ÁFRICA/TUNÍSIA - A Tunísia faz um apelo aos seus cidadãos no exterior para salvar a estação turística

Quinta, 9 Julho 2015

Túnis (Agência Fides) - “As praias onde foram mortos os turistas, o povo tunisiano quis torná-las um lugar de vida e não de morte”, disse à Agência Fides Pe. Jawad Alamat, Diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias da Tunísia. O país deve enfrentar as consequências do atentado no resort de Sousse, em 26 de junho, que provocou cerca de quarenta vítimas, grande parte turistas estrangeiros (veja Fides 30/6/2015).
“O golpe foi duro, mas os tunisianos estão multiplicando as iniciativas para dizer não à violência e mostrar que o terrorismo não prevalecerá”, disse Pe. Jawad, pároco de Sousse. “Na praia de Sousse, lugar do atentado, no próximo fim de semana os tunisianos irão romper o jejum do Ramadã. Isto para dizer a quem quer colocar a Tunísia de joelhos, que os tunisianos não cederão e que a vida é mais forte do que a morte”, explica o sacerdote.
Enquanto isso, o Governo da Tunísia anunciou medidas de segurança para prevenir novos atentados. “Foram reforçadas as medidas de segurança”, confirma Pe. Jawad. “Se veem muitos policiais pelas ruas. As autoridades se interessam pela segurança de todos”.
O turismo, setor fundamental da economia tunisiana, foi duramente afetado pelo atentado, mas como conta Pe. Jawad, “estão sendo feitos enormes esforços para salvar o salvável da estação do turismo, abaixando os preços a níveis incríveis. Infelizmente, para o turista estrangeiro a estação parece não ser boa, então se busca promover o turismo interno e dos tunisianos que vivem no exterior”. (L.M.) (Agência Fides 9/7/2015)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network