AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Último recurso para migrantes indocumentados: viver numa igreja

Segunda, 6 Março 2017

Último recurso para migrantes indocumentados: viver em uma igreja

Denver (Agência Fides) – Continuam a chegar à Fides testemunhos sobre a situação dos migrantes indocumentados desde que Donald Trump chegou à presidência dos Estados Unidos.
Em meio à ânsia e ao medo, muitas crianças não frequentam mais as aulas para evitar que seus pais arrisquem a expulsão ou a repatriação forçada (veja Fides 18/02/2017). Nas igrejas protestantes foram organizados grupos de apoio aos migrantes para a acolhida e a defesa de seus direitos, quando e como é possível. Em Denver (Colorado), por exemplo, a First Unitarian Society, que reúne as igrejas cristãs e de outros grupos religiosos, promoveu a colocação, nas portas de entrada das igrejas, de indicações dirigidas aos migrantes e aos membros da Immigration and Customs Enforcement (ICE), recordando os direitos dos migrantes, nas quais se assinalam que dentro dos lugares de culto existem pessoas que aguardam uma resposta sobre seu visto ou seu pedido de asilo. Praticamente estas pessoas são obrigadas a viver dentro das igrejas aguardando uma resposta das autoridades.
Esta situação envolve também as autoridades. Em fins de janeiro, os prefeitos das “Sanctuary Cities”, cidades estadunidenses grandes (como New York, Los Angeles e Chicago) e pequenas (como New Haven, Syracuse e Austin in Texas), que têm leis para limitar a colaboração com agencias federais da imigração predispostas à expulsão dos imigrantes sem documentos, se expressaram contra as medidas do Presidente Trump.
Em Chicago, o prefeito Rahm Emanuel, declarou: “Quero ser claro, permaneceremos uma ‘Sanctuary City’. Não existem estranhos entre nós. Que venham da Polônia ou do Paquistão, da Irlanda ou da Índia ou de Israel, que venham do México ou da Moldávia, de onde veio meu avô, todos serão bem-vindos em Chicago".
(CE) (Agência Fides, 06/03/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network