um bem comum e, como tal, não somente um dom, mas também uma responsabilidade", conclui o documento. <br /> Tue, 17 Jan 2017 22:36:01 +0100AMÉRICA/BRASIL - Dom Vieira: “É urgente enfrentar os problemas do nosso sistema carcerário”http://www.fides.org/pt/news/61529-AMERICA_BRASIL_Dom_Vieira_E_urgente_enfrentar_os_problemas_do_nosso_sistema_carcerariohttp://www.fides.org/pt/news/61529-AMERICA_BRASIL_Dom_Vieira_E_urgente_enfrentar_os_problemas_do_nosso_sistema_carcerarioNatal - O Arcebispo de Natal , Dom Jaime Vieira Rocha, divulgou um comunicado sobre o massacre ocorrido na noite de sábado, 14 de janeiro, quando pelo menos 26 presos foram mortos durante uma briga entre gangues na Penitenciária de Estado Alcaçuz, em Nísia Floresta, região metropolitana de Natal.<br />“Sem dúvida, precisamos de uma reflexão urgente sobre as condições de nossas prisões. Suplicamos ao bom Deus para acalmar estes irmãos e renunciar à violência e pedimos a sociedade e o Estado para buscar o diálogo e encontrar maneiras de resolver os problemas que afligem nosso sistema carcerário”, lê-se no comunicado.<br />Segundo dados obtidos por Fides, vinte e seis presos foram mortos, quase todos decapitados, na revolta que eclodiu na Penitenciária Alcaçuz que se tornou a mais violenta na história do Rio Grande do Norte. As brigas começaram na tarde de sábado, 14 de janeiro, e só terminaram na manhã do dia seguinte. Trata-se do terceiro caso com dezenas de mortos nas prisões do país em 2017. No início de janeiro, houve massacres semelhantes em Manaus e Boa Vista . O maior problema para a convivência dentro da prisão é a falta de espaço para os detentos, como pessoas indivíduos e como grupos ou gangues. De acordo com dados da Secretaria de Justiça e Cidadania , organismo responsável pelo sistema prisional do Rio Grande, o cárcere de Nísia Floresta é a maior prisão no Estado, tem uma capacidade de 620 prisioneiros, mas abriga cerca de 1.150. Neste Estado existem 33 prisões com 3.500 lugares, mas a população carcerária supera 8.000 detentos. <br /><br />Mon, 16 Jan 2017 07:52:37 +0100ÁSIA/TURQUIA - Deputado cita o Genocídio armênio no Parlamento turco: suspenso por 3 sessõeshttp://www.fides.org/pt/news/61530-ASIA_TURQUIA_Deputado_cita_o_Genocidio_armenio_no_Parlamento_turco_suspenso_por_3_sessoeshttp://www.fides.org/pt/news/61530-ASIA_TURQUIA_Deputado_cita_o_Genocidio_armenio_no_Parlamento_turco_suspenso_por_3_sessoesAnkara - O deputado armênio do Parlamento turco Garo Paylan, representante do Partido Democrático dos Povos em 13 de janeiro, foi suspenso por três sessões parlamentares depois de fazer referência ao genocídio armênio, durante o debate em plenário sobre o tema da nova Constituição turca.<br />Em seu discurso, segundo a Agência de informação nacional Anadolu, o deputado citou o período em que, a partir de 1913, armênios, assírios, gregos e judeus presentes na Península da Anatólia foram “banidos daquelas terras ou submetidos a violência, até sofrer massacres e genocídio”. O povo armênio, salientou Paylan, “sabe muito bem o que aconteceu... Eu chamo isso de genocídio, qualquer que seja a maneira que vocês o definem”.<br />O discurso de Paylan causou reações ressentidas de deputados do AKP, Partido no poder, que solicitaram e obtiveram a medida disciplinar adotada contra o deputado armênio. .<br /><br />Mon, 16 Jan 2017 07:39:31 +0100ÁSIA/TAILÂNDIA - Dia da Criança celebrado “brincando com armas de guerra”http://www.fides.org/pt/news/61523-ASIA_TAILANDIA_Dia_da_Crianca_celebrado_brincando_com_armas_de_guerrahttp://www.fides.org/pt/news/61523-ASIA_TAILANDIA_Dia_da_Crianca_celebrado_brincando_com_armas_de_guerraBangcoc - Na Tailândia, desde 1955, o Dia Mundial da Criança é comemorado no segundo sábado de janeiro. Durante este dia, as crianças visitam a sede do Governo, o Parlamento, vão aos parques naturais, participam de shows e eventos de rua. No entanto, as crianças “celebram” este aniversário “brincando” com verdadeiras armas de guerra exibidas realmente nas visitas a quartéis militares, onde são expostos veículos e armas de guerra, tanques e aviões. Este ano, no sábado, 15 de janeiro, um desses eventos terminou em tragédia quando um caça Saab 39 Gripen caiu fora da pista depois de realizar uma manobra de simulação de ataque sob o olhar atento das crianças. <br />Mon, 16 Jan 2017 07:26:07 +0100AMÉRICA/EL SALVADOR - Ainda necessário o diálogo entre Governo e grupos pela paz e reconciliação autênticahttp://www.fides.org/pt/news/61525-AMERICA_EL_SALVADOR_Ainda_necessario_o_dialogo_entre_Governo_e_grupos_pela_paz_e_reconciliacao_autenticahttp://www.fides.org/pt/news/61525-AMERICA_EL_SALVADOR_Ainda_necessario_o_dialogo_entre_Governo_e_grupos_pela_paz_e_reconciliacao_autenticaSan Salvador - “O país precisa de consenso político e isso supõe o diálogo, olhar além, não imediato”, disse ontem o Bispo Auxiliar de San Salvador, Dom Dom Gregório Rosa Chavez, na habitual coletiva de imprensa do domingo. “O espírito de paz deve ser recuperado, porque nós assinamos a paz, mas não vivemos em paz, e menos ainda reconciliados”, disse o Bispo recordando a data de 16 de janeiro de 1992, quando na presença do representante da ONU, o Governo e o grupo guerrilheiro FMLN assinaram um acordo de paz para acabar com a guerra civil que em 12 anos deixou mais de 75 mil mortos.<br />Este aniversário, segundo o Bispo, é festejado “num momento de profunda crise e de grande desespero", em parte devido à falta de acordos políticos: “Estamos sem um balanço do Estado para este ano, e há uma grande violência social”.<br />Dom Gregorio Rosa Chavez informou que a Igreja Católica está pronta a apoiar um diálogo entre as autoridades e os grupos somente se sua participação for solicitada e se existirem as condições favoráveis de recíproca confiança e sempre no âmbito de normas estabelecidas. Durante a coletiva de imprensa, destacou a importância do verdadeiro diálogo: "Creio que o diálogo seja indispensável, tudo depende do modo em que é feito. Vimos várias vezes que se tentou o diálogo, mas por trás havia uma posição de força, se pretendia ver quem era o mais forte, a polícia ou os grupos. Este esquema foi utilizado inclusive na guerra".<br />Depois recordou que na tentativa de negociar em 2012, Dom Fabio Colindres participou de modo informal: "Foi-lhe pedido e ele aceitou, foi muito generoso no seu trabalho". Segundo publicado por Fides naquela ocasião , Dom Colindres, que na época estava em contato com os líderes na prisão da duas principais bandas armadas do país, tinha conseguido chegar a uma trégua. O próprio Dom Colindres reconheceu desde então que o pacto não era uma solução definitiva ao problema da violência extrema que estava ensanguentando El Salvador, um país de pouco mais de seis milhões de pessoas, onde em 2011 houve 4.354 homicídios, segundo dados oficiais.<br />O duro trabalho de promover a trégua e criar um diálogo sincero durou mais de um ano, inclusive com a contribuição da Organização dos Estados Americanos , que em abril de 2013 assinou um acordo de cooperação com o governo de El Salvador, no qual era proposta a criação de uma missão de assistência à segurança para apoiar o processo de paz social, que considerava positivo o primeiro resultado da trégua entre os grupos .<br /> <br />Mon, 16 Jan 2017 22:18:04 +0100AMÉRICA/CANADÁ - Todos os anos, no mundo nascem 119 mil crianças afetadas pela síndrome do alcoolismo fetalhttp://www.fides.org/pt/news/61526-AMERICA_CANADA_Todos_os_anos_no_mundo_nascem_119_mil_criancas_afetadas_pela_sindrome_do_alcoolismo_fetalhttp://www.fides.org/pt/news/61526-AMERICA_CANADA_Todos_os_anos_no_mundo_nascem_119_mil_criancas_afetadas_pela_sindrome_do_alcoolismo_fetalOttawa – Um estudo do Centro para a Dependência e a Saúde Mental do Canadá divulgou as primeiras estimativas, em nível mundial, do número de mulheres que bebem álcool durante a