ÁFRICA/LIBÉRIA - “Quem sobrevive ao Ebola é marginalizado” denuncia o Bispo de Gbarnga

Sábado, 18 Outubro 2014

Monróvia (Agência Fides) - “Por que nos tornamos novamente resíduos da terra?”. É a pergunta que ouve da população Dom Anthony Fallah Borwah, Bispo de Gbarnga, na Libéria, um dos três países da África ocidental, com Serra Leoa e República da Guiné, mais atingidos pela epidemia de ebola. Recordando que o país está ainda se recuperando da decenal guerra civil terminada em 2003, Dom Borwah, em entrevista ao semanal Time afirma que “os pobres voltam a fazer as questões existenciais que predominavam durante a guerra civil: onde está Deus? O que mais fizemos de mal? Por que nos tornamos novamente resíduos da terra?”. A epidemia de ebola levou ao colapso as estruturas de saúde dos países mais atingidos, além de criar uma psicose que envolve primeiramente aqueles que se curaram da doença. “Um parente meu, que sobreviveu ao ebola, se suicidou porque as pessoas o evitavam e ele não se sentia mais amado por ninguém”, afirmou o Bispo, concluindo: “Precisamos de ajuda para nutrir aqueles que estão famintos e enraivados, e para zelar e consolar os sobreviventes do ebola, que levam o estigma em sua pele”. (L.M.) (Agência Fides 18/10/2014)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network