AMÉRICA/CHILE - Fórum Araucania: as soluções devem chegar diretamente dos povos da região

Quinta, 29 Setembro 2016 indígenas   reconciliação   política  

internet

População Araucania

Santiago (Agência Fides) – Com o slogan "Em busca de acordos e de desenvolvimento para a região", e a participação de várias personalidades políticas como o Ministro do Interior, Mario Fernandez, teve início o fórum "Todos somos Araucanía", evento organizado pela Sofofa (Sociedad de Fomento Fabril), organismo que reúne mais de 4000 empresas, 38 associações e 23 sindicatos chilenos.
"A realidade de La Araucania é agora um problema de todo o Chile, não é um problema daquela região em especial. A violência e a fragilidade do estado de direito no sul devem ser enfrentadas com urgência", disse o Presidente da Sofofa na abertura do evento, em 27 de setembro.
Em sua intervenção, o Bispo da Diocese de Temuco, Dom Héctor Eduardo Vargas Bastidas, S.D.B., que preside a mesa de trabalho sobre La Araucanía (veja Fides 4/07/2016), disse: "Infelizmente, a crescente diversidade das vítimas da violência rural, que afeta os agricultores, pequenos proprietários, trabalhadores e suas famílias, poderia levar ao risco de estigmatizar as demandas legítimas do povo mapuche, que não devem ser confundidas de nenhuma forma com as ações reprováveis de grupos radicais". Então, ele acrescentou: "Todos nós devemos ter cuidado de como falar quando tratamos o problema, evitando a ideia de que esta é uma luta entre mapuche e agricultores, ou pior, entre os mapuches e colonos".
Afetou muito o pronunciamento do Ministro do Interior, Fernandez, que em seu discurso destacou que algumas medidas, como o aumento da força policial, foram insuficientes para superar o problema. "Manter a pobreza, a insegurança e a violência responde, certamente, a causas sistêmicas, e requer abordagens globais para enfrenta-las", disse. Ele acrescentou que a solução é a de "alterar radicalmente o curso das coisas: análises e soluções devem chegar diretamente dos povos da região, mapuche e não mapuche". (CE) (Agência Fides, 29/09/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network