ÁSIA/PAQUISTÃO - Assassinado um cantor sufi: dor e condenação dos Bispos

Sexta, 24 Junho 2016 violência   terrorismo   islã   blasfêmia  

Facebook

Karachi (Agência Fides) – “Profunda dor e condenação pelo enésimo assassinato que abala a nação”: num comunicado enviado a Fides, a Comissão "Justiça e Paz" da Conferência Episcopal do Paquistão se diz "profundamente entristecida” pelo assassinado ocorrido em 22 de junho. Foi assassinado em Karachi Amjad Sabri, famoso cantor muçulmano, expoente do qawwali, estilo musical que deriva da escola islâmica do sufismo. O homem foi atingido por tiros disparados contra o seu carro por dois meliantes, enquanto se dirigia para um estúdio televisivo para gravar um programa. O assassinato foi reivindicado pelos talibãs paquistaneses, que acusaram o músico de ser blasfemo. Sabri era muito conhecido inclusive fora do país, por sua voz e pela mensagem de paz dos seus textos.
O presidente da Comissão "Justiça e Paz", Pe. Emmanuel Yousaf Mani, e o diretor executivo, Cecil Chaudhry, numa declaração conjunta expressam solidariedade e recordam “a extraordinária contribuição de Sabri para a arte do qawwali e do sufismo”. A Comissão evidencia que "a música pode superar barreiras, criando paz na sociedade” e elogia “os esforços de Sabri em promover a paz através da sua música”.
"Precisamos permanecer unidos contra as forças que pretendem prejudicar a nação", afirma a nota da Comissão, convidando o governo do Paquistão "a adotar medidas concretas para levar os responsáveis à Justiça". Também o Bispo Joseph Arshad "reza pela família, pedindo a Deus que conceda a força para superar esta perda irreparável". (PA) (Agência Fides 24/6/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network