ÁSIA/MIANMAR - Card. Bo: “Natal, uma mensagem de paz para Mianmar”

Sexta, 23 Dezembro 2016 paz   natal   justiça   guerras  

Refugiados birmaneses

Yangon (Agência Fides) - “Em Mianmar, depende de cada um de nós transmitir um sentimento sincero e autêntico do Natal. Cristo nasceu numa manjedoura. Quem mensagem traz para nós? Que haja paz sobre a Terra. Cristo é o Príncipe da paz. O menino Jesus não é somente um Salvador, Ele é Emanuel, é o próprio Deus que escolhe uma família pobre como muitas de nossas famílias”: é o que afirma o Card. Charles Maung Bo, Arcebispo de Yangon, na mensagem divulgada para o Natal a toda a comunidade católica birmanesa e enviada à Agência Fides.
O Card. Bo destaca que o Natal é antes de tudo uma festa de paz: “A maior mensagem que vem dos Anjos na noite de Natal é esta: Paz a todos os homens de boa vontade. Esta é para mim a mensagem central do Natal: paz a cada um de nós, a paz interior, a paz nas nossas famílias, paz para a nossa nação”.
“A paz hoje é efêmera por causa da maldade de um racismo profundamente enraizado em nosso mundo, nunca conseguiremos ver a paz nos estados de Kachin e Rakhine, até que não deixarmos que o amor de Deus prevaleça em nossas vidas. Para o homem, o racismo é um problema espiritual. Devemos a qualquer custo evitar tais divisões” que tantos males fizeram no último século à humanidade, releva o texto. “Nós em Mianmar, um país pequeno, estamos banhados por lágrimas de guerra e de ódio. Em apenas sessenta anos de história, vivemos 22 guerras e atualmente três guerras estão acontecendo. Nos últimos sessenta anos, sepultamos milhares de vidas nestas guerras de ódio recíproco, criando milhares de desabrigados e arruinando os nossos jovens”, afirma-se.
“Neste preciso momento, milhares de desabrigados não têm casa, como Jesus. Estão em campos de refugiados nos estados de Rakhine, Kachin, Shan e nos confins. A história do Natal se repete. Famílias pobres não têm aonde ir e crianças nascem em barracos. A Igreja – recorda o Cardeal – sempre insistiu: se queres a paz, trabalhes pela justiça. A justiça deve correr como um rio para chegar ao destino, que é a paz. A verdadeira paz é reconhecer que todos os cidadãos desta nação são irmãos e irmãs. Somos 135 tribos, que devem ser iguais. Esta nação tem recursos suficientes para todos os cidadãos”.
Para o Natal 2016, o Card. Bo deseja à sua pátria que experimente e vive “o shalom, que é muito mais que ausência de conflito. Shalom é harmonia, integridade, salvação e bem-estar para todo o universo”. “Trabalhar juntos pela paz é uma obrigação moral. Esperamos que o novo governo, o exército, os grupos armados, coloquem a palavra fim à guerra. A paz trará prosperidade. Rezemos pela paz em Mianmar. Deixem que o Espírito Santo inspire todos os nossos líderes” para restituir paz e esperança à nação. (PA) (Agência Fides 23/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network