AMÉRICA/VENEZUELA - A tensão social preocupa: “está se criando uma ditadura”, adverte o Card. Urosa Savino

Segunda, 3 Abril 2017

A tensão social preocupa: “está se criando uma ditadura”, adverte o Card. Urosa Savino

Caracas (Agência Fides) – "A interdição da Assembleia nacional persiste. Estou preocupado com o fato que o país está em estado de emergência em relação às questões de desenvolvimento econômico há cerca de um ano, e isto não é normal. Nem mesmo outras medidas, como a anulação do referendo revogatório ou o adiamento das eleições estaduais. Tudo isto cria uma situação de ditadura”, disse ontem o Cardeal Jorge Urosa Savino, Arcebispo de Caracas, pouco depois do Angelus dominical em que o Papa Francisco recordou a grave situação com estas palavras: “Sigo com grande atenção o que está acontecendo na Venezuela e Paraguai. Rezo por aquelas populações a mim tão queridas, e convido todos a perseverarem incansavelmente, evitando todo tipo de violência, na busca de soluções políticas”.
Segundo as informações recebidas pela Fides, a Igreja na Venezuela continua a denunciar toda situação de injustiça. O Card. Baltazar Porras, Arcebispo de Merida, declarou, ontem que “as correções das sentenças não são apenas maquilagens cosméticas que não resolvem a situação, porque não consideram a Assembleia nacional como um poder autônomo e confundem a população. Para nós, continua a ser válido o pedido do Card. Parolin, apresentado no ano passado, para restituir as funções ao Parlamento. Trata-se de uma denúncia geral de muitos países”.
O Card. Porras destacou que a ausência de soberania popular e a negação da participação de qualquer grupo que discorde do poder central é condenável do ponto de vista ético e moral. “Se continuarem assim, destacou, isto pode ser um convite ao caos e à desordem, e causar inúteis derramamentos de sangue. Se quiserem acusar o parlamento, será o povo a decidir, mas, neste momento, as reais necessidades das pessoas são alimentos e medicamentos”.
As últimas notícias informam que para o Parlamento da Venezuela, controlado desde 2015 pela oposição, não é suficiente a anulação por parte do Supremo Tribunal (TSJ) das sentenças com as quais havia revogado a Assembleia Nacional e abolido a imunidade parlamentar dos deputados (veja Fides 31/03/2017; 01/04/2017. A situação humanitária é gravíssima e a tensão social aumenta cada vez mais.
(CE) (Agência Fides, 03/04/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network