ÁSIA/PAQUISTÃO - Advogados ameaçados por defender um cristão acusado de blasfêmia

Quarta, 27 Janeiro 2016 blasfêmia   minorias religiosas  

Lahore (Agência Fides) - Dois advogados que trabalham para a ONG paquistanesa “Lead” (Legal Evangelical Association and Development) foram detidos por desconhecidos na rua e ameaçados, enquanto se dirigiam ao tribunal, para participar da audiência do caso de Sajjad Masih Gill, cristão condenado à prisão perpétua por uma presumível blasfêmia, que apresentou apelo à Alta Corte de Lahore. Os dois agredidos são o advogado Aric John e seu assistente, detidos na estrada entre Kasur e Lahore por um comando de homens armados que ameaçaram atentar contra suas vidas e as de seus familiares. A equipe legal teve que pedir o adiamento da audiência, que foi marcada para 16 de fevereiro. Come referido à Fides, os dois advogados oferecem os seus serviços gratuitamente. Outras ameaças foram feitas aos advogados em casos passados. Sajjad Masih Gill, 31 anos, foi condenado a prisão perpétua por um pressuposto crime perpetrado em julho de 2013 em Gojra, no Punjab. Como ele, muitos cristãos no Paquistão vivem um calvário judiciário e pedem justiça, defendendo-se de acusações falsas e pretextos.
“Os nossos advogados e os nossos voluntários estão na vanguarda e não se deixarão amedrontar”, comenta à Fides Sardar Mushtaq Gill, advogado cristão e chefe de “Lead”. “Continuaremos a lutar pela tutela daqueles que sofrem violações dos direitos humanos no Paquistão, em particular pelas vítimas da lei sobre a blasfêmia e por aqueles que sofrem e têm fome de justiça e paz”. O advogado Gill recorda que “esta lei é utilizada contra os cristãos para coloca-los sob controle. Pedimos à comunidade internacional medidas para que o Paquistão possa abolir esta lei”. (PA) (Agência Fides 27/1/2016)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network