OCEANIA/PAPUA NOVA GUINÉ - Vinte anos com o Beato Peter Torot, exemplo para todo cristão

Quinta, 15 Janeiro 2015

Bereina (Agência Fides) - “Vinte anos atrás, em janeiro de 1995, foi beatificado em Port Moresby, Peter Torot, catequista e mártir. Este evento histórico certamente deu uma nova dimensão de entusiasmo para a vida e a presença da Igreja Católica na Papua Nova Guiné, e os efeitos se sentem hoje.” Foi o que afirmou numa nota enviada à Agência Fides, Dom Rochus Tatamai MSC, Bispo de Bereina.
O Bispo recorda a primeira visita pastoral do Papa João Paulo II, em Papua Nova Guiné, em maio de 1984, em Port Moresby e Mount Hagen, em seguida, em Honiara, nas Ilhas Salomão, por ocasião do centenário de fundação da Igreja no país. “Essa visita”, disse, “foi apenas uma preparação espiritual para um segundo evento significativo: a beatificação de Peter Torot que foi o culminar do trabalho de evangelização” realizado através da contribuição dos missionários maristas franceses, do PIME, Combonianos e Verbitas. “Desde então, as congregações religiosas deram uma contribuição significativa para a evangelização e o desenvolvimento integral dos povos de Papua Nova Guiné e Melanésia, particularmente no campo da educação, saúde, infra-estrutura e pastoral”.
“A cerimônia de beatificação - lembra o Bispo - foi também o momento em que se recolheram os frutos de um longo trabalho de proximidade e colaboração com a população e as lideranças indígenas. Torot é o primeiro melanésio a ser beatificado, é leigo, um católico da segunda geração”. “O Santo Padre indicou o Beato Torot como modelo de vida familiar e como um grande testemunho cristão em circunstâncias difíceis”, observa o Bispo. Um exemplo que ainda é fundamental para a vida da Igreja local, “homem de família, líder da igreja, pessoa disposta a doar a sua vida a Deus e ao próximo”. (PA) (Agência Fides 15/1/2015)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network