Fides News - Portuguese (Portugal)http://www.fides.org/As notícias da Agência Fidespt ÁSIA/ÍNDIA - Depois do Jubileu: em busca do “13° prisioneiro-apóstolo” inocentehttp://www.fides.org/pt/news/61995-ASIA_INDIA_Depois_do_Jubileu_em_busca_do_13_prisioneiro_apostolo_inocentehttp://www.fides.org/pt/news/61995-ASIA_INDIA_Depois_do_Jubileu_em_busca_do_13_prisioneiro_apostolo_inocenteBangalore - No Ano da misericórdia a comunidade de batizados na Índia multiplicou as iniciativas de proximidade pastoral e de solidariedade nas prisões indianas. Centenas de prisioneiros foram libertados ou se beneficiaram de penas alternativas, graças ao apoio de muitas dioceses, congregações e instituições religiosas. Kuriakose Bharanikulangara, Arcebispo da diocese siro-malabarense de Faridabad, no ano passado, celebrou a missa na Quinta-feira Santa na prisão de Tihar, na área de Nova Délhi. Após o rito do lava-pés de 12 presos, outro prisioneiro se apresentou ao altar pedindo para estar também ele entre os apóstolos. O arcebispo aceitou, lavando os pés do 13° prisioneiro. O homem, então, disse ao Bispo ter sido vítima de falsas acusações e ser preso inocente.<br />Recordando este acontecimento significativo, Dom Peter Remigius, presidente da organização católica de voluntariado “Prison Ministry India”, que se ocupa especificamente de pastoral carcerária, disse à Fides: “Cabe a nós procurar o 13° prisioneiro que pede conforto e apoio”, afirmando que “na Igreja sempre haverá um lugar de acolhida, solidariedade e misericórdia por aqueles que estão no cárcere”.<br />Na esteira da valiosa experiência do Jubileu, a organização “Prison Ministry India” agora convida jovens e adultos a viverem um ano de compromisso voluntário. “Em 1.382 prisões indianas mais de 400 mil pessoas vivem sem amor, esperança e ajuda. O compromisso é uma oportunidade de envolver-se na recuperação e reabilitação dos detentos, dentro e fora das prisões indianas”, disse Pe. Sebastian Vadkumpadan, coordenador nacional de “Prison Ministry India”.<br />Os novos voluntários seguirão um programa intenso de formação que se realizará no Camilian Pastoral Health Center de Bangalore, em maio próximo. O curso destina-se a sacerdotes, religiosas e leigos que “querem se envolver nesta obra de misericórdia para continuar mostrando compaixão e cuidado para com aqueles que estão atrás das grades”, disse o sacerdote.<br />“Prison Ministry India” é uma organização nacional de voluntário, nascida em 1986 e reconhecida pela Conferência Episcopal, que trabalha para o tratamento, reabilitação e reinserção social dos reclusos. Atualmente, conta mais de 6 mil voluntários que levam entusiasmo, experiência e energia para dar esperança e melhorar a qualidade de vida dos detentos nas prisões indianas. <br />Fri, 24 Mar 2017 09:50:51 +0100ÁSIA/IRAQUE - Numa igreja libertada foram encontradas 14 “regras de comportamento” impostas pelos jihadistas ao povo de Mosulhttp://www.fides.org/pt/news/61999-ASIA_IRAQUE_Numa_igreja_libertada_foram_encontradas_14_regras_de_comportamento_impostas_pelos_jihadistas_ao_povo_de_Mosulhttp://www.fides.org/pt/news/61999-ASIA_IRAQUE_Numa_igreja_libertada_foram_encontradas_14_regras_de_comportamento_impostas_pelos_jihadistas_ao_povo_de_MosulMosul - Penalidades para aqueles que fumam e para aqueles que bebem, proibição para as mulheres de sair de casa se não for necessário, pena de morte para quem blasfema: são algumas das 14 “regras de comportamento” que os milicianos do autoproclamado Estado islâmico escreveram nas colunas e paredes da igreja caldeia dedicada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Mosul. Tendo conquistado a cidade situada no norte do Iraque, os jihadistas tinham escolhido a igreja como base de operações. Nos últimos dias, a igreja foi reconquistada pelo exército iraquiano. Os soldados a encontraram sem nenhuma imagem e sinal cristão. Apenas o altar parece ter sido poupado da devastação. .<br /><br />Fri, 24 Mar 2017 09:13:38 +0100ÁFRICA/MALI - Ir. Cecília: passados quase dois meses do sequestro, os Bispos lançam novas iniciativas para sua libertaçãohttp://www.fides.org/pt/news/61998-AFRICA_MALI_Ir_Cecilia_passados_quase_dois_meses_do_sequestro_os_Bispos_lancam_novas_iniciativas_para_sua_libertacaohttp://www.fides.org/pt/news/61998-AFRICA_MALI_Ir_Cecilia_passados_quase_dois_meses_do_sequestro_os_Bispos_lancam_novas_iniciativas_para_sua_libertacaoBamako - Os Bispos do Mali lançaram uma iniciativa para obter a libertação de Cecília Narváez Argoti, a religiosa de nacionalidade colombiana da Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada sequestrada em 7 de fevereiro em Karangasso, no sul do Mali .<br />“Os Bispos estão explorando todos os caminhos possíveis para obter a libertação da Ir. Cecília”, explica à Agência Fides Pe. Edmond Dembele, Secretário-Geral da Conferência Episcopal do Mali. <br />“São lançados apelos através da mídia para pedir contatos com os sequestradores”, afirma Pe. Dembele. “Além disso, a diocese de Karangasso tenta encontrar intermediários para um contato com os sequestradores, sobre os quais ainda não há informações certas”.