ÁFRICA/EGITO - Em vias de solução a controvérsia sobre as terras do Mosteiro de São Macário

Sexta, 15 Julho 2016 igrejas orientais  

stmacariusmonastery.com

Fayyum (Agência Fides) – O advogado egípcio Ihab Ramzy, que tutela os interesses da Igreja copta ortodoxa, divulgou os detalhes de um iminente acordo entre as partes que deve colocar fim ao longo desacordo ao redor dos territórios ligados ao Mosteiro copta-ortodoxo de São Macário, na área de Wadi el Rayan. O caso recomeçou nos primeiros meses de 2015, ao redor de um projeto de construção de uma estrada que deveria unir a cidade de Fayyum a uma área de oásis, atravessando os territórios circunstantes ao Mosteiro copta de São Macário, ameaçando uma área arqueológica que se estende nas redondezas de uma igreja do século IV.
O projeto também colocava em risco o abastecimento hídrico do Mosteiro e algumas suas áreas cultivadas. Naquela época (veja Fides 25/2/2015) os monges deram vida a uma iniciativa de resistência não-violenta, deitando no caminho dos tratores que trabalham no projeto e guiados por operários que se aproximavam às terras do Mosteiro ao gritos de “Allah Ackbar”. Em seguida, ativistas e líderes políticos locas promoveram também uma coleta de assinaturas para pedir ao Presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi que suspendesse o projeto. No apelo, a controvérsia surgida sobre o projeto da rodovia foi definido como uma “bomba-relógio” que pode agravar os já alarmantes conflitos religiosos existentes no país.
Agora, de acordo com as notícias difundidas pelo advogado Ihab Ramzy, o acordo que deve ser aprovado prevê a concessão definitiva à Igreja copta ortodoxa de 3 mil hectares de terreno ao redor do Mosteiro, como área destinada ao turismo cultural. No âmbito do acordo, tentará se resolver também o episódio de um monge condenado por manifestar atitudes consideradas agressivas em relação a funcionários estatais, durante uma fase delicada dos contrastes.
No passado, a controvérsia relativa aos terrenos evidenciou também as tensões entre o Mosteiro de São Macário e a hierarquia episcopal copta ortodoxa, que se negou várias vezes em legitimar os protestos dos monges. Em maior de 2015, o Sínodo dos Bispos coptas-ortodoxos, sob a presidência do Patriarca Tawadros II, deliberou e publicou disposições disciplinares a fim de aumentar o controle do episcopado sobre a vida dos mosteiros coptas, masculinos e femininos. A solução da controvérsia sobre as terras do Mosteiro de São Macário representa também um sinal de superação de algumas tensões e incompreensões intra-eclesiais dentro da Igrejas copta-ortodoxa. (GV) (Agência Fides 15/7/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network