Fides News Portuguêshttp://www.fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/ARGENTINA – Mensagem da Igreja para a Festividade nacional: ‘não’ ao ódio, fazer política com integridade moralhttp://www.fides.org/pt/news/40018-AMERICA_ARGENTINA_Mensagem_da_Igreja_para_a_Festividade_nacional_nao_ao_odio_fazer_politica_com_integridade_moralhttp://www.fides.org/pt/news/40018-AMERICA_ARGENTINA_Mensagem_da_Igreja_para_a_Festividade_nacional_nao_ao_odio_fazer_politica_com_integridade_moralBuenos Aires – Na Catedral de Buenos Aires e na Basílica de Lujan, foi celebrado ontem, segundo a tradição, o Te Deum por ocasião do feriado nacional no aniversário da Revolução de Maio. O Arcebispo de Buenos Aires, Card. Mario Aurelio Poli, e o Arcebispo de Mercedes e Lujan, Dom Agustín Roberto Radrizzani, S.D.B., presidiram o rito, com a presença das máximas autoridades do Estado: a presidente Cristina Kirchner em Lujan e Mauricio Macri, líder da oposição, em Buenos Aires.<br />Segundo a nota recebida pela Fides de uma fonte local, a mensagem dos dois Arcebispos teve um único tema: deixar para trás as tensões, divisões, a luta e os ódios; rejeitar a ideia de ‘adversário’ e de ‘inimigo’. O Card. Poli, sucessor no cargo do Arcebispo Jorge Bergoglio, pediu aos candidatos à presidência, como Mauricio Macri, que estavam presentes, “para assumirem o país” e tentar exercer a arte da política “com integridade moral, esquecendo-se dos próprios interesses, com sabedoria, contra a injustiça e a opressão”. No ano passado, após 10 anos de ausência, a Presidente Cristina Kirchner participou do Te Deum na festividade nacional na Catedral metropolitana , mas este ano, eleitoral, preferiu ir a Lujan, por outras razões. Tue, 26 May 2015 10:38:36 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - “Chega de mortos! É preciso chegar rapidamente a um acordo”, pede o Card. Salazar Gómezhttp://www.fides.org/pt/news/40017-AMERICA_COLOMBIA_Chega_de_mortos_E_preciso_chegar_rapidamente_a_um_acordo_pede_o_Card_Salazar_Gomezhttp://www.fides.org/pt/news/40017-AMERICA_COLOMBIA_Chega_de_mortos_E_preciso_chegar_rapidamente_a_um_acordo_pede_o_Card_Salazar_GomezBogotá – O Arcebispo de Bogotá, Cardeal Rubén Salazar Gómez, falando à imprensa local, reiterou que a guerra deve acabar e que se deve chegar rapidamente a um acordo entre o governo e as Farc. Como assinala a nota enviada à Fides, o Cardeal disse expressamente: “Basta! Chega de mortos! Creio que seja um alarme para os negociadores levarem à sério o fato que não podem continuar indefinidamente a resolver pequenos ou grandes diferenças na mesa do diálogo em Havana. É preciso chegar rapidamente ao fim deste conflito, de modo que não haja mais nenhum morto!”. As delegações do governo colombiano e das Farc retomaram ontem, segunda-feira, 25 de maio, as negociações de paz em Havana, depois de alguns dias de tensão. Em 22 de maio, os guerrilheiros haviam decidido suspender o cessar-fogo em vigor desde dezembro de 2014, depois que 26 combatentes terem sido mortos em um ataque do exército colombiano. Outros cinco guerrilheiros foram mortos em um novo ataque neste fim de semana. <br />Segundo dados apurados pela Fides, um membro da delegação das Farc, Pablo Catatumbo, declarou: “Sem dúvida os eventos da semana passada representam um passo atrás nos progressos realizados até agora nas negociações. Este é o caminho errado e é óbvio que a paz nunca será alcançada com o aumento do conflito”. No fim de semana, o exército colombiano se mobilizou em vista de uma possível retomada do conflito. Tue, 26 May 2015 10:38:05 +0200ÁSIA/CINA – Pentecostes da comunidade chinesa, no Dia de Oração pela Chinahttp://www.fides.org/pt/news/40016-ASIA_CINA_Pentecostes_da_comunidade_chinesa_no_Dia_de_Oracao_pela_Chinahttp://www.fides.org/pt/news/40016-ASIA_CINA_Pentecostes_da_comunidade_chinesa_no_Dia_de_Oracao_pela_ChinaShi Jia Zhuang – “Rezemos pela Igreja na China, que deve enfrentar grandes desafios na vida da Igreja e da sociedade. Rezemos para que o Espírito Santo nos guie… e Nossa Senhora Auxiliadora nos proteja”: esta foi a oração dos fiéis na paróquia de Chang Shu, na diocese de Su Zhou, como em outras comunidades, durante a solene celebração de Pentecostes domingo, 24 de maio, junto à Oração do Papa Bento XVI a Nossa Senhora de She Shan. Durante a Missa em Chang Shu, também foram batizados quatro recém-nascidos. <br />Segundo informações apuradas pela Agência Fides, o Dia Mundial de Oração pela Igreja na China, convocado pelo Papa Bento XVI há 8 anos, foi celebrada em muitas comunidades católicas chinesas continentais. Este ano, 24 de maio coincidiu com a solenidade de Pentecostes, unindo a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos à invocação ao Espírito Santo, para que desça para encher com seus dons os corações dos fiéis. A paróquia de Yi Shan, da diocese de Wen Zhou, da província de Zhe Jiang, respondeu ao Dia com uma solene procissão mariana, para que “a Igreja seja una e unida, para ser testemunha do Amor”. <br />Neste domingo, a paróquia de Yan Jiao e de Bao Ding, da província de He Bei, como também a paróquia de Long Gang, da diocese de Wen Zhou, na província de Zhe Jiang, administraram os sacramentos da iniciação cristã respectivamente a 7, 13 e 38 catecúmenos, bebês e adultos. <br />Os sacerdotes, as religiosas e alguns leigos da diocese de Nan