AMÉRICA/ARGENTINA - Forte agravamento das situações de indigência e pobreza

Segunda, 4 Abril 2016 pobreza  

ODSA/UCA

Buenos Aires (Agência Fides) - Uma “deterioração forte” das condições de indigência e pobreza foi registrada na Argentina no primeiro trimestre de 2016. É o que afirma o último relatório do Observatório da Dívida Social (ODSA) da Universidade Católica Argentina (UCA) baseado numa série de indicadores relativos ao painel alimentar de base e outros fatores de ordem social. O índice de indigência passou de 5,3% no final de 2015 para 6,9% em março deste ano, no total de 2,3 milhões de pessoas indigentes. O índice de pobreza, no mesmo período, teria passado de 29% para 34,5%, o que implica que cerca de 13 milhões de pessoas vivem na pobreza.
O relatório “Pobreza y desigualdad en la Argentina urbana 2010-2015” (Pobreza e desigualdade na Argentina urbana 2010-2015), apresentado recentemente na UCA, faz um balanço do índice de indigência e pobreza no arco de tempo estudado, considerando a alta da inflação durante o período e as políticas de assistência aos setores mais vulneráveis. O índice de pobreza das famílias e da população caiu entre 2010 e 2013. Permaneceu estável em 2014, enquanto entre 2014 e 2015 manifestou uma tendência ligeiramente decrescente. A taxa de pobreza registrou uma diminuição significativa entre 2010 e 2011, enquanto entre 2012 e 2015 alcançou 29% da população. (SL) (Agência Fides 04/04/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network