AMÉRICA/EL SALVADOR - Os Bispos pedem uma lei para proteger o território da exploração minerária

Terça, 7 Fevereiro 2017 meio ambiente   política  

Dom José Luis Escobar Alas

São Salvador (Agência Fides) – Os Bispos salvadorenhos pediram ontem, 6 de fevereiro, à Assembleia Legislativa, que promulguem uma lei que proíba a extração de metais neste país centro-americano, que continua a ser alvo de empresas extrativas transnacionais.
Durante uma coletiva de imprensa, o Arcebispo de São Salvador, Dom José Luis Escobar Alas, solicitou o novo desenho de lei, apoiado pela Caritas de El Salvador e a Universidade Centro-americana Jose Simeon Cañas (UCA). “A lei extrativa que possuímos é extremamente obsoleta e nos coloca em grave risco, torna a nação vulnerável”, disse o Bispo, segundo informações recebidas pela Fides.
A nota recorda que depois de uma longa disputa, El Salvador ganhou em outubro de 2016 o processo contra a empresa Oceana Gold (antes era a Pacific Rin), que havia chamado em causa o Estado salvadorenho porque negava licenças de extração, pedindo uma indenização de 250 milhões de dólares pela perda de potenciais lucros.
Sobre este tema, a Igreja local sempre apoiou a defesa do território diante da exploração das minas de metais preciosos: “Uma atividade como esta é inaceitável, pois provoca danos irreversíveis às pessoas e ao ecossistema” , escreveram os Bispos em 2008 (veja Fides 25/01/2008).
Segundo as Nações Unidas, El Salvador tem o mais elevado grau de degrado ambiental na região depois do Haiti, com apenas 3% de floresta natural virgem e terrenos arruinados por práticas agrícolas inapropriadas. Uma sondagem da UCA de 2015 demonstrou que 79,5% da população dos municípios mais ameaçados pela extração dos metais considera El Salvador inadequado para este setor. Além disso, 77% da população exige do governo que toma medidas imediatas para proibi-la.
(CE) (Agência Fides, 07/02/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network