http://www.fides.org

Europa

2003-11-13

EUROPA/ITÁLIA - CASA DE ACOLHIMENTO PARA 60 MENINAS ABANDONADAS, ACUSADAS DE BRUXARIA EM BUKAVU – CASA FINANCIADA PELO MOVIMENTO PARA LUTA CONTRA A FOME NO MUNDO

Roma (Agência Fides) – O Movimento para a Luta contra a Fome no Mundo (MLFM) é uma organização não-governamental fundada em 1964 com o objetivo de realizar projetos no Terceiro Mundo, especialmente na África. Entre as iniciativas realizadas neste período, destaca-se a arrecadação de fundos para a construção do segundo centro de acolhimento Ek Abana em Bukavu, na República Democrática do Congo, para meninas acusadas de bruxaria.
De acordo com a cultura Bantoue, a bruxaria deriva da concepção do mundo dividido em dois pólos: o mundo visível e invisível, e da crença nas influências benéficas ou maléficas do mundo invisível por meio da intercessão de algumas pessoas. Hoje, por causa da conjuntura social, as relações familiares estão se tornando sempre mais frágeis e isso faz com que seja ainda mais difícil pensar na educação das meninas.
Os pais cada vez menos conseguem se responsabilizar por elas; insuficiências alimentares, doenças, problemas para se relacionar e de comportamento são algumas de suas causas. A perda de segurança e de valores fazem com que os pais, em grave crise, recorram ao abandono das filhas e a acusação de bruxaria torna-se o caminho mais rápido para poder se “liberar” de parte da prole. As meninas, nas ruas, encontram-se à mercê de traficantes, de abusos sexuais, da exploração de mão-de-obra infantil, estão expostas a todos os tipos de doenças, privação da liberdade de expressão e de defesa dos próprios direitos.
Inicialmente, as meninas foram acolhidas em uma casa que tinha sido destinada a um projeto de ensino de informática a jovens portadores de deficiências e que ainda não estava em funcionamento. O alimento chega através da Caritas local e os educadores são voluntários. Depois dos primeiros meses, diante do constante aumento das meninas (de 9 passaram a 60) e a pedido de Natalina Isella, voluntária do MLFM, foi idealizado o projeto “Foyer Ek-Abana” que significa “Casa das meninas”. Nesta estrutura, Natalina recebe a ajuda de duas psicólogas, de um médico, de cinco animadores culturais e de duas professoras voluntárias que se ocupam da alfabetização, da escolarização e do aprendizado de trabalhos manuais (costura, agricultura, jardinagem, trabalhos artísticos etc). Onde foi possível, também foi desenvolvido um programa de mediação familiar destinado à reinserção na família das meninas abandonadas.
Os objetivos preestabelecidos são os de ajudar a superar o que lhes aconteceu por meio de apoio psicológico: reinseri-las em nível escolar, profissional e social; ajudá-las a viver com responsabilidade e liberdade o próprio futuro para que se sintam protagonistas da própria história. Mais informações sobre o MLFM em www.fides.org. (AP) (13/11/2003 Agência Fides; Linhas:37 Palavras:459)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network