AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - Os Bispos pedem ao governo para suspender a expulsão de imigrantes clandestinos

Quarta, 13 Janeiro 2016 bispos   menores   refugiados   política  

Washington (Agência Fides) - A Conferência Episcopal dos Estados Unidos pediu ao governo para suspender as detenções e expulsões de famílias centro-americanas sem documentos válidos, medidas tomadas pelas autoridades de imigração dos Estados Unidos nas últimas semanas.
Segundo informações enviadas à Fides, numa carta ao secretário de Segurança Nacional (DHS, Department of Homeland Security), Jeh Johnson, a Comissão para as Migrações da Conferência Episcopal e a Catholic Legal Immigration Network (CLINIC) expressaram “grande preocupação” com a detenção e expulsão iminente de 121 centro-americanos, especialmente as mães com crianças.
A carta, assinada pelo Bispo Auxiliar de Seattle, Dom Eusebio Elizondo, e pelo Bispo de Orange, na Califórnia, Dom Kevin W. Vann, recorda que no primeiro fim de semana do ano, o DHS prendeu 121 imigrantes ilegais, especialmente na Georgia, Texas e Carolina do Norte para expulsá-los do país. “Estas ações criaram medo entre os imigrantes e causaram em suas comunidades a perda de confiança na polícia”, afirma a carta.
Recorda-se que o presidente, Barack Obama, em novembro de 2014, disse que seu governo iria prosseguir com a deportação de criminosos e membros de gangues, mas não de famílias, crianças ou mães “que trabalham duro para manter seus filhos”, e tais ações são contrárias a essas palavras.
Enquanto isso, a US Customs and Border Protection (CBP) notou um aumento acentuado no fluxo de imigrantes ilegais na fronteira sul.
Durante vários meses, os bispos católicos pediram ao governo para acabar com a “prática nociva de detenção de mulheres e crianças” e pediu ao Congresso para apoiar “os esforços humanitários na região que contribuirão para eliminar a violência e deter as situações que forçam as pessoas a fugir de suas casas”. Um grupo de 146 deputados democratas no Congresso pediram ao governo Obama para deter a deportação dos centro-americanos em fuga de conflitos e considerá-los como refugiados. (CE) (Agência Fides, 13/01/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network