http://www.fides.org

Asia

2003-11-13

ÁSIA/ÍNDIA - CRESCE NA ÍNDIA A ONDA IDEOLÓGICA DO FUNDAMENTALISMO CONJUGADA COM O FASCISMO: A PREOCUPAÇÃO DA CONFERÊNCIA DOS PRESBÍTEROS INDIANOS

Patna (Agência Fides) – Os sacerdotes indianos estão preocupados com a atmosfera de crescente intolerância que se vive na Índia, onde continua a onda de um fascismo ideológico e de um fundamentalismo de matriz hindu chamado hindutva. Este é o resultado dos trabalhos da Conferência dos presbíteros indianos, que se reuniu na Arquidiocese de Patna na semana passada, da qual participaram mais de 90 padres diocesanos, representando os sacerdotes de 47 dioceses indianas.
Em nota enviada à Agência Fides, a Conferência expressa uma forte preocupação pelo futuro da comunidade cristã, submetida a uma pressão social e ideológica sempre mais forte, que poderia desembocar em atos de violência gratuita contra pessoas ou instituições cristãs.
Este aspecto foi discutido pelos sacerdotes presentes depois da exposição que aprofundou o argumento, feita pelo jesuíta indiano Pe. Louis Prakash, Diretor da Indian Sociale Institute. Pe. Prakash notou que problemas para as minorias religiosas e um crescente fascismo ideológico se registram não somente na Índia, mas em toda a região da Ásia meridional, como é evidente no Paquistão, Bangladesh, Sri Lanka, Butão e Nepal. “Fascismo – explicou – significa a difusão de tendências hegemônicas intolerantes que insistem sobre uma nação, um líder, uma raça e uma religião.” O jesuíta destacou que não se deve confundir hinduísmo com a ideologia fascista do hindutva: “Enquanto a primeira é uma fé aberta e tolerante, a segunda é fechada e intolerante com os sem casta, as minorias, as tribos e as mulheres”. Também o partido político hoje no poder na Índia, o Baratiya Janata Party, disse Pe. Prakash, é influenciado por ideologias e movimentos fundamentalistas que pregam o hindutva.
A Conferência dos presbíteros indianos discutiu comportamentos e soluções que as comunidades católicas podem adotar em relação à violência e à intolerância, afirmando a necessidade de permanecer firme na fé e dar testemunho de humildade, coerência e diálogo.
(PA) (Agência Fides 13/11/2003 linhas 33 palavras 319)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network