AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Centenas de pescadores estrangeiros ‘escravos’ em pesqueiros no Havaí

Terça, 4 Outubro 2016 escravidão  

Internet

Honolulu (Agência Fides) – Uma recente pesquisa publicada pela Associated Press indica que centenas de estrangeiros, sem documentos e provenientes da Ásia e Pacifico, trabalham em pesqueiros estadunidenses no Havaí sem a mínima tutela trabalhista. Pescam atum, peixe-espada e e outros peixees por 70 centavos de dólar por hora e não podem acessar ao solo dos EUA por não dispor do visto exigido. O estudo revelou que as tripulações de muitos barcos de pesca com bandeira estadunidense e que atuam em águas norte-americanas vivem em condições sub-humanas, não são autorizados a pisar no solo, têm o passaporte retirado e entregue aos comandantes dos barcos para a alfandega.
As jornadas de trabalho podem ter duração de 20 horas, os pescadores vivem nos navios sem algum serviço higiênico, são obrigados a usar sacos para suas necessidades fisiológicas, adoecem de úlcera, dormem em tábuas com insetos e quase sempre ficam sem comida. Visto que não podem tocar em solo estadunidense, quando precisam deixar um barco por outro, devem mergulhar e nadar para receberam um novo ‘contrato de trabalho’. Trata-se de um verdadeiro fenômeno de tráfico humano, que utiliza contratos de trabalho de duração de vários anos, concordados previamente por terceiros, intermediários que transportam trabalhadores da Indonésia, Vietnã, Filipinas e Kiribati, para fazê-los trabalhar em pesqueiros com contratos de dois ou três anos, prorrogáveis por várias ocasiões.

(AP) (4/10/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network