Chong, da província sul de Si Chuan, em vista do Pentecostes e de 24 de maio, fizeram uma peregrinação às comunidades do norte, para celebrar também o Ano da Vida Consagrada. Puderam intercambiar suas experiências de fé, de vocação, de missão e de atividade pastoral com os irmãos e irmãs engajados no meio de comunicação católica Faith e com os seminaristas do seminário maior de He Bei. Tue, 26 May 2015 10:37:24 +0200ÁSIA/NEPAL – Um mês atrás, o primeiro terremoto no Nepal e agora, está chegando a estação das chuvashttp://www.fides.org/pt/news/40015-ASIA_NEPAL_Um_mes_atras_o_primeiro_terremoto_no_Nepal_e_agora_esta_chegando_a_estacao_das_chuvashttp://www.fides.org/pt/news/40015-ASIA_NEPAL_Um_mes_atras_o_primeiro_terremoto_no_Nepal_e_agora_esta_chegando_a_estacao_das_chuvasKatmandhu – Há um mês do terremoto que atingiu o Nepal, a emergência mais atual é a chegadas das chuvas de monção, previstas em algumas semanas. Quando começar a estação das chuvas, será ainda mais difícil chegar às áreas remotas, nas quais as estradas foram danificadas e consequentemente, as pessoas se encontram em condições mais vulneráveis. Um total de 1150 postos de saúde foram completa ou parcialmente destruídos nos 14 distritos atingidos com mais força. A exigência de saúde atual é a gestão das lesões pós-trauma, a recuperação dos serviços de assistência médica de base e a reabilitação dos pacientes que são demitidos dos hospitais. <br />O Unicef estima que 70 mil crianças menores de 5 anos precisam urgentemente de ajudas alimentares para prevenir o agravamento de seu estado de saúde. Cerca de 15 mil, dos 14 distritos mais atingidos, necessitam de alimentos terapêuticos. Além disso outras 55 mil crianças com desnutrição severa moderada carecem de alimentação suplementar. <br />Segundo comunicado enviado à Agência Fides, a ONG médico-humanitária Médicos Sem Fronteiras está tentando acessar as aldeias remotas com material médico e material para construir abrigos. Dificuldades logísticas e ligadas ao terreno limitaram as opções de transporte e, portanto, as equipes devem utilizar cotidianamente helicópteros para transportar este material aos vilarejos ao norte e ao leste de Kathmandu. No distrito de Gorkha, 80 km a oeste de Kathmandu, MSF iniciou atividades para ajudar as populações atingidas, administrando clínicas móveis e fornecendo abrigos e kits de higiene e saúde. Em alguns vilarejos, as equipes encontraram casas e postos de saúde totalmente destruídos e por isso, forneceram às pessoas material higiênico e de saúde para construírem alojamentos. <br />Em Arughat, no distrito de Gorkha, a principal estrutura médica foi destruída e MSF montou um hospital ‘inflável’, que continua a oferecer serviços de assistência médica às comunidades circunstantes. A prioridade é fornecer tendas, telões e material de construção para garantir aos desalojados um abrigo, antes que se iniciem as chuvas de monção. As equipes de MSF aumentaram o número de viagens em helicóptero para acessar o maior número de pessoas nas áreas atingidas e distribuir material para realizar alojamentos. Quando as estradas são acessíveis, a ONG utiliza carros e caminhões para distribuir kits de higiene e para a construção de abrigos. Até hoje, MSF distribuiu kits de abrigos para mais de 10 mil famílias nas aldeias isoladas. Tue, 26 May 2015 10:36:46 +0200ÁSIA/SÍRIA - Os jihadistas se retiram das aldeias no rio Khabur, deixando cruzes destruídas e igrejas vandalizadashttp://www.fides.org/pt/news/40014-ASIA_SIRIA_Os_jihadistas_se_retiram_das_aldeias_no_rio_Khabur_deixando_cruzes_destruidas_e_igrejas_vandalizadashttp://www.fides.org/pt/news/40014-ASIA_SIRIA_Os_jihadistas_se_retiram_das_aldeias_no_rio_Khabur_deixando_cruzes_destruidas_e_igrejas_vandalizadasHassakè – As milícias jihadistas do Estado Islâmico se retiraram das aldeias ao longo no rio Khabur, na província síria de nordeste de Jazira, que haviam ocupado no último dia 23 de fevereiro, levando a população local, em maioria cristãos assírios, à fuga de massa. Fontes locais confirmam à Agência Fides que a retirada dos milicianos do EI foi provocada pelo incremento dos ataques aéreos realizados pelas forças da coalizão dirigida pelos EUA contra as posições jihadistas, em apoio ao ataque terrestre realizado pelas milícias curdas. As formações militares curdas e assírias que entraram nas aldeias abandonadas informaram a fontes locais que encontraram igrejas devastadas e casas saqueadas, cruzes retiradas dos lugares de culto cristãos e slogan anticristãos pintados nos muros. Segundo informam à Agência Ara News, uma parte das famílias assírias que haviam encontrado refúgio em Hassakè já retornou às aldeias de Tel Tamar, onde o sino da Igreja assíria foi recolocado e seus toques anunciaram a primeira missa celebrada depois do exílio forçado. Enquanto isso, permanece a incerteza sobre a sorte dos mais de 230 cristãos que os milicianos do EI tomaram como reféns quando atacaram o vale de Khabur, deportando-os em suas sedes. .Tue, 26 May 2015 10:36:01 +0200ÁSIA/FILIPINAS - Os Bispos: “Leigos e paróquias lutam contra a escravidão moderna”http://www.fides.org/pt/news/40013-ASIA_FILIPINAS_Os_Bispos_Leigos_e_paroquias_lutam_contra_a_escravidao_modernahttp://www.fides.org/pt/news/40013-ASIA_FILIPINAS_Os_Bispos_Leigos_e_paroquias_lutam_contra_a_escravidao_modernaManila - O Presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, Dom Socrates Villegas, Arcebispo de Lingayen-Dagupan, pediu “ações concretas” às paróquias e leigos na luta contra a “escravidão moderna”. “As pessoas não podem ficar indiferentes diante da tragédia da exploração do trabalho”, disse ele. “Solicitamos, portanto, aos nossos párocos e aos nossos leigos a serem guardiões de nossos irmãos e irmãs escravizados”, reiterou. A mensagem, enviada à Agência Fides, se refere ao episódio em que, em um incêndio numa fábrica de calçados em Valenzuela City, pelo menos 72 pessoas morreram. O episódio levou à atenção da imprensa o fenômeno da “exploração em que jovens, mulheres, crianças e idosos são obrigados a trabalhar em circunstâncias e situações assustadoras”, sem algum padrão de segurança. <br />Tais lugares de trabalho “deveriam ser objeto de inspeções implacáveis e, ao se constatar que na realidade são lugares de exploração, deveriam ser fechados”, reafirmou o Arcebispo. “Em relação à lei evangélica do amor, a exploração dos pobres é repugnante”, concluiu. Segundo dados da “Walk Free Foundation” , as Filipinas se classificam no 98° lugar entre 162 países do mundo com o maior número de escravos modernos e é o país, entre os 12 asiáticos, em que o fenômeno está mais presente. A Fundação nota que a escravidão moderna nas Filipinas persiste sobretudo por causa da pobreza extrema. Tue, 26 May 2015 10:35:15 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Advogados cristãos: “Abolir a lei sobre a blasfêmia”http://www.fides.org/pt/news/40012-ASIA_PAQUISTAO_Advogados_cristaos_Abolir_a_lei_sobre_a_blasfemiahttp://www.fides.org/pt/news/40012-ASIA_PAQUISTAO_Advogados_cristaos_Abolir_a_lei_sobre_a_blasfemiaLahore – Permanece alta a tensão no bairro de Sanda, em Lahore, palco de violência anticristã no domingo 24 de maio. Depois de um caso de suposta blasfêmia , a multidão tentou fazer justiça com suas próprias mãos e instigada por um imã local, dirigiu a sua ira contra as casas dos cristãos. A polícia controlou com dificuldade a violência, também usando gás lacrimogêneo. No confronto um policial foi ferido de maneira grave.<br />Hoje, o advogado cristão Sardar Mushtaq Gill, defensor dos direitos humanos, visitou as áreas afetadas e se encontrou com alguns dos moradores. “Estou aterrorizado e com medo” disse à Fides. “Tornou-se difícil para os cristãos viver com os muçulmanos, especialmente quando a lei sobre a blasfêmia é abusada. Esta lei é usada contra os cristãos para colocá-los sob controle. Pedimos a ajuda da comunidade internacional para que no Paquistão ela possa ser abolida. <br />O fato ocorreu há dois meses do ataque suicida contra duas Igrejas no bairro cristão de Youhanabad onde se vive um clima de medo. Nasir Saeed, diretor da Ong CLAAS, afirma numa nota enviada à Fides: “Ninguém é autorizado a tomar as leis em suas mãos. Os ataques em massa contra comunidades inteiras mostram que o ódio contra os cristãos está aumentando. A lei sobre a blasfêmia é amplamente utilizada para vinganças. O governo ainda não conseguiu tomar medidas para deter o uso impróprio da lei e garantir segurança para os cristãos. Se os responsáveis não são punidos, se encojara os que atacam impunemente os bairros cristãos e as igrejas”. Tue, 26 May 2015 10:34:36 +0200ÁFRICA - A família na Europa e África: seminário dos Bispos europeus e africanos em Maputohttp://www.fides.org/pt/news/40011-AFRICA_A_familia_na_Europa_e_Africa_seminario_dos_Bispos_europeus_e_africanos_em_Maputohttp://www.fides.org/pt/news/40011-AFRICA_A_familia_na_Europa_e_Africa_seminario_dos_Bispos_europeus_e_africanos_em_MaputoMaputo - “A alegria da família” é o tema do seminário organizado em Maputo, Moçambique, de 28 a 31 de maio de 2015, pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa e pelo Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar . “Seguindo o processo crescente de uma colaboração pastoral, os dois organismos promoveram encontros para os bispos de ambos os continentes para reforçar a comunhão e a colaboração, e uma reflexão sobre os grandes desafios da Igreja”, afirma o comunicado enviado à Agência Fides.<br />À luz da Exortação Apostólica do Papa Francisco e em ligação com as reflexões que serão abordadas na próxima Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família, em outubro de 2015, os bispos se confrontarão sobre questões relativas à família nos dois continentes. <br />O objetivo do seminário dos bispos europeus e africanos é estudar a família na África e na Europa como protagonista da evangelização, mas que ao mesmo tempo precisa ser evangelizada. <br />Serão abordados os seguintes temas: “Os desafios antropológicos, sociais e eclesiais para a família; “As alegrias e os sofrimentos da família: desafios pastorais”; “A missão do bispo na proclamação do Evangelho da Família”; e “O papel da Igreja e do bispo no diálogo com a sociedade e com os Estados em matéria de família”. No final do seminário, está prevista uma mensagem final com as conclusões dos bispos. Tue, 26 May 2015 10:33:46 +0200ÁFRICA/EGITO - O Conselho de Igrejas Cristãs celebra o segundo aniversário de sua fundaçãohttp://www.fides.org/pt/news/40010-AFRICA_EGITO_O_Conselho_de_Igrejas_Cristas_celebra_o_segundo_aniversario_de_sua_fundacaohttp://www.fides.org/pt/news/40010-AFRICA_EGITO_O_Conselho_de_Igrejas_Cristas_celebra_o_segundo_aniversario_de_sua_fundacaoCairo - O segundo aniversário de fundação do Conselho de Igrejas Cristãs no Egito foi celebrado, com cerca de três meses de atraso, na sede cairota do Patriarcado copta ortodoxo. Na segunda-feira, 25 maio, todos os chefes das Igrejas cristãs no grande país norte africano foram os hospedados pelo Patriarca Tawadros. A reunião, inicialmente prevista para 28 de fevereiro, foi adiada depois que foram publicadas as imagens do massacre de 21 coptas egípcios mortos na Líbia por jihadistas ligados ao Estado Islâmico . Participou da reunião o patriarca copta católico Ibrahim Isaac Sidrak.