ÁSIA/LÍBANO - As Igrejas libanesas preocupadas com as discriminações confessionais no acesso às funções e recursos públicos

Sexta, 5 Fevereiro 2016 discriminação  

Beirute (Agência Fides) - Os bispos maronitas expressam sua preocupação pelo desequilíbrio existente no acesso aos cargos públicos e recursos financeiros estatais, com discriminações silenciosas que penalizam os cristãos. A preocupação emergiu durante o último encontro mensal da Assembleia dos Bispos Maronitas que se reuniu na quarta-feira, 3 de fevereiro, na sede patriarcal de Bkerkè, sob a presidência do Patriarca Boutros Bechara Rai.
Há anos, denunciam os bispos, está sendo produzida uma erosão silenciosa da presença cristã nas funções estatais, em vantagem das componentes xiitas e sunita. Recentemente, manifestações evidentes deste fenômeno teriam ocorrido no organograma do Ministério das Finanças. Enquanto isso, segundo informações recentes de investigações jornalísticas, somente 27% dos projetos recentes realizados pelo Ministério de Obras Públicas interessaram áreas habitacionais da população cristã.
Os bispos maronitas veem neste fenômeno uma grave insídia para a convivência nacional, e convidam os políticos e as instituições a respeitarem o artigo 95 da Constituição, onde está escrito que as várias comunidades confessionais devem ser “igualmente representadas” na administração pública”. Nos dias passados, preocupações análogas foram manifestadas também pela Igreja greco-melquita.
No comunicado divulgado ao final da Assembleia sinodal maronita, enviado à Agência Fides, os Bispos maronitas avaliaram positivamente a reaproximação de forças políticas maronitas até então contrapostas, como as Forças Libaneses e o Movimento Patriótico Livre (veja Fides 19/1/2016), auspiciando que este processo favoreça o fim da paralisação institucional em que o país se encontra desde maio de 2014, e se consiga finalmente eleger um novo presidente da República. (GV) (Agência Fides 5/2/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network