ÁFRICA/EGITO - Zombaram num vídeo as barbaridades jihadistas: estudantes coptas condenados a cinco anos de prisão por insultar o Islã

Sexta, 26 Fevereiro 2016 sectarismos  

Minya (Agência Fides) - O tribunal egípcio de Minya emitiu uma sentença pesada contra os quatro estudantes coptas acusados de insultar a religião islâmica num vídeo clipe de alguns segundos, realizado com o telefone celular, no qual imitavam a cena do degolamento de um fiel muçulmano em atitude de oração, imitando as execuções horríveis cometidas por jihadistas do Estado islâmico (Daesh). É o que referem fontes egípcias consultadas pela Agência Fides. Três dos rapazes foram condenados a cinco anos de prisão, enquanto o quarto, que ainda não completou dezoito anos, será enviado a uma residência supervisionada para menores.
O fato que levou à condenação dos estudantes aconteceu numa escola da aldeia Nasiriyya, perto da cidade de Beni Mazar, na província egípcia de Minya, na primavera de 2015. A gravação breve, que representava a seu modo um ato de acusação contra as atrocidades cometidas pelos jihadistas do Estado Islâmico, foi postada no YouTube e provocou a ira e acusações falsas de elementos islâmicos na área, forçando as autoridades locais a convocar, em 17 de abril passado, uma reunião de "reconciliação" entre cristãos e muçulmanos, com a participação de imames e sacerdotes da área. Os quatro rapazes foram presos também para serem protegidos de qualquer vingança violenta e as famílias tiveram de pagar uma caução de 10 mil libras egípcias para a libertação de cada um deles (veja Fides 28/5/2015).
Nesse mesmo caso, no final de janeiro, o tribunal de Beni Mazar condenou a três anos de prisão um professor copta dos quatro estudantes. O professor, julgado conjuntamente responsável pelo breve vídeo e sua disseminação, já tinha sido forçado a deixar com sua família o povoado de Nasiriyya.(GV) (Agência Fides 26/2/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network