AMÉRICA/VENEZUELA - Dom Moronta pede para resolver a situação das prisões e o conflito em Tachira

Segunda, 3 Outubro 2016 violência   política   bispos  
Dom Mario Moronta

Dom Mario Moronta

Tachira (Agência Fides) - O Bispo da Diocese de San Cristobal, Dom Mario del Valle Moronta Rodríguez, está preocupado com a tensão que continua há mais de 20 dias depois dos acontecimentos que ocorreram em Tachira. Em 9 de setembro, um grupo de prisioneiros pegou 2 guardas como reféns, 9 familiares de detentos e alguns presos, para pressionar as autoridades a fim de obter a transferência para o centro penitenciário de Aragua, dadas as condições de vida em Tachira. Segundo os dados recolhidos por Fides, os níveis de superlotação são alarmantes: no total estas estruturas abrigam cerca de 33 mil pessoas, mas têm uma capacidade efetiva para menos de 5.000 presos. Elas foram projetadas para hospedar detentos por não mais de 48 horas, enquanto existem presos condenados que estão descontando a pena.
Embora Dom Moronta não tenha recebido nenhum pedido oficial em prol de sua mediação, ele já se reuniu e ouviu as preocupações dos parentes dos reféns e falou com várias autoridades, incluindo o diretor do centro de reclusão.
No breve comunicado da diocese enviado a Fides, Dom Mario Moronta enfatiza que a Igreja vive esta situação com preocupação, juntamente com as famílias dos reféns. O bispo convida os prisioneiros a tomarem consciente de seus atos e insta as autoridades a enfrentar a situação protegendo eficazmente a vida de todas as pessoas envolvidas. Ele pede aos fiéis para acompanhar com suas orações a resolução deste conflito. Dom Moronta nomeou um sacerdote para seguir e acompanhar pessoalmente a evolução da situação. (CE) (Agência Fides, 03/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network