Fides News Portuguêshttp://www.fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/BOLÍVIA - Agrava-se o fenômeno do abandono de menores nas ruas e a violênciahttp://www.fides.org/pt/news/39178-AMERICA_BOLIVIA_Agrava_se_o_fenomeno_do_abandono_de_menores_nas_ruas_e_a_violenciahttp://www.fides.org/pt/news/39178-AMERICA_BOLIVIA_Agrava_se_o_fenomeno_do_abandono_de_menores_nas_ruas_e_a_violenciaCochabamba – Segundo o Serviço de Gestão Social do Governo de Cochabamba, vivem na cidade mais de mil meninos, meninas e adolescentes nas ruas. O problema existe desde 1986 quando, devido a políticas governativas, milhares de trabalhadores ficaram desempregados e as famílias se desagregaram. Não obstante a obra de várias ONGs e organizações dedicadas ao apoio a pessoas que vivem nas ruas, esta faixa social continua a aumentar. Além da marginalização, grande parte destas crianças e adolescentes inalam gasolina. O Arcebispo emérito de Cochabamba, Dom Tito Solari, identificou o fenômeno como um dos mais graves do município. Durante o seu mandato episcopal, foi instituído o Projeto Musuj Runa, no âmbito da Comissão para a Marginalização e a Inserção Social da Pastoral Social do Arcebispado. Nos últimos 10 anos, foram salvas mais de mil crianças das ruas. O sucessor de Dom Solari, Dom Oscar Aparicio, se comprometeu em continuar a recuperar estes jovens e a colaborar com os órgãos estatais. O objetivo é que o projeto se torne realidade e que os menores deixem de viver nas ruas. O problema do abandono e das violências em crianças requer atenção urgente, principalmente por parte do Estado. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/INDONÉSIA - Ano da Vida Consagrada: a Família Dominicana acolhe novos leigoshttp://www.fides.org/pt/news/39177-ASIA_INDONESIA_Ano_da_Vida_Consagrada_a_Familia_Dominicana_acolhe_novos_leigoshttp://www.fides.org/pt/news/39177-ASIA_INDONESIA_Ano_da_Vida_Consagrada_a_Familia_Dominicana_acolhe_novos_leigosJacarta – A Família Dominicana na Indonésia – composta por três ramos de religiosos, religiosas e leigos – se enriquece com muitos novos leigos: um sinal de esperança no Ano da Vida Consagrada, em que todas as Famílias religiosas são chamadas a realizar um caminho de renovação e aprofundamento de seu carisma na Igreja. Como informado à Fides, no dia 17 de janeiro passado, o sacerdote dominicano Andreas Kurniawan, um dos três religiosos Dominicanos presentes na Indonésia, entregou o escapulário branco a 19 leigos em Cirebon, West Java, acolhendo-os oficialmente na Ordem como “postulantes leigos”. Além disso, nos primeiros dias de janeiro, outros 16 leigos Dominicanos emitiram a profissão perpétua. Na mesma celebração eucarística, pe. Andreas Kurniawan OP acolheu 4 postulantes e 4 noviços. Segundo o coordenador do Laicato Dominicano da Indonésia, Teofilo Adiwiyarta Atmadi OP, há uma autêntico florescimento do laicato católico dominicano: na Indonésia, hoje existem cerca de 150 leigos dominicanos, presentes em três arquidioceses e duas dioceses . Aguarda-se outras profissões laicais para julho de 2015, em Yogyakarta, e outubro, em Pontianak. Os Dominicanos são historicamente ligados à chegada da fé cristã na Indonésia: em1520, na ilha de Flores, o mercante português Jeae Soares batizou 200 pessoas na aldeia de Lewonama e o capelão do navio, o Dominicano pe. Antonio da Tavera, OP, batizou depois outras 5 mil pessoas nas ilhas de Timor e Flores. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/MIANMAR – Não à impunidade para o estupro e o homicídio de mulheres Kachinhttp://www.fides.org/pt/news/39176-ASIA_MIANMAR_Nao_a_impunidade_para_o_estupro_e_o_homicidio_de_mulheres_Kachinhttp://www.fides.org/pt/news/39176-ASIA_MIANMAR_Nao_a_impunidade_para_o_estupro_e_o_homicidio_de_mulheres_KachinRangun – O grave episódio do estupro e homicídio de duas cristãs de etnia Kachin, ocorrido no complexo de uma Igreja batista, na noite de 19 de janeiro, suscitou indignação e tristeza. Os cristãos locais e ONGs como “Christian Solidarity Worldwide” condenaram o ocorrido e pediram ao governo birmanês que “cesse imediatamente os ataques militares e encontre os culpados”. As duas mulheres, Maran Lu Ra, 20, e Tangbau Hkawn Nan Tsin, 21, eram professoras provenientes da cidade de Myitkyina, e estavam trabalhando para a “Kachin Baptist Convention” como voluntárias na aldeia de Shabuk-Kaunghka, no estado Shan, nordeste de Mianmar. Foram agredidas durante a noite de 19 de janeiro por soldados do exército birmanês, violentadas e mortas. <br />Segundo uma nota enviada à Fides pela CSW, “as tropas do exército birmanês chegaram repentinamente no complexo da Igreja, aonde as jovens dormiam. Os moradores do vilarejo próximo ouviram as moças gritarem e quando chegaram ao local, assistiram à cena da bárbara violência de grupo e o assassinato”. O episódio foi rapidamente denunciado à polícia birmanesa, mas nenhuma providência foi tomada. As violências perpetradas pelos militares contra a população civil frequentemente ficam impunes. A “Kachin Women Association of Thailand” documentou mais de 70 casos de estupro contra a população Kachin, cometidos por militares birmaneses depois que, em junho de 2011, o exército interrompeu o cessar-fogo que durava há 17 anos, com o Kachin Independence Army . No ano passado, a “Women’s League of Burma” publicou o relatório “Se tivessem esperança falariam”, que documenta 118 casos de estupros cometidos por soldados do exército birmanês desde 2010. O governo da Birmânia assinou uma declaração em que se compromete a colocar fim à violência sexual, mas não atuou as disposições. A nota do CSW conclui: “Este trágico episódio é outro exemplo das contínuas e graves violações de direitos humanos que ainda ocorrem na Birmânia, e da impunidade de que os militares gozam. Pedimos ao governo da Birmânia que ponha fim na guerra contra o povo Kachin e se empenhe no diálogo político e no processo de paz”. O micro-conflito civil com os Kachin é um dos praticados pelo governo birmanês contra minorias étnicas”. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/ARÁBIA SAUDITA - A morte do Rei Abdulá: para o Bispo Hinder “era conhecido por ser um homem pio”http://www.fides.org/pt/news/39175-ASIA_ARABIA_SAUDITA_A_morte_do_Rei_Abdula_para_o_Bispo_Hinder_era_conhecido_por_ser_um_homem_piohttp://www.fides.org/pt/news/39175-ASIA_ARABIA_SAUDITA_A_morte_do_Rei_Abdula_para_o_Bispo_Hinder_era_conhecido_por_ser_um_homem_pioRiyad – Faleceu esta noite, com cerca de 90 anos, Abdulá bin Abdulaziz, o primeiro Rei saudita a encontrar um Papa. O encontro entre o rei saudita e Papa Bento XVI se realizou em novembro de 2007. Seus funerais foram anunciados para hoje, após a oração da tarde. Rei Abdulá assumiu o trono oficialmente em 2005. “Nos anos em que era príncipe herdeiro – conta à Agência Fides o Bispo Paul Hinder, OFM Cap, que hoje é Vigário apostólico da Arábia do Sul – sei que houve um contato com o Arcebispo Giovanni Bernardo Gremoli, que durante 29 anos foi Vigário Apostólico da Arábia. Depois, nos anos de seu reinado, quando eu tinha também a responsabilidade da Arábia, posso dizer que os princípios, em relação à religião, não mudaram, mas a sua aplicação era mais flexível e que para os cristãos, quando prudentes, muitas coisas eram praticáveis. Incidentes desagradáveis aconteciam quando se reuniam grupos grandes, quando se atraia a atenção das pessoas e a prudência oportuna era deixada um pouco de lado”. Por muito tempo, sob o reino de Abdulá, o poder da “mutawwa'in”, a polícia religiosa saudita, foi limitado, enquanto nos últimos anos, sua influência aumentou. “Em geral – acrescenta Dom Hinder – o Rei era considerado pelo povo como uma pessoa pia e respeitosa das regras do Islã, mais do que outros”. .Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/SERRA LEOA - O governo trabalha para a reabertura das escolashttp://www.fides.org/pt/news/39174-AFRICA_SERRA_LEOA_O_governo_trabalha_para_a_reabertura_das_escolashttp://www.fides.org/pt/news/39174-AFRICA_SERRA_LEOA_O_governo_trabalha_para_a_reabertura_das_escolasPujehun – Depois da boa notícia de que o distrito meridional de Pujehun continua a ser o primeiro ebola-free do país , em 21 de janeiro o governo convocou uma reunião para planejar a reabertura das escolas. É o que consta em um comunicado enviado à Agência Fides pela Avsi, engajada em Serra Leoa desde 2000. Trata-se de uma possibilidade concreta, depois de 7 meses de suspensão das aulas em todo o país, para limitar o contágio. Até agora, nas aldeias, os agentes trabalharam com o programa educativo via rádio, o único modo para superar o obstáculo da proibição de agregação em locais públicos. O Presidente de Serra Leoa anunciou também a redução das restrições de movimentos internos no país, sinal de que a situação ligada à difusão do vírus está gradualmente, mesmo se lentamente, melhorando no aspecto humanitário. Serão reduzidas as restrições por razão de segurança também na zona oeste, a mais atingida pela epidemia, onde será novamente concedida a possibilidade de as lojas permanecerem abertas até 18h. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/EGITO - Associações coptas trabalham num documento sobre os direitos de cidadaniahttp://www.fides.org/pt/news/39173-AFRICA_EGITO_Associacoes_coptas_trabalham_num_documento_sobre_os_direitos_de_cidadaniahttp://www.fides.org/pt/news/39173-AFRICA_EGITO_Associacoes_coptas_trabalham_num_documento_sobre_os_direitos_de_cidadaniaCairo - As associações e movimentos animados por cristãos coptas que fazem parte do “Coptic Advisory Council” anunciaram a iminente publicação de um documento sobre os direitos de cidadania. O texto tem como objetivo traçar um mapa para a tutela e defesa dos direitos de cidadania que ofereça, não só aos cristãos, instrumentos e conselhos para desmascarar e combater o legado da discriminação sectária com base étnica ou religiosa, ativo em diferentes níveis na sociedade egípcia. Na redação do documento contribuíram especialistas e analistas pertencentes à Igreja copta-ortodoxa, à copta-católica e à comunidade copta protestante. 
O texto – como informam fontes locais contatadas pela Agência Fides – oferecerá um quadro das formas de discriminação, inclusive sutis, que se registram nos âmbitos jurídico, administrativo, midiático, cultural e da instrução pública. Os objetivos e as possíveis aplicações práticas do documento serão expostos em uma coletiva de imprensa prevista para os primeiros dias de fevereiro. O “Coptic Advisory Board” foi instituído em agosto de 2012 como instrumento de coordenação entre grupos e associações inspirados em leigos coptas, com a intenção de unir as intenções e encontrar formas de colaboração para enfrentar juntos problemáticas de caráter civil, social e político. .Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/SENEGAL - “Não à violência em nome de Deus e atentos a não ofenderem os sentimentos religiosos”, afirmam os Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/39172-AFRICA_SENEGAL_Nao_a_violencia_em_nome_de_Deus_e_atentos_a_nao_ofenderem_os_sentimentos_religiosos_afirmam_os_Bisposhttp://www.fides.org/pt/news/39172-AFRICA_SENEGAL_Nao_a_violencia_em_nome_de_Deus_e_atentos_a_nao_ofenderem_os_sentimentos_religiosos_afirmam_os_BisposDacar - “Condenamos fortemente a violência assassina do terrorismo e do fanatismo que, sob a fachada da religião, ataca a vida humana em nome de Deus. Isto é inaceitável e incoerente porque a vida é um dom de Deus que deve ser respeitado e protegido”, escrevem os Bispos do Senegal, num comunicado enviado à Agência Fides, em relação ao massacre em Paris. Depois de pedir a misericórdia de Deus para com as vítimas, os bispos senegaleses estigmatizam as caricaturas de “Mohamad, fundador do Islã”, distinguindo entre liberdade de expressão e ofensa aos sentimentos religiosos de milhões de pessoas. “Condenamos com veemência esta liberdade que pretende ser falsamente absoluta, ilimitada, ofendendo e desrespeitando o outro na sua dignidade de homem, em suas escolhas, em sua fé e suas convicções religiosas”, afirmam os bispos senegaleses. “A religião é uma fibra muito sensível. Não brinquemos com o fogo! Por esta razão, sem nunca entrar na lógica da vingança e da violência, denunciamos o caráter abusivo dessas publicações”. Os bispos também sublinham que “estas caricaturas não podem e não devem, de forma alguma, serem tratadas como ações dos cristãos contra o Islã, como as reações violentas que ocorreram no Níger podem fazer pensar”. No Níger, nos dias 16 e 17 de janeiro, várias igrejas e comunidades religiosas sofreram grandes danos por causa de manifestantes que protestavam contra as publicações do jornal francês . Na verdade, afirmam os Bispos, a ideologia de quem publica essas caricaturas “é muitas vezes dirigida contra a religião cristã, especialmente contra os católicos”. “Fazemos este apelo para preservar o nosso querido Senegal dos demônios da divisão, do ódio e da violência, como sempre fizeram os líderes religiosos cristãos e muçulmanos”, conclui o comunicado, que convida a todos a não cederem “à pressão de influências externas que podem pôr em causa os fundamentos de nossa sociedade e prejudicar o nosso futuro”. