AMÉRICA/ARGENTINA - Novo desafio para a pastoral carcerária: o que acontece depois de reconquistar a liberdade?

Sexta, 10 Fevereiro 2017

Existem mais de 250 prisões, num total de 69 mil detentos

Cordoba (Agência Fides) – Organizado pela Pastoral Carcerária, nos dias 3 e 4 de fevereiro, se realizou o retiro espiritual dos capelães carcerários no Convento Santo Alfonso, em Villa Allende, Cordoba. Participaram 22 capelães provenientes de todo o país e membros da Comissão Episcopal para a Pastoral Carcerária, presidida por Dom Esteban Maria Laxague SDB, Bispo de Viedma.
A missa de encerramento coincidiu com a abertura de outro encontro para os responsáveis diocesanos que trabalham neste setor e que se realizou de sábado, 4, a terça-feira, 7 de fevereiro. Estavam presentes 32 dioceses da Argentina, enquanto o slogan "e depois da saída, o que há?" era uma referência clara ao problema da situação dos detentos que reconquistam a liberdade.
Segundo informa a nota enviada a Fides por Aica, foram dias de trabalho e de troca de experiências para enfrentar esta nova problemática por parte dos responsáveis da Igreja. Dom Pedro Torres, Bispo auxiliar de Cordoba, tratou o tema da “Dignidade do trabalho” para todos. A missa final apresentou os desafios novos e difíceis que se apresentam, mas também as propostas de preparação técnica dos funcionários que já trabalham neste setor.
Na Argentina, a Igreja Católica tem uma atenção especial pela pastoral dos detentos (veja Fides 8/11/2016). Todavia, a realidade das prisões é muito variada e difícil de acompanhar: no país, existem mais de 250 prisões, que abrigam no total 69.000 detentos, de acordo com a última publicação do Sistema Estatístico Nacional de 2014.
(CE) (Agência Fides, 10/02/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network