AMÉRICA/VENEZUELA - Não há alimentos e nem remédios, o povo morre de fome e aumenta a tensão no país

Sábado, 10 Setembro 2016 fome   áreas de crise   política  

Hospital psiquiátrico El Pampero

Caracas (Agência Fides) – O Arcebispo de Caracas, Cardeal Jorge Urosa Savino, disse que o povo venezuelano deve resolver os conflitos pacificamente. “Há a total falta de gêneros alimentares, não existem remédios e isto é um grave problema, mas devemos resolvê-lo pacificamente” disse poucos dias atrás.
Entretanto, a situação se tornou crítica, segundo assinala um testemunho apurado pela Fides em Barquisimeto, cidade a cerca de 340 km de Caracas, aonde no hospital psiquiátrico El Pampero os pacientes estão morrendo de fome. Até o mês passado, 3 pessoas já haviam morrido de fome e a situação não mudou.
Esta semana, aumentou a tensão no país; as pessoas em muitas cidades descem às ruas contra o Conselho Nacional Eleitoral, CNE, acusado de impedir e retardar a convocação do referendo, a fim que se realize depois de 10 de janeiro. Manifestantes e oposições pressionam para que o voto aconteça antes desta data, pois somente desta maneira a vitória do ‘sim’ pode levar à remoção de todo o Governo e à convocação de novas eleições nacionais.
(CE) (Agência Fides, 10/09/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network