ÁFRICA/ETIÓPIA - O ‘Auditório’ do Hospital de Wolisso dedicado a pe. Luigi Mazzucato

Sexta, 28 Abril 2017

CUAMM

Wolisso (Agência Fides) – A Sala Magna/Auditório do Hospital de Wolisso acaba de ser intitulada em memória de pe. Luigi Mazzucato, histórico diretor de Médicos com a África Cuamm. “Era o hospital que ele tanto amava”, um dos poucos construído inteiramente pelo Cuamm, que normalmente utiliza estruturas já existentes, governamentais ou diocesanas”, consta na nota enviada à Agência Fides.
O Hospital de Wolisso foi desde sua origem um enorme desafio, realizado com grande tenacidade e determinação pelo então diretor do Cuamm, pe. Luigi Mazzucato, em um esforço conjunto com a Igreja católica etíope. “Precisamente por isso a Sala Magna/Auditório do Hospital foi intitulada a ele, para revivermos a sua determinação nos lugares onde ele se dedicou tanto”. O Hospital St. Luke de Wolisso, com 192 leitos, é o mais importante hospital não estatal da Etiópia. Constitui a estrutura de referência na Região da Oromia. 1.175.000 pessoas que vivem na Província são beneficiadas por seus serviços. A estrutura fornece serviços de medicina, pronto socorro, ortopedia, consultas médicas; e tem divisões de pediatria, obstetrícia, nutrição, uma ala de saúde materna e infantil e sala de espera para gestantes de alto risco. A escola de obstetras e enfermeiros é operativa desde 2000 e forma enfermeiros, médicos gerais, obstetras e assistentes de saúde. Existem na região 20 postos de saúde e 53 comunidades de saúde envolvidas no projeto de saúde pública que assiste o território. Somente em 2016, garantiu 11.337 consultas médicas, 5.552 vacinações, 4.557 consultas pré-natais, 9.389 partos e 10.826 screenings de desnutrição em crianças menores de 5 anos. É também uma das dez estações do novo projeto do Cuamm ‘Mulheres e crianças antes’, que oferece apoio a mães e pequenos nos primeiros mil dias, ou seja, o período desde o início da gravidez até os dois anos de vida da criança, incluindo parto gratuito e seguro e o tratamento da desnutrição aguda e crônica.
(AP) (28/4/2017 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network