AMÉRICA/COLÔMBIA - Os Bispos preocupados com a reforma tributária: compromete a evangelização

Sexta, 25 Novembro 2016 política   economia   conferências episcopais  

Ajuda da Igreja aos pobres

Bogotá (Agência Fides) – A Conferência Episcopal da Colômbia (CEC) se expressou contra a reforma fiscal que, nesses dias, está em debate no Parlamento, afirmando que a emenda oferece privilégios aos ricos e penaliza os pobres. Numa carta assinada pelo Presidente da CEC, Dom Luis Augusto Castro Quiroga, apresentada em 22 de novembro ao Parlamento, os Bispos pedem para não emendar a lei que exime a Igreja do pagamento de impostos de renda, considerando que muitas realidades eclesiais são de assistência aos mais pobres e de promoção humana.
O documento destaca que alguns pontos da reforma vão contra a identidade e a missão da Igreja, porque as novas normas propostas "comprometem seriamente a evangelização social por parte das instituições da Igreja".
Os Bispos pedem que permaneça a atual legislação, segundo o artigo 23 do Código Tributário, com base no qual os movimentos, as associações e as congregação religiosas, que não tem finalidade de lucro, não são obrigados a pagar impostos.
De fato, excluindo as instituições da Igreja Católica do artigo 23, estas passariam para o artigo 19 e seriam consideradas como organizações sem fins lucrativos comprometidas no trabalho social, e deveriam pagar impostos como se fossem entidades comerciais que visam o lucro, afirma o documento.
(CE) (Agência Fides, 25/11/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network