AMÉRICA/VENEZUELA - O Encontro Nacional entre Indígenas e Missionários aborda o Arco Minero

Terça, 14 Fevereiro 2017 desenvolvimento   indígenas   missionários   pontifícias obras missionárias  

Encontro nacional de Indígenas e missionários

Caracas (Agência Fides) – Sete anos após o último encontro entre população indígena e missionários que trabalham na Venezuela, o Departamento das Missões da Conferência Episcopal da Venezuela, em colaboração com as Pontifícias Obras Missionárias na Venezuela, a Associação Indígena AVEC, o Conselho Missionário Nacional (Comina) e as congregações missionárias da CONVER, organizaram o sexto Encontro Nacional de Indígenas e Missionários "ENIMIS" a se realizar na cidade de Caracas, de 16 a 19 de fevereiro de 2017.
Segundo informa a nota enviada à Fides pelas POM da Venezuela, o VI ENIMIS será um espaço para refletir sobre a situação atual das populações indígenas e a ação missionária da Igreja, para enfrentar os atuais desafios, engajar-se no crescimento das comunidades indígenas e na pastoral da Igreja. Por isso, o encontro será centrado nas perspectivas e desafios das culturas indígenas da Venezuela, assim como nas ações que a Igreja desenvolveu nas áreas indígenas do país e nas situações atuais referidas diretamente ás comunidades indígenas, como o caso de “Arco Minero” no Estado Bolivar e no Estado Amazonas.
“Arco Minero” do Orinoco prevê uma superfície de 114.000 km2, a sudeste da Venezuela, especialmente no estado de Bolivar. Trata-se de um projeto que prevê a exploração de minerais estratégicos como o carvão e manganês; minerais metálicos como ouro, ferro, bauxita, cobre, cromo, magnetite e níquel, e minerais não-metálicos como diamante, fosfato, calcário, feldspato, dolomite, gesso, caulino, grafite e talco.
O governo venezuelano tem a intenção de promover um programa educativo com os mineiros da área não apenas para evitar o uso de substâncias poluentes, mas para que as comunidades indígenas que vivem também da exploração de recursos consigam obter benefícios econômicos, tecnológicos e sociais do projeto. Eis porque o plano de informação do projeto será divulgado nas línguas dos vários grupos étnicos venezuelanos.

(CE) (Agência Fides, 14/02/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network