gravidez. Segundo os dados publicados no The Lancet Global Health, se trata de cerca 10%, e todos os anos 119 mil crianças nascem com a síndrome do alcoolismo fetal devido ao consumo. Do estudo, enviado a Fides, emergem grandes diferenças entre regiões e países. Em alguns, se estima que mais de 45% das mulheres bebem álcool durante a gravidez. Em outros, como o Canadá, onde são fortes as indicações clínicas a favor da abstinência durante este período, se estima que 10% mantenha o vício. As consequências mais graves recaem em 15 a cada 10 mil pessoas que sofrem de um distúrbio de alcoolismo fetal em todo o mundo, caracterizado por problemas mentais, comportamentais e de aprendizagem, além de deficiências físicas. <br />Os cinco países onde as mulheres mais consomem álcool durante a gravidez estão na Europa: Rússia, Reino Unido, Dinamarca, Belarus e Irlanda. Além disso, como região, a Europa é também aquela com a maior concentração de uso do álcool entre as mulheres grávidas em relação à média mundial. Os níveis mais baixos de consumo de álcool durante a gravidez e a síndrome do alcoolismo fetal, ao invés, foram registrados nas regiões do Mediterrâneo oriental e no sudeste asiático. Nem todas as mulheres que bebem durante a gravidez terão um filho com este distúrbio; todavia, se estima que uma criança a cada 67 mães que consomem álcool desenvolverão a síndrome. Embora seja conhecido que o álcool possa prejudicar qualquer órgão do feto durante o seu desenvolvimento, em especial o cérebro, ainda não se sabe exatamente aquilo que torna o feto mais sensível em termos de quantidade ou de frequência do consumo de álcool, já que poderiam influir outros fatores, como a genética, o estresse, o fumo e a alimentação.<br /> Mon, 16 Jan 2017 22:17:29 +0100ÁFRICA/RD CONGO - O fracassado ataque à prisão de Beni é mais um sinal do reinício da guerrilhahttp://www.fides.org/pt/news/61528-AFRICA_RD_CONGO_O_fracassado_ataque_a_prisao_de_Beni_e_mais_um_sinal_do_reinicio_da_guerrilhahttp://www.fides.org/pt/news/61528-AFRICA_RD_CONGO_O_fracassado_ataque_a_prisao_de_Beni_e_mais_um_sinal_do_reinicio_da_guerrilhaKinshasa – Fracassou o ataque à prisão central de Beni, Kivu do Norte, por parte de um grupo armado presumivelmente formado por milicianos May May. Segundo notícias recebidas pela Agência Fides, um comando de homens armados atacou a penitenciária entre 2h e 2h30 da manhã de ontem, domingo, 15 de janeiro.<br />Depois de afastar os guardas carcerários, os milicianos tentaram forçar o portão da prisão, mas foram afugentados pelo exército que na ação, matou um dos atacantes. <br />Simultaneamente, uma tentativa de fuga foi descoberta no reformatório da cidade e apenas um jovem conseguiu fugir. Segundo a ONG local CEPADHO , as duas tentativas de fuga eram coordenadas. Não foram simples atos de banditismo, mas uma tentativa de guerrilheiros locais de reforçar suas tropas libertando companheiros presos.<br />Segundo o CEPADHO, os milicianos que atacaram a prisão de Beni são os mesmos que atacaram o próprio cárcere e o município de Beni em 20 de dezembro passado. Seria um grupo filiado aos May-May Corps du Christ, ligados por sua vez aos rebeldes ugandeses do ADF. O líder dos May-May Corps du Christ, Bwambale Karole, anunciou que vai guiar uma nova rebelião para “libertar o Kivu do Norte”. <br />O CEPADHO advertiu as autoridades de Kinshasa que uma nova guerra está sendo preparada no Kivu do Norte após as ameaças de Bwambale Karole e desaparecimento de vários homens da antiga rebelião M23 que se haviam refugiado em Uganda. <br />Mon, 16 Jan 2017 18:44:29 +0100ÁFRICA/QUÊNIA - Há mais de um mês da greve de médicos e enfermeiros, um novo apelo dos Bispos para salvar vidas humanashttp://www.fides.org/pt/news/61524-AFRICA_QUENIA_Ha_mais_de_um_mes_da_greve_de_medicos_e_enfermeiros_um_novo_apelo_dos_Bispos_para_salvar_vidas_humanashttp://www.fides.org/pt/news/61524-AFRICA_QUENIA_Ha_mais_de_um_mes_da_greve_de_medicos_e_enfermeiros_um_novo_apelo_dos_Bispos_para_salvar_vidas_humanasNairóbi – Os Bispos do Quênia fizeram um novo apelo aos médicos e enfermeiros para que garantam os serviços básicos aos pacientes em risco de vida e aos que necessitam de cuidados urgentes. O pessoal médico das estruturas públicas está em greve desde 5 de dezembro. O protesto está causando gravíssimos sofrimentos aos doentes e segundo notícias recebidas pela Agência Fides, dezenas de pessoas morreram pela falta de cuidados. Os Bispos já haviam dirigido um premente apelo aos pessoal médico para que fossem assegurados serviços de base para salvar vidas humanas .<br />Em uma declaração enviada pela Agência Fides, Dom Philip Anyolo, Bispo de Homabay e Presidente da Kenya Conference of Catholic Bishops , expressou a preocupação da Igreja pelos sofrimentos causados pela greve. Dom Anyolo agradeceu o pessoal dos hospitais públicos e particulares que, não obstante tudo, continua a atender às emergências médicas. “Sabemos que continuam cheios de trabalho ao ponto de chegar ao burnout” afirma o comunicado. “Agradecemos também as instituições de saúde particulares não-estatais que continuam atendendo emergências e salvando vidas, apesar das solicitações sobre suas exigências, especialmente quando as pessoas atingidas não podem pagar completamente os custos das terapias”.<br />Os Bispos fazem um forte apelo a governo, sindicatos e trabalhadores para que “façam suas escolhas e empreendam ações a fim de que o serviço médico regular seja restabelecido sem novos atrasos”. <br /> <br /><br />Mon, 16 Jan 2017 18:43:51 +0100ÁFRICA/EGITO - Arquivado por “falta de provas” o caso da idosa copta de Karm agredida e despida por extremistas islâmicoshttp://www.fides.org/pt/news/61522-AFRICA_EGITO_Arquivado_por_falta_de_provas_o_caso_da_idosa_copta_de_Karm_agredida_e_despida_por_extremistas_islamicoshttp://www.fides.org/pt/news/61522-AFRICA_EGITO_Arquivado_por_falta_de_provas_o_caso_da_idosa_copta_de_Karm_agredida_e_despida_por_extremistas_islamicosMinya – As autoridades judiciais egípcias decidiram não proceder com o processo sobre o caso de Suad Thabet, 70, a copta que foi agredida, despida em público e arrastada nua pelas ruas da cidade durante um ataque sectário perpetrado em fins de maio passado por extremistas islâmicos contra alvos cristãos na aldeia de Karm, na província egípcia de Minya. O advogado da senhora – informam fontes egípcias consultadas pela Agência Fides – comunicou que o ministério público decretou, sábado, 14 de janeiro, o arquivamento do caso por “falta de provas”. A senhora, entrevistada por uma TV copta sediada nos EUA, informou que desde o dia do ataque, nem ela nem sua família retornaram à sua aldeia, tendo recebido ameaças de extremistas. <br />A explosão da violência sectária em Karm, ocorrida poucos dias depois do encontro em Roma entre o Papa Francisco e o Grande Imame de al Azhar, Ahmed al Tayyib, atraiu a atenção do debate público no Egito, sobretudo pelas violências e humilhações perpetradas contra a idosa. <br />No ataque, além da brutalidade sofrida pela senhora, os agressores saquearam e incendiaram sete casas e lojas de cristãos coptas. <br />A agressividade do bando foi desencadeada pelos boatos relativos a uma relação sentimental entre um egípcio copta e uma muçulmana. O Patriarca copta ortodoxo Tawadros II havia difundido um comunicado levantando a possibilidade que os fatos de Karm pudessem ser usados para provocar uma nova espiral de confrontos confessionais. O próprio Presidente Abdel Fattah al Sisi, com um comunicado divulgado em 26 de maio pelo gabinete presidencial, apelou aos ministérios competentes para que os responsáveis das violências de al Karm fossem solicitamente identificados e punidos. Nas semanas após o ataque, pelo menos 8 pessoas foram presas dentre os 14 acusados por tomar parte das violências sectárias. .<br />Mon, 16 Jan 2017 18:43:04 +0100