<br />De acordo com o sacerdote, são consideradas duas hipóteses para o sequestro. “De acordo com algumas pessoas, se trata de bandidos da região que sequestraram a religiosa na esperança de obter um resgate e que agora não sabem como administrar a situação. Outros pensam que são efetivamente jihadistas que esperam as águas se acalmarem para se manifestar. Mas até que não houver contatos com eles, não se poderá conhecer a identidade dos sequestradores”.<br />“À espera de um contato concreto, a Conferência Episcopal do Mali, com a diocese de Karangasso, está lançando apelos aos sequestradores e para quem puder oferecer pistas concretas, convidando ao mesmo tempo a comunidade dos fiéis a intensificar a oração pela libertação da Ir. Cecília”, conclui Pe. Dembele. <br />Fri, 24 Mar 2017 14:53:43 +0100ÁFRICA/MOÇAMBIQUE - Mais de um milhão de crianças em situação de trabalho infantil: denúncia do Governohttp://www.fides.org/pt/news/61994-AFRICA_MOCAMBIQUE_Mais_de_um_milhao_de_criancas_em_situacao_de_trabalho_infantil_denuncia_do_Governohttp://www.fides.org/pt/news/61994-AFRICA_MOCAMBIQUE_Mais_de_um_milhao_de_criancas_em_situacao_de_trabalho_infantil_denuncia_do_GovernoMaputo - O Governo de Moçambique denunciou a presença no país de um milhão e 400 mil crianças em situação de trabalho infantil por causa da pobreza e com um salário inferior ao mínimo aplicado no país. No decorrer da apresentação de uma pesquisa sobre a exploração dos menores, elaborada pela Universidade local Eduardo Mondlane, as autoridades pediram uma lista dos trabalhos perigosos para proteger as crianças. Segundo dados do estudo, 44% das crianças e adolescentes consultados afirmaram que a maior parte do trabalho infantil se concentra no comércio ilegal, 14% trabalha para ajudar a família. <br />Cerca de 12% dos entrevistados disseram trabalham em bares e restaurantes, 11% nos campos de família, 6% no setor de pescas e 5% nas atividades domésticas. Em Moçambique, a idade mínima para o trabalho é fixada a 18 anos. No entanto, a lei sobre o trabalho prevê que, excepcionalmente, é possível trabalhar a partir dos 15 anos. Fri, 24 Mar 2017 14:53:11 +0100VATICANO - Reconhecido o martírio de uma religiosa que lutou pelas mulheres e pelo respeito dos direitoshttp://www.fides.org/pt/news/61991-VATICANO_Reconhecido_o_martirio_de_uma_religiosa_que_lutou_pelas_mulheres_e_pelo_respeito_dos_direitoshttp://www.fides.org/pt/news/61991-VATICANO_Reconhecido_o_martirio_de_uma_religiosa_que_lutou_pelas_mulheres_e_pelo_respeito_dos_direitosCidade do Vaticano – O Santo Padre Francisco autorizou a Congregação das Causas dos Santos a promulgar o decreto sobre o martírio da Serva de Deus Ir. Regina Maria Vattalil , a freira professa da Congregação das Irmãs Clarissas Franciscanas, assassinada na Índia por ódio à fé em 25 de fevereiro de 1995.<br />A Ir. Maria, 41 anos, era originária do Kerala, e há dois anos e meio trabalhava em Udaynagar, na diocese de Indore, no Estado indiano de Madhya Pradesh. Foi morta enquanto viajava de ônibus de Udaynagar a Indore. Dois homens a obrigaram a descer do veículo e, diante dos passageiros, foi esfaqueada 50 vezes. A polícia prendeu três pessoas, entre as quais os executores materiais do crime.<br />Segundo as informações divulgadas na ocasião pela Agência Fides , a religiosa lutava sobretudo a favor dos camponeses e das mulheres dos vilarejos. Dom George Anathil, então Bispo de Indore, lembrou que Ir. Maria desempenhava atividade de assistência social, ensinando os direitos civis às populações autóctones de Udaynagar, numa região dominada por grandes proprietários terrenos e por usurários. Depois de seu funeral, foram realizadas manifestações públicas das quais participaram milhares de pessoas, entre as quais alguns Bispos e membros de organizações cristãs e não-cristãs. Todas as instituições e as escolas católicas do Estado de Madhya Pradesh ficaram fechadas em sinal de luto. <br />Fri, 24 Mar 2017 14:52:37 +0100ÁSIA/AFEGANISTÃO - O país está em grave crise econômica e milhões de crianças não vão à escolahttp://www.fides.org/pt/news/61992-ASIA_AFEGANISTAO_O_pais_esta_em_grave_crise_economica_e_milhoes_de_criancas_nao_vao_a_escolahttp://www.fides.org/pt/news/61992-ASIA_AFEGANISTAO_O_pais_esta_em_grave_crise_economica_e_milhoes_de_criancas_nao_vao_a_escolaCabul - Quase um terço das crianças afegãs não frequentam a escola e, num país em guerra como o Afeganistão, este fator aumenta o risco de se tornarem vítimas do trabalho infantil, de serem recrutadas por grupos armados, de serem forçadas casamentos precoces ou submetidas a qualquer outra forma de exploração.