<br />O Conselho das Igrejas Cristãs no Egito foi instituído em fevereiro 2013 também para ajudar num discernimento comum dos fatos e fenômenos associados com a chamada “Primavera Árabe” e ajudar as várias comunidades cristãs a manifestarem uma posição comum, sobretuno em relação a questões políticas e sociais. .Tue, 26 May 2015 10:33:21 +0200ÁFRICA/SUDÃO DO SUL – Confrontos mais violentos, e as condições de segurança se agravamhttp://www.fides.org/pt/news/40009-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Confrontos_mais_violentos_e_as_condicoes_de_seguranca_se_agravamhttp://www.fides.org/pt/news/40009-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Confrontos_mais_violentos_e_as_condicoes_de_seguranca_se_agravamMaper – O intensificar-se dos confrontos entre o Governo e a oposição está progressivamente deteriorando a situação em algumas das áreas do Unity State, na fronteira com o Estado dos Lagos, e em especial a região de Rumbek North. Num comunicado enviado à Agência Fides, a coordenadora de Médicos com a África Cuamm no Sudão do Sul informa: “De acordo com as autoridades locais, avaliou-se um deslocamento temporário de funcionários estrangeiros do Cuamm de Maper a Rumbek, à espera de entender como a situação vai evoluir. De Rumbek, monitoramos estreitamente o trabalho das estruturas que permanecem operativas e continuam a garantir através do pessoal local assistência aos feridos que provêm das áreas dos confrontos”. Rumbek North está situado no Estado dos Lagos e faz fronteira com as áreas de elevada conflitualidade do Unity State e Jonglei, recentemente palco de confrontos entre grupos rebeldes e tropas governamentais do SPLA. Num contexto extremo, onde as locomoções se tornaram impossíveis devido a estradas impraticáveis com a estação das chuvas, com um índice de mortalidade infantil superior a 135 de cada 1.000 nascidos vivos e um número de partos assistidos próximo a zero, o Cuamm iniciou a atuar em 2013 para revitalizar sete estruturas de saúde que, desde julho de 2014, voltaram a funcionar e a oferecer serviços de saúde de base à comunidade. Entre essas estruturas, a principal, a de Maper, sem qualquer tipo de serviço, se tornou operativa 24 horas por dia com serviços ambulatoriais e internamentos. É capaz de fornecer assistência aos partos não complicados e desempenha atividade de prevenção, com especial atenção à malária e às infecções respiratórias. Retomou o serviço de vacinação e, apesar das dificuldades de locomoções, o serviço de ambulância está ativo também ele 24 horas por dia.<br />Os funcionários do Cuamm também estão empenhados no reforço das capacidades dos Community Health Workers sobre temas de saúde materno-infantil e a formação das parteiras tradicionais para o reconhecimento dos primeiros sinais de emergências obstétricas. Somente no último ano, foram registradas 1.795 consultas pré-natais realizadas nesta região, vacinadas 7.309 crianças e submetidos à avaliação contra a desnutrição 3.618 menores. No total, no Sudão do Sul a população que beneficia das operações do Cuamm é de cerca de 578.973 pessoas. Só no último ano, foram 2.474 os partos normais assistidos, 2.370 os transportes em ambulância garantidos, 17.599 as consultas pré-natais efetuadas e 44.085 as vacinações. Atualmente, os cooperantes italianos do Cuamm empenhados na região do Sudão do Sul são 17. Tue, 26 May 2015 10:31:06 +0200ÁFRICA/RD CONGO - “No leste do Congo, três bases de adestramento para os jihadistas; mas a ONU observa sem intervir”, denunciam os Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/40008-AFRICA_RD_CONGO_No_leste_do_Congo_tres_bases_de_adestramento_para_os_jihadistas_mas_a_ONU_observa_sem_intervir_denunciam_os_Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/40008-AFRICA_RD_CONGO_No_leste_do_Congo_tres_bases_de_adestramento_para_os_jihadistas_mas_a_ONU_observa_sem_intervir_denunciam_os_BisposKinshasa - “Um clima de genocídio, um foco de integralismo jihadista e um processo de balcanização”. Estes são os “três grandes perigos” denunciados pela Assembleia Episcopal Provincial de Bukavu , numa mensagem publicada no final de sua Assembleia, enviada à Agência Fides. Os Bispos destacam que em sua Província Eclesiástica, “inúmeros grupos armados se comportam como predadores diante das populações abandonadas a si mesmas” e denunciam os crimes contra a humanidade por eles cometidos . <br />Os Bispos denunciam ainda a instalação nas montanhas de Ruwenzori de “pequenos grupos que inculcam o espírito jihadista a seus recrutas, que adestram ao terrorismo internacional. A base deles é formada por pessoas de várias nacionalidades que se estabeleceram em campos de adestramento chamados Medina, Canada e Parking Kaza Roho. Acrescentaram-se