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/NIGÉRIA - Para os Bispos “muitos políticos recorrem à calúnia e incitação à violência” durante a campanha eleitoralhttp://www.fides.org/pt/news/39171-AFRICA_NIGERIA_Para_os_Bispos_muitos_politicos_recorrem_a_calunia_e_incitacao_a_violencia_durante_a_campanha_eleitoralhttp://www.fides.org/pt/news/39171-AFRICA_NIGERIA_Para_os_Bispos_muitos_politicos_recorrem_a_calunia_e_incitacao_a_violencia_durante_a_campanha_eleitoralAbuja - “Saudamos todos os políticos e partidos políticos que conseguiram administrar até agora as campanhas eleitorais sem violência em preparação para as eleições gerais. Pedimos a eles para que continuem desse modo”, afirmam os Bispos da Província Eclesiástica de Ibadan num comunicado enviado à Agência Fides, no final de sua assembleia plenária. Os Bispos notam, contudo, que há “vários políticos que, direta ou indiretamente, recorrem à calúnia e mentira descarada para obter vantagens políticas e provocar a violência entre a população.” As eleições, que se realizarão em fevereiro, são muitas esperadas na Nigéria também em relação à violência do grupo extremista Boko Haram que afeta várias regiões do nordeste da Federação. A este respeito, o comunicado elogia “os esforços do Governo para conter o monstro, igual a uma hidra com mil tentáculos, o sacrifício dos soldados, agentes de segurança e civis, que morreram na crise” e deplora outras situações de violência ligadas “à justiça da selva e os assassinatos rituais”. “Repetimos que a vida humana é sagrada e deve ser tratada, desde a concepção até a morte natural, e pedimos a todos para que rejeitem a violência em qualquer relacionamento”, reiteram os bispos, que concluem lembrando o Sínodo sobre a Família, e reafirmando o compromisso da Igreja na Nigéria na defesa da família, nas escolhas pró-vida e na paternidade e maternidade responsáveis. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100EUROPA/ITÁLIA – Missionárias Scalabrinianas abrem uma comunidade em Siracusa para o acolhimento dos migranteshttp://www.fides.org/pt/news/39170-EUROPA_ITALIA_Missionarias_Scalabrinianas_abrem_uma_comunidade_em_Siracusa_para_o_acolhimento_dos_migranteshttp://www.fides.org/pt/news/39170-EUROPA_ITALIA_Missionarias_Scalabrinianas_abrem_uma_comunidade_em_Siracusa_para_o_acolhimento_dos_migrantesSiracusa – Foi criada em Siracusa uma nova comunidade missionária para acolher os migrantes que chegam à Sicília. As irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo, Scalabrinianas, desde domingo têm as primeiras três irmãs “na linha de frente” para iniciar percursos de assistência. Segundo as informações enviadas à Agência Fides, trata-se das brasileiras Ir. Teresinha Santin e Ir. Ivanir Filipi, e da albanesa Ir. Gjeline Preçi. “Uma resposta ao premente apelo do Papa Francisco para ‘abrir os conventos aos refugiados carne de Cristo’ – explicam a Superiora Geral, Irmã Neusa Fatima Mariano, e a Responsável pela Província São José/Europa, Irmã Milva Caro. Uma decisão – a de abrir uma nova comunidade religiosa – num tempo em que tudo leva ao redimensionamento e à economia de forças e de recursos. Um sinal da caridade pastoral da Congregação no ano da beatificação da co-fundadora Madre Assunta Marchetti”. Será uma presença missionária não tanto para estar na linha de frente, “mas para ‘habitar’ na Igreja local, com o povo de Siracusa e com os migrantes”. Será uma comunidade itinerante ao lado da história dos migrantes, “para que nunca lhes falte o pão da Palavra de Deus e o espaço para viver com dignidade”.”. Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100VATICANO - O Card. Filoni no Santuário de La Vang confia a Nossa Senhora o caminho de evangelizaçãohttp://www.fides.org/pt/news/39169-VATICANO_O_Card_Filoni_no_Santuario_de_La_Vang_confia_a_Nossa_Senhora_o_caminho_de_evangelizacaohttp://www.fides.org/pt/news/39169-VATICANO_O_Card_Filoni_no_Santuario_de_La_Vang_confia_a_Nossa_Senhora_o_caminho_de_evangelizacaoLa Vang – “Como peregrino – também por conta da nossa Congregação missionária –, peço à Virgem Maria a sua proteção para a obra de evangelização no mundo: ela que gerou Jesus, o Evangelho vivo, a Palavra de Deus, e que acompanhou a Igreja desde o dia do Pentecostes, seja ainda mãe para tantos filhos da Igreja, em particular no Continente asiático. Por este motivo, hoje trago como dom três rosas de prata, como recordação perene deste pedido.” São as palavras do ato solene pronunciado pelo Card. Fernando Filoni, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, durante a Missa que presidiu na tarde de 22 de janeiro, no Santuário mariano nacional de Lavang, nova etapa da sua visita pastoral ao Vietnã . Coração pulsante da fé e da espiritualidade mariana no Vietnã, o Santuário de La Vang, situado a cerca de 60 Km de Hue, está ligado às aparições da Virgem Maria na floresta próximo de Quang Tri, a um grupo de católicos vietnamitas em fuga das perseguições, que ali haviam se refugiado.