<br />Segundo dados apurados pela Save the Children, recebidos pela Fides, mais de 400 mil menores afegãos abandonaram os estudos este ano por causa da crescente instabilidade e da repatriação forçada de 600 mil refugiados afegãos do Paquistão. A ONG assinala que cerca de metade das crianças que retornam não frequentam a escola e muitas vezes acabam nas ruas porque os pais não encontram trabalho. Fri, 24 Mar 2017 14:27:37 +0100ÁSIA/TERRA SANTA - Alarme dos especialistas: Santo Sepulcro em risco de desabamentohttp://www.fides.org/pt/news/61997-ASIA_TERRA_SANTA_Alarme_dos_especialistas_Santo_Sepulcro_em_risco_de_desabamentohttp://www.fides.org/pt/news/61997-ASIA_TERRA_SANTA_Alarme_dos_especialistas_Santo_Sepulcro_em_risco_de_desabamentoJerusalém – A Basílica do Santo Sepulcro corre risco de desmoronar se não forem realizadas intervenções adequadas para reforçar seus instáveis alicerces. O alarme é da equipe de arqueólogos e especialistas que terminaram, com sucesso, o restauro da Edícula . Todo o complexo do Santo Sepulcro – declarou à National Geographic a arqueóloga grega Antonia Moropoulou, docente na National Technical University de Atenas e coordenadora científica do projeto de restauro recém-encerrado – poderia estar ameaçado por uma “significativa falha estrutural”, e se isto ocorresse – acrescentou a arqueóloga – “o processo não seria lento, mas catastrófico”. <br />As alarmantes hipóteses ganharam peso durante os estudos e sondagens realizados no Santo Sepulcro pelo grupo de especialistas encarregados do restauro da Edícula. No final dos trabalhos, as pesquisas realizadas pela equipe e publicadas pela National Geographic destacaram que todo o complexo, cuja última reforma remonta ao século XIX, parece ter sido em grande parte construído sobre uma base instável de restos e estruturas precedentes, com um subsolo atravessado por túneis e canais. <br />O santuário construído pelo imperador Constantino, erguido sobre restos de um precedente templo romano ao redor do túmulo venerado como o de Jesus, foi parcialmente destruído por invasores persas no século VII e depois pelos Fatímidas, em 1009. A igreja foi reconstruída em meados do século XI. <br />Os detalhes técnicos do dossiê, coletados com o uso de géo-radares e câmaras robotizadas, descrevem uma situação alarmante em relação à estabilidade do local sagrado visitado anualmente por milhões de peregrinos e turistas: muitos dos pilares de 22 toneladas que sustentam a cúpula estão apoiados em um metro e vinte de resíduos não estabilizados. <br />Os restauros recém-concluídos ao redor da edícula, celebrados quarta-feira 22 de março em cerimônia ecumênica com a participação do Patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I – foram feitos em cooperação por três organismos eclesiais que compartilham a responsabilidade da Basílica . <br />No início das obras, o projeto tinha um orçamento de cerca de 3,3 milhões de dólares. O financiamento das obras contou com a ajuda econômica do Rei da Jordânia, Abdallah II – que em abril de 2016 havia enviado sob forma de ‘beneficência real’ uma consistente doação pessoal ao projeto – e também o Presidente palestino Mahmud Abbas, com uma ‘contribuição pessoal’ revelada em outubro passado . <br />Agora, a equipe grega que, depois da conclusão das obras de restauro da Edícula, lançou o alarme sobre as condições de fragilidade estrutural de todo o complexo, estimou em pelo menos seis milhões de euros a quantia necessária para as obras necessárias para assegurar a solidez da Basílica. Sábado, 18 de março, um comunicado difundido pela Custódia da Terra Santa informou que “a Santa Sé destinou 500 mil dólares como contribuição para a nova fase das obras de reforço e restauro do Santo Sepulcro”. Esta contribuição “será concedida depois que as comunidades titulares do Status Quo constituírem um especial Comitê, em comum acordo”. <br />Fri, 24 Mar 2017 14:27:01 +0100AMÉRICA/REPÚBLICA DOMINICANA - “Dois países mas uma só Igreja, engajada com os migrantes”: encontro das dioceses de fronteirahttp://www.fides.org/pt/news/61996-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Dois_paises_mas_uma_so_Igreja_engajada_com_os_migrantes_encontro_das_dioceses_de_fronteirahttp://www.fides.org/pt/news/61996-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Dois_paises_mas_uma_so_Igreja_engajada_com_os_migrantes_encontro_das_dioceses_de_fronteiraBarahona – Por meio de um comunicado publicado ontem, o grupo dos representantes das dioceses de fronteira do Haiti e da República Dominicana, que se reuniram em 21 de março para analisar os problemas comuns , declarou que a Igreja católica reitera seu compromisso para oferecer aos migrantes indocumentados os serviços de que precisam para obter seus papeis. Este empenho ganhou força na comunhão com o Papa Francisco e com sua mensagem por ocasião do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2017.