ÁSIA/ÍNDIA - Os bispos indianos e as Missionárias da Caridade: “Não deixaremos o Iêmen”

Segunda, 7 Março 2016 mártires   ano da misericórdia   igrejas locais   missionários  

Bangalore (Agência Fides) - “Preocupação, desdém e dor pelo ataque trágico.” É o que expressam os bispos indianos, reunidos sua assembleia plenária, em Bangalore, até 9 de março, referindo-se ao massacre de 4 de março em Aden, no Iêmen, onde 16 pessoas morreram dentre as quais quatro irmãs. As quatro religiosas pertenciam à Congregação das Missionárias da Caridade e uma delas é irmã Anselma, indiana, da diocese de Gumla, no Estado indiano de Jharkhand.
Os cerca de 180 bispos presentes na assembleia plenária da Conferência Episcopal Indiana (Cbci) se reuniram numa oração especial pelas vítimas, expressando profundas condolências à Congregação fundada por Madre Teresa de Calcutá. “Estes ataques brutais aos missionários cristãos da parte de mentes malvadas não irão desencorajar o nosso compromisso em servir os pobres e doentes”, acrescentaram. Os bispos também manifestaram preocupação e pediram a libertação imediata do salesiano indiano Pe. Tom Uzhunnalil, sequestrado e até agora nas mãos dos terroristas que perpetraram o massacre.
Numa nota enviada à Fides, as Missionárias da Caridade afirmam que depois do massacre ocorrido no Iêmen não abandonarão a sua obra naquele país, mas que “continuarão a servir os pobres e necessitados”. “Madre Teresa sempre esteve nos ângulos mais remotos do mundo, independentemente da situação local”, recordam. Em Calcutá, na casa mãe, as irmãs celebraram a Eucaristia em sufrágio das irmãs assassinadas. (PA) (Agência Fides 7/3/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network