OCEANIA/PAPUA NOVA GUINÉ – Bispos: políticos estejam a serviço do bem comum

Sábado, 18 Abril 2015

Port Moresby (Agência Fides) – “Ministros, funcionários públicos, estatais, pessoas que têm poder e representam o público não devem abusar deste privilégio”: é o que afirma a Conferência Episcopal da Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão, criticando o fenômeno da corrupção no país. Nos últimos dias, na Papua, um inquérito colocou sob acusação dois ministros que, durante o cumprimento de suas funções, agiram em contraste com seus deveres e responsabilidades de líderes. A Papua Nova Guiné está sempre sob os refletores por causa da corrupção no setor público, como comprova também a Ong Transparency International.
Os Bispos de Papua – informa pe. Victor Roche, Secretário geral da Conferência Episcopal – reiteram em nota pública que “os líderes eleitos são para o povo, foram delegados para representar os cidadãos. Consequentemente, são chamados a ser sua voz. Como exige o povo, é seu dever enfrentar as questões públicas e agir no melhor interesse da população, sem abusar de seus poderes e de seus benefícios”.
“O povo sofre por causa daqueles que abusam de seu poder e são egoístas. Isto diz respeito a todos os níveis da sociedade e gera instabilidade em todos os níveis do governo”, conclui a nota. (PA) (Agência Fides 18/4/2015)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network