AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - “Somente a união entre um homem e uma mulher realiza o plano de Deus da sexualidade e do matrimônio”: Declaração dos Bispos do Arizona sobre a verdade do matrimônio

Terça, 7 Março 2006

Arizona (Agência Fides) - “Por que o matrimônio é importante para a Igreja Católica?” é o título da Declaração Pastoral da Conferência dos Bispos Católicos do Arizona, datada de 1º de março. Os três Bispos do estado de Arizona, Dom Donal E. Pelotte, Bispo de Gallup; Dom Gerald Kicanas, Bispo de Tucson e Dom Thomas Olmsted, Bispo de Phoenix, expressam a sua profunda preocupação com o movimento em difusão no país, que favorece a equiparação das uniões entre pessoas do mesmo sexo ao matrimônio. Em resposta a este movimento, os Bispos consideram que “todos os cidadãos devem refletir profundamente sobre o real significado do matrimônio”.
Os Bispos definem, antes de tudo, o que é o matrimônio, ou seja, “a união fiel, exclusiva e por toda a vida, de um homem e de uma mulher, unidos em comunidade íntima de vida e de amor, na qual se comprometem completamente um com o outro, na responsabilidade de se reproduzir e tomar conta de seus filhos”. Também destacam que estas verdades não são exclusivamente religiosas, mas “pertencem à ordem natural, e podem ser identificadas com a razão humana”, e são confirmadas pelas Sagradas Escrituras e pelos ensinamentos da Igreja. Para a Igreja, continuam os Bispos, o matrimônio é também um sacramento, isto é, “uma realidade que salva, e um caminho para a santidade”, que permite ao mundo ver “algo sobre o amor fiel, criativo, desinteressado e gerador de vida de Nosso Senhor”.
“No matrimônio - continua a Declaração - o marido e a mulher se dão totalmente um ao outro em sua masculinidade e feminilidade, e somente esta união sexual pode cooperar com Deus na procriação da nova vida humana”. Portanto, “somente esta união leva à realização do plano de Deus da sexualidade e do matrimônio”. Neste sentido, afirmam os Bispos, “as uniões do mesmo sexo não possuem a natureza complementar, e não podem gerar naturalmente uma nova vida humana”. A Declaração reconhece ainda que o matrimônio se situa na base da sociedade e é o lugar onde se apresentam as melhores condições para educar os filhos.
Diante desta situação, os Bispos do Arizona manifestam seu compromisso em “preservar o único e irrenunciável status que o matrimônio tem em nossa sociedade”, e reafirmam seu apoio à iniciativa para protegê-lo no Arizona. (Protect Marriage Arizona).
Ao mesmo tempo, lançam um apelo a todos os cidadãos para “preservar a definição do matrimônio entre um homem e uma mulher”, apoiando tal iniciativa. (RG) (Agência Fides 7/3/2006)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network