ÁSIA/SÍRIA - Confrontos em Hassaké entre as tropas curdas e as milícias pró-Assad. Mediação do arcebispo sírio-católico para eliminar os postos de controle

Quarta, 17 Agosto 2016 guerras   grupos paramilitares  

ankawa.com

Hassaké (Agência Fides) - 10 horas de tiroteios entre as milícias curdas e as tropas ligadas ao Exército governamental marcaram o dia 16 de agosto na cidade síria de Hassaké, maior cidade da região nordeste de Jazira. Os confrontos nas ruas – referem fontes locais contatadas pela Agência Fides – começaram de repente, no final da manhã, causando pânico entre a população, que se refugiou até mesmo nas igrejas sírio-católica e sírio-ortodoxa. A tensão baixou apenas quando já era quase noite, e até agora não foram registradas vítimas entre as facções envolvidas no conflito. Também sobre as causas do conflito circulam versões discordantes. De acordo com a parte curda, as milícias pró-governo teriam tentado prender alguns milicianos curdos, causando uma reação imediata. Segundo fontes mais elevadas, os milicianos curdos teriam parado indevidamente as forças do Governo.
Na região de Hassaké se registram há tempo tensões e confrontos periódicos entre as forças pró-governo e as milícias curdas, que em cidades como Hassaké e Qamishli dividem o controle de diferentes áreas, disseminando postos de controle nos bairros a eles subordinados. "Há uma semana", refere à Agência Fides Jacques Behnan Hindo, Arcebispo sírio-católico de Hassaké-Nisibi - sugeri a altos representantes das milícias curdas e do Exército governamental para chegarem a um acordo a fim de desmantelar todos os postos de controle espalhados pela cidade, que criam problemas e alimentam o estado de tensão, como foi também observado nos últimos tiroteios. Ofereci-me para usar o arcebispado como sede do encontro. Estamos ainda à espera de uma resposta da parte dos curdos".
No final de junho de 2015, a cidade de Hassaké foi invadida pelas milícias jihadistas do Estado Islâmico (Daesh), causando a fuga em massa de milhares de civis. Depois de quase 14 meses, a situação no local mudou completamente, e isso torna ainda menos necessária a rede de postos de controle nas áreas urbanas. Os postos de controle do Daesh estão a pelo menos 70 km de distância de Hassaké. No próximo fim de semana, os voluntários da arquidiocese sírio-católica levarão alimentos e bens de necessidades básicas até a área de Shaddadi, que até poucos meses atrás era uma fortaleza do Estado Islâmico no nordeste da Síria. (GV) (Agência Fides 17/8/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network