ÁFRICA/ZÂMBIA - Como encorajar as jovens a estudar e a evitar os casamentos precoces

Quinta, 7 Abril 2016 direitos humanos  

CCS Italia

Lusaka (Agência Fides) - Zâmbia tem um dos índices de matrimônios precoces mais altos do mundo. De dez mulheres, mais de quatro, entre 20 e 24 anos, estão casadas desde que tinham somente 16. Um destino “já traçado” para tantas meninas, que as impossibilita de escolher livremente. Para fazer frente a este fenômeno, a ong Centro de Cooperação e Desenvolvimento (CCS Itália) promoveu um programa de prevenção do abandono escolar de meninas através justamente da luta aos casamentos precoces e gravidezes prematuras. “A finalidade é realizar em duas escolas rurais e em cinco escolas secundárias na cidade de Chipata um programa-piloto que envolva não somente as estudantes, mas também todos aqueles que as circundam e que influenciam o seu futuro”, se lê numa nota enviada a Fides. No centro do projeto estão as próprias jovens, que através de momentos educativos e o envolvimento de comitês escolares, professores e líderes comunitários, serão acompanhadas no processo de aquisição de um papel ativo e consciente sobre escolhas relativas à própria vida. Trata-se de uma atividade que quer oferecer a possibilidade de confronto com modelos positivos de jovens mulheres que conseguiram evitar o círculo vicioso dos casamentos precoces e encorajar as jovens a completar os estudos e a alcançar a própria independência. (AP) (7/4/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network