jovens congoleses, enganados por recrutadores sem escrúpulos que prometem a eles bolsas de estudo para o Oriente Médio, a Europa e o Canadá. A comunidade internacional se limita a observar com os seus drones ”. “Será necessário esperar que esta situação degenere para que, um amanhã, esta mesma comunidade internacional faça chover um dilúvio de fogo sobre a região, com o pretexto de combater o jihadismo?”, perguntam os Bispos, segundo os quais está em andamento “uma estratégia de deslocamento forçado das populações para ocupar progressivamente as terras e instalar focos de integralismo religioso e bases de adestramento terrorista”. “Isso acontece num contexto de máfia econômica e de negócios político-militar, alimentado pelo saque em grande escala dos abundantes recursos minerários, florestais, animais e petrolíferos”.<br />Quem paga as contas é também a Igreja. O documento denuncia a tentativa de sequestro de Dom Placide Lubamba, Bispo de Kasongo, ocorrido em 12 de maio em Lulingu-Shabunda. Além disso, os Bispos reiteram: “Estamos indignados com o silêncio sobre os três padres assuncionistas sequestrados em 19 de outubro de 2012 . Estão vivos ou mortos?”. <br />“O Estado – denuncia o documento – deixa a situação piorar no leste. Temos dificuldade em compreender as ambiguidades, as tergiversações e os paradoxos do nosso governo”. Os Bispos concluem pedindo ao Estado congolês e à comunidade internacional que ajam para proteger as populações locais. Tue, 26 May 2015 10:30:24 +0200AMÉRICA/ARGENTINA – A pobreza atinge ¼ das crianças com menos de quatro anoshttp://www.fides.org/pt/news/40007-AMERICA_ARGENTINA_A_pobreza_atinge_das_criancas_com_menos_de_quatro_anoshttp://www.fides.org/pt/news/40007-AMERICA_ARGENTINA_A_pobreza_atinge_das_criancas_com_menos_de_quatro_anosBuenos Aires – Na Argentina, 26,2% das crianças entre 0 e 4 anos são pobres, em relação a 10,8% da população total. Foi o que emergiu dos dados divulgados pelo Centro de Aplicação de Políticas Públicas para a Igualdade e o Crescimento : trata-se de uma criança pobre a cada quatro. Os que vivem nos setores mais marginalizados não recebem nenhum subsídio e há grande desigualdade também para o acesso aos serviços de assistência e à instrução. Segundo o CIPPEC, hoje 74,5% das crianças usufruem de alguma ajuda, mas mais de 25% dos menores da faixa mais pobre não recebem qualquer tipo de auxílio. Além do setor educativo e social, há um grande abismo também no setor da saúde. Apesar da queda no índice de mortalidade infantil de 58% entre 1990 e 2013, 61,8% dos casos de morte foram registrados por causas que poderiam ser evitadas. Mon, 25 May 2015 11:42:08 +0200AMÉRICA/EL SALVADOR - Beatificado o Arcebispo Romero: “Símbolo de paz, de concórdia e de fraternidade”http://www.fides.org/pt/news/40006-AMERICA_EL_SALVADOR_Beatificado_o_Arcebispo_Romero_Simbolo_de_paz_de_concordia_e_de_fraternidadehttp://www.fides.org/pt/news/40006-AMERICA_EL_SALVADOR_Beatificado_o_Arcebispo_Romero_Simbolo_de_paz_de_concordia_e_de_fraternidadeSan Salvador - Se os perseguidores de Dom Romero “desapareceram na sombra do esquecimento e da morte, a memória de Romero, ao invés, continua viva e dando conforto a todos os abandonados e marginalizados da Terra”: foi o que destacou o Card. Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, que no sábado, 23 de maio, presidiu em San Salvador a solene celebração para a beatificação do Arcebispo Oscar Arnulfo Romero Galdámez, assassinado “in odium fidei” em 24 de março de 1980 . <br />Na sua homilia, o Card. Amato destacou que a opção pelos pobres de Romero “não era ideológica, mas evangélica. A sua caridade se estendia também aos perseguidores, aos quais pregava a conversão ao bem e aos quais garantia o perdão, não obstante tudo”. Dom Romero não se deixou desencorajar pelas ameaças de morte nem pelas críticas cotidianas que recebia, ou melhor, ia avante sem rancores por ninguém, por isso, destacou o Cardeal, não é um “símbolo de divisão, mas de paz, de concórdia, de fraternidade. Agradeçamos ao Senhor por este seu servo fiel, que à Igreja doou a sua santidade e, à humanidade, a sua bondade e a sua mansidão”.<br />A Conferência Episcopal de El Salvador, na mensagem publicada para a Beatificação de Dom Romero, intitulada “Entra na alegria do teu Senhor” , recorda que “a morte de Dom Romero comoveu o mundo”, e nesses 35 anos desde então, “o caminho não foi fácil... a dificuldade maior foi a manipulação da figura e das palavras do futuro beato”. Por isso, em sua mensagem, os Bispos destacam, citando amplamente as suas próprias palavras, que Romero “foi homem de Deus”, homem de profunda comunhão, totalmente abandonada à vontade de Deus. Foi também “homem da Igreja”, segundo o seu lema episcopal “Sentire cum Ecclesia”, ao qual dedicou as quatro cartas pastorais escritas durante o seu ministério de Arcebispo. Numa dessas, “explicou amplamente que a Igreja existe para anunciar e tornar presente o mistério de Cristo” e ilustrou como a Igreja que desejava construir em El Salvador estivesse “em total sintonia com a Doutrina do Concílio Vaticano II, como foi interpretada pelos documentos de Medellín”.