ÁFRICA/EGITO - O massacre dos coptas é uma resposta ao discurso do Presidente al-Sisi na Arábia Saudita

Sábado, 27 Maio 2017 terrorismo   perseguições  

O ônibus do massacre

Cairo (Agência Fides) – “O massacre de cristãos coptas é uma resposta dos terroristas ao discurso feito pelo Presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi na conferência de Estados Unidos e mundo árabe, realizada na semana passada na Arábia Saudita”, diz à Agência Fides pe. Rafic Greiche, sacerdote greco-católico e responsável das comunicações dos Bispos do Egito, comentando o massacre de no mínimo 29 coptas perpetrado ontem, 26 de maio, por uma dezena de jihadistas na localidade de Minya, no sul do Egito.
“Foi um discurso muito forte e franco contra o fundamentalismo e o radicalismo”, explica pe. Greiche. “Penso também – acrescenta o sacerdote – que os terroristas tentam dividir a população egípcia semeando divisão entre cristãos e muçulmanos. Até agora não o conseguiram, pois a população está unida ao rechaçar a violência”.
Segundo pe. Greiche – “os terroristas têm um objetivo de longo prazo: expulsar os cristãos do Egito, assim como o fizeram no Iraque, onde logo depois de conquistar Mosul, o Estado Islâmico expulsou todos os cristãos”. A mesma coisa aconteceu na Síria, no Sudão, e agora estão tentando fazer no Egito, país que possui a primeira comunidade cristã do Oriente Médio e a maior comunidade islâmica do mundo árabe.
“Os cristãos do resto do mundo podem nos ajudar primeiramente com a consciência. Depois, não permitindo que o radicalismo religioso e o terrorismo islâmico se instaurem em seus países. É preciso promover um discurso religioso moderado não só no Egito, mas também na Europa: nas mesquitas europeias há Imames que fazem discursos radicais e fomentadores. Enfim, ajudem-nos a fazer com que nossos fiéis possam ter acesso a mais instrução”, conclui pe. Greiche. (L.M.) (Agência Fides 27/5/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network