VATICANO - Card. Filoni na Zâmbia, uma Igreja marcada por um forte espírito missionário

Terça, 8 Novembro 2016 filoni   igrejas locais   animação missionária  

Lusaka (Agência Fides) – Concluída sua visita pastoral ao Malauí, o Card. Fernando Filoni chegou à Zâmbia na tarde de segunda-feira, 7 de novembro, e logo se reuniu com a Conferência Episcopal, em Lusaka, levando a saudação e a bênção do Papa Francisco, e expressando o agradecimento, como Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, pelo empenho e a dedicação dos Bispos à evangelização.
“Que alegria estar aqui com vocês – disse o Cardeal -, durante a celebração de seu Jubileu pelos 125 anos de catolicismo na Zâmbia, inaugurado em agosto passado! Queridos irmãos, vocês seguem as pegadas dos grandes missionários que tão corajosamente e desinteressadamente trabalharam para levar a Boa Nova a esta terra abençoada”. Em seguida, citou o empenho incansável do pe. Van Oosten, M.Afr., e dos seus corimãos, que não obstante a malária e as míseras condições de vida fundaram a primeira missão, e o primeiro Bispo consagrado na Zâmbia, Dom Joseph Dupont, M.Afr. Depois deles, tantos homens e mulheres prosseguiram a obra de evangelização até hoje. “Cada um de vocês, queridos irmãos, deve continuar a assumir a responsabilidade pessoal de evangelizar”, exortou o Cardeal, declarando-se feliz em saber que “a Igreja aqui na Zâmbia ainda é marcada por um forte espírito missionário”.
No seu discurso, o Prefeito do Dicastério Missionário evidenciou a importância da Exortação apostólica “Evangelii Gaudium” do Papa Francisco, e recordou o que disse o Papa aos Bispos da Zâmbia em sua Visita ad Limina de 2014 e reiterou a atualidade do Decreto conciliar Ad Gentes. Depois de destacar o dever comum de todo batizado de ser testemunha de Cristo, e o do Bispo em especial de ser o animador e o coordenador da atividade missionária em sua diocese, suscitando o empenho de todos os batizados, o Cardeal relevou que “o caminho da evangelização não é fácil”. “Como em outras partes do mundo – prosseguiu -, também aqui vocês devem enfrentar desafios especiais que dizem respeito às ameaças contra a vida da família e os valores do Evangelho”. E exortou os Bispos a continuarem a promover o “santuário da vida” que é a família, com paciência e firmeza; além disso, “a paciência missionária contribuirá também a promover uma cultura do diálogo, da qual fala com frequência o Papa Francisco, tão necessária em nível social e político aqui na Zâmbia”.
O Cardeal Filoni encorajou os bispos sobre alguns aspectos particulares. Em primeiro lugar, se congratulou com eles pelo uso do rádio para difundir o Evangelho e pelas iniciativas recentes na televisão. Então, recomendou a promoção das vocações sacerdotais acompanhadas por um discernimento sério e por uma formação adequada nos seminários através de sacerdotes que tenham profundas dotes humanas, espirituais e pastorais. “Nessa ótica, agradeço pelos esforços já implementados com a ajuda da Pontifícia Obra de São Pedro para formar adequadamente seus sacerdotes para este trabalho importante”, disse.
Depois, chamou a atenção dos bispos da Zâmbia para as “tentações da desconfiança e ceticismo causadas pelas diferenças culturais”, evidenciando a importância de manter a comunhão fraterna, importante para a unidade do povo de Deus e da sociedade em geral. Enfim, recomendou estar próximo com amor a todos aqueles que o Senhor lhes confiou, particularmente aos sacerdotes, de promover a vida religiosa e estar disponíveis para os leigos, “que são parte integrante do trabalho de evangelização na Zâmbia”. (SL) (Agência Fides 08/11/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network