<br />O Bispo da diocese de Barahona, Dom Andrés Napoleón Romero Cárdenas, anfitrião do encontro, foi encarregado de ler o documento e disse: “A nossa Igreja tem a missão de trabalhar pelo bem-estar dos dois povos, de lutar para preservar a harmonia e o respeito pela dignidade dos migrantes, especialmente as crianças, indefesas e sem voz”, que estiveram no centro da mensagem do Papa deste ano. <br />Os Presidentes das Comissões episcopais para a Pastoral para os Migrantes das Conferências Episcopais dos dois países, Dom Launay Saturné e Diómedes Espinal de León , destacaram que mesmo se tratando de dois países diferentes, eles constituem uma só Igreja e este compromisso não se insere no campo político, mas é um serviço aos irmãos, porque somos todos filhos de Deus.<br />O documento recebido pela Fides expressa a firme esperança dos Bispos e da Igreja local de que, seja o Presidente Danilo Medina Sánchez , como o seu homólogo haitiano, Jovenel Moïse, mantenham suas promessas eleitorais, para que o povo do Haiti não deva emigrar em busca de melhores condições de vida e o país consiga derrotar a impunidade, a corrupção e os outros problemas sociais. Outro compromisso importante é ligado ao ensinamento nas escolas administradas pela Igreja católica, sempre na perspectiva da acolhida e do apoio aos migrantes. <br /> <br />Fri, 24 Mar 2017 14:26:15 +0100AMÉRICA/MÉXICO - México em festa: serão canonizadas as crianças mártires de Tlaxcala, protomártires da Américahttp://www.fides.org/pt/news/61993-AMERICA_MEXICO_Mexico_em_festa_serao_canonizadas_as_criancas_martires_de_Tlaxcala_protomartires_da_Americahttp://www.fides.org/pt/news/61993-AMERICA_MEXICO_Mexico_em_festa_serao_canonizadas_as_criancas_martires_de_Tlaxcala_protomartires_da_AmericaCidade do México – "Com felicidade e alegria, compartilhamos a notícia de que o Santo Padre Francisco recebeu em audiência o Cardeal Angelo Amato, S.D.B., Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos. Na audiência, o Santo Padre aprovou os votos favoráveis da Sessão Ordinária dos Cardeais e Bispos membros da Congregação sobre a canonização dos seguintes beatos: Cristobal, Antonio e Juan, adolescentes, mártires, mortos em ódio à fé no México, em 1529". É o texto do comunicado da Conferência Episcopal Mexicana publicado ontem à tarde e recebido pela Fides.<br />“As crianças mártires de Tlaxcala são mártires de toda a América Latina, porque foram os primeiros a testemunhar a fé”, disse Dom Francisco Moreno Barron, Bispo de Tlaxcala, em 14 de novembro de 2015, na celebração do V Centenário do nascimento das três crianças .<br />O processo de beatificação foi concluído por São João Paulo II em 6 de maio de 1990 na Basílica de Guadalupe, durante sua segunda visita pastoral ao México. Foram dentre os primeiros nativos de etnia americana convertidos à fé católica e são também os protomártires da América, os primeiros a derramar seu sangue por Cristo neste continente. <br />Cristobal nasceu provavelmente em 1514, Antonio e Juan ao redor de 1516. Foram cruelmente mortos por seus conterrâneos porque, em nome da fé católica, rejeitaram a idolatria e a poligamia: Cristobal morreu em 1527, Antonio e Juan em 1529. <br />O Arcebispo Moreno Barron veio a Roma em 29 de junho de 2016 para receber do Papa Francisco a bênção do Pálio, como novo Arcebispo de Tijuana, e recebeu cópia do Decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos com que as crianças Mártires de Tlaxcala foram declaradas Padroeiras da Infância mexicana .<br /> <br />Fri, 24 Mar 2017 14:25:31 +0100ÁSIA/MIANMAR - Trabalho infantil: mão de obra barata que alimenta o crescimento do paíshttp://www.fides.org/pt/news/61986-ASIA_MIANMAR_Trabalho_infantil_mao_de_obra_barata_que_alimenta_o_crescimento_do_paishttp://www.fides.org/pt/news/61986-ASIA_MIANMAR_Trabalho_infantil_mao_de_obra_barata_que_alimenta_o_crescimento_do_paisNaypyidaw - Em Mianmar, os menores começam a trabalhar aos 14 anos, mas a jornada de trabalho não pode exceder a quatro horas. A legislação permite entrar no mercado de trabalho aos 14 anos, mas alguns chegam a falsificar a documentação para começar antes. Não obstante seja proibida toda forma de trabalho perigoso, os especialistas argumentam que a legislação é pouco conhecida e muitas crianças, até mesmo pequenas, são enviadas para trabalhar. Segundo informações enviadas a Fides, em Mianmar trabalha uma criança a cada 5, na faixa etária entre 10 e 17 anos: um dos piores países do mundo em matéria de trabalho infantil, onde uma a cada quatro pessoas vive abaixo da linha da pobreza.