ÁSIA/LÍBANO - Diretor das POM libanesas: a execução saudita do imame al-Nimr tem consequências catastróficas para o Líbano e todo o Oriente Médio

Segunda, 4 Janeiro 2016 áreas de crise  

Wikipedia

Beirute (Agência Fides) – A condenação à morte do imame xiita Nimr Baqr al-Nimr, ordenada pelo governo saudita em 2 de janeiro, “tem como reflexo imediato o agravamento da crise institucional libanesa, mas seus efeitos catastróficos já estão se registrando em todos os cenários conflituosos que atormentam o Oriente Médio, desde a Síria ao Iraque e ao Iêmen”. Assim, o sacerdote maronita Rouphael Zgheib, Diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias no Líbano, descreve as consequências provocadas pela execução do líder religioso xiita. “No Líbano, onde os vetos cruzados entre alas políticas impediram, até agora, a escolha do Presidente da República, vacante desde maio de 2014” refere à Agência Fides pe. Rouphael “desde antes do Natal, já havia a tentativa de ampliar o consenso ao redor da candidatura de Suleiman Franjieh. A tentativa tinha o apoio da Arábia Saudita, mas próprio por isso ainda não havia recebido o apoio dos xiitas de Hezbollah. Agora, depois do que aconteceu, a iniciativa crescida ao redor de Franjieh está agonizando... e os líderes de Hezbollah definiram o regime saudita como ‘assassino’”. Segundo o Diretor das POM libanesas, “a provocação focalizada e forte” de Riad “pode ter o efeito de paralisar os frágeis projetos de pacificação com que se tentava contrastar os conflitos em ato na região. Depois daquele golpe, parecem desaparecer as perspectivas de paz e podem inflamar-se ainda mais os conflitos no Iêmen, Síria e Iraque”.
(GV) (Agência Fides 4(1/2015).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network