<br />A primeira aparição deu-se em 1798, à qual se seguiram muitas outras. Em 1886, terminadas as perseguições, no lugar foi construída uma modesta igrejinha de madeira, que se tornou meta de intensas peregrinações.<br />Sucessivamente incendiada pelos perseguidores, a igreja foi substituída por uma construção em tijolos inaugurada em 1901, quando Nossa Senhora de La Vang foi proclamada “Padroeira dos católicos vietnamitas”.<br />Para acolher o fluxo sempre mais crescente de devotos, em seguida foram construídas várias capelas e muitas obras. Mas as várias construções de La Vang foram completamente destruídas em 1972, durante a guerra entre o Norte e o Sul.<br />Somente após a reunificação do país , os bispos de todo o Vietnã, reunidos em Hanói em 1º de maio de 1980, renovaram solenemente o reconhecimento de La Vang como “Centro mariano nacional”. Hoje o Santuário mariano é um dos mais conhecidos e frequentados não somente do Vietnã, mas de todo o Continente asiático.<br />Em sua homilia, o purpurado convidou os presentes a voltarem aos pés da Cruz, ao dúplice ato de confiança feito por Jesus.<br />“Isto significa que Jesus doou Maria a nós – ressaltou. Não a levou consigo. Eis o motivo pelo qual, ao longo de dois mil anos, muitas vezes Maria apareceu entre nós... Vocês conhecem a bonita história dos primeiros cristãos perseguidos que encontraram refúgio, encorajamento e proteção neste lugar. Significa que Maria habita aqui e com justa decisão os bispos de vocês proclamaram este lugar Santuário nacional mariano.”<br />Em seguida, o prefeito de Propaganda Fide concluiu convidando a agradecer a Maria por seu “dom” de estar presente neste lugar: “está hoje conosco, e a ela renovo, junto a vocês, o Ato de consagração pela evangelização desta terra e de todo o Continente asiático”. <br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/ita/attachments/view/file/Omelia_LA_VANG_22012015_IT.docx http://www.fides.org/eng/attachments/view/file/Omelia_LA_VANG_22012015_EN.docx http://www.fides.org/fra/attachments/view/file/Omelia_LA_VANG_22012015_FR.docx">O texto integral do discurso do Cardeal, em italiano O texto integral do discurso do Cardeal, em inglês O texto integral do discurso do Cardeal, em francês</a>Fri, 23 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/GUATEMALA - Projeto Niños de Paz para tutelar milhares de crianças e refugiados desalojadoshttp://www.fides.org/pt/news/39168-AMERICA_GUATEMALA_Projeto_Ninos_de_Paz_para_tutelar_milhares_de_criancas_e_refugiados_desalojadoshttp://www.fides.org/pt/news/39168-AMERICA_GUATEMALA_Projeto_Ninos_de_Paz_para_tutelar_milhares_de_criancas_e_refugiados_desalojadosCidade da Guatemala – Na América central, meninos, meninas e adolescentes acompanhados ou separados de seus pais, em fuga de seus países, são obrigados a deixar a escola para poder se salvar. Com o Projeto Niños de Paz, promovido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados e a Direção Geral para Ajudas Humanitárias e a Proteção Civil da Comissão Europeia , as instituições tentam melhorar o acesso à instrução, a tutela e a informação dos menores que se encontram em alojamentos ou centros ao longo do confim entre México e Guatemala. A realização do projeto foi possível graças ao apoio da União Europeia, vencedora do Prêmio Nobel da Paz 2012, que decidiu doar parte do dinheiro ao ACNUR para a tutela de milhares de crianças refugiadas e desabrigadas em diversas regiões do mundo. Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/PERU - Dom Salvador Piñeiro reeleito presidente da Conferência Episcopalhttp://www.fides.org/pt/news/39167-AMERICA_PERU_Dom_Salvador_Pineiro_reeleito_presidente_da_Conferencia_Episcopalhttp://www.fides.org/pt/news/39167-AMERICA_PERU_Dom_Salvador_Pineiro_reeleito_presidente_da_Conferencia_EpiscopalLima – Dom Salvador Piñeiro García Calderón, Arcebispo de Ayacucho, foi reeleito Presidente da Conferência Episcopal Peruana para o período de 2015 a 2018, durante a 105ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal. Segundo nota recebida pela Agência Fides, o novo grupo da Presidência é formado por: Presidente Dom Salvador Piñeiro García Calderón, Arcebispo de Ayacucho; primeiro Vice-presidente, Dom Miguel Cabrejos Vidarte, OFM, Arcebispo de Trujillo; segundo Vice-presidente, Dom Pedro Barreto Jimeno, SJ., Arcebispo de Huancayo.