ÁFRICA/MALI - Para o Secretário da Conferência Episcopal, “a população é favorável a uma força internacional para libertar o norte”

Sexta, 28 Setembro 2012

Bamako (Agência Fides) – “A maior parte da população de Mali aprecia o pedido de um intervenção de uma força militar africana para libertar o norte do país” – diz à Agência Fides pe. Edmond Dembele, Secretário da Conferência Episcopal de Mali. Nos últimos dias, Mali pediu oficialmente uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que autorize o envio de uma força militar guiada pelos países da CEDEAO (Comunidade Econômica da África Ocidental) para conseguir controlar o norte do país, que passa há meses de mão em mão por uma série de grupos extremistas (veja Fides 25/9/2012).
“O povo pensa que chegou o momento de reagir e que não existe mais tempo para indecisões e discussões” – destaca pe. Dembele, que informa também que em Bamako a situação retornou à calma, depois de dois dias de tensão, provocada pelo protesto dos policiais em relação á promoção de alguns oficiais. “Existem três sindicatos da polícia. Alguns se lamentam não terem sido associados a estas nomeações. Agora, porém, o protesto se reduziu” – explica pe. Dembele.
A exasperação do povo pela situação do norte do país aumentou por causa das humilhações pelas quais os grupos islâmicos que o controlam submetem os habitantes. “Quem pode, foge do norte” – diz pe. Dembele. “Os veículos que ainda conseguem assegurar os transportes com as áreas ocupadas pelos movimentos rebeldes estão sempre cheios de moradores em fuga, que lamentam as condições de vida impostas pelos extremistas islâmicos, especialmente às mulheres”.
“Apesar dos esforços realizados, a situação humanitária piora dia após dia. Os refugiados do Mali em países vizinhos estão em condições difíceis, mas se fala sempre menos deles. Também os desabrigados internos no sul do Mali não gozam de situação melhor” – conclui pe. Dembele (L.M.) (Agência Fides 28/9/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network