<br />Muitas crianças que trabalham para ajudar suas famílias vendendo flores, servem chá ou fazem trabalho doméstico. Outras trabalham no crescente número de fábricas estrangeiras estabelecidas no país para transformar a economia na mais dinâmica da região, fazendo prever este ano um crescimento de 7%. As empresas ocidentais procuram tirar proveito do baixo custo da mão de obra. O salário mínimo é, de fato, cerca de 33 centavos por hora, menos do que na Tailândia, Camboja, China e Indonésia. <br /> <br />Thu, 23 Mar 2017 09:27:52 +0100ÁSIA/SIRIA - Arcebispo sírio-católico de Hassakè: não ajudamos somente os cristãoshttp://www.fides.org/pt/news/61990-ASIA_SIRIA_Arcebispo_sirio_catolico_de_Hassake_nao_ajudamos_somente_os_cristaoshttp://www.fides.org/pt/news/61990-ASIA_SIRIA_Arcebispo_sirio_catolico_de_Hassake_nao_ajudamos_somente_os_cristaosHassakè - Os militantes do autoproclamado Estado islâmico se retiraram dos arredores de Hassaké. Durante anos, eles tinham se posicionado a menos de vinte quilômetros da capital da província de mesmo nome, no nordeste da Síria. Agora, se afastaram de pelo menos sessenta quilômetros. A cidade respira, mas as consequências do conflito continuam pesando sobre a vida cotidiana: “No sul da capital”, refere à Agência Fides Jacques Behnan Hindo, Arcebispo sírio-católico de Hassaké Nisibi, “existem somente aldeias onde os beduínos passam fome. Eles tinham aceitado a dominação de Daesh que lhes garantia o necessário para viver. Agora, muitos deles apoiam as milícias curdas, porém muitos não têm nada para comer. Como diocese, terminamos de distribuir entre eles três mil cabeças de cabras e cabritos para que possam ter leite e fazer procriar o rebanho com a ajuda de familiares e a comunidade. Serão recursos para garantir a sobrevivência. Os cristãos aqui sofreram muito durante a guerra, mas há aqueles que sofreram como ou mais que os cristãos. E nós ajudamos a todos”. <br />A Arquidiocese sírio-católico - acrescenta Dom Hindo - também restaurou 25 casas nos bairros situados ao sul de Hassaké, e as distribuiu aos núcleos familiares não-cristãos. A intenção é a de contribuir ao longo do tempo a enfraquecer os conflitos sectários. A este respeito, o arcebispo sírio-católico comentou o comportamento ambíguo de alguns grupos curdos militarizados: “por quase um ano”, afirma o Arcebispo “continuam mantendo o controle do hospital em construção que tinham prometido desocupar até junho passado, para iniciar os trabalhos de restauração e permitir à estrutura de saúde de entrar em funcionamento”. <br /><br />Thu, 23 Mar 2017 09:14:32 +0100ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - No Unity State, o povo está morrendo de fome; quem pode foge em busca de salvaçãohttp://www.fides.org/pt/news/61984-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_No_Unity_State_o_povo_esta_morrendo_de_fome_quem_pode_foge_em_busca_de_salvacaohttp://www.fides.org/pt/news/61984-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_No_Unity_State_o_povo_esta_morrendo_de_fome_quem_pode_foge_em_busca_de_salvacaoYirol – “Há 6 anos um país da África não caia numa situação tão dramática: a última vez foi na Somália. Há pouco mais de um mês, o drama da morte por fome está dizimando o Sudão do Sul, e de modo mais específico o estado de Unity, cerca de 100 mil pessoas, no confim com o dos Lagos, onde estamos trabalhando há quase dez anos”. É o que conta à Fides pe. Dante Carraro, Diretor de Médicos com a África CUAMM. <br />“As consequências da penúria e da carestia, que desde o ano passado estão atingindo estas áreas, se agravaram e geram uma cada vez maior e difusa insegurança, que domina o país e ameaça o trabalho, as atividades e a confiança de famílias e comunidades locais. Não há mais locomoção com automóveis, as pistas são perigosas demais. Estão sendo usados pequenos aviões ou helicópteros das Nações Unidas. Quando a pobreza não permite alimentar seus filhos, você puxa a arma e faz o que nunca teria feito. As comunicações estão interrompidas, os transportes impossibilitados, sementes e alimentos não chegam. E agora, começa-se a morrer de fome. Primeiro cabras e vacas, depois crianças e mães, idosos e enfim, jovens e adultos. Quem não morre, foge. Fogem do estado de Unity para o interior do país, ao sul, ao estado dos Lagos ou até mesmo para fora do país, a leste, rumo à Etiópia. A situação política e social é muito frágil, a segurança é sempre arriscada e cada movimento é uma dificuldade; mas a situação da população, especialmente mulheres e crianças, é dramática”, prossegue pe. Dante. <br />“Nós, do CUAMM, decidimos estar próximos deste sofrimento e humilhações. Acolhemos e nos encarregamos daqueles que conseguem fugir e chegar ao sul, perto do estado dos Lagos: mães, crianças e famílias em busca de abrigo, alimento e cuidados nos hospitais de Cuibet, Rumbeck, Yirol e nos vários centros de saúde espalhados no território. Estamos intervindo ali, aonde a emergência é mais aguda, nas áreas do centro-sul do vizinho estado de Unity, onde milhares de pessoas, silenciosa e dramaticamente estão morrendo de fome. Ali é necessária assistência alimentar e cuidados médicos; alimentos, remédios, utensílios e pessoal que possa garantir inclusive um sistema de transporte de casos urgentes e graves para estruturas mais equipadas. As Nações Unidas intervêm como podem, apoiando as atividades a partir de Juba” conclui pe. Dante. <br /> <br />Thu, 23 Mar 2017 08:00:40 +0100ÁFRICA/NIGÉRIA - “Nossos políticos são corruptos e muitas vezes as ajudas não chegam a quem precisa” denuncia um