ÁFRICA/CONGO - Em Brazzaville retornou a calma; a população está refugiada nas igrejas

Terça, 5 Abril 2016 grupos armados  

Brazzaville (Agência Fides) - Em Brazzaville a calma está voltando lentamente depois dos atritos de ontem. É o que informam à Agência Fides fontes da Igreja local da capital da República do Congo, aonde nas primeiras horas da manhã de 4 de abril, nos bairros do sul de Mayanga e Makélékélé, homens armados atacaram edifícios governamentais. Os confrontos, com o uso de armas pesadas, duraram horas, mas “desde a noite de ontem, os atritos têm cessado lentamente – informam nossas fontes – e hoje a situação está calma”.
“Se ontem Brazzaville parecia uma cidade morta, deserta, hoje nota-se uma lenta retomada da circulação de pessoas”. “Alguns ainda estão hospedados em igrejas do bairro” acrescentam as fontes. “Uma parte da população buscou amparo nas igrejas durante os conflitos. Ainda não sabemos o número certo de pessoas, mas são certamente mais que uma centena. A Caritas se mobilizou para assisti-las, providenciando alimentos e gêneros de primeira necessidade”.
O governo acusou os ex-milicianos “Ninja Nsiloulou”, liderados por Frédéric Bintsamou, ou “pastor Ntoumi”, de serem os responsáveis pelo ataque. Ntoumi, que após ter deposto as armas se uniu ao Presidente Sassou Nguesso, apoiou o desafiante Guy-Brice Parfait Kolélas, segundo nas eleições presidenciais de 20 de março, que reconfirmaram Nguesso como Presidente.
No mesmo dia 4 de abril, a Corte Constitucional confirmou a validez dos resultados eleitorais de 20 de março, rejeitando o pedido de Kolélas de anular os resultados em algumas circunscrições eleitorais porque a seu ver, haviam sido prejudicados por imbróglios. (L.M.) (Agência Fides 5/4/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network