http://www.fides.org

Ciência e Medicina

2003-11-21

ÁFRICA - 115 MILHÕES DE DIABÉTICOS: MAIS UM ASSASSINO DAS CRIANÇAS NA ÁFRICA SUBSAARIANA

Roma (Agência Fides) – As crianças que adoecem de diabetes na África Subsaariana correm o risco de morrer dentro de um ano por falta de insulina. Medicamentos e seringas, necessários para as injeções diárias, são praticamente inexistentes em muitos locais da África. Algumas famílias percorrem a pé 250 milhas para obter insulina para suas crianças.
O International Insulin Foundation de Londres, dirigido por John Yudkin, realizou uma pesquisa minuciosa sobre os tratamentos disponíveis para as crianças que sofrem de diabetes do tipo-1 em Moçambique e Zâmbia. O resultado é que se poderia reduzir de modo considerável o índice de mortalidade, em particular nas zonas rurais, com uma melhor distribuição de insulina e uma preparação mais adequada dos agentes de saúde.
No Ocidente, as crianças com diabetes do tipo-1 vivem em condições normais, com uma injeção diária de insulina e adequado controle. Em relação a diabetes do tipo-2, o quadro está relacionado com a obesidade, mas também pode ser estabilizado.
A Organização Mundial da Saúde declarou recentemente que o número de pessoas afetadas pelo diabetes nos países em desenvolvimento poderia dobrar em 30 anos, de 115 para 284 milhões. 90% dos casos de diabetes é de tipo-2, mas as crianças morrem em decorrência do tipo-1. (AP) (21/11/2003 Agência Fides; Linhas:22 Palavras:248)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network