Bispohttp://www.fides.org/pt/news/61988-AFRICA_NIGERIA_Nossos_politicos_sao_corruptos_e_muitas_vezes_as_ajudas_nao_chegam_a_quem_precisa_denuncia_um_Bispohttp://www.fides.org/pt/news/61988-AFRICA_NIGERIA_Nossos_politicos_sao_corruptos_e_muitas_vezes_as_ajudas_nao_chegam_a_quem_precisa_denuncia_um_BispoAbuja - “Muitas ofertas provenientes do mundo ocidental não vão diretamente às pessoas a quem se destinam. Nossos políticos insistem que as doações devem passar através de agências de governo e ali, terminam nos bolsos de certos indivíduos. Muitos de nossos políticos são corruptos”, denunciou Dom Oliver Dashe Doeme, Bispo de Maiduguri, capital do estado de Borno, norte da Nigéria, falando com uma delegação da Ajuda à Igreja que Sofre. Maiduguri é um dos alvos dos ataques de Boko Haram e a delegação fez a visita em sinal de solidariedade com as populações atingidas. <br />Dom Doeme, agradecendo os hóspedes, destacou que a Igreja e outras denominações religiosas criaram estruturas eficientes para distribuir ajudas às vítimas de Boko Haram.<br />A delegação, composta por 14 pessoas provenientes de Coreia do Sul, Ásia, América e Europa, convidou à reconciliação e ao diálogo inter-religioso para superar as tensões. <br />Muitas vezes, elas têm origem política, como sublinhou Pe. John Bakeni, recordando que no norte da Nigéria, comprar um terreno para construir uma igreja se tornou uma tarefa difícil, pois o governo não ofereceu compensações para as igrejas destruídas por Boko Haram. A Igreja – frisou pe. Bakeni – sempre ajudou independentemente da fé religiosa. “A Igreja católica visitou todos os campos de refugiados de Maiduguri, oferecendo uma ajuda humanitária imediata a nossos irmãos muçulmanos”, disse. <br />A delegação encontrou alguns sobreviventes das violências de Boko Haram com o pe. Gideon Obasogie, Diretor do escritório diocesano para comunicações sociais. <br />Thu, 23 Mar 2017 08:00:03 +0100ÁFRICA/RD CONGO RD - Os massacres de Kivu do Norte são obra de verdadeiros jihadistas?http://www.fides.org/pt/news/61987-AFRICA_RD_CONGO_RD_Os_massacres_de_Kivu_do_Norte_sao_obra_de_verdadeiros_jihadistashttp://www.fides.org/pt/news/61987-AFRICA_RD_CONGO_RD_Os_massacres_de_Kivu_do_Norte_sao_obra_de_verdadeiros_jihadistasKinshasa – Desde o início de outubro de 2014, a população do território de Beni é alvo de uma série de sequestros de pessoas e massacres, nos quais mais de mil pessoas perderam a vida. <br />O governo congolês atribui estas violências a um grupo de rebeldes ugandenses de inspiração islâmica, as Forças Democráticas Aliadas , qualificando-o como grupo terrorista jihadista. Ainda segundo o governo, as ADF estariam em contato com outros grupos jihadistas, como Al Shabaab, da Somália, e Boko Haram, da Nigéria. Esta tese seria comprovada pela presença de ugandeses, somalis, quenianos, chadianos e sudaneses nas tropas das ADF. “Mas a tese jihadista do governo não é convincente. Pode ser um simples pretexto para ganhar a simpatia da Comunidade internacional, que também é ‘vítima’ de uma certa forma de terrorismo internacional”, afirma a nota enviada à Agência Fides pela Rede Paz para o Congo. Com efeito, os massacres nunca foram reivindicados, como os cometidos por grupos jihadistas em outras partes da África, por exemplo pelo Boko Haram na Nigéria ou os Shabaab na Somália. As ADF não fazem comunicados nem são ativas nos sites jihadistas. Não seguem a lógica de recrutamento de novos fiéis para a expansão de um califado na região dos Grandes Lagos da África, mas uma lógica de apropriação de terras. Observa-se a estratégia de ocupações de algumas áreas do território de Beni em que a população local não pode acessar. Em relação aos presumíveis membros estrangeiros, é difícil imaginar que sejam "Foreign Fighters" que chegaram ao Congo para se alistar em uma jihad hipotética. São estrangeiros já presentes em terras congolesas há muitos anos, por vezes décadas, por razões políticas, econômicas ou profissionais. <br />“Segundo uma outra teoria, os verdadeiros responsáveis por estes crimes seriam o próprio governo e as populações de origem ruandesa, cujo objetivo seria ‘balcanizar’ a região, afirma a nota. “Este era o ponto de vista também de pe. Vincent Machozi, religioso assuncionista assassinado na noite de 20 de março de 2016 . Pouco antes de ser morto, no site Beni-Lubero, ele havia acusado o Presidente congolês Joseph Kabila e o Presidente ruandês Paul Kagame de serem os verdadeiros mandantes dos massacres. Segundo ele, os dois Presidentes favoreceriam um clima de terror com o fim de obrigar a população local a abandonar suas terras, ricas de madeira e minerais, para instalar nelas uma nova população, proveniente de Ruanda. Em sua última mensagem antes de ser assassinado, Padre Machozi escreveu: “as túnicas muçulmanas contribuem em criar confusão para esconder o rosto ruandês da ocupação, que está demasiado visível aos olhos de todos”. <br /><br /><br />Thu, 23 Mar 2017 07:59:30 +0100ÁSIA/FILIPINAS - Igreja: “Sobre a pena de morte, pedimos aos políticos coerência e