<br />O aspecto mais conhecido de Dom Romero foi “o seu amor pelos pobres e a sua completa dedicação para a promoção e a defesa de sua dignidade como pessoas e como filhos de Deus”, fazendo própria a opção dos Bispos latino-americanos expressa em Puebla, em 1977. O último aspecto destacado pelos Bispos diz respeito a “Dom Romero testemunha da fé até o derramamento do seu sangue”. “Dom Romero foi assassinado porque amava os pobres, a exemplo do seu Mestre, Jesus de Nazaré – escrevem -. A eles, emprestou a sua voz de profeta, e a eles dedicou a sua vida, renunciando à cômoda solução de abandonar o rebanho e fugir como fazem os mercenários”. <br />“Este é o homem de Deus que, a partir de 23 de maio, veneramos como beato – concluem os Bispos -. Que o seu testemunho nos estimule a viver coerentemente os compromissos batismais. A sua palavra ilumine o nosso caminho de vida cristã. A sua intercessão abra caminhos de reconciliação entre nós e nos ajude a vencer todas as formas de violência, para que se estabeleça entre nós o Reino da vida, da justiça, da verdade, do amor e da paz”. <br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://arzobispadosansalvador.org/index.php/noticias-y-eventos/noticias-y-eventos/noticias-y-eventos-18">O texto integral da Mensagem da Conferência Episcopal (em espanhol)</a>Mon, 25 May 2015 11:41:32 +0200ÁSIA/TERRA SANTA - A Society of St. Yves organiza um dia de estudo sobre o confisco de terras na Cisjordâniahttp://www.fides.org/pt/news/40005-ASIA_TERRA_SANTA_A_Society_of_St_Yves_organiza_um_dia_de_estudo_sobre_o_confisco_de_terras_na_Cisjordaniahttp://www.fides.org/pt/news/40005-ASIA_TERRA_SANTA_A_Society_of_St_Yves_organiza_um_dia_de_estudo_sobre_o_confisco_de_terras_na_CisjordaniaJerusalém - A Society of St. Yves, organismo comprometido com a defesa dos direitos humanos relacionados com o Patriarcado Latino de Jerusalém, volta a tocar a delicada questão do confisco de terras pertencentes aos palestinos realizado pelo Governo de Israel na Cisjordânia. Os responsáveis pela organização – informa a mídia oficial do Patriarcado Latino - decidiram dedicar a esse problema uma excursão guiada prevista para quarta-feira 27 maio, para celebrar o santo padroeiro São Ivo . Nessa ocasião, alguns consultores da Society of St. Yves, especialistas em direito internacional, realizarão conferências itinerantes para ilustrar a prática e as justificativas jurídicas e políticas adotadas pelas autoridades israelenses nos recentes casos de confisco de terras palestinas na chamada “Área C” na Cisjordânia, em violação das leis internacionais.<br />O dia será articulado em torno da visita às terras pertencentes a proprietários palestinos que usufruíram dos serviços de protecção jurídica oferecidos pela Sociedade na aldeia palestina de Battir e na área de Al Makhrour, perto de Beit Jala. As pessoas acompanhadas pela Society of St. Ives contarão suas experiências na tentativa de confisco sofrido da partr do governo israelense. A visita também incluirá uma etapa no Vale de Cremisan, onde os membros da Society of St. Yves irão expor os efeitos e implicações do pronunciamento recente do Supremo Tribunal de Israel que bloqueou a construção de um pedaço do muro de separação projetado nessa área. .Mon, 25 May 2015 11:40:17 +0200ÁSIA/SÍRIA - O Patriarca sírio-católico Ignace Youssif III: oração e jejum para invocar a libertação do Pe. Murad e do diácono Hannahttp://www.fides.org/pt/news/40004-ASIA_SIRIA_O_Patriarca_sirio_catolico_Ignace_Youssif_III_oracao_e_jejum_para_invocar_a_libertacao_do_Pe_Murad_e_do_diacono_Hannahttp://www.fides.org/pt/news/40004-ASIA_SIRIA_O_Patriarca_sirio_catolico_Ignace_Youssif_III_oracao_e_jejum_para_invocar_a_libertacao_do_Pe_Murad_e_do_diacono_HannaHoms – No domingo, 24 de maio, em todas as igrejas sírio-católicas do mundo os fiéis rezaram para pedir ao Senhor a libertação do Pe. Jacques Murad, sacerdote sírio sequestrado por desconhecidos na sexta-feira 22, junto com o diácono Boutros Hanna, no mosteiro de Mar Elian, do qual é prior. Dos dois sequestrados não há notícias desde o seu sequestro. Já na sexta-feira, o patriarca sírio-católico Ignace Youssif III convidou todos os fiéis sírio-católicos do mundo a expressarem com a oração e outros atos de devoção e penitência sua comunhão espiritual com os dois seqüestrados. “Oferecemos orações, missas, súplicas e jejuns”, lê-se na mensagem enviada pelo Patriarca a todas as comunidades sírio-católicos espalhadas pelo mundo, “na esperança de que o padre Jacques seja libertado e volte logo para a sua paróquia”. No texto, enviado à Agência Fides, o Patriarca convida todos os fiéis “a permanecerem firmes na fé, na esperança e na confiança no Senhor e em suas promessas que não desiludem, implorando à Mãe de Deus e todos os santos mártires e confessores a libertação de Pe. Jacques. Na festa de Pentecostes, pedimos ao Espírito Santo que nos ilumine, nos console e nos proteja”. .Mon, 25 May 2015 11:39:42 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO – Acusações de blasfêmia: violência em um bairro cristão de Lahore, mas “nenhum alarmismo”http://www.fides.org/pt/news/40003-ASIA_PAQUISTAO_Acusacoes_de_blasfemia_violencia_em_um_bairro_cristao_de_Lahore_mas_nenhum_alarmismohttp://www.fides.org/pt/news/40003-ASIA_PAQUISTAO_Acusacoes_de_blasfemia_violencia_em_um_bairro_cristao_de_Lahore_mas_nenhum_alarmismoLahore – O bairro cristão de Sanda, na área mais antiga de Lahore, foi teatro de novas violências ontem, 24 de maio, à tarde, devido a um caso de blasf~emia. “A polícia interveio