ÁSIA/CAMBOJA - Em Phnom Penh três anos dedicados à família: “A Igreja é mãe e pai”

Terça, 31 Janeiro 2017 família   jovens   igrejas locais   jubileu da misericórdia   leigos  

Phom Penh (Agência Fides) - De 2017 a 2019, a comunidade dos batizados no Vicariato de Phnom Penh “caminhará com entusiasmo e viverá um tempo de aprofundamento e oração sobre o tema da família”: é o que anuncia, em encontro com a Agência Fides, o Bispo Olivier Schmitthaeusler, Vigário apostólico de Phnom Penh. “Proclamamos o triênio dedicado à família no dia da Epifania, em um grande encontro de fiéis do Vicariato”, recorda. “Traduzimos a Amoris laetitia na língua khmer e seguiremos o documento como uma ‘pista’ pastoral, prossegue, explicando que “o primeiro dos três anos será dedicado aos jovens e adolescentes que se aproximam da vida afetiva; no segundo ano pastoral o fulcro serão os casais de noivos que se preparam ao casamento; o terceiro ano será dedicado às famílias católicas, com atenção especial às mistas, com um cônjuge cristão e outro budista”.
“A situação da família na sociedade cambojana – explica o Bispo à Fides – requer um compromisso da Igreja. Depois de anos de trevas, com os kmer vermelhos e a erosão das estruturas sociais, existe hoje nas famílias um problema na transmissão dos valores tradicionais: isto tem um impacto sobretudo nos jovens, que ainda não têm uma família de referência”. Outros fenômenos relevantes são “a emigração dos cambojanos, com a consequente divisão das famílias, e os matrimônios inter-religiosos”. Por isso, a comunidade católica se dedicará nos próximos três anos a refletir e acompanhar os jovens, os casais e os cônjuges cristãos. O Bispo afirma: “Desejo uma Igreja que se mostre como mãe e como pai; uma Igreja que escute as necessidades das famílias, as conforte com compaixão e ternura e ilumine seu caminho; uma Igreja que mostre misericórdia, diálogo e solidariedade a todas as famílias”.
“Em Camboja – conclui – vivemos a herança do tempo santo do Jubileu. Dentre as prioridades pastorais, temos a instrução, a saúde, a atenção aos pobres, aos deficientes, aos trabalhadores e ao diálogo inter-religioso, mas os batizados são chamados a viver um tempo especial de oração e todos os meses, temos encontro de espiritualidade, jejum, oração e peregrinações. O fundamento é a oração, de onde se inspiram as obras de caridade”. (PA) (Agência Fides 31/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network