AMÉRICA/MÉXICO - “A migração tornou-se um problema que não conseguimos administrar”, disse Dom Ortiz Mondragón

Segunda, 6 Fevereiro 2017 migrantes   política  
Chihuahua outro percurso para os migrantes

Chihuahua outro percurso para os migrantes

Chihuahua (Agência Fides) - “A cidade de Chihuahua tornou-se outro percurso para os migrantes, tanto para os cidadãos mexicanos, tanto para quem vem de outros países do sul em busca de novos caminhos para atravessar o confim”, disse neste sábado, 4 de fevereiro, Dom Guilherme Ortiz Mondragón, Bispo de Cuautitlán, responsável pela Conferência Episcopal Mexicana para a mobilidade humana. O bispo participou do encontro da Pastoral da Mobilidade Humana da Província de Chihuahua, junto com demais bispos, sacerdotes e leigos das cidades de Juárez, Chihuahua e Nuevo Casas Grandes. O lema do encontro foi “Caminhando com os migrantes segundo a fé”.
Dom Ortiz Mondragón sublinhou que a mobilidade é um direito: “cada um tem o direito, como ser humano, de ter uma identidade em cada país. Somos uma só humanidade, mas quando se transita ilegalmente existem numerosos riscos como a exposição a grupos criminosos, e isso se torna uma situação de sofrimento”. “O tema da migração tornou-se um problema, algo que não conseguimos administrar, estamos sobrecarregados, e isso diz respeito a toda instituição e todo governo, não tenho medo de dizer, pelo contrário, devemos enfrentar a realidade, também a própria Igreja está fugindo completamente”.
No encontro, o tema mais importante foi o da repatriação. A esse propósito, foi feito um esclarecimento: com o presidente Obama foram repatriados muitos migrantes, muitíssimos, quase a mesma quantidade de que se fala agora com o Governo de Donald Trump. Portanto, não é uma novidade, “a novidade é que improvisamente podem voltar muitos ao mesmo tempo”, concluiu o bispo. (CE) (Agência Fides, 06/02/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network