tempestivamente, detendo e evitando a violência de massa. Hoje, a polícia está presidindo a área e está tudo sob controle”, informa à Agência Fides Cecil Shane Chaudhry, Diretor Executivo da Comissão “Justiça e Paz” dos Bispos paquistaneses , minimizando o episódio, após relatos alarmistas e exagerados publicados por certa mídia. “Não houve mortos nem feridos. Nenhuma igreja foi queimada. Alguns manifestantes jogaram pedras e tentaram invadir e saquear a Igreja católica de São José, mas não conseguiram por causa da rápida ação das forças da ordem, que detiveram e incriminaram alguns agressores. Algumas casas de fiéis cristãos sofreram danos, mas nada de relevante”, explica o Diretor, pedindo para não ceder aos alarmismos. “Pessoas e grupos tendem a ampliar os incidentes e as violências contra cristãos em busca de interesses pessoais ou razões econômicas. É preciso presar atenção ao divulgar notícias, pois muitas vezes são manipuladas na fonte”, observa Chaudhry. O episódio foi provocado por um suposto caso de blasfêmia. Ontem, a polícia recebeu uma queixa e prendeu um homem por suposta profanação de algumas páginas do Alcorão. Contra o cristão Humayun Faisal Masih foi registado um caso de blasfêmia nos termos do artigo 295-b do Código Penal . O homem, deficiente mental, é acusado por alguns muçulmanos de ter queimado páginas do livro sagrado do Islã. Alguns passantes o denunciaram. Após a prisão, um grupo de pessoas começou a se reunir na delegacia de polícia, realizando atos violentos, mas os policiais dispersaram a multidão. Os manifestantes, em seguida, foram com raiva em direção ao bairro cristão, mas a polícia controlou a situação. Pe. James Channan, dominicano, diretor do “Peace Center” de Lahore, disse à Fides: “É mais um fato que se repete: acusações de blasfêmia, todas a serem investigadas, seguido pela violência em massa. Já aconteceu no passado. Os cristãos têm medo porque de repente podem ser atacados. De acordo com a lei sobre a blasfêmia, existe um procedimento a ser respeitado e a ninguém é permitido fazer justiça com as próprias mãos. As instituições e a polícia devem garantir segurança e justiça. Por outro lado, podemos trabalhar para conter e combater a cultura do ódio que os grupos extremistas difundem na sociedade, trabalhando para o diálogo e a harmonia”. Mon, 25 May 2015 11:38:53 +0200ÁSIA/MIANMAR - Card. Bo ao governo birmanes: “Compaixão e misericórdia com os ‘boat people’”http://www.fides.org/pt/news/40002-ASIA_MIANMAR_Card_Bo_ao_governo_birmanes_Compaixao_e_misericordia_com_os_boat_peoplehttp://www.fides.org/pt/news/40002-ASIA_MIANMAR_Card_Bo_ao_governo_birmanes_Compaixao_e_misericordia_com_os_boat_peopleYangun – “Uma agonia imensa está se verificando nos mares do Sudeste asiático: uma nova onda de boat people, fugitivos da pobreza e dos conflitos em Mianmar e Bangladesh, está à deriva nos mares. Explorados por traficantes sem escrúpulos, homens, mulheres e crianças estão amontoados em embarcações e muitos acabam por morrer no mar. Uma nova ferida se abre. Deixemos que a misericórdia e a compaixão escorram como rios na terra de Buda”: este é o apelo feito pelo Cardeal Charles Maung Bo, Arcebispo de Yangun, sobre a emergência dos refugiados Rohingya que buscam asilo em países como Tailândia, Malásia, Indonésia. <br />Em mensagem enviada à Fides, o Cardeal recorda os boat people do Vietnã e também os desembarques no Mediterrâneo, e afirma: “Os refugiados fogem em busca da dignidade e segurança. Com um grande gesto de humanidade, Malásia, Filipinas e Indonésia abriram suas portas. O governo de Mianmar salvou dois barcos à deriva. Este gesto, proveniente de uma nação devota ao Senhor da Compaixão, Buda, é altamente louvável” afirma. Acrescenta que ultimamente, difundiram-se no país “o ódio e a negação do direito”, referindo-se à violência perpetrada por alas budistas contra os muçulmanos Rohingya e à hostilidade mostrada pelo governo birmanês. <br />Dom Bo frisa: “Solicitamos firmemente o governo a não consentir que ideias de ódio subvertam a gloriosa tradição birmanesa de compaixão. Os cidadãos de Mianmar têm a obrigação moral de proteger e promover a dignidade de todas as pessoas humanas. Uma comunidade não pode ser demonizada e não lhe podem ser negados seus direitos básicos, como identidade, cidadania e o direito de ser comunidade”. <br />Citando grandes monges budistas, ‘faróis de compaixão para o mundo’, o Arcebispo recorda que “esta religião apresenta a compaixão como a virtude mais nobre” para com os seres vivos, animados e inanimados. Compaixão e misericórdia são dois olhos desta nação, que permitem uma visão de paz e de unidade. Deixem que misericórdia e compaixão escorram como rios em nossa terra”, conclui o Card. Bo. Mon, 25 May 2015 11:38:04 +0200ÁFRICA/MARROCOS - O matrimônio precoce agravado pela pobreza e a ignorânciahttp://www.fides.org/pt/news/40001-AFRICA_MARROCOS_O_matrimonio_precoce_agravado_pela_pobreza_e_a_ignoranciahttp://www.fides.org/pt/news/40001-AFRICA_MARROCOS_O_matrimonio_precoce_agravado_pela_pobreza_e_a_ignoranciaCasablanca - O matrimônio precoce envolve 15 milhões de meninas a cada ano em todo o mundo. É um fenômeno crescente, agravado pela pobreza, a ignorância e o medo. A denúncia foi enviada à Agência Fides pelos participantes de um recente fórum realizado em Marrocos. Segundo a ONG Girls not brides, que reúne 