ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Os primeiros cinco anos de independência, entre dificuldades e esperanças

Sexta, 8 Julho 2016 obras sociais  

CUAMM

Juba (Agência Fides) – Sábado, 9 de julho, o Sudão do Sul festejará os primeiros cinco anos de independência, sendo a todos os efeitos o mais jovem Estado do mundo. Todavia, o país teve que fazer as contas com uma nova instabilidade. Entre dezembro de 2013 e abril de 2016, de fato, uma nova guerra civil envolveu a facção liderada pelo presidente Salva Kiir e a de seu ex-vice-presidente Riek Machar, marcando um evidente impasse no processo de desenvolvimento do Sudão do Sul. Em abril deste ano, o conflito acabou oficialmente, com a reintegração de Machar no seu cargo de vice-presidente de Salva Kiir, no âmbito do governo de unidade nacional previsto pelas últimos acordos de paz.
“Não foram anos fáceis e agora esperamos realmente que a situação se estabilize”, explica Pe. Dante Carraro, Diretor da ong Médicos com a África, Cuamm, presente no Sudão do Sul desde 2006. “Nós do Cuamm sempre permanecemos ao lado da população para garantir o acesso ao tratamento a todos, mas sobretudo às mães e às crianças, os mais vulneráveis. Em 2015, nas estruturas em que atuamos no país, cuidamos de 426 mil pessoas, das quais mais de 156.800 crianças com menos de cinco anos. Entre hospitais e estruturas periféricas financiadas por nós, fomos capazes de assistir 6.583 partos e submeter quase 20 mil futuras mães à primeira visita pré-natal”. Mais de 900 mil pessoas hoje podem contar com serviços médicos garantidos pelo trabalho de 700 agentes locais e internacionais que atuam no Sudão do Sul com o Cuamm, numa situação em que o sistema de saúde nacional é praticamente inexistente. (AP) (8/7/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network