<br /> Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/MÉXICO - Pobreza extrema e falta de estruturas higiênico-sanitárias para a população de Tulumhttp://www.fides.org/pt/news/39166-AMERICA_MEXICO_Pobreza_extrema_e_falta_de_estruturas_higienico_sanitarias_para_a_populacao_de_Tulumhttp://www.fides.org/pt/news/39166-AMERICA_MEXICO_Pobreza_extrema_e_falta_de_estruturas_higienico_sanitarias_para_a_populacao_de_TulumTulum – A população rural de Tulum, por inteiro, está sem esgotos, fossas e médicos. Segundo informam à Agência Fides algumas ONGs engajadas na área, as autoridades não aceitam a crua realidade de extrema pobreza em que vivem 12 aldeias rurais deste importante complexo arqueológico Maya, situado na península do Yucatan, não obstante dados oficiais indiquem que 40% da população se encontre nesta situação. Uma das carências principais é a carência de fossas nas casas, o que leva os moradores a defecar ao ar livre, alimentando assim o risco de epidemias e infecções entre os familiares. Outro problema é a falta de postos de saúde. Segundo fontes da aldeia de Cobá, quando uma das crianças ou idosos desta área adoece, deve ser transportado por 500 metros até chegar à estrada e de lá, outros 500 para encontrar um médico. Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/ARGENTINA - Caso Nisman: Bispos: “o povo quer a verdade”http://www.fides.org/pt/news/39165-AMERICA_ARGENTINA_Caso_Nisman_Bispos_o_povo_quer_a_verdadehttp://www.fides.org/pt/news/39165-AMERICA_ARGENTINA_Caso_Nisman_Bispos_o_povo_quer_a_verdadeBuenos Aires – “Sentimos necessidade de convidar as autoridades e os líderes políticos a realizarem o máximo esforço, com honestidade, para se chegar à verdade, única base da justiça”, afirma um comunicado do Comitê Executivo da Conferência Episcopal Argentina sobre a morte do procurador Alberto Nisman. Nisman foi encontrado morto em casa, assassinado por um tiro na cabeça, em 19 de janeiro, dia em que deveria apresentar no Parlamento os documentos que acusavam a Presidente Cristina Kirchner de ter negociado um acordo secreto para garantir a impunidade de cidadãos iranianos acusados de envolvimento no atentado contra a associação judaica Amia, em 1994. O Comitê Executivo expressou confiança que as instituições da República possam “superar a sombra de impunidade que prejudica a saúde da democracia” e recordou que os atuais desafios devem ser enfrentados com “base na moral e nos valores profundos” que são alicerces para a convivência, pois “a falta de verdade desperta profunda desconfiança e termina por prejudicar o tecido social”. A Igreja convida a manter a unidade na comunidade nacional, mas segundo as últimas notícias recebidas pela Agência Fides, na Argentina estão se realizando diversas manifestações contra a Presidência, que estão aumentando o clima de tensão. <br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/spa/attachments/view/file/argentina_cea012015.doc">Comunicado da CEA:</a>Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/JORDÂNIA - Rei Abdallah II elogia o Papa: as religiões não devem ser ofendidashttp://www.fides.org/pt/news/39164-ASIA_JORDANIA_Rei_Abdallah_II_elogia_o_Papa_as_religioes_nao_devem_ser_ofendidashttp://www.fides.org/pt/news/39164-ASIA_JORDANIA_Rei_Abdallah_II_elogia_o_Papa_as_religioes_nao_devem_ser_ofendidasAmã – As considerações expressas pelo Papa Francisco durante a sua recente visita à Ásia sobre a necessidade de conjugar liberdade de expressão e respeito das religiões e dos símbolos religiosos foram elogiadas e defendidas pelo Rei Abdallah II da Jordânia, durante um encontro com os líderes da tribo beduína de Beni Sakhr. “Ontem”, confirma à Agência Fides o Arcebispo Maroun Lahham, Vigário patriarcal para a Jordânia do Patriarcado latino de Jerusalém, “Rei Abdalá se referiu explicitamente às palavras expressas pelo Papa sobre o fato que a liberdade de expressão é um direito, e em certos países até mesmo um dever, mas que ao mesmo tempo, ela tem limites e não deve chegar a ofender as convicções religiosas dos outros. O monarca definiu positivas estas considerações, mostrando concordar com elas”.<br />Detendo-se sobre a questão do extremismo de matriz islâmica, Rei Abdalá reiterou que os extremistas não representam o autêntico islã e que a reputação dos muçulmanos deve ser tutelada e defendida. O monarca do Reino jordaniano explicou a sua participação na marcha de Paris afirmando que sua intenção era mostrar solidariedade ao “país amigo” no qual vivem cerca de “seis milhões de muçulmanos”. O Rei Abdalá, na conversa com líderes beduínos, lançou ainda o alarme sobre o aumento da islamofobia na Europa, insistindo na necessidade de proteger a imagem de moderação e tolerância do autêntico islã e envolver todas as comunidades muçulmanas na condenação dos grupos extremistas e terroristas que instrumentalizam o Alcorão. .Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/MALÁSIA - Veredicto sobre o termo "Alá": o Arcebispo de Kuala Lumpur “espera num bem maior”http://www.fides.org/pt/news/39163-ASIA_MALASIA_Veredicto_sobre_o_termo_Ala_o_Arcebispo_de_Kuala_Lumpur_espera_num_bem_maiorhttp://www.fides.org/pt/news/39163-ASIA_MALASIA_Veredicto_sobre_o_termo_Ala_o_Arcebispo_de_Kuala_Lumpur_espera_num_bem_maiorKuala Lumpur – “Estamos desiludidos com esta sentença que, de qualquer maneira, era previsível. Esperamos, porém, que desta medida possa nascer um bem maior para o nosso futuro: confiamos na Providência e naquilo que o Senhor quiser nos reservar para a vida da nossa comunidade”: com este olhar de fé, mesmo num caso negativo como o que acaba de se encerrar com o veredicto da Corte Suprema, se expressa à Agência Fides Dom Julian Leow, Arcebispo nomeado de Kuala Lumpur, que em julho receberá em Roma o pálio.<br />Ontem, a Corte Suprema da Federação da Malásia rejeitou o recurso apresentado pela Igreja Católica sobre o uso da palavra “Alá” como termo para indicar “Deus” nos artigos do semanário católico "Herald". A Corte Suprema, terceiro grau de juízo, não examinou no mérito a questão, mas se limitou a estabelecer se, nos processos precedentes, verificaram-se vícios de forma. Os cinco juízes do júri votaram unânimes, negando a possibilidade de mais uma ação legal, porque “não houve erros procedurais” nos precedentes julgamentos. A sentença em primeiro grau foi a favor da Igreja, mas, em segundo grau, a Alta Corte emitiu uma sentença a favor do governo malaio, proibindo o uso da palavra Alá no Herald, na sua edição em língua "bahasha malaysia" - idioma no qual os fiéis cristãos, para definir ou invocar Deus, utilizam o termo "Alá".<br />Contatado pela Agência Fides, Dom Julian Leow afirma: “Como cristãos na Malásia, tentaremos permanecer unidos em atuar sempre pelo diálogo e a pela harmonia entre as etnias e as religiões. Este processo acabou, depois de sete anos de batalha legal. Queremos deixar para trás este caso e prosseguir com fé. A esperança que nutrimos é que a compreensão e o respeito recíproco sejam sempre um ponto fundamental na convivência social e religiosa na Malásia”.<br />“É verdade que a questão do termo Alá – destaca Dom Leow - é um ponto importante para os 2/3 da população católica malaia que fala e celebra o culto em língua local, o bahasha. O que esperamos e pedimos é que o veredicto fique confinado somente às páginas do Herald”. <br />A Igreja no país recorda hoje o que reiterou no passado, inclusive por expoentes do governo malaio , que no julgamento constitui “parte civil”. Em 2007, de fato, foi o Ministério do Interior que proibiu ao Herald o uso da palavra “Alá”. “A interpretação da sentença – destaca o Arcebispo – não deve ser estendida também às liturgias, ao culto e à Bíblia. Esperamos que isso seja definitivamente esclarecido, mesmo que alguns queiram interpretá-la de maneira diferente”. Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/MALÁUI - “Dom Zuza era uma pessoa de grande coragem”, sublinha um missionáriohttp://www.fides.org/pt/news/39162-AFRICA_MALAUI_Dom_Zuza_era_uma_pessoa_de_grande_coragem_sublinha_um_missionariohttp://www.fides.org/pt/news/39162-AFRICA_MALAUI_Dom_Zuza_era_uma_pessoa_de_grande_coragem_sublinha_um_missionarioLilongwe - “Uma pessoa de grande coragem.” É a recordação, numa nota enviada à Agência Fides, feita por Pe. Piergiorgio Gamba, missionário monfortano, sobre Dom Joseph Mukasa Zuza , Bispo de Mzuzu e Presidente da Conferência Episcopal do Maláui, que morreu num acidente de carro em 15 de janeiro .<br />“Tudos recordam - explica Pe. Gamba - como Dom Zuza tinha dito publicamente na presença do Presidente do Maláui, Bingu wa Mutharika, morto em abril de 2012 – de conduzir o país ao desastre. Uma coragem extrema porque as pessoas iam para a prisão por muito menos. Ele teve a coragem de dar voz a seu povo”.<br />O missionário relata que “em 19 de janeiro desafiando horas de chuva, milhares de pessoas se reuniram para prestar suas últimas homenagens a Dom Zuza após longos dias e noites de vigília até de madrugada”.