ÁSIA/PAQUISTÃO - Shahbaz Bhatti: reúnem-se testemunhos para o “martírio”

Terça, 1 Março 2016 mártires   minorias religiosas   blasfêmia   liberdade religiosa   igrejas locais  

Ministro católico Shahbaz Bhatti

Islamabad (Agência Fides) – Nos dias em que a comunidade católica no Paquistão recorda o quinto aniversário da morte de Shahbaz Bhatti, o ministro católico para as minorias assassinado em 2 de março de 2011, em Islamabad a Igreja local começou a reunir os testemunhos que poderão ser úteis para abrir o processo diocesano para declarar Bhatti “mártir”. Explica a Fides pe. John Williams, que trabalha na Comissão “Justiça e Paz” da diocese da capital: “No Islã, quem quer que morra pela fé é um ‘shahid’, um mártir. Para a Igreja Católica, o processo é mais longo, mas depois de cinco anos da morte se pode abrir a fase diocesana. Na diocese, começaram a reunir os testemunhos úteis para isso. Várias pessoas estão se interessando. O Bispo de Islamabad deu a sua aprovação e envolveu o de Faisalabad, diocese onde Bhatti nasceu e viveu. Na época, o Bispo da diocese era Dom Joseph Coutts, hoje em Karachi, atual presidente da Conferência episcopal”.
Pe. William continua: “O atual Bispo de Islamabad, Dom Rufin Anthony, nasceu na mesma aldeia de Bhatti e conhece bem o lugar, a família e a comunidade local. Todas as circunstâncias são favoráveis para realizar um inquérito detalhado, que esperamos possa ter um êxito positivo. Toda a comunidade católica no Paquistão o espera. A recordação de Bhatti está ainda viva e nestes dias haverá muitas comemorações”.
Pe. Bonnie Mendes, também de Faisalabad, que conhecia Bhatti desde a infância, acrescenta: “Como cristãos no Paquistão, somos chamados a dar testemunho do Evangelho de Jesus Cristo. Nossa vocação é viver o Evangelho no Paquistão. Significa ser homens e mulheres de paz, respondendo ao mal com o bem, aceitando a cruz de Cristo. Esta é a nossa missão, confiando sempre na salvação que provém de Deus e não dos homens. É o que viveu Shahbaz Bhatti. Seu pai lhe deixou uma fé profunda, ensinando-o a ser fiel até o fim. Shahbaz Bhatti o foi até o ponto do martírio. Queria ajudar a emancipação de todos, pobres e marginalizados. Por isso, deu a sua vida”.
(PA) (Agência Fides 1/3/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network