http://www.fides.org

News

2013-12-06

ÁFRICA/ÁFRICA DO SUL - “Honramos Mandela lutando por seus ideais”, escrevem os Bispos católicos

Johanesburgo (Agência Fides) - “Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem. (…) Eles foram soberanos em seus estados, foram homens de grande virtude, dotados de prudência. As predições que anunciaram adquiriram-lhes a dignidade de profetas” (Eclesiástico 44,1-3).
“Com estas palavras, a Igreja católica na África do Sul, expressa sua gratidão a Tata Mandela pelo sacrifício oferecido a todos os povos da África do Sul por sua orientação e inspiração, com as quais nos guiou no caminho da reconciliação”, escreve Dom Stephen Brislin, Arcebispo de Cidade do Cabo e Presidente da Southern African Catholic Bishops’ Conference (SACBC), na mensagem de pesar enviada à família de Nelson Mandela, o histórico líder da luta ao apartheid e primeiro Presidente da África do Sul democrática, falecido ontem aos 95 anos.
Na mensagem, recebida pela Agência Fides, Dom Brislin destaca que Mandela “nunca abriu mão de seus princípios e de sua visão de uma África do Sul justa e democrática, na qual todos pudessem ter iguais oportunidades, inclusive sacrificando a própria liberdade pessoal”.
“O líder, apesar dos fortes sofrimentos na vida, nunca respondeu ao racismo com o racismo”, prossegue a nota, que diz que suas palavras, pronunciadas no processo por traição, ainda hoje nos inspiram: combati contra a dominação branca e combati contra a dominação negra. Acariciei o ideal de uma sociedade livre e democrática, na qual as pessoas pudessem viver em harmonia e com iguais oportunidades”.
“Quando Madiba foi libertado em 11 de fevereiro de 1990, o país estava em ebulição e o sangue era derramado quase cotidianamente. Através de sua liderança, que se reforçou quando se tornou Presidente em 1994, Mandela guiou o país no caminho da reconciliação e da paz, convidando os sul-africanos a deporem as armas. Por isso, sempre estaremos em dívida com ele”, continua a mensagem.
“O melhor modo que temos para honrar a vida de Nelson Mandela é lutar pelos ideais que ele acariciou: a liberdade, a igualdade e a democracia, e de defender esses ideais de quem tenta corrompê-los”, conclui Dom Brislin. (L.M.) (Agência Fides 6/12/2013)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network