450 organizações de 70 países e que organizou este fórum de três dias em Casablanca, cerca de 10% das mulheres de todo o mundo se casam antes de completar 18 anos. Se não forem tomadas providências, até o ano 2050 cerca de 1.200 milhões de meninas serão forçadas a se casar. Nos países em desenvolvimento, uma em cada três meninas se casa antes de completar 18 anos e uma em cada nove antes dos 15. Os países mais atingidos por este fenômeno são Bangladesh, Índia e Níger, onde a cada ano, casam-se 244 mil meninas menores de idade. Estas meninas não frequentam as aulas, segundo declara um membro da Coalizão das Organizações Nigerinas de Direitos da Criança , e a pobreza e a ignorância contribuem para o aumento dos matrimônios precoces. Na Índia são registrados 40% dos matrimônios infantis de todo o mundo. <br />No final de 2014, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou pela primeira vez uma resolução que solicitava os Governos a proibir matrimônios infantis. A União Africana, por sua vez, lançou uma campanha de dois anos para acabar com os casamentos precoces, enquanto vários governos do Sul da Ásia adotaram planos de ação regionais. Todavia, o fenômeno não se verifica apenas nos países em desenvolvimento; é uma tradição também entre comunidades de imigrantes. Por ocasião de uma campanha de sensibilização, a Fundação Ytto denunciou que a prática também se atua nas comunidades marroquinas da Espanha e da França. No Marrocos, o matrimônio de menores continua a gerar preocupação e, não obstante o código da família adotado em 2004 o proíba, os juízes têm autoridade de cadastrá-los. Em 2013, foram registrados mais de 35 mil, contra os 18 mil dos últimos dez anos. Mon, 25 May 2015 11:37:18 +0200ÁFRICA/BURUNDI - Maggy Barankitse, “mãe” nacional do Burundi, ameaçada de mortehttp://www.fides.org/pt/news/40000-AFRICA_BURUNDI_Maggy_Barankitse_mae_nacional_do_Burundi_ameacada_de_mortehttp://www.fides.org/pt/news/40000-AFRICA_BURUNDI_Maggy_Barankitse_mae_nacional_do_Burundi_ameacada_de_morteBujumbura - Marguerite Barankitse, “mãe” nacional do Burundi, está ameaçada de morte e obrigada a esconder-se, segundo denuncia Info Catho, da Bélgica. Após a morte de Zedi Ferzi, presidente de um dos partidos da oposição, multiplicam-se as ameaças de morte contra expoentes da oposição e da sociedade civil, enquanto prosseguem os protestos populares contra a decisão do Presidente Pierre Nkurunziza de se apresentar nas eleições para o terceiro mandato.<br />Uma das pessoas que receberam ameaças de morte é Maggy Barankitse, católica engajada que de 1993 ao início da guerra civil, terminada em 2006, não se amedrontou e tentou sempre salvar crianças e jovens da violência. Foi ela que criou a “Maison Shalom”, ONG que administra no país uma série de centros de acolhida para crianças e jovens. <br />Segundo notícias publicadas no site católico belga, nas últimas semanas, Maggy Barankitse visitou os hospitais para levar víveres aos feridos nos confrontos e as prisões, aonde denunciou as condições de detenção. “Isto foi suficiente para colocá-la na lista negra das pessoas procuradas e ser catalogada como ‘envolvida’ no fracassado golpe militar ” declarou um de seus familiares. <br />Chegaram intimidações a amigos, familiares e agentes da Maison Shalom e do hospital fundado por ela. Seus parentes tiveram que fugir e Maggy Barankitse está escondida em um lugar seguro. Por seus esforços humanitários, Maggy Barankitse recebeu muitos reconhecimentos internacionais. Mon, 25 May 2015 11:36:43 +0200ÁFRICA/MALI - Apesar das últimas violências, espera-se que os colóquios de Argel finalmente obtenham a pazhttp://www.fides.org/pt/news/39999-AFRICA_MALI_Apesar_das_ultimas_violencias_espera_se_que_os_coloquios_de_Argel_finalmente_obtenham_a_pazhttp://www.fides.org/pt/news/39999-AFRICA_MALI_Apesar_das_ultimas_violencias_espera_se_que_os_coloquios_de_Argel_finalmente_obtenham_a_pazBamako - “A população de Mali depôs grandes esperanças no acordo de paz assinado em 15 de maio, mas infelizmente as violências prosseguem nas regiões do norte”, diz à Agência Fides Pe. Edmond Dembele, Secretário da Conferência Episcopal de Mali. “Há cerca de três semanas, no norte do nosso país, há confrontos todos os dias entre o exército maliano, algumas milícias pró-governo e a Coordenação dos Movimentos do Azawad. Esta situação preocupa muito a população local, que não sabe quanto reencontrará a paz”, informa pe. Dembele.<br />um dos problemas a ser resolvido é a divisão que se criou dentro dos grupos Toureg. “Com efeito – explica o sacerdote – dois grupos da Coordenação se apresentaram em 15 de maio em Bamako para assinar o acordo de paz, mas os grupos principais da Coordenação, como o MNLA , se recusaram, até agora, em aderir ao acordo de 15 de maio e pediram para continuar as negociações para obterem mais concessões”. <br />Justamente hoje, 25 de maio, em Argel, devem se realizar novas conversações em busca de soluções que permitam regularizar detalhes da aplicação do acordo de 15 de maio, que não será objeto de negociação, porque o governo de Mali afirmou que não tem intenção de alterá-lo. “Apesar do agravamento das violências das últimas semanas, há boas esperanças que na Argélia possam ser encontrados acordos para a paz. Por outro lado, não temos alternativas”, conclui pe. Dembele. Mon, 25 May 2015 11:36:09 +0200