<br />Participaram das exéquias todos os bispos do Maláui e representantes das Conferências Episcopais da Zâmbia, Tanzânia e Quênia, além do Presidente do Maláui, Arthur Peter Mutharika, o vice-presidente, o católico Saulos Chirima que na língua Chitumbuka, língua do norte do Maláui, expressou suas condolências e a do Estado.<br />O Núncio Apostólico, Dom Júlio Murat, presidiu a liturgia fúnebre. Dom Thomas Msusa, Arcebispo de Blantyre e vice-presidente da Conferência Episcopal concluiu a homilia sublinhando que “faltará um guia profético e um líder corajoso”. Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/NÍGER - Violência anticristã: os bispos suspendem todas as atividades da Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/39161-AFRICA_NIGER_Violencia_anticrista_os_bispos_suspendem_todas_as_atividades_da_Igrejahttp://www.fides.org/pt/news/39161-AFRICA_NIGER_Violencia_anticrista_os_bispos_suspendem_todas_as_atividades_da_IgrejaNiamey – Os bispos do Níger suspenderam “até nova ordem” todas as atividades da Igreja Católica “após o saque de igrejas e infraestruturas da nossa instituição, e a profanação de nossos locais de culto”. É o que afirma um comunicado enviado à Agência Fides, depois que em 16 e 17 de janeiro, várias igrejas e comunidades religiosas do Níger sofreram grandes danos por causa de manifestantes que protestavam contra as publicações do jornal francês Charlie Hebdo .<br />“A medida - continua a nota – nos permitirá rezar e ler, com serenidade, os eventos dolorosos que temos sofrido.”<br />“Agradecemos muito cordialmente a todos aqueles que tmanifestaram sua solidariedade nestes tempos difíceis. Rezamos uns pelos outros a fim de que se estabeleça a paz nos corações”, concluem os Bispos. Thu, 22 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/BOLÍVIA - Sempre mais próxima a visita do Papa: esperado um forte impulso para a missão evangelizadorahttp://www.fides.org/pt/news/39160-AMERICA_BOLIVIA_Sempre_mais_proxima_a_visita_do_Papa_esperado_um_forte_impulso_para_a_missao_evangelizadorahttp://www.fides.org/pt/news/39160-AMERICA_BOLIVIA_Sempre_mais_proxima_a_visita_do_Papa_esperado_um_forte_impulso_para_a_missao_evangelizadoraLa Paz - “O Secretariado-Geral da Conferência Episcopal Boliviana , com muita alegria, comunica ao povo boliviano que a cada dia está mais perto a possibilidade de se realizar a visita do Papa Francisco a Bolívia durante o ano de 2015”, afirma o comunicado enviado à Fides. A CEB está cumprindo com prudência e responsabilidade os passos necessários para saber as datas e o itinerário da viagem. “Neste sentido, trabalhamos em coordenação com a Santa Sé e o Governo boliviano para preparar esta importante visita. Recordamos que esta visita é de caráter pastoral e pretende renovar e fortalecer a fé de todos os batizados, além de proporcionar um forte impulso para a missão evangelizadora da Igreja na Bolívia”, destaca o comunicado. Por isso, “é importante manter esta visita num contexto pastoral e evitar toda tentativa de abordagem instrumental, porque as especulações podem enganar a opinião pública e também dificultar a gestão da viagem”, conclui o texto. A Bolivia foi visitada pelo Papa João Paulo II em 1988. Wed, 21 Jan 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/COLÔMBIA - Nova estrutura para os filhos das pessoas que vivem nas ruashttp://www.fides.org/pt/news/39159-AMERICA_COLOMBIA_Nova_estrutura_para_os_filhos_das_pessoas_que_vivem_nas_ruashttp://www.fides.org/pt/news/39159-AMERICA_COLOMBIA_Nova_estrutura_para_os_filhos_das_pessoas_que_vivem_nas_ruasBogotá - Cerca de 8.385 moradores da capital colombiana, Bogotá, vivem nas ruas da cidade. Segundo uma pesquisa recente, 86% são homens e 8,4 têm menos de 18 anos de idade. Para incentivar os setores mais fracos da população, mais pobres e historicamente marginalizados, o prefeito de Bogotá criou a “Casa de Desarrollo Infantil La Esperanza” que abriga 80 crianças, filhos de pessoas que vivem nas ruas. A faixa etária das crianças vai de zero a cinco anos e as crianças são acompanhadas no nível escolar, dependendo da idade, alimentar e no campo da saúde, num espaço que inclui salas de aula para elas e suas mães, salas para professores, cantina, cozinha e jardins. Além dessas crianças, o centro também cuida de meninas vítimas de exploração sexual. É uma estrutura que satisfaz as normas para a formação inicial que a cidade quis criar a fim de prosseguir com várias iniciativas sempre a favor das camadas mais pobres e marginalizadas. Wed, 21 Jan 2015 00:00:00 +0100