ÁSIA/PAQUISTÃO - Libertado sob caução o suspeito do linchamento de dois cônjuges cristãos

Terça, 19 Abril 2016 minorias religiosas   perseguições   blasfêmia   islã   violência  

LEAD

Lahore (Agência Fides) - Foi libertado sob caução o suspeito principal do homicídio dos cônjuges cristãos Shahzad Masih e Shama Bibi queimados vivos por uma multidão muçulmana por pressuposta blasfêmia em 4 de novembro de 2014. Conforme referido a Fides pela Ong paquistanesa “Lead” ("Legal Evangelical Assistance and Development"), a Yousaf Gujjar, suspeito principal no caso de linchagem, foi concedida a liberdade sob caução, não obstante o vice-inspetor geral da Polícia de Kasur, que investigou o caso, tenha declarado à Corte que “se não fosse por este indivíduo o fato nunca teria acontecido”. Além disso, o funcionário da Polícia Asi Mohammad Ali, que primeiramente iniciou o procedimento contra Yousaf Gujjar e outras três pessoas, se recusou no tribunal a indicar Gujjar como “um dos principais responsáveis”. Conforme averiguado pela própria Polícia, Gujjar e os três incitaram a multidão a punir os dois cristãos acusados de blasfêmia. “Este comportamento vergonhoso da Polícia faz pensar numa cumplicidade e não ajuda a fazer justiça”, observa o advogado cristão Mustaq Gill, que acompanha de perto o caso. Yousaf Gujjar é o proprietário do forno onde Shahzad e Shama trabalhavam, forno em que foram jogados ainda vivos depois de dois dias de espancamentos e torturas. O fato ocorreu em Kot Radha Kishan, no Distrito de Kasur. Alguns dias depois, em 10 de novembro, um tribunal antiterrorismo ordenou a detenção de quatro pessoas: Yousaf Gujjar e outras três. Num primeiro momento os pedidos de caução tinham sido rejeitados, agora foram acolhidos. O juiz criticou fortemente a negligência da polícia durante a linchagem. A Corte, no andamento das investigações, colocou sob investigação 106 pessoas. (PA) (Agência Fides 19/4/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network