ÁSIA/TERRA SANTA - Dom Shomali: a “legalização” dos assentamentos israelenses é contra as virtudes da justiça, que vem de Deus

Quarta, 8 Fevereiro 2017 geopolítica   direitos humanos  

Jerusalém (Agência Fides) - A lei aprovada ontem pelo Parlamento israelense, que “regulariza” até mesmo retroativamente casas e assentamentos israelenses construídos abusivamente nos territórios palestinos ocupados ilegalmente pelo Exército de Israel, “torna quase impossível a solução de dois povos e dois Estados e ofende a justiça, virtude que vem de Deus que consiste em dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido”. Assim, Dom William Shomali, Vigário Patriarcal do Patriarcado Latino de Jerusalém para a Cidade Santa e a Palestina, comenta com a Agência Fides os efeitos da “lei sobre a regularização” com a qual o Knesset unilateralmente “legalizou” 4 mil assentamentos israelenses abusivos construídos em terras privadas pertencentes a proprietários palestinos. “Se é autêntica a intenção, proclamada em palavras, de proceder na direção que prevê a existência pacífica de dois Estados, Palestina e Israel, para dois povos, então não podem ser adotadas medidas e implementar fatos que caminham na direção oposta, como a anunciada transferência para Jerusalém da Embaixada dos Estados Unidos, também denunciada pela Conferência dos bispos católicos dos Estados Unidos”.
Segundo o Bispo Shomali, “não estão em discussão questões e aspectos de caráter exclusivamente político: se as terras onde se constroem colônias ilegais pertencem a proprietários palestinos, não podem ser tocadas, assim como não se pode tirar as propriedades de judeus que vivem em países de maioria islâmica. Fazer isto é como ir contra a justiça, chamar em causa a justiça. E a justiça é uma virtude que provém de Deus”. (GV) (Agência Fides 8/2/2017).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network