ÁSIA/IRAQUE - Os refugiados querem voltar a Mosul

Quinta, 20 Outubro 2016
Refugiados em Irbil

Caritas ambrosiana

Refugiados em Irbil

Irbil (Agência Fides) - “As pessoas que vivem nos campos de refugiados em Irbil, Dibaga e Kirkuk estão preocupadas: muitas têm amigos e parentes obrigados a permanecer em Mosul, mas muitos se sentem aliviados porque pensam que se poderia, com esta nova avançada, tentar voltar para casa, mesmo não sabendo o que encontrarão. Teme-se que as casas, as atividades comerciais, os lugares de culto tenham sido destruídos. Haverá muito trabalho mesmo depois de tudo isso.” É o que conta numa nota enviada à Agência Fides, Mustafa Jabbar, coordenador em Irbil da Federação dos Organismos Cristãos Serviço Internacional Voluntário (FOCSIV), que reúne 80 Ongs operantes em 80 países.
“Anteontem, prossegue Jabbar, muitos cristãos exultaram quando chegou a notícia da libertação de
Qaraqosh, lugar onde, antes da guerra, morava uma grande comunidade cristã”. Os sentimentos são alternantes: “Junto com a satisfação por esta solução, que pretende por fim a um impasse insustentável, está o medo pela chegada de tantas pessoas aterrorizadas e sem mais nada. Temos medo de não ter a capacidade de responder adequadamente às necessidades dos novos refugiados”. Enquanto isso, de Irbil se vê distante os poços de petróleo incendiados e o fumo de canhões. Em Kirkuk, mais próxima a área controlada pelo Califado, a situação é muito tensa”, conta.
Há dois anos a FOCSIV está ao lado dos deslocados nos campos de Irbil, no povoado de Dibaga e no de Ainkawa2, em Kirkuk. O trabalho dos voluntários é dirigido especialmente a menores, como a organização da creche para menores, de modo que as mães possam trabalhar ou fazer cursos de corte e costura e artesanato. Organizam-se atividades esportivas para adolescentes e jovens, além de cursos de formação e língua inglesa e curda. Trabalha-se sobretudo com os mais vulneráveis, como as mulheres com recém-nascidos. Uma atenção particular, ressalta a nota de FOCSIV enviada a Fides, é dirigida aos portadores de deficiência, com cuidados específicos e medicamentos.
O compromisso faz parte da campanha “Humanity. Seres humanos com seres humanos” para o Oriente Médio, lançada por ocasião da mensagem de paz do Papa Francisco para a Síria, em julho de 2016, a fim de apoiar a campanha da Caritas Internacional “Syria: Peace is possible”. (PA) (Agência Fides 20/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network