ÁFRICA/GANA - Primeiro turno das eleições presidenciais: “Não a eleições que nos dividem”, dizem os Bispos

Quarta, 7 Dezembro 2016 política   bispos  

Acra (Agência Fides) - São 15 milhões os eleitores chamados em 7 de dezembro às urnas para o primeiro turno das eleições presidenciais em Gana. Os candidatos são sete, mas o verdadeiro duelo é entre o atual Presidente, John Dramani Mahama, e o seu principal opositor, Nana Akufo-Addo. O pleito ocorre ao final de uma campanha eleitoral tensa, marcada pelas dificuldades econômicas que o país vive por causa da queda do preço das matérias-primas, como petróleo e cacau, principal fonte de renda de Gana.
“Não podemos aceitar que as eleições nos dividam. Devemos preservar a unidade, o crescimento, o desenvolvimento e o nosso destino como um único povo”, escreveram os Bispos de Gana em seu comunicado de 14 de outubro, no final da Assembleia Plenária anual (veja Fides 21/10/2016).
“Mais uma vez, fazemos um apelo a políticos, membros e partidários de vários partidos políticos para durante a campanha eleitoral evitem a tentação de fazer promessas que sabem que não podem respeitar, porque isso equivale a enganar o povo de Gana. Nós os exortamos a evitar declarações incitantes ao ódio e as expressões que ameaçam vingança. (…). Os políticos deveriam perceber que seus adversários políticos não são inimigos, mas pessoas que compartilham pontos de vista diferentes”.
A mensagem critica “a cultura da impunidade que se manifestou em segmentos da sociedade ganense por parte de alguns indivíduos e grupos e que contribui para aumentar fortemente o nível de ilegalidade no país. Condenamos, sem meios termos, a submissão e as operações de grupos de vigilantes não autorizados. Consequentemente, devem ser enfrentados os chamados "machomen", que andam pelas ruas intimidando e maltratando cidadãos inocentes. Recebemos informações sobre o terrível ataque que ocorreu recentemente contra dois sacerdotes católicos por parte de um "machoman" em Adugyama, no distrito setentrional de Ahafo Ano, na região de Ashanti. Condenamos este e outros ataques semelhantes. Pedimos às agências de segurança e à magistratura que seja feita rapidamente justiça neste e em outros casos”.
Enfim, os bispos anunciaram um Congresso Eucarístico Nacional para celebrar o 60º aniversário de independência nacional, em 6 de março de 2017, desejando que as celebrações se realizem num “país pacífico”. (L.M.) (Agência Fides 7/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network