AMÉRICA/MÉXICO - Jovens desaparecidos em Veracruz: o povo não denuncia porque tem medo do crime organizado

Sábado, 6 Fevereiro 2016 bispos   violência   grupos armados  

Jovens desaparecidos em Veracruz

Veracruz (Agência Fides) – "Os casos de sequestro são muitos. Antes, falava-se de 50, mas depois de uma pesquisa mais detalhada, emergiu que as pessoas desaparecidas são mais de 400. No entanto, a maior parte de suas famílias não denunciaram o desaparecimento, devido ao medo”, disse o pai de um dos jovens desaparecidos vítimas do narcotráfico ou do crime organizado, que estava presente ontem na celebração de Tierra Blanca. Os parentes das vítimas de jovens desaparecidos se reuniram na paróquia Virgem do Carmen para participar da missa celebrada pelo bispo de Veracruz, Dom Luis Felipe Gallardo Martín del Campo, S.D.B.. O Bispo convidou à oração e pediu que os reféns sejam libertados e restituídos às famílias. A Igreja se tornou a única referência para muitas famílias em busca de confiança e esperança.

Dom Gallardo Martín del Campo leu a lista das 23 pessoas desaparecidas em Tierra Blanca somente nas últimas semanas. “Tempos atrás, se sabia que o bando armado dos Guerrilheiros de Sierra Guerrero recrutava pessoas com a força. Agora, com o tráfico de drogas e o crime organizado dentro da nossa sociedade não há controle sobre nada, o sistema de justiça está destruído e há violência em todo lugar. As autoridades agora não sabem como deter o problema”, assinalou o bispo. “Nem mesmo a Igreja está imune desta violência” continuou o bispo. “Tivemos mais de 5 casos de sequestros: sacerdotes sequestrados e depois soltos em campos, somente para roubar seus automóveis. Dois seminaristas foram sequestrados mas felizmente reencontrados: nossas paróquias fazem cotidianamente as contas com furtos e extorsões”. (CE) (Agência Fides, 06/02/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network