VATICANO - As ruas africanas, local privilegiado de evangelização e de educação

Terça, 13 Novembro 2012

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – Desenvolver novas formas de evangelização, aptas ao contexto da rua, em especial através do uso das comunicações sociais e da mídia; tornar a teologia mais concreta frente às realidades da África e Madagascar; promover a vida religiosa e consagrada feminina como um valor e um testemunho poderoso; promover a formação dos homens, sua mentalidade, suas atitudes e a sua psicologia como meio para proteger a dignidade das mulheres, das jovens e das meninas. São algumas das recomendações contidas no documento final, enviado à Agência Fides, do 1° Encontro de Pastoral da Rua para o Continente Africano e Madagascar, que se realizou em Dar-Es-Salaam, na Tanzânia, de 11 a 15 de setembro, organizado pelo Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes, em colaboração com a Comissão Episcopal para os Migrantes e os Itinerantes da Tanzânia.
Os participantes da reunião exortam o Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar, as Conferências Episcopais nacionais e as dioceses africanas a organizarem encontros continentais e transcontinentais para promover a aplicação das convenções internacionais sobre a proteção das crianças e dos direitos humanos, além de colaborar com outros continentes para prevenir o tráfico de mulheres, jovens e crianças. Além disso, pede-se uma colaboração eclesial também em nível ecumênico e inter-religioso, para assistir as vítimas, e a adequada formação de “ministros leigos itinerantes” para assistir as pessoas na rua.
Nas conclusões, os participantes do Encontro afirmam estar conscientes de que a "a África é um continente no qual milhões de pessoas, voluntária ou involuntariamente, estão diariamente em movimento, transformando assim as estradas e as ruas africanas em lugar privilegiado de evangelização e de educação". Infelizmente, de fato, "a criminalidade organizada, o tráfico de pessoas humanas, os sistemas jurídicos fracos, certas práticas tradicionais e um domínio masculino desequilibrado influenciam e são causa da vida de prostituição de mulheres e de jovens", enquanto pobreza, a violência doméstica, os abusos sexuais, a desintegração das famílias, o abandono, o analfabetismo influenciam o fenômeno dos meninos de rua. Diante desta realidade, os participantes reconhecem que "a primeira e mais importante missão da Igreja é a de evangelizar, de educar, de libertar mediante a renovação espiritual e a promoção humana no espírito dos valores do Evangelho". (S.L.) (Agência Fides 13/11/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network