consciência”http://www.fides.org/pt/news/61989-ASIA_FILIPINAS_Igreja_Sobre_a_pena_de_morte_pedimos_aos_politicos_coerencia_e_conscienciahttp://www.fides.org/pt/news/61989-ASIA_FILIPINAS_Igreja_Sobre_a_pena_de_morte_pedimos_aos_politicos_coerencia_e_conscienciaManila – “O que pedimos aos nossos políticos é a coerência e que votem sobre a pena de morte segundo consciência. Pedimos que não usem a fé para a conveniência política. Muitos políticos descem às ruas dizendo ‘sim’ à vida, mas depois votam a favor da pena de morte. A consciência iluminada da fé é muito importante na política, como em qualquer outra opção da vida humana. As escolhas da vida pessoal ou íntima não podem estar em contradição com as da vida pública”: é o que diz à Agência Fides pe. Melvin Castro, Secretário executivo da Comissão “Família e vida” da Conferência Episcopal, enquanto o Senado filipino se prepara para votar a lei para o restabelecimento da pena de morte, já aprovada pelo Congresso. O voto no Senado está previsto para 2 de maio e na assembleia, a maioria é de membros do partido do presidente Duterte, promotor da lei. <br />"A Igreja ensina isto, a sacralidade de toda vida. Queremos viver em uma nação que leve sempre em consideração o princípio do respeito da dignidade inalienável de todo homem e toda mulher e dos direitos humanos fundamentais”, frisa pe. Castro à Fides. <br />A Conferência Episcopal das Filipinas, em recente declaração pública, lida em todas as igrejas, apresentou diversas boas razões para rechaçar o projeto de lei sobre a pena capital. Os Bispos afirmam que a pena de morte “não é necessária”, “não assegura mais justiça” e “não ajudará o país”. <br />Na verdade, toda pena, observam os bispos, deve ter um valor de reeducação e deve ter como objetivo a “cura e a mudança de vida” de quem comete um delito, e não ter caráter de vingança. Além disso, de acordo com os dados do Supremo Tribunal, os erros judiciários nos casos de pena de morte são mais de 70%, enquanto que “nenhum estudo demonstra que a imposição da pena de morte é um dissuasor eficaz ao crime”, observa a mensagem de bispos.<br />Portanto, o apelo pede explicitamente aos senadores para “rejeitar a reintrodução da pena de morte”. Os bispos, enfim, convidam os fiéis a rezar constantemente para que “o Espírito Santo ilumine e guie as mentes e consciências dos legisladores”, chamados a fazer uma escolha que terá repercussões na vida de muitas pessoas e no futuro do país. <br /><br />Thu, 23 Mar 2017 07:58:54 +0100AMÉRICA/REPÚBLICA DOMINICANA - Encontro dos Bispos de fronteira entre Haiti e Rep. Dominicana sobre problemas comunshttp://www.fides.org/pt/news/61985-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Encontro_dos_Bispos_de_fronteira_entre_Haiti_e_Rep_Dominicana_sobre_problemas_comunshttp://www.fides.org/pt/news/61985-AMERICA_REPUBLICA_DOMINICANA_Encontro_dos_Bispos_de_fronteira_entre_Haiti_e_Rep_Dominicana_sobre_problemas_comunsBarahona – Bispos, sacerdotes e delegações de paróquias do Haiti e da República Dominicana se reuniram em Barahona em 21 de março, para analisar os problemas sociais e econômicos que dizem respeito à fronteira e contemporaneamente trocar experiências pastorais num clima de comunhão. Segundo as informações enviadas a Fides, o encontro se concluiu com a missa presidida por um dos Bispos haitianos e concelebrada por todos os Bispos, entre os quais o Arcebispo Jude Thaddeus Okolo, Núncio Apostólico na República Dominicana. As delegações que participaram foram acolhidas por Dom Andrés Napoleón Romero Cárdenas, Bispo da diocese de Barahona.<br /> <br />Thu, 23 Mar 2017 23:06:20 +0100AMÉRICA - REPAM: o direito ao território é condição preliminar para o exercício de outros direitoshttp://www.fides.org/pt/news/61983-AMERICA_REPAM_o_direito_ao_territorio_e_condicao_preliminar_para_o_exercicio_de_outros_direitoshttp://www.fides.org/pt/news/61983-AMERICA_REPAM_o_direito_ao_territorio_e_condicao_preliminar_para_o_exercicio_de_outros_direitosWashington – A Rede Eclesial Pan-Amazônica , considerando a violação dos direitos territoriais dos povos indígenas e das comunidades amazônicas na América do Sul, propôs à Comissão Internacional dos Direitos Humanos avaliar a possibilidade, através do relator para os direitos das populações indígenas, de preparar e publicar um relatório sobre a situação dos direitos territoriais desses povos. <br />"Acreditamos que este documento seria um instrumento jurídico útil para a defesa, em nível nacional e internacional, das comunidades indígenas e não indígenas na Amazônia", comentou a REPAM a respeito da audiência realizada em 17 de março em Washington .<br />Os representantes das populações indígenas e Dom Pedro Ricardo Barreto Jimeno, S.J., Arcebispo de Huancayo e porta-voz do CELAM, ilustraram os graves prejuízos que a extração de minerais e de outras atividades legais e ilegais na Amazônia provocaram e continuam provocando não somente para o meio ambiente e os recursos naturais, mas também para os direitos humanos dos povos indígenas e não indígenas locais, em especial do direito ao território. E fizeram um apelo às autoridades para que busquem novos modos capazes de harmonizar o respeito dos direitos humanos e do meio ambiente com o desenvolvimento econômico e produtivo.