ÁSIA/FILIPINAS - Um missionário: “Em Mindanao é tempo de coragem e de misericórdia”

Quarta, 7 Setembro 2016 ano da misericórdia   diálogo   islã   violência  

facebook

Zamboanga (Agência Fides) – “O futuro da paz em Mindanao necessita de pessoas que ajam com coragem e misericórdia. Espero que todos possam se unir a esta missão de construir juntos uma grande família, na qual respeitar-se e amar-se como irmãos e irmãs”: é o que afirma, numa nota enviada a Fides, o pe. Sebastiano D'Ambra, PIME, fundador do “Silsilah Dialogue Movement”, movimento islamo-cristão ativo em Zamboanga, na ilha de Mindanao, enquanto a população da ilha ainda está chocada com o grave atentado ocorrido no mercado da cidade de Davao, também esta em Mindanao, em 2 de setembro passado, que matou 14 pessoas e deixou 71 feridos.
Após o atentado, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, declarou o “estado de emergência nacional”, que dá o poder também às forças armadas, e não somente à polícia, de intervir para tutelar a segurança na sociedade.
O atentado foi reivindicado pelo grupo terrorista de matriz islâmica “Abu Sayyaf”, que hoje se proclama próximo ao Estado Islâmico (Is) e gerou novas fraturas na mentalidade comum, além de mais desconfiança em relação aos muçulmanos. “Vivo a minha missão de diálogo e de paz através do Movimento Silsilah, formado por cristãos e muçulmanos. Com os anos, fiz amizades com muitos muçulmanos. Creio que seja possível construir juntos uma sociedade harmoniosa partindo da espiritualidade que une os seres humanos como parte da mesma família criada por Deus”, nota pe. D’Ambra.
Aos pessimistas, diante de um conflito que parece não ter fim, o missionário, que está em Mindanao desde 1977, responde: “Continuamos a ser um sinal de esperança, apesar das dificuldades. Estamos fazendo a nossa parte, que para nós é uma missão, e vejo sinais de esperança graças também à nossa presença. O diálogo não é uma estratégia, mas é baseado na espiritualidade da vida-em-diálogo como expressão de amor. Para nós, o diálogo não é somente um meio, mas um objetivo em si”. (PA) (Agência Fides 7/9/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network