http://www.fides.org

News

2014-04-26

VATICANO - João Paulo II, um pontificado que começou no Dia Mundial das Missões

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – João Paulo II foi definido “o Papa itinerante, o Papa missionário, o Papa evangelizador”, que seguindo as pegadas do Apóstolo Paulo “se entregou a todos”, consumando si mesmo no ardente desejo de levar até os confins da terra o anúncio de Cristo. Começou seu serviço como Bispo de Roma com a exortação “Abram, ou melhor, escancarem as portas para Cristo!”: era o dia 22 de outubro de 1978, Dia Mundial das Missões, dia inaugural de seu ministério de Pastor universal. O Arcebispo de Cracóvia, Cardeal Karol Wojtyla (1920-2005), foi eleito em 16 de outubro, com 58 anos.
Esta circunstância foi evidenciada pelo próprio pontífice em sua primeira mensagem para o Dia Mundial das Missões, de 14 de junho de 1979, em que recordava a “feliz coincidência”: “Eu não poderia omitir que entre as intenções primárias em minha mente naquela ocasião solene estava a referência ao problema sempre presente e urgente do aumento do Reino de Deus entre os povos não-cristãos". João Paulo II dirigiu ao mundo 26 mensagens para o Dia Mundial das Missões. O fio condutor foi o convite para co-responsabilidade de todos os membros da Igreja na obra de evangelização do mundo, ainda no começo, enfatizando o papel central desempenhado pela Pontifícia Obra Missionária para a animação e a cooperação missionária.
Os seus 26 anos intensos de pontificado, entre o século XX e XXI, dificilmente podem ser sintetizaddos. Desde o início, ele usou todas circunstâncias e todos os meios (viagens, audiências, visitas ad Limina, catequeses, encontros, etc) para lembrar a todos a validade permanente do mandato missionário da Igreja e sobretudo para manter viva a consciência missionária do Povo de Deus. Entre os eventos mais importantes com uma especifícica conotação missionária recordamos a encíclica "Redemptoris missio" sobre "a validade permanente do mandato missionário" da Igreja, de 7 de dezembro de 1990, considerada um marco para o mundo missionário.
No contexto das catequeses realizadas durante as audiências gerais de quarta-feira, de 5 abril a 21 de junho de 1995, João Paulo II dedicou um ciclo sistemático de 9 catequeses aos elementos fundamentais da missão da Igreja, aos pilares sobre os quais ela se funda, bem como aos novos desafios da missão e as questões relacionadas com o crescente compromisso com o ecumenismo. Em seu pontificado, João Paulo II fez 104 viagens missionárias, visitando 129 países e 617 cidades. Durante essas viagens, ele proferiu um total de 2.382 discursos e percorreu 1.162.615 quilômetros. Além dessas viagens internacionais, o Santo Padre fez 146 viagens à Itália durante as quais visitou 259 localidades e proferiu 906 discursos.
Em vista do Grande Jubileu do Ano 2000, convocou e presidiu as Assembleias especiais do Sínodo dos Bispos para analisar e estudar a situação dos vários continentes, convocando a Roma os Episcopados da África, Ásia, América, Oceania e Europa. As orientações finais daqueles encontros históricos foram reunidas em Exortações apostólicas. Durante seu pontificado, João Paulo II elevou à honra dos altares 1.641 pessoas de todas as condições sociais e de todos os estados religiosos, como inúmeros missionários das jovens Igrejas. Foi beatificado por seu sucessor, Bento XVI, em 1o de maio de 2011. 
O Papa “que veio de longe”, como ele mesmo se definiu em seu primeiro encontro com os fieis, ao encerrar o Grande Jubileu pelos 2 mil anos do nascimento de Jesus, depois de 23 anos de pontificado, renovou a sua exortação à confiança, à esperança e à missão para o terceiro milênio: “Duc in altum!”. (SL) (Agência Fides 26/04/2014)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network