<br />Na audiência, a REPAM focalizou a atenção sobre o direito ao território como condição preliminar para o exercício de outros direitos, identificando o maior problema da região amazônica com a expansão das indústrias extrativistas e com um novo modelo econômico, para o qual Estados endereçaram suas normativas e políticas públicas.<br /> Thu, 23 Mar 2017 23:05:05 +0100AMÉRICA/PORTO RICO - Líderes religiosos pedem aos Estados Unidos para prevenir a crise financeira no paíshttp://www.fides.org/pt/news/61982-AMERICA_PORTO_RICO_Lideres_religiosos_pedem_aos_Estados_Unidos_para_prevenir_a_crise_financeira_no_paishttp://www.fides.org/pt/news/61982-AMERICA_PORTO_RICO_Lideres_religiosos_pedem_aos_Estados_Unidos_para_prevenir_a_crise_financeira_no_paisSan Juan – O Arcebispo de Puerto Rico, Dom Roberto González, e a Sociedade Bíblica guiada pelo reverendo Heriberto Martínez pedem ao Congresso dos Estados Unidos que aprove os benefícios fiscais para as crianças e a assistência de saúde para Porto Rico, pedido apresentado por uma força-tarefa bipartidária do próprio Congresso. A Câmera dos deputados, de fato, está debatendo alguns aspectos da legislação sobre a saúde que, uma vez aprovados, segundo os líderes religiosos, contribuirão para aliviar a dívida da ilha. A ilha de Porto Rico está politicamente associada aos Estados Unidos. <br />"Vocês estão no Congresso para agir por Porto Rico", escreveram os dois líderes religiosos numa carta enviada à liderança republicana e democrática da Câmera dos Representantes e do Senado. "Já que a nossa ilha se prepara para reestruturar a sua dívida, precisamos de vocês".<br />Além de se concentrar sobre a crise financeira da ilha, sempre mais grave, o Arcebispo González e o reverendo Martínez encorajam o Congresso a adotar ulteriores medidas para deter futuras crises com a dívida não somente em Porto Rico, mas também nos países em desenvolvimento de todo o mundo. "Queremos prevenir as crises financeiras que têm um impacto sobre todas as crianças – escrevem -. Muitos países, como Porto Rico, estão em crise porque falta uma lei estadunidense que promova, de modo seguro, o empréstimo responsável e a sua restituição".<br />Em sua carta –enviada a Fides -, os líderes religiosos recordam que trabalham para a solução da crise de Porto Rico desde 2015 , tendo como parceiro Jubilee USA e entidades religiosas nacionais como a Conferência Episcopal dos Estados Unidos e a United Church of Christ.<br /> Thu, 23 Mar 2017 23:04:13 +0100AMÉRICA/BRASIL - Mais de 2 milhões e meio de menores em situação de trabalho infantilhttp://www.fides.org/pt/news/61977-AMERICA_BRASIL_Mais_de_2_milhoes_e_meio_de_menores_em_situacao_de_trabalho_infantilhttp://www.fides.org/pt/news/61977-AMERICA_BRASIL_Mais_de_2_milhoes_e_meio_de_menores_em_situacao_de_trabalho_infantilRio de Janeiro – Segundo uma pesquisa que acaba de ser publicada pela Fundação Abrinq, ong promotora da defesa da infância e da adolescência, em 2015 no Brasil foram registrados dois milhões e 600 mil menores em situação de trabalho infantil entre 5 e 17 anos. O levantamento, intitulado “Cenário da Infância e da Adolescência 2017”, revela também que 5 milhões e 800 mil menores brasileiros entre 0 e 14 anos vivem em condições de extrema pobreza, com uma renda domiciliar per capita inferior a 65 dólares. Segundo a Abrinq, em 2015 houve um aumento de 8.500 crianças trabalhadoras entre 5 e 9 anos de idade em relação ao ano anterior, embora tenha sido registrada uma diminuição de 659 mil crianças e adolescentes entre 10 e 17 anos. A região Nordeste, a mais pobre do país, e a Sudeste, a mais rica, são aquelas onde foi registrada a máxima concentração de menores em situação de trabalho infantil. O índice de pobreza infantil mais elevado resulta no Nordeste e no Norte do país .<br /> Wed, 22 Mar 2017 23:25:36 +0100AMÉRICA/EL SALVADOR - Rumo ao CAM V 2018: a Cruz missionária chega a El Salvadorhttp://www.fides.org/pt/news/61976-AMERICA_EL_SALVADOR_Rumo_ao_CAM_V_2018_a_Cruz_missionaria_chega_a_El_Salvadorhttp://www.fides.org/pt/news/61976-AMERICA_EL_SALVADOR_Rumo_ao_CAM_V_2018_a_Cruz_missionaria_chega_a_El_SalvadorCara Sucia – El Salvador acolheu da Guatemala, justamente na cidade de fronteira de Hachadura, a Cruz missionária e as relíquias da Beata Nazaria Ignacia e do Beato Oscar Romero, que percorrerão o país em preparação ao V Congresso Missionário Americano , que se realizará na Bolívia em 2018. Hoje, 22 de março, os símbolos missionários se encontram na paróquia de São Martinho de Porres em Cara Sucia, diocese de Santa Ana, onde estão previstas atividades de animação missionária e encontros de oração.<br /> Wed, 22 Mar 2017 23:24:49 +0100